Prosimetron

Prosimetron

domingo, 24 de julho de 2016

8º Festival das Artes: Pioneiros - Diogo Infante

Está a decorrer o 8º Festival das Artes, Quinta das Lágrimas, Coimbra, este ano com o tema "Pioneiros".

O número 8 é o símbolo do infinito e são os Pioneiros que, geração após geração, vão fazendo avançar o Mundo e assegurando o futuro da Humanidade. Eles são sinais, por isso nos revelam que o infinito é o futuro anunciado. Os Pioneiros estão à frente  do seu tempo, são visionários e por isso  muitas vezes foram tratados como loucos. Mas com eles, como disse António  Gedeão "O Mundo pula e avança". Este é assim um tema transversal a todas as Artes, universal mas  também expressão das raízes profundas da História e da Cultura portuguesas, de um povo que foi capaz de "dar novos mundo ao Mundo", como escreveu Camões.

José Miguel Júdice
Presidente da Direção do Festival das Artes
Na sexta- feira passada, dia 22 de Julho, assisti à interpretação de Diogo Infante, na Quinta das Lágrimas, de vários discursos que mudaram o mundo intitulado:

"Palavras que Mudaram a Humanidade"


O recital continha excertos de alguns discursos de personalidades que marcaram o rumo actual da Humanidade levando a uma reflexão sobre os acontecimentos como: racismo, liberdade, igualdade, fraternidade, segurança, tolerância religiosa, terrorismo. Em suma, o diálogo entre as conquistas do passado e o confronto com o presente, regressão? Conquista?

Um serão que considero interessante, uma presença pungente, a do Diogo Infante, e um dos discursos, o de Bin Laden, chocante, na minha perspectiva, pois exalta uma verdade, ou um dos lados da verdade, levando a equacionar a queda das duas torres gémeas, em Nova Iorque.
Passo a citar a brochura do festival: "... os discursos são também os seus oradores. A sua capacidade de elocução está usualmente fundada na acção, convocando-nos novas e amplas emoções, criando novos entendimentos e estruturas de pensamento. Por isso os discursos são indissociáveis de quem os proferiu. Este recital contém  excertos de alguns dos discursos de personalidades que marcaram de forma indelével o rumo actual da Humanidade e que incorporam caminhos de reflexão sobre o poder transformador da linguagem e do pensamento".

Encomenda da Fundação Inês de Castro 
[Cronologia: excertos desde o após 2ª Guerra Mundial,  Declaração Universal dos Direitos do Homem, 1947, até 2015, ataques terroristas em Paris]

2 comentários:

MR disse...

Pode ser que ele repita o espetáculo em Lisboa e que eu possa ir.
Bom dia!

maria franco disse...

Bem gostava de ter assistido a este recital.
Pelo tema em si, e por ser dito pelo Diogo Infante.
Boa noite.