Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 19 de julho de 2008

Orson Welles at work

Já disponível nas livrarias, Orson Welles at work da Phaidon (2008) é uma excelente homenagem behind-the-camera a Welles, com fotografias em parte inéditas que nos mostram a versatilidade de Welles enquanto actor de teatro e cinema, realizador, produtor ou narrador.

François Thomas e Jean-Pierre Berthomé proporcionam-nos um estudo profundo de toda a carreira de Welles, enriquecido de inúmeras ilustrações de argumentos, contratos ou apontamentos pessoais durante o making de obras lendárias, tais como Citizen Cane (1941), ou The Magnificent Ambersons (1942).

Mais um livro com a qualidade a que a Phaidon nos habituou.

O baixo-barítono THOMAS QUASTHOFF


O baixo-barítono alemão Thomas Quasthoff é um dos intérpretes mais conceituados da actualidade. Canta com as grandes orquestras do mundo, entre elas, a Orquestra Filarmónica de Nova Iorque, Berlim, Viena e de Londres, tendo trabalhado com Claudio Abbado, Daniel Barenboim, Bernard Haitink, Kurt Masur, Sir Simon Rattle ou Christian Thielemann. Marca presença em todas as grandes salas de concerto (Gulbenkian em 2005), bem como nos principais festivais de música clássica. Alguns críticos consideram Quasthoff o melhor cantor lírico do género de Lied e de Oratória.

Quasthoff nasceu em 1959 em Hildesheim (Baixa-Saxónia). É uma das milhares de vítimas do maior escândalo de medicina do pós-guerra na Alemanha, provocado pelo sedativo Thalidomide, receituado a mulheres grávidas no final dos anos 50, que causou cerca de 10.000 mal formações congénitas. Quasthoff autodescreve-se assim: "Tenho 1,34 m de altura, braços curtos, sete dedos - quatro na mão direita, três na mão esquerda. Cabeça grande, relativamente bem constituída, olhos castanhos, lábios destacados. Profissão: cantor. "

As dificuldades devidas à sua deficiência física foram inúmeras: a título de exemplo, foi-lhe negado o acesso à Escola Superior de Música em Hannover em 1975 por não poder tocar piano. Iniciou então a sua licenciatura em Direito. Sempre apoiado pelos pais, Quasthoff seguiu, contudo, o seu caminho vocal e teve aulas particulares junto de Charlotte Lehmann e Ernst-Huber Contwig (ironia do destino: Quasthoff é, desde 1996, professor na Academia de Música de Detmold no norte da Alemanha).

A sua apresentação no Festival de Bach em Oregon em 1995 foi o passo decisivo para a sua carreira internacional imparável. A discografia gravada para a Deutsche Grammophon revela um repertório versátil e rico, incluindo obras de Bach, Mozart, Schubert, Brahms, Liszt, Mahler e, por fim, até um album de Jazz. Quasthoff congratula-se com três Grammies já alcançados.

Penúltima nota, dedicada aos leitores wagnerianos: Quasthoff estreou-se na ópera de Viena em 2004, tendo deslumbrado críticos e público como Amfortas em Parsifal.

Última nota, dedicada a todos que queiram conhecer melhor Quasthoff: o canal franco-alemão ARTE leva-nos a um concerto no âmbito do festival de Verbier de 2007, em que Quasthoff, acompanhado ao piano por Hélène Grimaud, interpretou Schumann e Brahms. Amanhã, domingo, às 18h!

Relatório e contas do primeiro trimestre

Este blogue cumpre hoje o seu primeiro trimestre de vida. Pois é, passaram três meses desde aquele primeiro balbuciar virtual.E tem sido um crescimento saudável: esta é a 558ªpostagem, e embora quantidade não seja automaticamente qualidade, significa pelo menos vitalidade e dedicação; e são já cinco os autores do blogue, e estão mais alguns a caminho, uns já o sabem, outros ainda não...
Evidentemente, o número de autores apenas conta no sentido de um acréscimo de experiências de vida, de interesses afins aos nossos, ainda que diferentes, de outras mundividências.
Em suma, pretende-se a diversidade. Não uma diversidade qualquer, naturalmente, mas sim uma diversidade ligada ao espírito deste blogue- o amor pelas coisas da Cultura, pelas criações do génio humano. Sem descurar, e não tem sido descurado, o quotidiano mais prosaico como consta na epígrafe do blogue.
Agradeço aos leitores, de todo o país e até alguns do país vizinho, o incentivo e o carinho demonstrados nestes últimos três meses. Os vossos mails e os vossos comentários no blogue são a prova de que este blogue não vive fechado sobre si próprio .

Otello na Sydney Opera House


A ópera de Verdi está desde ontem em palco na Sydney Opera House. De particular destaque é a encenação de Harry Kupfer, que ganhou fama na Ópera de Viena. A acção é encenada na escadaria de um palácio sumptuoso semi-destruído (presume-se que pela guerra), com um atlas em bronze ao centro sustentando uma esfera armilar. Decorre algures no início do século XX, com os militares de uniformes reminiscentes das Grandes Guerras. Os movimentos do coro e dos figurantes estão sempre a reforçar a ideia de tempestade, em especial no início e no fim da produção, o que resulta particularmente bem como reflexos do contexto e das tormentas interiores dos personagens. A utilização da estátua omnipresente, primeiro como apoio de Desdemona, depois como amparo / bloqueio de Otello, também está bem conseguida. Cheryl Barker é uma Desdemona convincentemente alegre, surpresa, magoada e resignada / desesperada; Dennis O'Neil é um Otello a quem falta alguma estatura (figurativa e literalmente); e Jonathan Summers é um Iago asqueroso (ou seja, bem para o papel concebido por Shakespeare e revisitado por Verdi). No entanto, falta alguma chama.
Em cena em Sydney até 16 de Agosto; depois, a produção passará para Melbourne.

Audeguy - 4

Préludes

La beauté du prélude, chez les plus grands auteurs ( Fauré, Debussy ) , est que justement il ne prélude à rien, se suffit à lui-même : c'est une forme brève, qui n' se impose pas à l' oreille, mais propose ses finesses, ses hésitations, ses nuances, inépuisablement. Comme le nocturne, le prélude est essai, expérience, jeu intellectuel et sensible.

- Stéphane Audeguy, Petit éloge de la douceur, Gallimard, 2007 .

Arte contemporânea no Algarve

A partir de hoje e até 15 de Setembro está patente uma exposição de João Pedro Vale nas ruínas romanas do Museu Arqueológico do Cerro da Vila , em Vilamoura.

A EDUCAÇÃO DO PRÍNCIPE - OBRAS PRIMAS DO MUSEU AGA KHAN

Até dia 27 de Julho, de terça a domingo, ainda pode ver na Fundação Gulbenkian a colecção pertencente ao futuro Museu Aga Khan. A exposição está organizada em dois núcleos : A Palavra de Deus, onde se mostra a importância dos manuscritos do Corão na produção artística e arquitectónica; e O Poder do Soberano, secção que reúne objectos preciosos, retratos e objectos do quotidiano provenientes de várias cortes islâmicas.
Pode ainda ver o projecto do arquitecto japonês Fumihiko Maki para o futuro Museu Aga Khan, em Toronto, a inaugurar em 2011.

sexta-feira, 18 de julho de 2008

1938 - Maria da Roménia




( -retrato pintado por Tini Rupprecht )
Nascida Princesa Maria de Edimburgo a 29 de Outubro de 1875, primogénita do Príncipe Alfredo de Edimburgo e da Grã-Duquesa Maria Alexandrovna, e consequentemente neta da Rainha Vitória e do Czar Alexandre II da Rússia, foi uma das mais belas princesas da Europa do seu tempo e posteriormente uma das mais belas rainhas europeias do século XX.
Maria tornou-se também princesa de Coburgo em 1889, quando os seus pais se tornaram Duques reinantes de Coburgo, após a morte do Duque Ernesto, tio de Alfredo e que morreu sem filhos legítimos.
A beleza de Maria atraíu vários pretendentes, e entre eles o seu primo Jorge, futuro Jorge V da Grã-Bretanha, que em 1892 pediu formalmente Maria em casamento.
Surpreendentemente, o pedido foi recusado dada a oposição veemente da Grã-Duquesa Maria , que não queria voltar à órbita da sua dominante sogra, a Rainha Vitória, e detestava a Grã-Bretanha.
No ano seguinte, no dia 10 de Janeiro de 1893 Maria casou com o Príncipe Herdeiro da Roménia, Ferdinando de Hohenzollern-Sigmaringen, sobrinho e herdeiro do Rei Carol I da Roménia.
Embora o casamento não fosse perfeito, Maria tornou-se uma rainha adorada pelo seu povo, a quem se dedicou de alma e coração. Paralelamente aos deveres oficiais, escreveu peças de teatro, livros infantis, volumes de memórias e dedicou-se à pintura .
A sua popularidade aumentou ainda mais com a sua intervenção na Conferência de Paz de Paris em 1919, consequente ao término da 1ª Guerra Mundial, onde conseguiu acréscimos territoriais para a Roménia.
A sua maior desilusão foi o seu filho Carol, que logo em 1918 tinha fugido da Roménia para casar com a plebeia Zizi Lambrinho, que lhe deu um filho, Mircea. O casamento foi declarado ilegal e anulado pelo Rei Ferdinando, e em 1921 Carol casou com a Princesa Helena da Grécia, de quem teve um filho, o Príncipe Miguel. Pouco tempo depois do nascimento de Miguel, Carol fugiu novamente com outra plebeia, Magda Lupescu, e em 1925 renunciou aos direitos ao trono.
Quando Ferdinando morreu em Julho de 1927, Miguel , de seis anos de idade, tornou-se Rei da Roménia até 1930, data em que Carol regressou à Roménia, depôs o filho e tornou-se o Rei Carol II .
Os últimos anos de Maria da Roménia, algo marginalizada pelo seu filho Carol, foram passados a viajar e nas suas residências romenas- o Castelo de Bran, que lhe havia sido oferecido pelos habitantes de Brasov, e uma villa em Balsic.
Em 1937, foi-lhe diagnosticada uma doença hepática, tendo estada internada algum tempo num renomado sanatório de Dresden, infrutíferamente.
Morreu no dia 18 de Julho de 1938 , no belo Castelo de Pelishor, na Roménia.


Parabéns Madiba !

Nelson Mandela faz hoje 90 anos. Além do grande concerto de homenagem realizado em Londres no passado dia 26 de Junho, o grande estadista tem recebido muitas outras manifestações de carinho vindas de todas as partes do mundo.
Mandela é uma referência na história do séc.XX e dispensa apresentações.
Só tenho pena que por cada Mandela ou Senghor, tenhamos Idi Amin, Bokassa, Mobutu ou Mugabe...

Prémios Gulbenkian

Hoje, pelas 18h, serão entregues no Grande Auditório da Fundação Gulbenkian os Prémios Gulbenkian :

PRÉMIO INTERNACIONAL CALOUSTE GULBENKIAN

- Global Footprint Network (E.U.A.)
- The Marine Science Institute (Univ. das Filipinas)

Presidente do Júri: Jorge Sampaio

PRÉMIO GULBENKIAN BENEFICÊNCIA

- Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome

Presidente do Júri: António Barreto

PRÉMIO GULBENKIAN ARTE

- Pedro Costa

Presidente do Júri: João Marques Pinto

PRÉMIO GULBENKIAN EDUCAÇÃO

- Associação de Jardins-Escola João de Deus

Presidente do Júri: Maria Helena da Rocha Pereira

PRÉMIO GULBENKIAN CIÊNCIA

- Sérgio Rebelo

Presidente do Júri: Fernando Lopes da Silva


Entrada livre.

A História e os perdões

Mais um pedido de desculpas por um crime cometido há algum tempo...
Sou muito céptico em relação a estes perdões tão retroactivos, pois prosseguindo nessa senda onde terminamos?


http://ww1.rtp.pt/noticias/index.php?article=355249&visual=26&tema=2

O Desterrado

1872, por Soares dos Reis

Pintar a solidão - 2

Joachim Patinir, Saint Jérôme dans le désert , séc.XV,
óleo sobre madeira, Museu do Louvre, Paris.

A solidão derivada da fé, a solidão dos eremitas. S. Jerónimo é representado ajoelhado a rezar, vestindo uma túnica cor de cinza, tendo renunciado ao seu manto de cardeal que está no primeiro plano do quadro.
Hoje quase esquecemos que o eremitismo foi um dos grandes ideais de vida cristã durante séculos, tanto no Oriente como no Ocidente.

Sugestão para hoje

No Teatro Camões, em Lisboa, pelas 21.30, a Orquestra Sinfónica Portuguesa interpretará obras de Colla, Sibelius e Ince. Com direcção do maestro David Allan Miller e participação do violinista Mikhail Ovrutzky e Kamran Ince ao piano.
Concerto integrado no 34.º Festival do Estoril mare nostrum 2008 .

Salvem o Largo do Rato! - Petição




Salvem o Largo do Rato - Petição

Foi dada agora luz verde aos projectos de especialidade pela autarquia lisboeta deste enorme edifício entre o Largo do Rato, Rua Alexandre Herculano e Rua do Salitre. Composto por 7 pisos acima do solo, com fachadas de 22 metros, com 10.000 metros quadrados em gaveto, trata-se de uma construção que pela volumetria rebenta totalmente com a escala existente.
O projecto a construir prepara-se para descaracterizar definitivamente esta zona lisboeta.
Para servir tais propósitos o novo prédio obrigará à demolição de alguns imóveis, nomeadamente a centenária Associação Escolar de São Mamede e todo o belissimo centenário conjunto artístico, Palácio Palmela - Procuradoria Geral da República, chafariz e muro de pedra), que rodeia quase todo o terreno.

Peço a todos que leiam e reencaminhem esta mensagem.

E assinem a petição:

http://www.petitiononline.com/lgrato/petition.html

Ver detalhes e comentários:

http://lesmamorta.blogspot.com/2008/02/fotomontagem-expresso-respeitando-as.html <http://lesmamorta.blogspot.com/2008/02/fotomontagem-expresso-respeitando-as.html>

Se nada fizermos isto irá mesmo para a frente!









Leonard Cohen : Hallelujah

Faltam apenas dois dias...

YouTube: Duncster

Bernstein: Tristão e Isolda (final)


YouTube: ayabooon

Allan Heinberg - criador de BD

Este mês conclui a mini-série de banda desenhada da Marvel, "Young Avengers Presents", e vai começar "Secret Invasion: Runaways / Young Avengers". O criador destes Young Avengers é Allan Heinberg. Nascido a 29 de Junho de 1967, conta como créditos na BD o argumento inicial da 3ª série de "Wonder Woman" com Terry e Rachel Dodson, tendo ainda créditos como argumentista e/ou produtor de séries televisivas incluindo "Party of Five", "Sex and the City", e, mais recentemente, "Grey's Anatomy".

Young Avengers #1, Abril de 2005

Redenção da morte pelo amor!

Um amigo colocou-me um desafio: descobrir que também havia redenção da morte pelo amor!
Obrigado. Na verdade fraternidade é... amor


YouTube: odangopen

R.Wagner, Tristan und Isolde
concert Herkulessaal,Muenchen 1981
Dirigent:Leonard Bernstein
Symphonie-Orchester der Bayerischen Rundfunks,Chor des Bayerischen Rundfunks
Isolde:Hildegard Behrens

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Caravaggio - rota chiaroscura pela Cidade Eterna

Narciso, 1599, Palazzo Barberini, Roma

Michelangelo Merisi da Caravaggio, conhecido por este último nome, foi um pintor italiano, normalmente considerado um dos primeiros expoentes do Barroco. Nascido a 28 de Setembro de 1571, veio a falecer aos 38 anos, a 18 de Julho de 1610.

Descobri numa grata visita há dois anos que Roma, pelo espólio que mantém, oferece uma irresistível "caça ao tesouro", em que os deslumbrados visitantes della Città Eterna passam febrilmente de monumento para monumento em busca dos jogos de luz e sombra e da representação quase histriónica das suas pinturas. A galeria de imagens trata dessa demanda possível.


Riposo durante la fuga in Egitto, 1595 - 1596, Galleria Doria-Pamphilj, Roma


Martirio di San Matteo, 1600-1601, Chiesa S.Luigi dei Francesi, Roma


Crocefissione di San Pietro, 1600 - 1601, Chiesa S.Maria del Popolo, Roma


San Giovanni Battista, 1602, Pinacoteca Capitolina, Roma


Deposizione, 1602-1604, Pinacoteca Vaticana, Roma



Madonna dei Pellegrini, 1604 - 1606, Chiesa di S. Agostino, Roma


Davide con la testa di Golia,1605-1606, Galleria Borghese, Roma

Henry David Thoreau




Henry David Thoreau nasceu a 17 de Julho de 1817, filósofo norte-americano, pioneiro do pensamento ecológico, teorizador da desobediência civil.
Agradeço à Manuela Rêgo ter-me lembrado esta efémeride, bem como o envio das imagens.
A Manuela é uma leitora atenta do blogue e até já me evitou cometer uma ou duas gaffes...
Espero usar da minha capacidade de persuasão para convencê-la a colaborar neste blogue, e se alguém me quiser ajudar nesse exercício é bem vindo.

Uma agradável surpresa


Ontem, ofereceram-me um girassol. Gesto bonito e inesperado de quem sabia, como sabem os mais chegados, que se trata de uma das minhas flores preferidas, talvez mesmo a preferida.
Coloquei-o na jarra dos bambús e pareceu-me ficar satisfeito. Hoje de manhã, foi a primeira coisa que iluminou o meu dia, quando fui à cozinha beber água e ouvir o canário e os pardais de Java, dois dos meus rituais matutinos.

A irrefutabilidade de Puccini

"Stellings has this idea that 'classical' music will die before Tamla Motown, because it has no tunes by which it can be remembered (for the sake of this argument, you have to exclude opera, particularly Puccini)."

in "Engleby", de Sebastian Faulks, Vintage, 2008

Sobre as estrelas - 1

-foto tirada do site do Hubble

" C'est au vrai ciel des étoiles qu'il faut suspendre une vie humaine; sans quoi les caprices des hommes et les cris des enfants nous étourdiraient. Là est le modèle de toute science humaine, et de toute machine humaine, et de toute sagesse humaine. Là regarde le législateur des cités, et le législateur de lui même, et le poète, et la vieille bonne femme aussi; tous cherchent la même chose; les uns quelque Dieu arbitre, les autres quelque Loi, tous le sceptre humain et la couronne humaine, chacun comme il la voudrait. Les uns regardant les images, les autres les lisant. "

- Alain , Propos, 1908

3x17 de Julho: Morte de Nicolau II, Czar de todas as Rússias, e da sua família (1918, 1998 e 2008)

Fotografia da família Imperial, 1911, Museu do Hermitage, São Petersburgo


O Czar Nicolau II, a Czarina Alexandra, as suas quatro filhas (Olga, Tatiana, Maria e Anastasia) e o Czarevich Alexei foram mortos a 17 de Julho de 1918, pelo governo Bolshevique, aparentemente sob ordens de Lenine.

Nicolau II foi considerado pela revista Forbes a 3ª pessoa mais rica da história. O seu reinado (1896-1917) foi marcado pelas revoltas (pogroms) anti-semitas de 1903-1906, pela clamorosa derrota contra o Japão na Guerra Russo-Japonesa de 1905, pela Revolução de 1905 em que os militares dispararam contra manifestantes, matando e ferindo centenas (o Domingo Sangrento, como ficou conhecido, ocorreu a 22 de Janeiro de 1905), pela influência de Rasputin e pelas sucessivas derrotas contra as Potências Centrais (os Impérios Alemão, Austro-Hungaro e Otomano e a Bulgária) durante a I Guerra Mundial.

Com a Revolução de Fevereiro, Nicolau II é forçado a abdicar (Março de 1917); o primeiro governo a reconhecer o regime revolucionário é o do Estados Unidos da América.

Exilados pelo Governo de Kerensky em Agosto, a Revolução Bolshevique de Outubro desloca a família em Abril/Maio para outra localização. Executados secretamente (aparentemente por indicação de Lenine), os seus corpos só foram encontrados em 1991 (os dois últimos foram encontrados carbonizados a 30 de Abril deste ano - a confirmação foi dada ontem pelas autoridades russas, 90 anos após a sua morte).

A 17 de Julho de 1998, foi conduzida uma cerimónia de funeral cristão, com os restos mortais encontrados colocados na Catedral de S. Pedro e S. Paulo, em São Petersburgo.

A 14 de Agosto de 2000, o Czar e a sua família foram canonizados como santos pela Igreja Ortodoxa Russa.

Por incrível que pareça, está a decorrer na Rússia a eleição do "maior russo de sempre"; esta semana, Nicolau II ocupou o 1º lugar, tendo destronado José Estaline que liderava as preferências até à semana passada.

Portugal visto de fora: IV - da OMS


A esperança média de vida em Portugal está (estimativa para 2007) nos 75 anos para os homens e 81.3 para as mulheres. No relatório da OMS de 2000, era de 72 anos para os homens e 79.5 para as mulheres. Caramba. Em 1971, a esperança média de vida era de 64 anos para os homens e 70 para as mulheres (fonte: Comissão Europeia). Gulp. Trata-se de um aumento de 17% para os homens e 16% para as mulheres em pouco mais de uma geração - fantástico! E esta é a média, há que bater as médias (até porque por cada pessoa que morre antes, outra vive para ultrapassar a média).

Para mim, no entanto, a métrica mais útil é a (o? os?) DALY - Disability Adjusted Life Years, uma métrica que determina o número de anos de vida saudável (ou seja, apresenta o tempo perdido devido a morte prematura e o tempo vivido sob o peso da doença). Em 2000, Portugal ocupava o 29º lugar do ranking, com 69.3 anos de DALY (note-se quão inferior a um valor médio esperado de 76, se se calcular a média ponderada das esperanças médias de vida - 8%!). Infelizmente este indicador ainda não permite fazer análises temporais, dado que é de cálculo recente (no entanto, dados similares apresentados pela OMS indicam um progresso de cerca de 3.6% entre 2000 e 2002, notável).

Para os mais curiosos, as principais causas de incapacidade de saúde em Portugal são as neuropsiquiátricas, seguidas das doenças cardio-vasculares e do cancro (a tabela seguinte apresenta a decomposição das dez principais causas para homens e mulheres, cortesia da OMS):


Apenas uma nota para notar que as condições neuropsiquiátricas possuem a liderança na maior parte (se não todos?) os países da Europa Ocidental. Os dados mais recentes de DALY para Portugal podem ser consultados em http://www.euro.who.int/eprise/main/WHO/Progs/CHHPOR/burden/20050131_2

O 29º lugar do ranking é apenas uma posição -- pior do que 28 casos, melhor do que os demais. O progresso absoluto é que interessa; não é tanto uma competição, mas uma procura de nivelação - por cima.

WYD SYD 08


Está a decorrer em Sydney um imenso evento à la concerto de rock: as ruas estão fechadas, os parques estão rodeados de barreiras e existem polícias de controlo de multidões em todas as partes da cidade; o ruído é enorme e os meus colegas estão neste momento à janela a ver o porto de Woolloomolloo e o parque do Domain. Há palcos montados; os helicópteros circulam baixinho e de quando em vez passa um avião militar.

No entanto, a estrela esperada não se prevê que venha cantar: é o actual Papa, que vem celebrar missa para o World Youth Day, apregoado como sendo "o maior festival de jovens do mundo". Como qualquer bom evento mediático, o site oficial tem no seu artigo principal um único link: para os sítios onde se pode ver o Papa. Achei particularmente intrigante a presença de multidões italianas que vêm ver o Papa: haveria concerteza alternativas logisticamente mais fáceis...

O evento começou a 15 de Julho e decorre até 20 de Julho; esperam-se cerca de 125 000 visitantes, mais do que os que vieram à cidade durante os Jogos Olímpicos de 2000.

Para azar dos Távoras (ou do Clero), a comunicação social nas últimas semanas tem andado em polvorosa com escândalos de abusos sexuais por parte de padres católicos na Austrália e do seu encobrimento pelo actual Cardeal.

Leonard Cohen - So long Marianne 79


YouTube: Musicfirstlove

Leonard Cohen

Até Sábado

YouTube: musicfirstlove

O abuso da Cruz Vermelha na Colômbia

O Presidente da Colômbia veio reconhecer que um dos soldados envolvidos no resgate de Ingrid Betancourt e dos demais reféns das FARC envergava o símbolo da Cruz Vermelha. O militar aparentemente teve medo quando viu que havia muitos rebeldes (o que se compreende) e sacou do símbolo da Cruz Vermelha (o que é inaceitável para um militar profissional). A Cruz Vermelha é uma organização supra-conflito, cujo poder e influência para fazer o bem depende do respeito e reconhecimento dessa independência por qualquer parte de um conflito, sabendo que qualquer dessas partes será tratada sem qualquer preferência. Este abuso é tão grave como se se tratasse de um terrorista envergando um uniforme da Cruz Vermelha a embarcar num avião em Nova Iorque. Espero que a punição pelo abuso seja veemente e visível. A bem da influência futura da Cruz Vermelha que poderá ser crítica para qualquer um de nós.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Gouncourt



Edmond de Goncourt, nasceu em Nancy em 1822 e morreu em Champrosay, Essone, em 16 Julho de 1896. Romancista reconhecido, crítico literário e editor, grande parte da sua obra foi escrita em conjunto com seu irmão Jules. Por testamento criou a Academia Goncourt que anualmente atribui um prémio literário para autores de língua francesa, o Prémio Goncourt, que já contemplou escritores como Marcel Proust, André Malraux, Elsa Triolet e Marguerite Duras. Em 2007 premiou o romance «Alabama Song», de Gilles Leroy, uma biografia romanceada de Zelda Fitzgerald, escritora e casada com o escritor Francis Scott Fitzgerald, celebrado autor de «O Grande Gatsby», romance que deu origem a um filme de Jack Clayton, de 1974, com Mia Farrow e Robert Redford

Citações

« Génio é o talento de uma pessoa que está morta »

« A barbárie é necessária em cada quatro ou cinco séculos para trazer o mundo de volta à vida. Senão morreria de civilização »

Pintar a solidão - 1


Eugéne Delacroix, Le Tasse dans la maison de fous , 1840, óleo sobre tela, Winterthur, Colecção Oskar Reinhart ( am Romerholz ) .
A solidão do grande poeta Torquato Tasso, encerrado num asilo. A solidão que nos acontece, diferente da que procuramos.

Sugestão musical online

Este ano vai ser possível pela primeira vez assistir em directo a uma das óperas do Festival de Bayreuth via internet, tendo sido escolhida a produção de Os Mestres Cantores de Nuremberga , que estreia dia 27 de Julho, às 16h.
Os bilhetes online custam 77 dólares, mas permitem ver a ópera quantas vezes se quiser até ao dia 2 de Agosto.
Mais informações em www.bayreuther-festspiele.de

Sugestão musical a Norte

Hoje, pelas 21.45h, na Igreja Românica de S.Pedro de Rates, Póvoa de Varzim, o violoncelista Alexander Kniazev interpretará peças de Johann Sebastian Bach, no âmbito do 30º Festival Internacional de Música de Póvoa de Varzim que decorre até 31 de Julho.

Tony Kushner


Tony Kushner é um dramaturgo norte-americano, nascido a 16 de Julho de 1956. Vencedor do Prémio Pulitzer com "Angels in America", foi nomeado para um Óscar da Academia em 2005 pela colaboração no argumento de "Munique", realizado por Steven Spielberg. A sua peça "Angels in America" foi transposta para televisão pela mão de Mike Nichols, numa minisérie da HBO com Meryl Streep, Al Pacino, Emma Thompson, Mary-Louise Parker, Patrick Wilson e Jeffrey Wright, tendo ganho cinco Globos de Ouro e batido os recordes do número de Emmys atribuídos num ano a uma obra, ao ganhar onze prémios (com vinte e uma nomeações).

Leonard Cohen

Sábado, uma oportunidade para ver o mito. Lá conto estar com M. e espero que o L. também vá.

YouTube: goodluck70

Andrea del Sarto

Ritratto di scultore ou Ritratto di giovane uomo, ca 1518, National Gallery, Londres

Andrea del Sarto, pintor renascentista, nasceu em Florença a 16 de Julho de 1486 e veio a falecer na mesma cidade a 21 ou 22 de Janeiro de 1531. Alguns peritos consideram que o Ritratto di scultore é um auto-retrato do pintor.

Nascita della Vergine, 1514, Chiesa della Santissima Annunziata, Florença

Madonna col Bambino e san Giovannino, ca. 1515, Galleria Borghese, Roma

Madonna delle Arpie, 1517, Galleria degli Uffizi, Florença


San Giovanni Battista, 1528, Palazzo Pitti, Florença

Petits morceaux de bonheur: 4 - Tetsuya's

Confit of Petuna Tasmanian Ocean Trout with Konbu, Apple, Fennel and Witlof, Wikipedia

Ontem tive a boa fortuna de voltar a jantar no "Tetsuya's", que recentemente voltou a repetir a proeza de ser eleito o Melhor Restaurante da Australásia na San Pellegrino World's 50 Best Restaurants. A nível mundial, ocupa a 9ª posição, tendo descido da 5ª no ano passado ( o #1 é pertença reiterada de "El Bulli", em Espanha).


A "experiência" vive-se melhor com o menu de degustação com vinhos a condizer, sendo servidos doze experiências de mariscos, peixes, carnes e sobremesas (embora também exista a variante vegetariana, que na maior parte dos pratos consegue reproduzir visualmente a opção carne/peixe). A imagem reproduzida é a do "signature dish".


A lista completa dos "50 mais" pode ser consultada em http://www.theworlds50best.com/2008_list.html

Art Deco 1910-1939

Entrada do Hotel Strand, em Londres


A National Gallery of Victoria, em Melbourne, tem em exposição "Art Deco 1910-1939", d'après a colecção de e exposição organizada pelo Victoria & Albert Museum de Londres, já referenciado pelo Filipe Vieira Nicolau.


Sob o mote "True Glamour Never Fades", a exposição aborda o crescimento embriónico do movimento durante a Grande Guerra e a consagração na Expo de Paris de 1925, que recebeu 16 milhões de visitantes (para referência, a Expo'98 teve 11 milhões). Fazendo uma viagem pelos estilos inspiradores da Art Deco e abordando a arquitectura, os automóveis, a pintura, a escultura, a moda, a joalharia, o cinema, o mobiliário, a decoração de interiores, os utensílios domésticos, a exposição faz um mostruário notável dos roaring 20s e da reacção à Grande Depressão, por todo o mundo, de Nova Iorque a Berlim e a Xangai e, necessariamente, a Melbourne e Sydney. Um dos temas omnipresentes é o escapismo de uma Grande Depressão para um mundo de fantasia e beleza de linhas geométricas e ordeiras, com luzes diáfanas e padrões de mundos esquecidos (e.g., o Antigo Egipto, a civilização Maia).

O mais maravilhoso da exposição é como cativa o visitante a reentrar nesse mundo de glamour e a reconhecer referências quotidianas como sendo "Art Deco". Das fotografias de Man Ray a arranha-céus como o Empire State Building ou ao Bund em Xangai, do "Grand Hotel" da Garbo aos desenhos de Frank Lloyd Wright, do jazz e da música de Cole Porter aos números de Busby Berkeley em "42nd Street", dos grandes navios transoceânicos aos quadros de Tamara de Lempicka, é muito fácil deixarmo-nos levar pelo mote da exposição. Existe uma secção exclusivamente dedicada à Art Deco na Austrália, que convida à descoberta pela cidade dos (muitos) exemplos arquitectónicos existentes.

O catálogo é muito bem conseguido, bem como um CD que captura os essenciais da música da época, desde Cab Calloway no "Cotton Club" a Fred Astaire em "Top Hat". A exposição está aberta ao público até 5 de Outubro.

terça-feira, 15 de julho de 2008

O ESTADO DO MUNDO E O DA NAÇÃO


" (...) Israel prepara um ataque preventivo ao Irão, com o indispensável apoio do « Presidente de guerra » - o que lançará um incêndio em toda a região e far-nos-á ter saudades dos actuais preços do crude; o mesmo « Presidente de guerra » prossegue o seu plano insano de cercar a Rússia de bases da Nato e agora de escudos antimíssil, que representam uma derrogação séria do princípio da dissuassão nuclear mútua e só pode provocar uma resposta de ameaça equivalente por parte de Moscovo; entretanto, jamais conseguiu deitar a mão a Bin Laden, « vivo ou morto », e tem a Nato atolada numa guerra sem solução militar à vista no Afeganistão, por falta de meios no terreno e de uma agenda política clara, que nem sequer conseguiu garantir a cooperação séria do Paquistão; no Iraque é o que se sabe e nem ao menos o dossiê nuclear com a Coreia do Norte está encerrado.
Os colossos da Ásia, com a Índia e a China à cabeça, desenvolvem-se a um ritmo alucinante e em contra-corrente, num crescimento insustentável, em termos de energia, de ambiente, de recursos do planeta. Todos os dias, umas centenas ou milhares de hectares da floresta amazónica são transformados em campos de soja para alimentar os chineses e centenas de hectares de terra fértil na África são transformados em monoculturas para a produção de biocombustíveis. (...) "
- Miguel Sousa Tavares, EXPRESSO , 12 de Julho de 2008

Tristes números

1- Mais de um terço dos nossos jovens ( 36% ) entre os 18 e os 24 anos deixaram a escola antes do ensino secundário em 2007 ( 32% só concluíram a primária ). A média da União Europeia é de 14,8%.

2- Pouco mais de metade ( 53,4% ) da população portuguesa dos 20 aos 24 anos concluiu o ensino secundário. A média da União Europeia é de 78,1%.

3- A nódoa negra europeia está na iliteracia. Um quarto dos jovens não sabe ler ou interpretar o que lê. Em Portugal eram 24,9%, na União Europeia 24,1%.

4- A iliteracia aumentou 10% entre 2000 e 2006.


São números do EXPRESSO do passado sábado. E nesta era de internet e novas tecnologias, dá que pensar a questão da iliteracia. No dealbar do século XXI temos milhares e milhares de analfabetos funcionais por esta Europa fora.

TAORMINA ARTE

Existirão provavelmente poucos cenários tão belos como o Teatro Antico (Greco) de Taormina (Sicília) onde está a decorrer o festival Taormina Arte. Precisamente neste ex-libris da antiguidade romana (e não grega, conforme o nome sugere), terá lugar a maioria dos espectáculos. Os melhores, na minha humilde opinião, começam a partir de 17 de Julho, entre eles, a representação de Hamlet e de António e Cleópatra.

O mês de Agosto dedica-se em pleno à música clássica. De destacar Tosca a 8 de Agosto, em que Martina Serafin (Tosca) e Marcello Giordani (Cavaradossi), juntamente com a Orchestra Teatro Vittorio Emanuele Messina sob a direcção de Eugene Kohn darão, seguramente, um contributo bem sucedido às comemorações do 150º aniversário do nascimento de Puccini que este ano celebramos (não esquecer a data de 22 de Dezembro!).

O festival caminhará para o seu auge a partir de 19 de Agosto: a integral das sinfonias de Beethoven será interpretada ao longo de cinco serões. A Orchestra Symphonica Toscanini será dirigida por Lorin Maazel.

Olhos azuis?

Los ojos por que suspiras,
sábelo bien,
los ojos en que te miras
son ojos porque te ven.


Antonio Machado

Glenn Miller [Orchestra]

O que se pode fazer quando se ama. Pennsylvania 6-5000 era o número de telefone de casa de Glenn Miller. A mulher não o pode acompanhar na viagem. E tantas vezes ele pediu às famosas telefonistas que fizessem a ligação que transformou o pedido em música.
Na falta de um video original, uma "reconstrução" de 1983, sob a direcção de Larry O'Brien

YouTube: glennmillerorchestra

BIG BANG ERA - Anos 50

Se não tiver programa para amanhã pode ser uma proposta.

16 JULHO, 23h30

Esplanada do Teatro D. Maria II (Lisboa)

Constituída, na sua formação, por dezanove músicos, a Big Band Era apresenta um repertório dedicado exclusivamente aos clássicos interpretados pelas grandes orquestras de Jazz dos anos 50. Revisitam-se temas inesquecíveis de Glenn Miller, Duke Ellington, Frank Sinatra ou Ella Fitzgerald e tenta-se recriar o ambiente das festas dos anos 50.

direcção EDUARDO LÁLA

voz JOANA RIOS / IAN MUCZNIK

sax. alto JOÃO PEDRO SILVA / GONÇALO PRAZERES

sax. tenor VÍTOR MANUEL / PAULO GASPAR

sax barítono HUGO GAITO

trompetes RUI CHEINHO / GONÇALO MARQUES / CARLOS SILVA / JOAHNNES KRIEGER

trombones LARS ARENS / JORGE SIMÕES / LUÍS CASTELHANO / MÁRIO VICENTE

piano RUI CAETANO

contrabaixo HUGO ANTUNES

bateria RUI ALVES

Iris Murdoch


Dame Iris Murdoch nasceu a 15 de Julho de 1919 em Dublin, na Irlanda. Romancista e filósofa, escreveu em torno a dilemas de religião, ética e sexualidade, abordando os problemas de múltiplos angulos entre a tentação, a traição e o estoiscimo, o Bem contra o Mal, o humor negro nas decisões, não escolhendo claramente nenhuma posição. Entre 1994 e 1996, foi uma das minhas autoras de eleição, tendo as minhas preferências oscilado entre o "The Sea, the Sea", que ganhou o Booker Prize, "The Green Knight", "The Book and the Brotherhood" ou o "Under the Net" (o seu primeiro romance, considerado um dos melhores livros do século pela American Modern Library).

Faleceu em Fevereiro de 1999, depois de uma longa luta contra a doença de Alzheimer. A sua biografia está narrada no filme de 2001 "Iris", sendo interpretada por Judi Dench e Kate Winslet, ambas nomeadas para o Óscar de Melhor Actriz.

Audeguy - 3

- Hesíodo e a Musa, Gustave Moreau, 1891, Musée d' Orsay,Paris

Poésie

N' importe quel individu qui, chaque jour de sa vie, consacrerait ne serait-ce que vingt minutes à lire de la poésie, c'est-à-dire à la pratiquer, s'en trouverait profondément changé, et libéré. D' où l' intérêt de notre société à détourner qui que ce soit de cette activité.

- Stephane Audeguy, Petit éloge de la douceur , Gallimard, 2007

Bom dia !

IV

Creio nos anjos que andam pelo mundo,
Creio na Deusa com olhos de diamantes,
Creio em amores lunares com piano ao fundo,
Creio nas lendas, nas fadas, nos atlantes,

Creio num engenho que falta mais fecundo,
De harmonizar as partes dissonantes,
Creio que tudo é eterno num segundo,
Creio num céu futuro que houve dantes,

Creio nos deuses de um astral mais puro,
Na flor humilde que se encosta ao muro,
Creio na carne que enfeitiça o além,

Creio no incrível, nas coisas assombrosas,
Na ocupação do mundo pelas rosas,
Creio que o Amor tem asas de ouro. Ámen.

- Natália Correia, Ó VÉSPERA DO PRODÍGIO !, in Antologia Poética, org. Fernando Pinto do Amaral, D.Quixote, 1ª edição, 2002.

Luchino Visconti: Ludwig


YouTube: gazzella59
Musica: Richard Wagner, Die Walküre [A Valquíria], III acto, Walkürenritt [Cavalgada das Valquírias].

Um filme a rever ou a ver

Hoje, dia 15 de Julho
21:30 Sala Dr. Félix Ribeiro (Lisboa, Cinemateca Nacional)
Ciclo 'Vestir as Estrelas'

LUDWIG [Luís da Baviera]
De Luchino Visconti
Itália/França/RFA, 1972 - 235 min.
legendado em português (electronicamente)

segunda-feira, 14 de julho de 2008

As time goes by: ...you must remember this, a kiss...

Para ti onde quer que estejas

Casablanca, 1942
[D. Wilson (Sam), I. Bergman (Ilsa lund Laszio), H. Bogart (Richard Blane), P. Henreio (Victor Laszio), C. Rains (cap. Louis Renault); dirigidos por Michael Curtiz; Warner Bros.]

Carlos Drummond de Andrade: Quadrilha

M. enviou-me o seguinte e-mail, que partilho com todos.

De Carlos Drummond de Andrade, o poeta que respondeu quando lhe perguntaram se gostava de poesia: «Gosto de gente, bichos, plantas, lugares, chocolate, vinho, papos amenos, amizade, amor. Acho que a poesia está contida nisso tudo.»

Quadrilha
João amava Teresa que amava Raimundo
que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili
que não amava ninguém.
João foi pra os Estados Unidos, Teresa para o convento,
Raimundo morreu de desastre, Maria ficou para tia,
Joaquim suicidou-se e Lili casou com J. Pinto Fernandes
que não tinha entrado na história.


Carlos Drumond de Andrade

(De Alguma poesia)

The Old Titans All Collapsed. Is the U.S. Next? - O eventual colapso do Império Americano

Já tem uns meses, mas é bastante actual este artigo publicado no Washington Post :



http://www.washingtonpost.com/wp-dyn/content/article/2008/05/16/AR2008051603461.html

Schnitzler - sobre o homem e o mundo


" O homem é feito de tal modo que procura sempre encontrar na infelicidade que atinge o outro o maior número possível de defeitos pessoais e ver apenas fatalidade no que o atinge a si. "

" Está mal feito este mundo, onde até os maiores artistas só dispõem de todo o seu génio por momentos, mas onde até os mais insignificantes canalhas se encontram, sem descontinuidade, em plena posse do seu carácter. "

" A humanidade tem a orelha feita de tal modo que continua a dormir quando o ruído eclode, e só desperta com o eco. "

" Algumas pessoas vivem como se esvazia uma taça de champanhe; outras como se come a sopa- uma colher após outra, indiferentes; mas muitas têm de procurar o seu pouco de vida como se fossem gotas de água sobre a terra suja: sempre curvadas, sempre sedentas."

- Arthur Schnitzler, RELAÇÕES E SOLIDÃO , trad.port. Manuel Alberto, Relógio D'Água Editores, 1996.

Audeguy - 2

Nuages

Les nuages sont impensables. Incommensurables. On peut raisonnablement estimer qu'il ne s'en pas trouvé deux pour être identiques depuis la formation de l' atmosphère terrestre. En ce sens, ils sont une parfaite image du monde.

- Stéphane Audeguy, Petit éloge de la douceur, Gallimard, 2007, 89.

Um quadro americano

- John Singleton Copley, Boy with a Squirrel , 1765
Museum of Fine Arts, Boston .
Este é o retrato de Henry Pelham, meio irmão do pintor John Singleton Copley( Boston, 1738- Londres, 1815) , aos 16 anos de idade. Este belo retrato foi enviado pelo seu autor para Londres, onde foi mostrado na Exposição de 1766 da Society of Artists , tendo merecido os elogios de Sir Joshua Reynolds, o maior retratista britânico da época e futuro primeiro presidente da Royal Academy. John Singleton Copley é considerado o primeiro grande pintor nascido nos Estados Unidos.

Dois poemas da Tecla

CONTRA

Yo me rebelo
contra la escasez de alondras,
contra la orfandad de los nogales,
contra el suicidio de los líquenes.

Yo me confieso
contra el silencio de las riveras,
contra el grito de los cipreses,
contra la quietud de los neblíes.

Yo me declaro
contra la siesta de los manantiales,
contra el apetito de los buitres,
contra el descanso de las cardenchas.

Yo me pronuncio
contra la llegada de los sollozos,
contra la desasistencia de los júbilos,
contra la mordedura de los alacranes.

Yo me manifiesto
contra la pérdida de los capiteles,
contra los campanarios sin latido,
contra la ignorancia de otros días.

Y protesto
contra los rituales sin asombro,
contra las vidrieras apedreadas,
contra los mundos sin Historia

- CABE MÍ , Ediciones Libertarias, 1998



LA PERLA PEREGRINA EN LOS RETRATOS DE FELIPE III Y MARGARITA DE AUSTRIA A CABALLO
Los siglos reverencian, no consumen- F. de Quevedo

La perla,
peregrina con Vuestra bondad,
con vuestras dádivas,
validos, festejos e monterías,
cortesana ostentatión
que fue monástica,
y suntuosa,
a vuestro paso.

Corceles os llevan por los siglos
y os dibujan en el atardecer
entronizados en sua gualdrapa.
Y la perla se vuelve,
en vuestro tiempo,
peregrina,
penitente de la Historia
en su tarde, ya ocaso,
para siempre.

-Fueron los pinceles , Ediciones Torremozas, 1993

14 de Julho : Parabéns Tecla !

Hoje faz anos a minha amiga Tecla- María Tecla Portela Carreiro. Licenciada em Ciencias de la Información pela Universidade Complutense de Madrid, a Tecla é uma mulher de letras : jornalista, professora, tradutora, ensaísta e poetisa. É talvez a pessoa mais "ibérica" ( que não iberista) que conheço- espanhola até à medula ( embora de cepa galega ) , mas simultaneamente profunda conhecedora e amiga de Portugal e dos portugueses, além de cultora da língua de Camões, tendo traduzido poetas e prosadores para a língua de Cervantes.
Além de todos estes méritos, a Tecla é uma amiga dedicada e uma grande anfitriã, pois recebe como ninguém na sua bela casa de Madrid. É uma honra ser amigo da Tecla.
Nesta foto vemos a Tecla quando foi condecorada pela primeira vez pelo Estado Brasileiro.
Para mim, o 14 de Julho é o dia da Tecla.

Porque hoje é dia 14 de Julho...


La Marseillaise

Allons enfants de la Patrie,
Le jour de gloire est arrivé!
Contre nous de la tyrannie,
L'étendard sanglant est levé, (bis)
Entendez-vous dans nos campagnes
Mugir ces féroces soldats?
Ils viennent jusque dans vos bras,
Égorger vos fils, vos compagnes!

Refrão:
Aux armes, citoyens,
Formez vos bataillons,
Marchons, marchons!
Qu'un sang impur
Abreuve nos sillons!

Que veut cette horde d'esclaves,
De traîtres, de rois conjurés?
Pour qui ces ignobles entraves,
Ces fers dès longtemps préparés? (bis)
Français, pour nous, ah! quel outrage
Quels transports il doit exciter!
C'est nous qu'on ose méditer
De rendre à l'antique esclavage!

Refrão

Quoi ! des cohortes étrangères,
Feraient la loi dans nos foyers!
Quoi ! ces phalanges mercenaires
Terrasseraient nos fiers guerriers ! (bis)
Grand Dieu ! par des mains enchaînées
Nos fronts sous le joug se ploieraient
De vils despotes deviendraient
Les maîtres de nos destinées!

Refrão

Tremblez, tyrans et vous perfides
L'opprobre de tous les partis,
Tremblez ! vos projets parricides
Vont enfin recevoir leurs prix ! (bis)
Tout est soldat pour vous combattre,
S'ils tombent, nos jeunes héros,
La terre en produit de nouveaux,
Contre vous tout prêts à se battre!

Refrão

Français, en guerriers magnanimes,
Portez ou retenez vos coups!
Épargnez ces tristes victimes,
À regret s'armant contre nous. (bis)
Mais ces despotes sanguinaires,
Mais ces complices de Bouillé
Tous ces tigres qui, sans pitié,
Déchirent le sein de leur mère!

Refrão

Amour sacré de la Patrie
Conduis, soutiens nos bras vengeurs
Liberté, Liberté chérie,
Combats avec tes défenseurs! (bis)
Sous nos drapeaux, que la victoire
Accoure à tes mâles accents,
Que tes ennemis expirants
Voient ton triomphe et notre gloire!

Refrão

Couplet des enfants
Nous entrerons dans la carrière
Quand nos aînés n'y seront plus
Nous y trouverons leur poussière
Et la trace de leurs vertus (bis)
Bien moins jaloux de leur survivre
Que de partager leur cercueil
Nous aurons le sublime orgueil
De les venger ou de les suivre!

Refrão

(Estrofe suprimida por Servan, Ministro da Guerra em 1792)
Dieu de clémence et de justice
Vois nos tyrans, juge nos cœurs
Que ta bonté nous soit propice
Défends-nous de ces oppresseurs (bis)
Tu règnes au ciel et sur terre
Et devant Toi, tout doit fléchir
De ton bras, viens nous soutenir
Toi, grand Dieu, maître du tonnerre.

Refrão

Estrofes suplementares:

Peuple français, connais ta gloire;
Couronné par l'Égalité,
Quel triomphe, quelle victoire,
D'avoir conquis la Liberté! (bis)
Le Dieu qui lance le tonnerre
Et qui commande aux éléments,
Pour exterminer les tyrans,
Se sert de ton bras sur la terre.

Refrão
Nous avons de la tyrannie

Refrão

Repoussé les derniers efforts;
De nos climats, elle est bannie;
Chez les Français les rois sont morts. (bis)
Vive à jamais la République!
Anathème à la royauté!
Que ce refrain, partout porté,
Brave des rois la politique.

Refrão

La France que l'Europe admire
A reconquis la Liberté
Et chaque citoyen respire
Sous les lois de l'Égalité; (bis)
Un jour son image chérie
S'étendra sur tout l'univers.
Peuples, vous briserez vos fers
Et vous aurez une Patrie!

Refrão

Foulant aux pieds les droits de l'Homme,
Les soldatesques légions
Des premiers habitants de Rome
Asservirent les nations. (bis)
Un projet plus grand et plus sage
Nous engage dans les combats
Et le Français n'arme son bras
Que pour détruire l'esclavage.

Refrão

Oui ! déjà d'insolents despotes
Et la bande des émigrés
Faisant la guerre aux Sans-Culottes
Par nos armes sont altérés; (bis)
Vainement leur espoir se fonde
Sur le fanatisme irrité,
Le signe de la Liberté
Fera bientôt le tour du monde.

Refrão

O vous ! que la gloire environne,
Citoyens, illustres guerriers,
Craignez, dans les champs de Bellone,
Craignez de flétrir vos lauriers! (bis)
Aux noirs soupçons inaccessibles
Envers vos chefs, vos généraux,
Ne quittez jamais vos drapeaux,

Et vous resterez invincibles.

Refrão

Enfants, que l'Honneur, la Patrie
Fassent l'objet de tous nos vœux!
Ayons toujours l'âme nourrie
Des feux qu'ils inspirent tous deux. (bis)
Soyons unis ! Tout est possible;
Nos vils ennemis tomberont,
Alors les Français cesseront
De chanter ce refrain terrible:
Refrão


Claude Joseph Rouget de Lisle
1792

domingo, 13 de julho de 2008

começou com os cães

Porque não faço plágio remeto para:
http://abrupto.blogspot.com/2008/07/coisas-da-sbado-comeou-com-os-ces.html

Saúde para a família



Existe na www uma obra que pode ajudar a resolver alguns problemas do dia a dia... Chama-se "Saúde para a Família" e é um manual da Merck. Agora, já acessível em português (de Portugal) e gratuitamente (Manual Merck de Saúde) no site: http://www.manualmerck.net/