Prosimetron

Prosimetron

sábado, 11 de outubro de 2008

O charme do mundo

Les êtres singuliers et leurs actes asociaux sont le charme d' un monde pluriel qui les expulse.

- Jean Cocteau, Les enfants terribles

Isto vem mais ou menos a propósito de uma figura singular da Lisboa nocturna. Durante anos, via-o quando passava em Picoas à noite, ele junto ao Imaviz a acenar a quem passava, sempre com um sorriso nos lábios e elegantemente vestido. A certa altura, tornou-se quase uma celebridade, com direito a entrevista televisiva onde falou da solidão em que vive, do desinteresse dos familiares. Hoje de madrugada, ao voltar da boémia, inesperadamente deparo-me com ele no Saldanha, perto do Galeto, a acenar e a sorrir e, previdentemente, com um chapéu de chuva.
Definitivamente un être singulier. E concordo com Cocteau- os seres singulares, os excêntricos, são realmente o charme do mundo. E retrato da fabulosa diversidade humana.

Hoje em S.Roque

Começa hoje a edição deste ano de Música em S.Roque. E precisamente na Igreja de S.Roque, onde às 21h actuará o Grupo Vocal e Instrumental Olisipo.

Mais informações em www.scml.pt .

As minhas músicas - 12: Me and Bobby McGee

Uma voz única e inigualável. Gosto muito desta que escolhi, mas também podia ser Cry baby ou Move over.

As minhas músicas - 11: Sittin' on the dock of the bay

Outra canção inesquecível. Outra morte prematura.

As 100 citações do cinema - #3

"You don't understand! I coulda had class. I coulda been a contender. I could've been somebody, instead of a bum, which is what I am."

Terry Malloy (Marlon Brando), "On the Waterfront", 1954

Herberto Helder

Claudia Pannone


Claudia Pannone a voz feminina do tango que passou por Portugal.

Sebastián Holz


Uma nova voz do tango que passou por Lisboa.

Otango : the ultimate tango show


Mariano Galeano y Paula Rubin, Melina Brufman y Claudio Gonzalez

Não foi tão comercial como esperava. Pelo contrário, superou, em muito, as espectativas.
Fui com M. ver a passagem do conjunto por Lisboa, na Aula Magna. Um espectáculo que concilia a música, a dança e a representação teatral. Adrián Veredice & Alejandra Hobert dirigem a coreografia. Sebastián Holz e Claudia Pannone, duas das novas vozes do tango, dão alma e coração a toda a cena. A direcção artistica foi de Olivier Tilkin.


Adrian VEREDICE & Alejandra HOBERT

Ainda pode ser visto em Coimbra (dia 11), teatro Gil Vicente, e Leiria (dia 12), teatro José Lúcio da Silva.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Martti Ahtisaari : Nobel da Paz 2008


Um prémio à Fraternidade.
"O Comité Nobel distinguiu hoje com Prémio Nobel da Paz, 2008, o antigo presidente finlandês Martti Ahtisaari pelas suas numerosas mediações de paz em vários pontos do globo nos últimos 30 anos.
Segundo o Comité Nobel foi atribuído ao antigo presidente «pelos seus importantes esforços e em vários continentes, durante mais de três décadas, na resolução dos conflitos internacionais». «Estes esforços contribuíram para um mundo mais pacífico e para a ‘fraternidade entre nações’ de acordo com o espírito de Alfred Nobel».

J. M. G. Le Clézio : Prémio Nobel da literatura 2008


Jean-Marie Gustave Le Clézio foi o eleito! Um escritor que se basea em viagens e na história para escrever os seus romances. Mereceu a distinção da Academia Sueca por ser “um escritor da ruptura, da aventura poética e da sensibilidade extasiada” e por se assumir como “um investigador de uma humanidade rara debaixo da civilização reinante”. "Grande narrador, capaz de unir harmonicamente a trama novelesca com a História, oferece ao leitor uma reflexão lúcida de outras culturas, entre elas, a africana, indiana e americana, sem nunca esquecer as suas raízes europeias".

Humor que espero não se torne negro...

Sobre a crise financeira actual, com um agradecimento à minha querida amiga Tecla.


PENSAMENTO DO DIA

22- Não se deixar arrastar pelos turbilhões; a todo o ímpeto do instinto, contrapor o amor da justiça; a toda a ideia que se apresenta, salvaguardar o espírito compreensivo.

-Marco Aurélio, PENSAMENTOS, Livro IV, trad. e notas de João Maia, Relógio D'Água Editores, 1995.

10 de Outubro de 1985 : Orson Welles

Orson Welles morreu no dia 10 de Outubro de 1985 de ataque cardíaco, aos 70 anos. É certamente um dos génios do cinema. Começou no entanto pelo teatro ( 1934) , tendo fundado a sua própria companhia em 1937. No ano seguinte, torna-se um nome conhecido após a célebre transmissão radiofónica da invasão do planeta por extraterrestres, e que era apenas uma adaptação da obra de H.G.Wells, A Guerra dos Mundos, com a extraordinária voz de Orson a ajudar.
Mas foi o cinema que deu fama mundial a Orson Welles, desde logo em 1941 com Citizen Kane ( Em Portugal, " O Mundo a seus pés " ) , a sua primeira longa metragem e considerado desde então como um dos melhores filmes de sempre. Em Kane Welles foi actor, co-argumentista, produtor e realizador. Aos 26 anos de idade.
Citizen Kane, como é sobejamente conhecido, aborda a vida do controverso rei da imprensa William Randolph Hearst, uma das figuras larger than life que os E.U.A. produziram, e fá-lo com várias inovações técnicas no uso da câmara, no tratamento do espaço , e com a enorme inovação da narrativa não linear, hoje uma coisa banal ( sem desprimor para Tarantino, por exemplo ) . Apesar do enorme sucesso de Kane, houve pelo menos um espectador que não ficou contente, o já aludido milionário
William Hearst que se tornou um inimigo declarado de Welles e cuja influência não foi alheia a problemas que surgiram nos anos seguintes.
Apesar do sucesso dos filmes seguintes, pelo menos até A Dama de Xangai (1948) , as relações de Welles com os estúdios foram sempre tensas e acabaram chegando a um ponto em que Welles deixou de conseguir filmar como queria, pelo menos nos Estados Unidos. Começaram então as longas temporadas pela Europa, com alguns regressos a Hollywood como actor ( e que actor!) de forma a ganhar dinheiro para financiar as suas produções.
Nos últimos anos de vida, até por razões de saúde, era a sua fabulosa voz que lhe garantia a sobrevivência ( até podemos ouvi-lo na primeira longa metragem dos Transformers...) . Morreu na sua casa de Hollywood, terra onde recebeu mel e fel.

Filmografia de Orson Welles :

- curtas: The Hearts of Age ( 1934 )

- longas: Citizen Kane ( O Mundo a seus pés) (1941)
It's all true ( É tudo verdade ) ( inacabado-1941, filmado em grande parte no Brasil)
The Magnificent Ambersons ( O Quarto Mandamento) (1942, para mim o melhor depois de Kane)
Journey into Fear ( O medo) ( 1943)
The Stranger ( O Estranho) ( 1946)
The Lady from Shanghai ( A Dama de Xangai) (1947)
Macbeth ( 1948)
Don Quijote ( 1951- 1972)
The Tragedy of Othello: The Moor of Venice ( Otelo ) (1952)
Mr. Arkadin ( Relatório Confidencial ) (1955)
Touch of Evil ( A Sede do Mal ) (1958)
The Trial ( O Processo) (1962)
Chimes at Midnight (1965)
F for Fake ( 1974)

As 100 citações do cinema - #4

"Toto, I've got a feeling we're not in Kansas anymore."

Dorothy Gale (Judy Garland), "The Wizard of Oz", 1939

A linha SOS Voz Amiga faz 30 Anos e o Dia Mundial da Saúde Mental - 10 de Outubro

Trinta anos depois de ter iniciado a sua actividade (a 9 de Outubro de 1978) e de já ter atendido mais de 260 mil chamadas com pedidos de ajuda, o SOS Voz Amiga (http://www.sosvozamiga.org/) luta, mais do que nunca, pela sobrevivência - e sempre no trilho de uma vontade férrea para estender o seu horário de atendimento às 24 horas por dia. Actualmente, as contingências de fundos para cobrir as despesas apenas permitem fazer atendimentos das 16h00 às 24h00, todos os dias da semana.

O SOS Voz Amiga foi o primeiro telefone de ajuda que surgiu em Portugal na área da prevenção do suicídio. É a única linha do seu género que se mantém em funcionamento permanente desde a data da sua criação, prestando um serviço de ajuda pontual em situações agudas de sofrimento causadas pela solidão, ansiedade e depressão.

No âmbito deste 30º aniversário, estão em curso diversas acções de sensibilização pública e angariação de fundos, nomeadamente a campanha "30 Anos, 30 Empresas", a associação ao Dia Mundial da Saúde Mental (que se assinala a 10 de Outubro com uma feira no Parque Eduardo VII, em Lisboa) e o lançamento de uma antologia de poesia e prosa intitulada "Nas Margens da Solidão", com a chancela beneficente da editora Padrões Culturais. Com o intuito de estar ainda mais perto da população, foi entretanto lançado um "blog oficial" da linha, em http://sosvozamiga.blogs.sapo.pt/.

Este é, assim, o nosso apelo: junte-se ao esforço da Liga Portuguesa de Higiene Mental, a IPSS responsável pelo SOS Voz Amiga, e ajude-nos, se puder, a divulgar os números de telefone e horário de atendimento e as iniciativas de angariação de fundos, apoios/mecenas e voluntariado em curso.

SOS VOZ AMIGA

Telefone: 213 544 545

Fax: 213 579 980

sosvozamiga@gmail.com

Liga Portuguesa de Higiene Mental

Largo de Andaluz, n.º 15 - 5º-E2

1050-004 Lisboa

PORTUGAL

DONATIVOS:

1. Conta Bancária Caixa Geral de Depósitos

- NIB 0035 0697 0021 5459 63254 (para portugueses em Portugal)

- IBAN PT50 0035 0697 00215459632 54 (para portugueses no Estrangeiro)

2 - Cheque ou vale postal para a morada acima

Siegfried online

No próximo dia 12 de Outubro, pelas 16h, será possível assistir online à transmissão em directo da ópera Siegfried de Richard Wagner, representada no Teatro Nacional de S.Carlos.
Os sítios que disponibilizam a transmissão, em colaboração com a RTP, são estes: www.saocarlos.pt e www.rtp.pt . Siegfried é a terceira parte da tetralogia O Anel dos Nibelungos, e a encenação do São Carlos está a cargo de Graham Vick .

Para o J.J.Ferreira

Votos de um feliz aniversário.

Ainda Machado de Assis

"(...) A assembleia insistiu; o alienista resistiu; finalmente o Padre Lopes explicou tudo com este conceito digno de um observador:
- Sabe a razão por que não vê as suas elevadas qualidades, que aliás todos nós admiramos? É porque tem ainda uma qualidade que realça as outras: - a modéstia.
Era decisivo. Simão Bacamarte curvou a cabeça, juntamente alegre e triste, e ainda mais alegre do que triste. Ato contínuo, recolheu-se à Casa Verde. Em vão a mulher e os amigos lhe disseram que ficasse, que estava perfeitamente são e equilibrado: nem rogos nem sugestões nem lágrimas o detiveram um só instante.
- A questão é científica, dizia ele; trata-se de uma doutrina nova, cujo primeiro exemplo sou eu. Reúno em mim mesmo a teoria e a prática.
- Simão! Simão! meu amor! dizia-lhe a esposa com o rosto lavado em lágrimas.
Mas o ilustre médico, com os olhos acesos da convicção científica, trancou os ouvidos à saudade da mulher, e brandamente a repeliu. Fechada a porta da Casa Verde, entregou-se ao estudo e à cura de si mesmo. Dizem os cronistas que ele morreu dali a dezassete meses, no mesmo estado em que entrou, sem ter podido alcançar nada. Alguns chegam ao ponto de conjecturar que nunca houve outro louco, além dele, em Itaguaí; mas esta opinião, fundada em um boato que correu desde que o alienista expirou, não tem outra prova, senão o boato; e boato duvidoso, pois é atribuído ao Padre Lopes, que com tanto fogo realçara as qualidades do grande homem. Seja como for, efectuou-se o enterro com muita pompa e rara solenidade. "

Assim termina O alienista,um dos melhores contos do grande Machado de Assis. É uma magnífica ilustração do abuso do positivismo, doutrina que tanto impacto teve no Brasil ( até presente na própria divisa nacional- Ordem e Progresso ) e que Assis refutava.

Herberto Hélder

Deve chegar hoje às livrarias A Faca não Corta o Fogo- Súmula&Inédita, o mais recente livro de poemas inéditos de Herberto Hélder. São 3000 exemplares e, como é hábito, não serão feitas reedições.

As minhas músicas - 10: Hey Jude

Estes não precisam sequer de apresentação. Atravessaram gerações. Esta é uma das minhas preferidas. Yoko Ono foi durante alguns anos um dos meus ódios de estimação...

As minhas músicas - 9: California dreamin'

Outra canção emblemática dos Sixties, pelos The Mamas and the Papas. E outra morte prematura, a de Mama Cass por abuso de drogas. Michelle Philips, a outra Mama do grupo, continua elegante como sempre.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Paulo Teixeira Pinto, poeta




Paulo Teixeira Pinto tem-se mostrado um homem eclético: docente das Faculdades de Direito e de Letras da UN, político do PSD, gestor da Banca e, desde que deixou essa actividade, Presidente da Causa Real, editor, pintor e, agora, poeta.

Foi hoje lançado no Museu da Faculdade de Ciências, num lindíssimo anfiteatro (mas também bastante incómodo para quase duas horas; pobres alunos que por ali passaram...), o seu livro de poesia que segundo o autor é fruto de uma maturação de dez anos, "porque um banqueiro não publica livros de poesia", com o título " LXXXXI (poema teorema) ou três vezes três três vezes vezes três".


Não foi bem uma apresentação clássica: mais uma performance com ritmo e encenação, vozes off, poemas lidos em entradas anunciadas, pelos jornalistas Mário Crespo e Nicolau Santos, a apresentação pelo linguista Prof. António Emiliano e pelo poeta Vasco Graça Moura, palavras de Teixeira Pinto para agradecimentos (in memoriam a Eduardo Prado Coelho, o primeiro a ler os seus poemas) e a explicação deste livro, onde a numerologia é patente com o seu hermetismo, ordenado em capítulos temáticos e com títulos em latim "por ser uma língua morta que por isso está sempre viva" e a apresentação de poemas de forma performativa e com música de fundo por Pedro Abrunhosa, que os disse maravilhosamente com a sua voz grave.

O Anfiteatro estava cheio, havia caras conhecidas de todas as actividades por onde Paulo Teixeira Pinto andou ou anda, entre elas Dom Duarte de Bragança, o deputado Miguel Relvas e os ex-ministros da Cultura, Pedro Roseta e Isabel Pires de Lima. Um acontecimento registado por muitos jornalistas, fotógrafos dos jornais e camara men.

XCI. Redemptio

o breve
em eterno
se doou

quando cindido
foi o tempo

e o nunca
em sempre
se tornou

"Nem dá gosto assim vestir"

"A voz de Cristal de Portugal" como Natália de Andrade se auto-intitulava cantava outros géneros musicais além de célebres árias de ópera. Já conhecia a canção "O Nosso Amor é Verde" mas esta também não lhe fica nada atrás...

Bianca Castafiore : Ária das Jóias

aproveitando o comentário do nosso querido Luís Barata deixo uma visão da grande diva Bianca Castafiore... a voz é boa de mais... no papel de Marguerite, da ópera Fausto, de Charles François Gounod.

Bianca Castafiore, se não me falta a memória, nasceu em 1938 ou 1939 quando Hergé desenhou e escreveu Le Sceptre d'Ottokar.

Inacreditável!!

Aviso: Escutar longe de locais envidraçados

Natália de Andrade, Florence Foster Jenkins, Vassilka Petrova, Tryphosa Bates-Batcheller ou Mari Lyn são divas operáticas que valem pela originalidade e só por isso são absolutamente geniais!

Mari Lyn

O sucesso dos livros

Passei ontem pelo Centro Comercial Vasco da Gama, onde está tudo a postos para a inauguração amanhã da nova loja FNAC. Ainda estava tudo coberto pelos habituais tapumes, e num destes li 1900m2 de loja. Pareceu-me muito, amanhã confirmarei.
A localização foi bem escolhida, a loja fica no corredor dos cinemas no último piso do centro, quase em frente à antiga loja da Bertrand. Sim, porque entretanto a Bertrand mudou-se para o primeiro piso do centro, para um espaço ligeiramente mais pequeno.
Malhas que a concorrência tece...
Sou um fã da FNAC, e cliente mais do que habitual, mas preocupa-me o destino dos livreiros tradicionais perante o avassalador sucesso da cadeia francesa.

Florence Foster Jenkins

A droga da moda


A velha salvia divinorum consumida pelos índios mazatecas do México, é actualmente a droga da moda no que respeita a alucinogénios. O princípio psicoactivo presente na planta , salvinorin A, é o alucinogénio mais potente produzido pela natureza.
A grande divulgação tem sido feita pelo youtube, onde existem já centenas de vídeos sobre o assunto. A internet, para o bem e para o mal.

A Primeira Grande Guerra em Madrid

No passado dia 7, foi inaugurada no Museu Thyssen de Madrid a exposição 1914! A vanguarda e a Grande Guerra, dedicada à pintura durante a 1ªGuerra Mundial. São 230 obras, de Klee,Kandisky, Chagall, Schiele, Grosz e Kirchner entre outros.
Até 11 de Janeiro de 2009.

Franz Kafka : Aforismos - 3

Apenas se mente o menos possível quando se mente o menos possível, não quando se tem o menor número possível de oportunidades para isso.


- Franz Kakfa, aforismos, Ulmeiro, 2001

O romance de Mega Ferreira

É hoje o lançamento do primeiro romance de António Mega Ferreira, A blusa romena. O local escolhido foi a Casa Fernando Pessoa, pelas 18h30.

As minhas músicas - 8: People are strange

Outra grande banda dos Sixties, The Doors. Gosto muito desta, por isso a escolhi, mas também podia ter sido Riders on the storm ou Light my fire.

As minhas músicas - 7: Somebody to love/White rabbit

Os Jefferson Airplane e dois dos seus temas de que mais gosto. White Rabbit pela letra parece ter a muito a ver com drogas, o que não seria de estranhar, mas também tem muito a ver com a Guerra do Vietname e com os túneis que ambas as partes escavavam e usavam. Daí rabbits...

As 100 citações do cinema - #5

"Here's looking at you, kid."

Rick Blaine (Humphrey Bogart), "Casablanca", 1942

Pedro Homem de Melo : O rapaz da camisola verde

De mãos nos bolso e de olhar distante,
Jeito de marinheiro ou de soldado,
Era um rapaz de camisola verde,
Negra madeixa ao vento,
Boina maruja ao lado.

Perguntei-lhe quem era e ele me disse
“Sou do monte, Senhor, e um seu criado”.
Pobre rapaz de camisola verde,
Negra madeixa ao vento,
Boina maruja ao lado.
Negra madeixa ao vento,
Boina maruja ao lado.
Negra madeixa ao vento,
Boina maruja ao lado.

Porque me assaltam turvos pensamentos?
Na minha frente estava um condenado.
Vai-te, rapaz da camisola verde,
Negra madeixa ao vento,
Boina maruja ao lado.

Ouvindo-me, quedou-se o bravo moço,
Indiferente à raiva do meu brado,
E ali ficou de camisola verde,
Negra madeixa ao vento,
Boina maruja ao lado.
Negra madeixa ao vento,
Boina maruja ao lado.
Negra madeixa ao vento,
Boina maruja ao lado.

Soube depois ali que se perdera
Esse que só eu pudera ter salvado.
Ai do rapaz da camisola verde,
Negra madeixa ao vento,
Boina maruja ao lado.
Ai do rapaz da camisola verde,
Negra madeixa ao vento,
Boina maruja ao lado.
Negra madeixa ao vento,
Boina maruja ao lado.
Negra madeixa ao vento,
Boina maruja ao lado.

Poema: Pedro Homem de Mello


Musica: Frei Hermano da Câmara

LET'S TWIST AGAIN



1961 original videoclip from the maxi single of the same name, released in Spain in the tv show "Escala En Hi-Fi" (Hi-Fi Scale).


LET'S TWIST AGAIN

Come on everybody!
Clap your hands!
All you looking good!

I'm goona sing my song
It won't take long!
We're gonna do the twist
and it goes like this:

Come on let's twist again,
like we did last summer!
Yeaaah, let's twist again,
like we did last year!

Do you remember when,
things were really hummin',
Yeaaaah, let's twist again,
twistin' time is here!

Heeee, and round and round and up and down
we go again!
Oh, baby, make me know you love me sooooo,
and then:

Twist again,
like we did last summer,
Come on, let's twist again,
like we did last year!

Twist yo!

Who`s that flyin' up there?
Is it a bird? Noooooo!
Is it a plane? Noooooooo!
Is it the twister? Yeaaaaaahh!

Twist again, like we did last summer,
Come on, Let's twist again,
like we did last year!!!!

Do you remember when, things were really hummin',
Come on, let's twist again,
twistin' time is here

Heeee, and round and round and up and down we go again!
Oh, baby, make me know, you love me sooooo! And then:
Come on, twist again, like we did last summer,
let's twist again, like we did last year!

Come on, let's twist again,
twistin' time is heeeere!

Ne me quitte pas

Jacques Brel morreu em 9 de Outubro de 1978 em Bobigny, França

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Cinema Argentino no Instituto Cervantes

Para os Cinéfilos interessados





14 de Outubro, 18:30
Herencia, 2002, de Paula Hernández
Dur: 90 min.
Intérpretes: Rita Cortese, Adrián Witzeke, Martim Adjemián






21 de Outubro, 18:30
Bar "El Chino", 2003, de Daniel Burak
Dur: 96 min.
Intérpretes: Boy Olmi, Jimena La Torre, Pasta Dioguardi








28 de Outubro, 18:30
Roma, 2004, de Adolfo Aristarain
Dur: 155 min.
Intérpretes: Juan Diego Botto, Susú Pecoraro, José Sacristán.



Entrada livre

Instituto Cervantes de Lisboa, Rua de Santa Marta, 43 FI Tel: 213 105 020

As minhas músicas - 6 : Anyone who had a heart

A grande Dionne. Hesitei entre esta e Walk on by, outra grande canção dela que adoro.

As minhas músicas - 5 : The air that I breathe

Uma das minhas canções para aqueles momentos especiais.

A lista vermelha

Foi divulgada há dias a lista vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza, e no que respeita a Portugal estão assinaladas 159 espécies em risco de extinção.
Surpreendeu-me que que o maior número de espécies- 67- diga respeito a caracóis ( da Madeira e dos Açores), gostava de saber quais as causas.
No grupo dos mamíferos ameaçados (11) , está incluído o lince ibérico, espécie cronicamente presente nestas listas, e o único felino nativo da Península.

PENSAMENTO DO DIA

" Se um homem não sabe a que porto se dirige, nenhum vento lhe será favorável. "


Desconheço a autoria desta frase, mas palpita-me que vem de longe. E é certeira.

Um soneto pela manhã

3.w.a.m.,texturas

digo outra vez da substância triste:
oiço um quarteto de mozart e penso
de que outono de sons se faz mais denso
o silêncio da música. persiste

uma rosa de sons, uma explosiva
mas contida espiral dilacerada,
como se o mundo fosse apenas nada
e a rosa fosse a própria alma cativa.

de que luz, de que tempo, de que espaço,
ou matéria de sombras e alegrias,
de que impurezas, de que revoltas ágeis,

se faz, ligando tudo, agora o laço,
a prender numa só as várias vias
de coisas tão efémeras e frágeis?

- Vasco Graça Moura, SONETOS FAMILIARES, Quetzal Editores, 1999.

As 100 citações do cinema - #45

"Stella! Hey, Stella!"

Stanley Kowalski (Marlon Brando), "A Streetcar Named Desire", 1951

Fellini & Nino Rota : Roma


Só com o "olhar" de Fellini e a música de Nino Rota se conseguiria esta sequência...
Roma (1972)

Tchaikovsky : Quebra-nozes [Щелкунчик, Shchelkunchik]


Щелкунчик [=Shchelkunchik] (1892)

terça-feira, 7 de outubro de 2008

As minhas músicas - 4: Diamonds and Rust

Uma voz fabulosa, e uma carreira de cinco décadas.

Os sonhos e os cheiros...

Na recente reunião anual da Academia Americana de Otorrinolaringologia, em Chicago, foi apresentado um estudo que revelou que os cheiros sentidos durante o sono influenciam os sonhos. Foram apresentados dois exemplos: o cheiro de rosas provoca sonhos agradáveis, enquanto que o cheiro a ovos podres provoca sonhos desagradáveis.
Sou só eu que acha que há algo de lapaliciano neste estudo, ou pelo menos nestes exemplos?

Segundo round...


É hoje que se realiza o segundo dos três debates televisivos entre os candidatos presidenciais, e o local escolhido é a Universidade de Belmont, no Tennessee. Neste debate serão admitidas perguntas vindas da assistência.
Como não vi o primeiro debate, vou tentar ver este, até porque a campanha aqueceu...
P.S. O tamanho das fotos escolhidas não indica qualquer preferência, antes pelo contrário ...

Recordar Robert Rauschenberg

O nosso João está hoje numa de revivalismo e eu, pelos vistos, numa de Pop... Se calhar é porque o dia está triste e um pouco de cor sempre anima. Mas é que esta minha intervenção sobre o tema ficaria incompleta se não aproveitasse para recordar e com toda a justiça outro ícone da cultura pop americana recentemente falecido: Robert Rauschenberg. Este polifacetado pintor americano que nos deixou em Maio último, aos 82 anos, destacou-se na pintura, fotografia, coreografia, design e até na música, como compositor. Considerado percursor da Pop Art, sobretudo a partir da década de 60 (começou a pintar em 1947), Rauschenberg viveu para lá do seu tempo, abrindo caminhos novos para a arte e influenciando sucessivas gerações. Foi igualmente um dos artistas mais generosos do séc. XX graças a doações que fazia regularmente para instituições de solidariedade social, de investigação científica e mantinha uma relação saudável com os artistas e a sociedade em geral. Em Outubro do ano passado apesar de já se encontrar doente fez questão de fretar um avião particular pago por si próprio para estar presente na inauguração daquela que viria a ser a sua grande exposição - Travelling 70-76 ocorrida em Serralves e por onde passaram mais de 130 mil visitantes, mostrando que a pop continua bem viva. Por tudo isto e muito mais que fica por dizer, Rauschenberg merece ser lembrado. E os leitores que me desculpem...

A explicação do artista


"Para mim, a Monroe é apenas uma pessoa entre muitas outras. Quanto à questão de saber se é um acto simbólico pintá-la em cores vivas, posso apenas dizer isto: foi a beleza que me interessou e ela é bela, e se há alguma coisa que seja bela são as cores vivas. É tudo. A história é esta, ou parecida."

Andy Warhol

Lisboa rende-se à Pop Art

Quem não se lembra ainda das esculturas baseadas no período LOVE de Robert Indiana (nome famoso da pop art americana), que no ano passado estiveram espalhadas por Lisboa?
Pois bem, a capital portuguesa volta a aderir a este movimento de arte "que como nenhum outro se alimentou tão vorazmente do seu tempo, só para depois o voltar a cuspir", nas palavras do historiador de arte Marco Livingstone, autor do livro Pop Art: A Continuing History.
É que vai abrir brevemente a primeira loja Andy Warhol em Lisboa (na R. Escola Politécnica, 22) onde estará à venda a colecção de roupa para o Inverno com imagens do artista desenhada pela Pepe Jeans London.
Em Agosto passado Andy Warhol faria 80 anos. Foi o porta-estandarte de um movimento artístico que surgiu há 60 anos - com o propósito de revolucionar as abordagens típicas da cultura da década de 50, muito marcada pelo pós-guerra - mas permanece vivo, reinventado, absorvido e inspirador para novas aventuras de produção artística.
Uma teoria reforçada por Jean-François Chougnet, director do Museu Berardo que não hesita em afirmar ser "99% da produção artística de hoje influenciada directamente pela pop art".

Porque hoje estou numa de revivalismo...


video


Louis Armstrong e Danny Keye, " When the saints go marching in"

As minhas músicas - 2 : Lay down (candles in the rain)

http://www.youtube.com/watch?v=JZdDxFsopVs

Uma das vozes que ouvidas na adolescência me capturaram para sempre. Hoje, como ontem, comovo-me quando a oiço.

As minhas músicas - 3 : Porque te vas

http://www.youtube.com/watch?v=SLxrrE6wC5I

Uma estrela muito mais efémera do que a grande Melanie, mas esta é sem dúvida uma das suas melhores canções e vai sobrevivendo desde 1974. Tem sido utilizada em filmes, séries e anúncios desde os anos 70 até aos dias de hoje. Ai as promessas de amor...

Amanhã no Grémio Literário

Amanhã, dia 8 de Outubro, pelas 2oh30, no Grémio Literário ( Rua Ivens, 37 ) , realiza-se o segundo debate do Ciclo Tempos de Transição( 1968-1974), desta vez dedicado a O Regime e a Ala Liberal, com a participação de João Salgueiro, Elmano Alves, Nogueira de Brito, Mota Amaral e Pinto Balsemão. O moderador é Rui Vilar.

E Marx ainda é útil ?

Já está á venda entre nós a edição de Outubro do Le Magazine Littéraire, cujo dossier é dedicado ao renascido interesse por Marx (concorde-se ou não, é uma excelente abordagem do marxismo, com textos, entre outros, de Daniel Bensaid e Miguel Abensour, um debate entre Ulrich Beck e Ernesto Laclau, e uma entrevista a Alain Minc ).
Mas como há vida para além de Marx, o Magazine contém ainda artigos sobre as novidades da rentrée littéraire, um pequeno ensaio sobre Saint-John Perse, uma entrevista a Hélène Cixous e um inédito de Albert Thibaudet, bem como as rubricas habituais.

Entretanto, no Reino Unido...

Enquanto por cá se vai discutindo a República, ou pelo menos a primeira, no Reino Unido discute-se a Monarquia. Na sequência de iniciativas que já vinham do tempo de Blair ( o que não surpreende) , o deputado Mike Bryant entregou finalmente a Gordon Brown o esperado relatório sobre reforma constitucional. Os dois pontos mais fortes são a possibilidade dos católicos acederem ao trono e o fim da "lei dos machos"- ou seja pretende-se eliminar a preferência dada aos descendentes masculinos.
Apesar das boas intenções dos trabalhistas, não será fácil implementar tais mudanças que necessitam da aprovação de todos os países do Commonwealth e põem em causa a ligação entre a Coroa e a Igreja Anglicana .
Pessoalmente, não tenho dúvidas que por exemplo a actual Princess Royal, a Princesa Ana, daria uma excelente Chefe do Estado, e a Grã-Bretanha já teve grandes rainhas como todos sabemos.
Relativamente a um monarca católico, parece-me que a questão é bem mais complexa, e exigiria efectivamente uma separação entre a Coroa e a Igreja Anglicana cujo chefe é precisamente o soberano- Defender of the Faith .

As 100 citações do cinema - #47

"Shane. Shane. Come back!"

Joey Starrett (Brandon De Wilde), "Shane", 1953

Evita : No llores por mi Argentina

Existem originais e adaptações ou versões. Por norma sou contra. Defendo sempre que o original é melhor que qualquer adaptação. Até hoje existe, para mim, contudo, uma única excepção. Tive a sorte de ter visto ao vivo a Evita, o músical de Andrew Lloyd Webber, em inglês e, alguns anos depois, em castelhano. A adaptação espanhola feita por Ignacio Artime y Jaime Azpilicueta ainda hoje anda no meu ouvido, em especial o famoso "Don't Cry for Me Argentina" que tem outra força em castelhano "No llores por mi Argentina". E a versão castelhana foi desempenhada por Paloma de San Basilio... estavamos no começo dos anos oitenta, em Madrid, no Teatro Monumental, junto ao Callao

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Assim se dançava o rock n'roll


video


Bill Halley and his Comets, "Saturday night", 1952

na sauna com...


Nureyev & Peggy (Piggy)

Nureyev: The Russian Years

Aqui fica para Miss Tolstoi e não só...

Rectificação

Não fosse o comentário de um leitor a propósito da Arte Lisboa, mais precisamente acerca da imagem que ilustra o post e eu não teria dado conta do erro. De facto, o autor das várias obras que compõem a imagem são de Duarte Vitória, que, isso sim, vai estar representado naquela feira através da Nuno Sacramento - Galeria de Arte Contemporânea. Quanto ao facto de um dos quadros parecer um retrato hiper-realista do House, francamente não sei se o pintor ter-se-á inspirado naquele médico tão peculiar, mas que parece, parece.
Os trabalhos que vemos na imagem integraram a exposição "Polarity", em 2007, na galeria Nuno Sarmento.
Já agora uma breve nota sobre este jovem pintor natural de Penafiel. Duarte Vitória tem um traço "preciso e intenso, mesmo poderoso" que nas suas telas de grandes dimensões "exercem sobre o observador um fascínio muito peculiar, sendo quase impossível parar de olhar." Talvez por isso já haja quem o compare a Paula Rêgo.

Arte Lisboa em Novembro

A próxima edição da Arte Lisboa decorrerá de 19 a 24 de Novembro nas excelentes instalações do Parque das Nações. Em constante renovação e atraindo novas presenças do panorama galerístico nacional e internacional, a próxima edição da Arte Lisboa contará com a presença de 70 galerias, das quais 45 são nacionais e 25 estrangeiras. Entre a representação nacional destaque para as galerias Art Form, Bernardo Marques, Leonel Moura, Nuno Sacramento (acima representado na imagem) e Pente 10, que pela primeira vez marcam presença na feira. No que respeita à representação internacional, Espanha volta a ser o país estrangeiro mais representado com 21 expositores através das galerias Adhoc, Alonso Vidal, Bacelos, Casaborne, Del Sol St, Heinrich Ehrhardt, Marisa Marimón, Rosa Santos e Estiarte. Amparo Sessenta do recife (Brasil), Muvart (Moçambique), Brot und Spiele Galerie (Alemanha) e Aka Gallery são as restantes galerias estrangeiras que estarão representadas.

E se a moda pega cá?

Na versão online do semanário Sol vem a uma notícia que é o exemplo acabado de que a imaginação não tem mesmo limites. Um indivíduo norte-americano tinha como propósito assaltar um banco e para tal lembrou-se de colocar na net um anúncio de oferta de emprego. Mas o que tem uma coisa a ver com a outra perguntará o leitor. Pois bem teve e muito já que ele conseguiu a proeza e com sucesso. O caso aconteceu em Washington onde o assaltante em causa oferecia um trabalho de manutenção numa estrada, pagando 28.50 dólares por hora. Aos interessados que contactaram o autor do anúncio foi-lhes pedido que estivessem em frente de uma filial do Bank of America equipados com um colete amarelo, óculos de segurança, máscara de protecção e camisa azul. Segundo parece compareceram no local cerca de uma dúzia de candidatos, que acabaram por perceber terem sido enganados uma vez que não apareceu patrão nenhum. Entretanto um dos indíduos, o suposto ladrão equipado da mesma maneira, entrou no banco e cometeu o assalto tendo fugido, deixando os "cúmplices" sem saber o que estavam a fazer.
Olhem se algum "artista" se lembra de importar a ideia?!

Abrunhosa matou Bacall

Pedro Abrunhosa foi entrevistado pela ÚNICA do Expresso (27/09) e até deu umas respostas interessantes, mas quando lhe pediram para escolher uma mulher, saíu-se com esta:
" Lauren Bacall. Era uma mulher inteligente, um ícone de personalidade, de charme e de beleza. Não há beleza sem inteligência. "
A verdade é que a Sra. Bacall apesar dos seus 84 anos, está viva e ainda muito lúcida.

Buchholz no Chiado

É no final deste mês que abre a nova livraria Buchholz , no Largo Rafael Bordalo Pinheiro Pinheiro, ao Chiado. Uma iniciativa que, pela mão da Fundação Agostinho Fernandes, juntará as Editoras Portugália e Sá da Costa e obviamente a Livraria Buchholz.
Aquele largo que esteve durante tantos anos apenas dedicado ao estacionamento e a comércio decadente, começa a ser uma zona trendy com restaurantes inovadores e agora uma livraria de referência.

Níveis de consumo...

Já tinha lido na imprensa dos últimos dias que o consumo de antidepressivos, ansiolíticos, sedativos e hipnóticos aumentou em Portugal no ano passado, de acordo com os números fornecidos pelo Alto-Comissariado da Saúde.Uma explicação avançada foi que o aumento pode ter origem na melhoria dos critérios de diagnóstico das doenças em questão.
Ontem, no telejornal da RTP1 conduzido por Rodrigues dos Santos abordou-se também o assunto, concluindo-se que estamos a ficar longe da redução de 20% que tinha sido estabelecida como meta no Plano Nacional de Saúde até 2010. No entanto, quanto às causas deste aumento de consumo os peritos ouvidos incluíram também as chamadas causas sociais- desemprego, instabilidade profissional, endividamento.
Fiquei mais convencido.

PENSAMENTO DO DIA

" O sucesso deve ser medido não tanto pela posição que alguém alcançou na vida mas sim pelos obstáculos que teve de ultrapassar enquanto tentava alcançar o sucesso. "

- Booker T. Washington

Da Primeira República

Neste ano da graça de 2008 revitalizou-se o debate, a discussão sobre a implantação da República cujo centenário se comemorará em 2010 com programa oficial como convém em data tão redonda. E, segundo creio, com orçamento também redondo...
Evidentemente, é uma data que tem de ser celebrada.Não contesto as comemorações desta data em geral.
A mim, que ligo pouco à pompa e à circunstância, interessa-me mais a discussão sobre o que foi realmente a Primeira República, os seus vícios e virtudes.E, ao contrário do que foi hábito durante as últimas décadas, já vi sinais de que é possível alguma objectividade ( se bem que esta palavra quando se fala de História é sempre muito controversa) na discussão deste tema.
Há poucos dias na Universidade de Lisboa, Rui Ramos, que é insuspeito de anti-republicanismo, declarou que "O fim da monarquia representou um enorme recuo a nível democrático para Portugal", o que já dá muito pano para mangas. Ontem à noite, no Câmara Clara da RTP2, que penso seja retransmitido hoje em horário diurno, um interessante debate entre José Adelino Maltez e Fernando Rosas sobre este tema incidiu ainda que perfuntoriamente, até pelas restrições temporais, sobre um capítulo que me interessa bastante: porque é que a Primeira República falhou?- ou seja porque é que com tanta doutrina de décadas, e grandes doutrinadores; com a Igreja dominada, e tendo o apoio de intelectuais como Jaime Cortesão, Teixeira de Pascoaes e outros, porque falhou o regime e se devorou a si mesmo?
Rosas e Maltez desmistificaram algumas enormidades que ainda por aí se ouvem, mas ainda há muito para debater. Espero que a discussão continue nos próximos tempos.

As 100 citações do cinema - #46

"Oh, Jerry, don't let's ask for the moon. We have the stars."

Charlotte Vale (Bette Davis), "Now, Voyager", 1942

domingo, 5 de outubro de 2008

Uma sugestão para hoje e outros dias

No Centro de Arte Manuel de Brito, sediado no Palácio Anjos em Algés, está patente desde ontem uma exposição dedicada a Paula Rego e aos Anos 80, com obras de António Dacosta, Nadir Afonso, Júlio Pomar, Graça Morais, Menez, Nikias Skapinakias e José de Guimarães.

As 100 citações do cinema - #93

"Life is a banquet, and most poor suckers are starving to death!"

Mame Dennis (Rosalind Russell), "Auntie Mame", 1958