Prosimetron

Prosimetron

sábado, 1 de abril de 2017

Boa noite!


[Refrão:]
Masters of war
Build to destroy
You play with my world
Like it's your little toy
All the money you made will never buy back your soul

Yeah
Hercules, nigga, you heard of me, nigga
I verbally murder these niggas
Blame on a bitch nigga look like some Burt's Bees, nigga
They talking 'bout actual topics and dropping on actual knowledge to purpose these niggas
I ain't worshipping these niggas
Man it's curtains for these niggas
Man I'm hurdling these niggas
Put a hurting on these niggas
Ah ah ah, skirting on these niggas
Pick up a leaf and I roll up the purplest weed in them
Bobby Ray cold as a negative thirty degrees winter
The world is so cold that a Po' gotta murder to eat dinner
The world is so cold nigga you could get murdered just eating dinner
That's 'cause the world is as flat as some perfectly creased denim
Perfectly creased denim, perfectly creased denim
Feel like the youth is lost and ain't no reaching them
By day I be teaching them
By night I'm a heathen, um
Chilling with freaks and a ghetto Eritrean
Plus a norwegian, look like (?)
Pull up outside, wheels big as elysium
Haters like, "Hey, that's nice, I hear they was leasing them"
So many thoughts on my head my fucking cerebrum numb
The world is a stage, America steady policing them
Niggas don't want the facts, just the convenient ones

[Refrão]

Uh, Buy your soul back, buy your soul back
I expose facts, that's why my phones tapped
Hollywood turned you while you coming up broke back
On my coattail, bitch, give my coat back
Niggas behave the same as how they souls act
Like a high school kid back when I would smoke blacks
I would light up the whole pack, stinking up the whole class
Had to find my own lane, had to find my own path
Crisis, I see Isis, slightly blind from these devices
Might be bias, Michael Myers
What you want, I'm ten floors highers
Ha ha ha ha, (?)
Stacking my cheese on top, top top top
I put my team on top, bitches they scheme and plot(?)
Look at my life, how is it perfect?
All the hell I survived, yeah I deserved it
So I'm shitting on niggas with twice the serving
All the thoughts on my head are quite disturbing
Same dude in the booth that I am in person
So whenever I die, I die with purpose, mother fucker
Bandz

[Refrão]

Yeah yeah
I defy the limits, penmanship is wicked
I'm my only master and my own apprentice
How do I present this, tryna find a sentence
Guess to some extent I feel the end is near and clear of all your vision
Cold as cryogenics
Knowledge that's forbidden, knowledge in my lyrics
I've been in the kitchen, all the points I'm hitting
I'm just too direct, no such thing as hinting
Kick the shit now quit your bitching
Now cut the shit, let's get to business
I try to show whats hidden
Try to paint the picture, guess you just ain't photogenic
Get offended
Make you see the veil then I lift it
Been to hell it's (?) visit
Here's a breath of fresh air, it's been a minute, aye
How to make a murderer, better yet
How to make a terrorist, better yet
How to start a civil war, better yet
How to tax America, yeah yeah
Step by step by step by step get more in depth, don't panic
Don't panic, follow the rabbit
Bandz

No mês da Páscoa

The New Yorker, 1 abr. 1972.
Capa de James Stevenson.

Marcadores de livros - 665

Dois marcadores com pinturas do simbolista belga Fernand Knoppf. À esq.: Une aile bleue, 1894; à dir.: Britomart. The Faerie Queen, 1892.

Obrigada, Jad!

sexta-feira, 31 de março de 2017

Boa noite!

Fui há dias ver este filme sobre um João Semana francês, interpretado por François Cluzet. Gostei bastante do filme e da banda sonora, de que fazem partes estas belas canções de Nina Simone e Leonard Cohen, noutras interpretações.



Amanhã no Porto


Diaghilev em Lisboa

O Google assinala hoje os 145 anos do nascimento de Diaghilev. Pois fará este ano, em dezembro, 100 anos que os Ballets Russes se apresentaram em Lisboa, Na altura devida, a efeméride será assinalada.


A arte do retrato - 222

É de 1961 este Retrato de Iris Clert ( 1918-1986 ), a grande galerista das vanguardas francesas, por Gaston Chaissac.

Marcadores de livros - 664

Dois marcadores de um 'sebo' brasileiro.

Bom dia !

quinta-feira, 30 de março de 2017

Os meus franceses - 527

Onde me apetecia estar - 136

 Um desejo que acalento há anos, passar um dia no Désert de Retz, o jardim sonhado por Monsieur de Monville, François-Nicolas Henri Racine du Jonquoy, músico, compositor, arquitecto e até alquimista ...
 Rico e erudito, este grand maître des eaux et des forêts de Rouen era também grande leitor de Rousseau e sonhava com um lugar único que celebrasse a Natureza . É esta a génese destes 40 hectares ( hoje só 20, o resto foi para o golf ... ) contíguos à floresta de Marly , que o senhor de Monville começa a desenhar a partir de 1774, reinventando a paisagem com espécies vindas de todos os continentes, com templos de Pã, orangeries, falsas ruínas, pirâmides vegetais, pavilhão chinês ( que já não existe ), tenda tártara, etc .




Um sonho que vai durar até 1794, declinando a partir da Revolução, mas não sem ter sido visitado por Maria Antonieta , a Du Barry, Gustavo III da Suécia e tantos outros famosos do tempo, ano em que parte do mobiliário é vendido e 40 espécies raras são retiradas das próprias estufas ... Três anos depois, morre o criador deste espaço onírico e será preciso muito tempo até que se restabeleça a normalidade a cargo das autoridades municipais, actuais proprietários.
As visitas e outras informações podem ser obtidas na mairie de Chambourcy.


Um quadro por dia - 353


São Jerónimo do Parmigianino ( 1503-1540 ) , falso ou verdadeiro ? Vendido há 5 anos por quase 800 000 euros, proveniente do marchand e coleccionador francês Giuliano Ruffini ( o mesmo da falsa Vénus de Cranach, apreendida, e de um falso Frans Hals ... ) , proveniência esta que levou a Sotheby's a estudar a tela e concluir pela falsidade, depois de serem encontrados pigmentos sintéticos só existentes séculos depois da morte do pintor ...

Humor pela manhã


Bom dia !

Marcadores de livros - 663

Cinco marcadores com pormenores de pinturas de Van Gogh.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Boa noite!


Um Lago dos Cisnes inovador e visionário, coreografado por Alexander Ekman e interpretado pelo Ballet Nacional da Noruega. Eu estaria bem esta noite no Théâtre des Champs-Elysées. :)

A arte do retrato - 221


Madame Roger Jourdain, 1885, óleo sobre tela, 199x150,5cm, do Musée d' Orsay, para lembrar Albert Besnard ( 1849-1934 ), algo esquecido depois de ter sido um retratista de talento, um gravador muito apreciado, e um decorador muito requisitado : Comédie-Française, Hôtel de Ville de Paris, Petit Palais . Moderno sem ser impressionista, popular sem cair em academismos.

Biografias e afins


Neste ano do centenário, é oportuna esta biografia de Tomás da Fonseca, um dos principais combatentes das Aparições de Fátima. Um daqueles casos muito frequentes em Portugal : o seminarista que acaba anticlerical e até ateu . Uma vida cheia, apesar de todas as proibições e perseguições. Sempre o admirei, pela coerência e coragem, e li com agrado, apesar de discordar muito deste senador da primeira república...

Auto-retrato ( s ) - 249


É de 1930 este Auto-retrato com máscara de gás do alemão Barthel Gilles ( 1891-1977 ).

Cinenovidades





Vi-o ontem na abertura de mais uma edição do festival Judaica, e estreia amanhã no nosso circuito comercial. Não podia ser mais oportuno nestes tempos de " factos alternativos " e de " outras verdades " ...

Números



24

moedas integram a colecção La France par Jean-Paul Gaultier, uma edição limitada da Monnaie de Paris desenhada pelo enfant terrible da moda francesa .

São belíssimas as moedas, e podem saber mais aqui : monnaiedeparis.fr

Um quadro por dia - 352


É de 1949 este óleo sobre tela de Fernand Léger intitulado Les Deux Couteaux,  revelador dos anos de grande inovação que se seguiram ao exílio nos EUA, também nas suas naturezas mortas.
Vendido na Sotheby's de Paris no dia 24 deste mês.

Humor pela manhã


Bom dia !



Uma bela canção catalã sobre o incesto :

Flores

Cascais, 19 mar. 2017

Marcadores de livros - 662

Seurat - La voilette, ca 1883
Pormenor do desenho abaixo reproduzido:

Seurat - Le Cirque (pormenor), 1891

terça-feira, 28 de março de 2017

Boa noite!


Há dias ouvi Fernando Alves, na sua «Zona Franca», da TSF, falar da pop galega:
http://www.tsf.pt/programa/zona-franca/emissao/emissao-de-25-marco-2017-5744067.html?autoplay=true

Mini-livros - 38

Quatro dicionários Lilliput. Em cima: o da esq. tem cop. de 1963; o da dir., não tem qualquer referência de data.
Os de baixo: o da esq. tem cop. de 1968; ao da dir. faltam duas páginas iniciais, mas deve ser da mesma data.

Agradeço a quem mos ofereceu. :)

Caixa do correio - 81


segunda-feira, 27 de março de 2017

Boa noite!

Leituras no Metro - 274

Trad. de Isabel Lucas Pascoal.
Sintra: Feitoria dos Livros, 2015.

Deste pequeno livro, que no original se intitula Quinze jours en Hollande, e que é o relato, entremeado de poemas, desses dias que Verlaine passeou pelos Países Baixos, transcrevo o poema «Roterdão», no original:

ROTTERDAM

Après qu'il a franchi d'abord les terres vertes,
Pleines d'eau régulière et qu'un moulin à vent

Gouverne à chaque bout des champs, puis l'en-avant
Et l'en-arrière des écluses grand'ouvertes

Formant des lacs d'une mélancolie intense.
Presque sinistres dans l'or sanglant de cieux noirs
Où quelque voile noire, on dirait, par les soirs,
Où quelque môle noir, on dirait, rôde et danse,

Le train comme infernal et méchant sous la lune
Tout à coup rôde et danse, on dirait, à son tour,
Et tonne et sonne et tout à coup, comme en un four
De lumière très douce et très gaie, un peu brune.

Un peu rose, telle une femme de luxure
Apaisée, entre, en des barreaux entre-croisés,
Au-dessus d'une ville aux toits comme apaisés,
Aux fenêtres d'où la vie appert, calme et sûre.

Bonhomme, et forte et pure au fond et rassurante
Combien ? après tant de terreurs de cieux et d'eaux
Regardant défiler à travers des rideaux,
Galoper notre caravane délirante.

Não conhecia este livro e gostei de o ler. Agradeço a quem mo ofereceu e mo deu a conhecer. E também ao 'correio'.

Pacotes de açúcar - 139



Memórias de Medeiros Ferreira