Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 13 de outubro de 2012

Boa noite!



Tinha escolhido uma canção de Joaquín Sabina para esta noite. Só que vi numa livraria este livro:


Logo, aqui fica um concerto dos dois:


Especialmente para APS.

Banquete e diversão


Chá das cinco - 46

Serviço individual para tomar chá.
Porcelana de Wedgwood, ca 1770-1800
Madrid, Museu Cerralbo

Frutas - 91

O cartaz é giro; as frutas nem por isso. :)

Vida de cão ...


Abriu mais uma unidade da cadeia D PET, desta vez no centro de Manhattan, Nova Iorque. São 900 metros quadrados reservados aos melhores amigos do homem, com suites a 160 euros/noite, menus especialíssimos, ginásio, spa e até um serviço de viaturas com motorista ( mas não viaturas quaisquer, já que até Lamborghinis estão disponíveis ).

Lá fora


Depois de Deauville, Paris. Representações visuais do cérebro em grande formato, em diálogo com obras-primas de Klee, Munch, Dalí e Kandinsky.

De 10 a 31 de Outubro, ao ar livre, na Place du Palais-Royal, Paris. Entrada livre.

Bibliocuriosidades -3


A mais antiga editora do mundo, a Cambridge University Press, que foi fundada em 1534 durante o reinado de Henrique VIII e nunca deixou de funcionar.



E se quem é mais atento ao mundo dos livros sabe que a mais antiga livraria do mundo é a Bertrand do Chiado, talvez não saiba no entanto qual é a segunda mais antiga. É a Moravian Book Shop, na Pensilvânia ( EUA ), fundada em 1745.

Pensamento ( s )



O que um poeta não vê, não aconteceu.

- Elias Canetti ( 1905-1994 )

Bom dia !



Verdadeira cantora do mundo : belga de nascimento, cresceu em Marrocos esta filha de judeus sefarditas.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Boa noite!

Casa Sorolla - 1

Sorolla  -  Jardim da casa Sorolla em Madrid, 1918-1919 
Sorolla  -  Jardim da casa Sorolla em Madrid, 1920

Sorolla - Rosal da Casa Sorolla, 1920
Madrid, Casa Sorolla

Hora de almoço

John Falter - «Lunch counter», The Saturday Evening Post,12 oct. 1946

Amanhã no Conservatório


Mais um ...



... provérbio, mas este é irlandês. E gosto bastante dele.

Um quadro por dia


Uma tela monumental de  Gerhard Richter ( 225x220cm ), Abstraktes Bild ( 809-4 ), que faz parte de uma série de quatro executadas durante os anos 90. Esta, de 1994, pertence a Eric Clapton que a comprou em 2001 por 3,4 milhões de dólares. Vai hoje à praça, na Sotheby's de Londres, com uma base de licitação de 11,25 a 15 milhões de euros...

Humor pela manhã ...


Depois da extraordinária entrevista ao Zé Gomes Ferreira na Sic Notícias, gerou-se um enorme movimento de solidariedade para com o Paulo Campos...

Bom dia !



Uns músicos congoleses muito especiais.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Boa noite!

A Nova Melusina - Goethe



A Nova Melusina... de Goethe foi a minha última leitura. Fez-me lembrar O Sonho de Uma Noite de Verão de Shakespeare.

Jardim Gulbenkian,
Lisboa

(...) eu medito  na limpidez da natureza com o seu aspecto tão puro e tão tranquilo, dando-nos a impressão de que não pode haver nada de repugnante neste mundo. E quando regressamos às habitações humanas, tanto altas como baixas, tanto amplas como estreitas, surge sempre alguma coisa sobre a qual é preciso discutir, alguns diferendos que é preciso apaziguar e resolver.

Johann Goethe, A Nova Melusina e Novela ou a história de uma caçada. Sintra: Colares Editora, s.d. (Trad. Anneliese Mosch), p. 48.

O segredo de Melusina revelado do Le Roman de Mélusine. Uma das 16 pinturas de Guillebert de Mets, cerca de 1410. O original está na Bibliothèque Nationale de France.


Bibliocuriosidades - 2


O livro mais grosso do mundo : 32cm de espessura, 4032 páginas e pesa 8,04kg. Publicado pela HarperCollins numa edição de apenas 500 exemplares, reúne todas as histórias ( romances e contos ) protaganizadas por Miss Marple, uma das imortais criações de Agatha Christie.
Gasta-se no livro, mas poupa-se no ginásio...

Um quadro por dia


Capricho com ruínas, um dos Canalettos expostos na mostra patente no Jacquemart-André de que M.R., nos falou há dias. Escolhi-o pelo facto de ser emprestado raramente pela sua proprietária, Isabel II, senhora da maior colecção de telas e desenhos de Canaletto do mundo.

Última Hora: Nobel da Literatura

Mo Yan, escritor chinês, vai receber o Prémio Nobel de Literatura.

"Nascido em 1955, Mo Yan é um dos mais conhecidos escritores chineses.

Tem um livro editado em Portugal, 'Peito Grande, Ancas Largas', publicado em 2007 pela Ulisseia.

Os romances de Mo Yan, o escritor chinês galardoado hoje com o Prémio Nobel da Literatura, estão enraizados na China rural, onde nasceu, mas revelam também influências do "realismo mágico" e outras correntes ocidentais, dizem críticos e tradutores.

William Faulkner, Gabriel Garcia Marquez, Oe Kenzaburo e Rabelais são os autores preferidos de Mo Yan, disse o professor norte-americano Howard Goldblatt, um dos mais conhecidos tradutores de literatura chinesa, entre os quais três títulos do autor distinguido agora pela Academia Sueca.

Mo Yan é também um dos escritores chineses contemporâneos mais publicados fora da China, nomeadamente no Japão, França, Reino Unido, Alemanha e Estados Unidos." ( DN on line)

Biografias e afins

Já à venda o primeiro volume ( e é um tijolo... ), que versa sobre as primeiras décadas da vida do biografado.

Humor pela manhã ...


Num hospital do Norte do país. Espero que não seja para poupar nas anestesias...

Bom dia !

"Cum dederit dilectis suis somnum"

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Os meus franceses - 221

A arte do retrato


The Coronation Theatre, Westminster Abbey: A Portrait of Her Majesty Queen Elizabeth II, 2012

O único retrato oficial que foi pintado neste ano de jubileu, tendo sido escolhido para tal o pintor australiano Ralph Heimans.

Elegâncias - 84

Um bávaro na sua Oktoberfest que começa hoje, em Munique.

Danke, HMJ!

Marcadores de livros - 71

Lá fora : No Museu do Luxemburgo






Nos finais do séc.XIX, nasce no Havre o Cercle de l'art moderne juntando coleccionadores que investem nos impressionistas e nos fauvistas, não sendo alheia a escolha da cidade já que nela residem então Manet, Dufy e Boudin.
É a evocação do Cercle que está agora patente no Museu do Luxemburgo, em Paris, com uma mostra de uma centena de telas excepcionais, entre as quais a que está acima : La Valse, de Félix Vallotton.

Até 6 de Janeiro de 2013.

Humor pela manhã...


Há realmente gostos para tudo, até nos acessórios de casa de banho...

Bom dia !



Com a francesa Lou Doillon, que além de actriz também é cantora.

A nossa vinheta

A nossa vinheta laureia Giuseppe Verdi que nasceu há 199 anos.

Cartaz publicitário da.ópera Aida, 1908. Ilustrador desconhecido





terça-feira, 9 de outubro de 2012

Os meus franceses - 220

Aqui está ele...


... em pose de estadista, embora ainda sem estátua monumental na capital. Para que todos matem saudades da criatura :). Quanto a mim, tenho mais saudades da mãe, a fantástica D.Adelaide dos milhões em off-shores e das escrituras desaparecidas do apartamento na Rua Castilho. Será que também está em Paris?

Elegâncias - 83

Chapéus de chuva. O meu preferido é o da caveirita. 
Paris, Boulevard Saint-Michel, 8 jun. 2011

Será que vamos precisar deles hoje? Não, de nenhum destes.

Pacotes de açúcar - 44


Humor pela manhã...


Ainda o 5 de Outubro mais bizarro das últimas décadas, não apenas pela bandeira ao contrário mas por tudo: o recinto fechado, com as altas individualidades barricadas no Páteo da Galé, a cantora da " Firmeza ", a senhora dos 200 euros, e é claro as saídas e entradas apressadas não fosse o Diabo tecê-las...

As cores do céu

Les Couleurs du Ciel é uma exposição que reúne cerca de 120 pinturas do século XVII das igrejas parisienses e que pode ser vista  no Musée Carnavalet até 24 fev. 2013.

Citações : Borges mas não só...


Não gosto de António Borges. É epidérmico. Além disso, Borges é uma criatura política  muito "esmurrável " do ponto de vista intelectual. Mas eu não me esqueço dos Borges de esquerda que legitimaram os planos económicos que conduziram Portugal ao abismo. Um deles até é vice-presidente do BCE. E também me recordo dos nomes que assinaram os manifestos em defesa da despesa e da dívida. Mas estes Borges de esquerda têm sempre boa imprensa, não é verdade?

- Henrique Raposo, no Expresso do passado sábado.


(...) O senhor é um alto empregado do sistema capitalista internacional e nunca teve de se esforçar muito para compreender o mundo das pessoas que não têm a sua fortuna. Na verdade, só quem não tem de trabalhar duro para viver pode, decentemente, operosamente, genialmente, desempenhar tantos cargos de topo em tantos lugares ao mesmo tempo. O senhor faz parte do reduzido grupo dos que não têm nada para aprender porque ensinam os outros. O senhor é um pedagogo, um homem para toda a obra desde que a obra consista em defender a regra da multiplicação do capital à custa do trabalho (...)

- Clara Ferreira Alves, também no Expresso do passado sábado.

Bom dia !

Atrás de mim virá, quem de mim bom fará

Num comentário que escrevi, um querido amigo leu neste provérbio "saudades" de um ex-ministro. Não, não era e não é. Era apenas, e só, acerca desta sucessão de impostos, em que se vão substituindo uns por outros, sem que entrem em vigor, e parecendo ser cada vez pior. Um jornalista do Diário de Notícias, Ferreira Fernandes, pensou exactamente o mesmo (por outras palavras) e escreveu uma crónica que, com a devida vénia, aqui republico.

Derrotem-no que ele gosta
O ministro Gaspar tinha um problema: o défice. Então, apresentou a solução 1: cortes de subsídios dos funcionários. Mas o decreto foi ao Tribunal Constitucional e chumbou: à medida faltava equidade, só batia em parte dos portugueses e poupava outros. Quem gostou do chumbo foi o próprio ministro, porque entretanto tinha-se agravado o tal défice e dava-lhe jeito aumentar, somando os privados aos funcionários, o universo a quem bater. Gaspar inventou, então, a solução 2: mudanças na TSU. Porque digo que ele gostou da oportunidade de passar da solução 1 para a solução 2? Ora, porque todos os ministros das Finanças adoram aumentos de receita. Aconteceu, porém, que a nova solução também não vingou. O povo saiu à rua e a TSU foi corrida. Quem gostou do novo desaire, quem foi? Já adivinharam, o ministro das Finanças. Ele esfregou as mãos com a derrota da solução 2 porque, entretanto e mais uma vez, já precisava de ir mais longe e passar à solução 3. Foi o que conhecemos ontem: o aumento brutal do IRS. Ou, como diria o ministro Gaspar, um upgrade, mais um aumento da receita. E eu já tremo por alguém (rua, tribunais, o que seja) tentar chumbar a 3 e obrigue o ministro ao prazer da solução 4. Portugueses, fiquem quietos: estamos a criar um monstro, um sadomasoquista, que adora ser derrotado na sua medida anterior só pelo prazer que lhe dá em bater-nos ainda mais com a medida seguinte. Por favor, não lhe alimentem o vício.

Diário de Notícias, 4 de Outubro de 2012, p. 56