Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 3 de março de 2012

Os meus franceses - 181


Uma bela «Chanson de Prévert».
Boa noite!

Bulhão Pato, a Quinta da Rabicha e A. P. Lopes de Mendonça

Sou uma leitora assídua destes livros de Bulhão Pato. Lembrei-me de os colocar, depois de ter visto um poste no Arpose. Neles, o autor escreve principalmente sobre os seus amigos, os homens do seu tempo e  sobre estórias da história.
O que restava da Quinta da Rabicha, em 1912

Lisboa: Perspectivas & Realidades, 1986. 3 vols.
Vol. 1: Cenas de infância e homens de letras; vol. 2: Homens políticos; vol. 3: Quadrinhos de outras épocas.

Sobre a Quinta da Rabicha, uma horta que havia nos arredores de Lisboa: «Foi cortada pelo caminho-de-ferro de Sintra. Ficava debaixo do arco grande do Aqueduto. [...]
A Quinta da Rabicha era pequena e em forma de triângulo. Toda colmada de um odorífero e viçoso pomar, que dava primorosas laranjas. Água abundante e corrente. [..]
«Na Rabicha, o sumptuoso hotel, ao ar livre, debaixo de um parreiral, ao pé do tanque, sempre transbordando de água, fornecia as pescadinhas de rabo na boca, ovos duros, queijo saloio, pão de Belas, alface repolhuda, a verdadeira alface lisboeta, que nem a de Rom lhe dá de rosto. Era um banquete. Um cruzado novo - 480 réis - sobrava para quatro homens comerem e beberem à farta.» (p. 67-68)

Lisboa: Perspectivas & Realidades, 1986

«As vigílias literárias, as inquietações da política, os apertos da vida batalhavam em vão contra Lopes de Mendonça.
«A sua poderosa organização saía-se triunfante de tods os assaltos.
«Tinha o ânimo folgazão; aqueebrosto respirava de todos os assaltos. Fazia as coisas sem a mínima pretensão.
«Uma tarde, em Sintra, etava assistindo a uma tourada de curiosos. Veio à praça um touro valente: Mendonça saltou, de cigarro na boca, bateu-lhe as palmas e pegou-lhe com a destreza de um campino do Ribatejo.» (p. 94)

Para o Jad, depois de há dias termos falado em Bulhão Pato num jantar, e depois de ter visto o poste de APS, no Arpose.

Viva da Costa!

Monte da Caparica: Fac. de Ciências e Tecnologia da UNL, 2000

Este livro é uma recolha de textos e poemas de Bulhão Pato, referentes ao Monte da Caparica e vizinhanças, onde o escritor viveu, com estudo e textos de Vítor Wladimiro Ferreira.

VIVA DA COSTA!

Com a sardinha, empilhada,
Inda saltando vivaz,
Vem de cestinha avergada;
E lá de baixo, da praia,
E sobe a pino o almaraz;
Mas nem por sombras cansada!

Faz vista de nova a saia,
Corada ao sol e puxada!

Descalça - o pe regular,
E brunido pela areia
Dessas arribas do mar.

Não se pode chamar feia.
Descaída e longa a trança;
Afrontada de calor,
O lencito desatado;
E os beiços com tanta cor
Como a dum cravo encarnado!

A mocidade é uma flor!

Magrinha - mas que vigor
No seu passo de balança!...
E, para apressar os passos,
São duas asas os braços!

A venda deve ser boa,
Que há muito que o mar não dá.
Com que alvoroço apregoa:

«Sardinha fresca!... fres-quiá!...»

Bulhão Pato

Para APS, depois de ter lido um poste no Arpose.

In memoriam Davy Jones

Davy Jones, cantor do grupo The Monkees, faleceu há três dias aos 66 anos, vítima de ataque cardíaco, tal como Lucio Dalla hoje. Este conjunto da segunda metade dos anos 60 interpretou canções que dispunham bem. Segue Daydream believer, o meu tema preferido. Davy Jones, RIP

Números - 85

10.000/300

Dez mil candidatos para 300 vagas abertas na PSP. Uma desproporção que mostra bem como em tempos de crise são muito procurados os empregos que parecem mais seguros...

In memoriam Lucio Dalla



Faleceu na quinta-feira, de ataque cardíaco na Suiça onde estava em digressão, este grande cantor e compositor italiano que faria amanhã 69 anos. RIP.

Leituras no Metro - 84

«Desde que Serge [Gainsbourg] morreu, penso nele, todos os dias, em Marselha. Vejo-o a preparar o café do pequeno-almoço: "Sobretudo não deitar a água a ferver sobre o café, esperar que ela deixe de borbulhar, então está boa."»
Roland Petit - J'ai dansé sur les flots. Paris: Bernard Grasset, 1993, p. 232


 Jean-Jacques Lagrenée, o Jovem (1739-1821) - Amour donnant à boire à une colombe
Pintura a óleo sobre papel, 2.ª metade do século XVIII. 
Sévres, col. Sèvres - Cité de la céramique 

Ai quem me dera no tempo 
Em que o amar era um bem!
Fernando Pessoa 

sexta-feira, 2 de março de 2012

Boa noite!

Na segunda-feira, o novo trabalho discográfico de Fausto - Em busca das Montanhas Azuis -, de que já aqui falei, foi duplamente premiado pela Sociedade Portuguesa de Autores: melhor disco e melhor canção - E fomos pela água do rio - do ano de 2011. Parabéns!
Para terminar o dia, fica uma canção antiga do Fausto: Delicadamente para tiBoa noite!

Dervixe em Lisboa

Fotos de Dervixe Restaurante Turco, Lisboa
Essa foto de Dervixe Restaurante Turco é cortesia do TripAdvisor

O turco Murat Taspinar, a viver há quatro anos no nosso país, casado com uma portuguesa, abriu em abril, em Lisboa, um restaurante: Dervixe, na Avenida 24 de Julho,
Fui lá há uns dias e gostei bastante. Experimentámos umas entradas e três pratos, mas o meu preferido (e dos restantes convivas) foi o destas tirinhas de peru que se vêem na foto, que vinham acompanhadas de arroz e iogurte.
E tem uma coisa muito, muito simpática: pode levar-se o vinho.
Hei de lá voltar em breve.

RESTAURANTE DERVIXE
Av. 24 de Julho, 84 A
Lisboa
Tel.. 21 809 5031
Encerra à segunda-feira.
http://www.dervixe.pt/

E para acompanhar o jantar de hoje:

Na cafetaria do Escorial


Escorial, 22 fev. 2012

Ambientes Femininos X

Mark Thompson, Confidentes












Recebi este quadro por



e-mail. Agradeço à amiga que mo enviou.




O jogo do espelho, a chávena de chá e a confidência dão-nos um mundo feminino intimista.

Não conhecia, o link remete para o site do pintor.

Fiquei com vontade de ler...

Lisboa: Assírio & Alvim, 2011
€28,00

Vi ontem numa livraria e fiquei com vontade de ler. Quando a montanha que tenho à espera baixar um pouco...

A primeira lição

A primeira lição do bebé

Carl Larsson - A primeira lição, 1903

Assim todos começámos.
Para Margarida Elias, com renovados votos de parabéns.

Um quadro por dia - 231


Vincent van Gogh, Paisagem em Auvers [ Auvers-sur-Oise ] à chuva, 1890, óleo sobre tela, National Museum of Wales, Cardiff, Reino Unido.

Não é que goste particularmente de chuva, mas lá que faz falta... Depois da Ana a ter chamado com Renoir, a M.R. a ter confirmado pela voz de Elza Soares, vem agora uma tela " chuvosa ". E com uns dias de chuva, que impelem ao recato do lar, pode ser que eu finalmente me obrigue a arrumar o escritório cá de casa.

PENSAMENTO(S) - 224

Toca a escrever !

Humor pela manhã... - 114

Bom dia !



A esta hora, só café com leite, mais logo on verra :)

quinta-feira, 1 de março de 2012

Boa noite!



Mais um italiano. Para o Filipe.

A capa do The New Yorker há 30 anos

Jean-Jacques Sempé (1932-) - The New Yorker, 1 mar. 1982, capa

Não sabia que Sempé tinha ilustrado para esta revista.

Chove chuva

Uma história com a Livraria Portugal em fundo

No início de 1997, fui à Livraria Lello, na Rua do Carmo, levava dez contos na carteira para comprar esta obra de Guerra Junqueiro. Quando lá cheguei, lembrei-me que poderia esperar pela Feira do Livro - semprei poupava uns cobres. De seguida, fui à Livraria Portugal para comprar um livro que costumava estar numas prateleiras debaixo da escada. Fui ver, não havia e vim-me embora. Mas reparei num homem com ar suspeito que não desatrelava de lá e não parecia interessado em nenhum livro.
Quando cheguei ao Metro, onde estava a carteira, com o dinheiro e cheia de cartões? Lembrei-me logo do "homem com ar suspeito". Fui à Portugal, nada; fui à Lello, nada. E pensei: nem livro, nem dinheiro - grande poupança! :)
No dia seguinte, de manhã, telefonaram-me da Pastelaria Suíça. Tinham encontrado a bolsa na casa-de-banho dos homens. Sem dinheiro, mas com os cartões. Mais uma vez se cumpriu o que me tinham dito uma vez na polícia: se tiver dinheiro é natural que apareça; se não tiver, o ladrão fica furioso e escavaca a carteira.
Em maio, comprei as obras de Junqueiro na Feira do Livro.

A nossa vinheta

Março, começa hoje. Mês que Roma dedicou ao deus Marte,deus da guerra. Mês importante para o mundo rural desde tempos imemoriais.
A imagem é do livro de horas mandado fazer pelo duque de Berry, João, cerca de 1410 e ricamente iluminado. Encontra-se presentemente no Chateau de Chantilly.

Um quadro por dia - 230


Samuel F.B. Morse, Gallery of the Louvre, 1831-1833, óleo sobre tela, Terra Foundation for American Art, Daniel J.Terra Collection, Chicago.

O vosso instinto está certo, embora vos possa parecer estranho, é o mesmo Samuel Morse que inventou o telégrafo e deu origem às comunicações modernas. Antes de ser um genial inventor, foi artista, com estudos feitos nos EUA e depois na Royal Academy of Arts de Londres. E o Louvre já era um destino obrigatório para qualquer artista que se prezasse, e também tema de pintura. Mas esta tela é também um auto-retrato, pois que é o próprio Morse quem observa o que desenha Susan Walker Morse, sua filha. Estão também representados vários amigos famosos do grande inventor, como o grande escritor James Fenimore Cooper, acompanhado este da sua mulher e filha.

Um quadro por dia que dedico à Margarida Elias, companheira da blogoesfera, e desde ontem Doutora em História de Arte, com provas a que assistiram dois prosimetronistas. Parabéns!

No Conservatório Nacional

Cinenovidades



Muita vontade de ver esta já premiada adaptação do romance de Chantal Thomas, que tem estreia comercial a 21 de Março. O fim de um regime, o fim de uma era, os alvores da Revolução Francesa com a tomada da Bastilha.

Humor pela manhã... - 113


António José Seguro é aquilo que os cientistas políticos mais argutos têm definido como « um totó » . Bem sei que certos filósofos resistem a esta categorização e preferem incluir Seguro no grupo dos choninhas. Mas creio que o diagnóstico de totó tem tido mais e melhores aderentes. O problema não é António José Seguro ter menos carisma, capacidade mobilizadora e poder de persuasão do que a maior parte dos políticos. O problema é ter menos carisma, capacidade mobilizadora e poder de persuasão do que a maior parte dos seminaristas.
(...)

- E a análise de Ricardo Araújo Pereira ao novo líder do PS continua, hilariantemente demolidora, na edição hoje posta à venda da revista Visão.

Bom dia !

Partilha

Não conhecia e gostei.

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

De 4 em 4 anos - 4

O cantor argelino Cheb Khaled, pseudónimo de Khaled Hadj Brahim, nasceu em Oran, a 29 de fevereiro de 1960. Hoje festeja pela 13.ª vez o seu aniversário.

Boa noite!

De 4 em 4 anos - 3

A atriz francesa Michèle Morgan, pseudónimo de Simone Renée Roussel, nasceu em 29 de fevereiro de 1920, em Neuilly-sur-Seine. Festejou o seu aniversário 23 vezes ao longo de 92 anos de vida. Este ano festeja!



Si je te parle ainsi
C'est que je suis ta femme,
Que je voudrais t'aider
À te sortir de là

Si je te parle ainsi
C'est que je n'en peux plus
De te voir malheureux
Parce qu'elle ne t'aime plus

Depuis deux ans déjà
Qu'elle t'a rendu fou,
Tu n'es plus toi-même,
Ni le même avec nous

Tu t'es laissé avoir
Comme un enfant

Si je savais encore
Qu'elle puisse te rendre heureux,
J'irais te la chercher,
Je fermerais les yeux

Je plaiderais pour toi, tiens,
Pour qu'elle te revienne
Mais tu sais comme moi
Qu'elle n'en vaut pas la peine

Alors, fais un effort,
Souris-nous comme avant
Si ce n'est pas pour moi,
Fais-le pour les enfants

On pourrait voyager,
Sortir, voir des amis
Et nous ne ferions plus jamais
D'économies

Je m'achèterais des robes,
Je retravaillerais,
Je redeviendrais la femme que j'étais
Celle que tu venais chercher
Tous les soirs
Pour aller danser,
Tu te souviens ?

Si je te parle ainsi
C'est que je suis ta femme,
Que je voudrais t'aider
À te sortir de là

Si je te parle ainsi
C'est que tu me fais mal
Et que je n'en peux plus
De te voir,
De nous voir malheureux.

Letra: Vline Buggy (pseudónimo da dupla de letristas Evelyne e Liliane Konyn, nascidas respectivamente em 1929 e 1926); música: Claude Morgan

Para o Luís


De 4 em 4 anos - 2

Francisco Manuel Pires (fl. 1775-1800) - D. Maria I
Gravura

A Real Biblioteca Pública da Corte, a antepassada da Biblioteca Nacional de Portugal, foi criada por alvará de D. Maria I, em 29 de feveiro de 1796. Funcionava então no Terreiro do Paço.

Canzonissima - Domenico Modugno

Termina hoje o mês de Fevereiro, e termina assim Canzoníssima com a "canzoníssima" de todas as canções italianas: Nel blu dipinto di blu (Volare) de Domenico Modugno de 1958. Muitos foram os artistas que já não “couberam” nesta série, entre eles, Peppino di Capri, Massimo Ranieri, Al Bano e Romina Power, Jimmy Fontana, etc., etc., etc. Enfim, a música italiana é infindável…
Como sempre, votos de uma Buona giornata, arrivederci e grazie!

De 4 em 4 anos - 1

Paul Helm - Rossini

Rossini nasceu em Pésaro (Itália) a 29 de fevereiro de 1792, tendo falecido, em Paris, a 13 de novembro de 1868. Viveu portanto 76 anos, mas só festejou os seus anos 19 vezes.

Boa noite!

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Ambientes Femininos IX

Sofonisba Anguissola (1532-1625), Jogo de Xadrez, 1555.

Museu Navodrowe, Poznan, Polónia

À esquerda está retratada a pintora.


Falaram-me os homens em humanidade

Falaram-me os homens em humanidade,
Mas eu nunca vi homens nem vi humanidade.
Vi vários homens assombrosamente diferentes entre si.
Cada um separado do outro por um espaço sem homens.

s.d.
Alberto Caeiro, Pessoa por Conhecer - Textos para um Novo Mapa . Teresa Rita Lopes. Lisboa: Estampa, 1990, p. 336.

O chocolate das cinco

Antonio Pereda - Natureza morta, 1652
São Petersburgo, Hermitage


Para hmj acompanhar os cupcakes do Luís.

Para HMJ


HMJ : " Preparei-lhe " um bolo ( e uns cupcakes ) que espero seja do seu agrado ! Parabéns!

Novidades - 219


O novo romance histórico do historiador e académico João Paulo de Oliveira e Costa, e que é também o fim de uma trilogia.

Humor pela manhã... - 112


Longe, mas não esquecido...

Bom dia !

Canzonissima - Riccardo Cocciante

Pouco conhecido fora de Itália, Riccardo Cocciante compôs e cantou vários sucessos ao longo de quase três décadas. Com este magnífico Se stiamo insieme venceu a edição do Festival de Sanremo em 1991.
Buona giornata!

Parabéns, hmj!


Sirvo-me deste lenço de seda para lhe desejar um dia feliz.

New York: Harper Design, 2012 
Está no prelo e prevê-se que saia em maio esta história do lenço de assoar, ilustrada com mais de 200 exemplos.

Boa noite!


Para hmj, hoje, obviamente.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Chuva, Jorge Fernando

Não conhecia.

Os fantásticos livros voadores do Sr. Morris Lessmore


Enquanto não chega às nossas salas de cinema.

Acrescento às 20h40: Ganhou o Óscar para melhor curta-metragem de animação. Há pouco esqueci-me de o dizer.

O «Tesouro dos remédios da alma» - 7

Biblioteca Pública Municipal do Porto

«Bibliothèque: trop de volumes et pas assez de livres.»
André Decourcelle 

300 anos de história

A expo sobre os 300 anos da BNE está anunciada deste modo na escadaria do edifício.

Números - 84

5 / 5

5 para O Artista ( os mais importantes: melhor filme, melhor actor, melhor realizador etc )

5 para Hugo ( as categorias técnicas mais importantes )

Canzonissima - Ricchi e Poveri

O conjunto Ricchi e Poveri (Ricos e Pobres), originalmente composto de quatro elementos no início dos anos 70, prosseguiu a sua carreira nos anos 80 com Angelo, Angela e Franco. Registou um dos seus maiores êxitos em 1981: com Sarà perche ti amo, manteve-se no topo das vendas de singles em Itália durante dez semanas, e em toda a Europa, ouvia-se este tema.
Buona giornata!

Humor pela manhã... - 111


Há coisas que não mudam, e uma delas é a tendência para pingue-pongue entre Belém e São Bento...

Bom dia !

Boa noite!

Natasha Atlas que cantou ontem ao fim da tarde, na Gulbenkian, aqui interpretando uma canção de Françoise Hardy.

domingo, 26 de fevereiro de 2012

Citações - 218


Já não se aguenta tanto economista a dar sentença ou palpites, a dizer a mesma coisa e o seu contrário.

- José Carlos de Vasconcelos, na VISÃO.

Em português - 144 : Rosa Negra

Um quadro por dia - 229

Paul Cézanne, Os jogadores de cartas, 1892-1893, óleo sobre tela, 97x130cm, col.part.

Conhecem? Ou talvez não... Não está no Musée d' Orsay, nem em Londres ( Courtauld Institute of Art ), nem nos EUA ( Metropolitan Museum of Art, NY, e Barnes Foundation na Pensilvânia ). É a única das 5 versões do famoso quadro que está em mãos particulares. E é notícia porque mudou de dono este mês: tornou-se a tela mais cara do mundo ao ser comprado pela Família Real do Qatar ao milionário grego Embiricos por 190 milhões de euros. Uns empobrecem, outros nem por isso, porque o petróleo ainda está para durar...

Lendo o jornal

Na Praça do Oriente, em Madrid, 22 fev. 2012.

Vou comprar o jornal para o ler. Espero que não deste modo. :)

PALÁCIO FORA DE HORAS


Conhecidas na Europa através das biografias de Plutarco e Quinto Cúrcio, a vida e a lenda de Alexandre Magno foram temas muito apreciados na arte europeia. A versão do tema História de Alexandre criada em 1680 por Charles Le Brun (1619-1690), um verdadeiro programa pictórico de exaltação das virtudes de Luís XIV (1738-1715), revelou-se um sucesso sem precedentes. A epopeia de Alexandre da Macedónia foi representada em diferentes registos artísticos e reproduzida em tapeçaria na Real Manufactura dos Gobelins. Nos séculos XVII e XVIII, e sobretudo em oficinas de tapeceiros franceses e flamengos, os cartões do pintor foram copiados e reinterpretados em diversificadas versões e em numerosas edições.
No Palácio Nacional da Ajuda estão conservados doze exemplares tecidos segundo os protótipos de Le Brun. Os episódios ilustram diversas facetas do herói macedónio como a sua magnificência, a clemência para com os vencidos ou a sua exemplar estratégia militar.
Seis destas tapeçarias encontram-se em reserva, outras seis revestem as paredes da Sala do Despacho. Provenientes das antigas colecções da Coroa, foram adaptadas à sala em 1862, por ocasião das remodelações do Palácio da Ajuda que precederam o casamento de D. Luís com D. Maria Pia de Sabóia.

Visita por Manuela Santana
Conservadora das Colecções de Têxteis e Traje

Terça-feira | 28 de Fevereiro | 18h306€ | Marcação prévia
Contactos:

pnajuda.manuelasantana@imc-ip.pt
www.palaciodaajuda.imc-ip.pt

Canzonissima - Eros Ramazzotti

Em 1986, um jovem de nome Eros Ramazzotti, venceu a edição do Festival de Sanremo desse ano. Adesso tu corria as estações de rádio em toda a Itália, e na Baviera onde eu vivia, "a malta era doida por Eros e Adesso tu". Belas recordações....
Buona giornata!

Humor pela manhã... - 110


Será uma ferrenha... sportinguista? portista?

Bom dia !



Não me canso de ouvi-la. A grande revelação musical de 2011.

Boa noite!




Maria Creuza, uma das cantoras brasileiras que prefiro, faz hoje 68 anos.