Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 19 de setembro de 2015

Boa noite!

Cass Elliot, a Mama do grupo The Mamas & The Papas faria hoje 74 anos. 

Flores no Jardim

August Macke

Para HMJ e APS.

Pacotes de açúcar - 106

Reverso e verso.

Marcadores de livros - 257

Dois marcadores de um puzzle de três. Como veem no verso dos marcadores (em baixo), falta-me o do centro. 

À porta de uma livraria

Rapperswil, 23 ago. 2015

Para a Cláudia, porque amanhã encerra a Feira do Livro do Porto.

sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Boa noite!

Parabéns a Frankie Avalon que faz hoje 75 anos.

Bases de copos - 33

Verso e reverso de duas bases de copos suíças.

Lá fora - 234




A pequena Alice faz 150 anos, e a Morgan Library and Museum de Nova Iorque dedica-lhe uma exposição que alberga desde o microscópio do Rev.Dodgson ( Lewis Carroll ) à bolsa de cabedal branco e o anel de rubis de Alice Liddell, passando por manuscritos, cartas e até o filme de 1903, a primeira adaptação cinematográfica .

Até 11 de Outubro .

Onde me apetecia estar



Estaria muito bem a aproveitar os últimos dias de mais um Musique en Côte basque, festival que se realiza há meio século nos monumentos e espaços mais emblemáticos da bela costa basca : a igreja de Saint-Jean-de Luz, o claustro da catedral de Bayonne ou a igreja de Ciboure .
Este ano as vedetas são o pianista Alexandre Tharaud, o Quatuor Borodine e a violoncelista Viktoria Mullova .

Humor pela manhã



Há ocasiões em que apetece mesmo ...

Bom dia !





Filipe, foi esta nova versão que ouvimos no " nosso " fiel Corsa branco :) .

À beira do lago Zurique

24 ago. 2015 

Passeio a pé de Wollishofen até o centro de Zurique.

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

Boa noite!

Fragonard - La leçon de musique, ca 1769 
Paris, musée du Louvre 

Rapperswil

23 ago. 2015

Passei quase um dia das minhas férias, em Rapperswil, localidade que fica na costa do Lago Zurique. O dia não estava famoso, de modo que os barcos estavam todos acostados. 
Estas são as últimas imagens dessa localidade que coloco. :) 

Leituras no Metro - 222

Trad. Lídia Geer.
Alfragide: Dom Quixote, 2015

Estou a ler esta soberba biografia de Ian Kershaw sobre Hitler, que tinha sido publicada pela Dom Quixote em 2009 e que o Expresso 'ofereceu' há tempos com o jornal, em oito volumes. Vou no 2.º volume.
Como é que um tipo, provinciano (no péssimo sentido da palavra) instável, cuja sua única ideia assentava num ódio anti-semita ascende ao poder? Um austríaco que odiava Viena, que foi para Munique (onde se sentiu em casa) para fugir ao serviço militar, cujo único dom era a oratória, apoiada em dois ou três intuitos demagógicos.

«A Primeira Guerra Mundial tornou Hitler possível. Sem a experiência da guerra, da humilhação da derrota e o tumulto da revolução, o artista fracassado e desistente social jamais teria descoberto o que fazer da sua vida ao entrar no campo da política e encontrado o seu métier como propagandista e demagogo de taberna. E sem o trauma da guerra, da derrota e da revolução, na ausência da radicalização política da sociedade germânica que dera origem a esse trauma, o demagogo não teria tido um público que ouvisse a sua mensagem cheia de ódio transmitida numa voz estridente. O legado da guerra perdida proporcionou as condições em que os caminhos de Hitler e do povo alemão começaram a cruzar-se. Sem a guerra, um Hitler no lugar de chanceler que fora ocupado por Bismarck teria sido impensável.
«Olhando para trás apenas uma década mais tarde, Hitler falou dos quinze meses que passou em Munique antes da guerra, considerando-os "os mais felizes e, de longe, os de maior satisfação" da sua vida. O nacionalista fanático alemão ficou exultante quando chegou a "uma cidade alemã" que contrastava com a "Babilónia de raças" que, na ótica dele, fora Viena. Apresentou um determinado número de razões qe o levaram a deixar Viena: uma aversão que era fruto do azedume contra o Império dos Habsburgos pelas suas políticas pró-eslavas que eram desvantajosas para a população germânica; um ódio crescente dirigido à "mistura de povos estrangeiros" que estavam a "corroer a cultura germânica em Viena" [...]. » (vol. 1, p. 117-118)

terça-feira, 15 de setembro de 2015

Os filhos pintados pelos pais - 4

Renoir - Jean en tant que chasseur

Jean Renoir nasceu há 121 anos, em Paris. Aqui fica uma canção do seu filme A Grande Ilusão.



Boa noite!

Marcadores de livros - 255



Parabéns!: Le Canard Enchainé faz 100 anos

Le Canard Enchainé, jornal humorístico francês, faz hoje 100 anos. Não é todos os dias que se faz 100 anos e muito menos, nos tempos que correm, um jornal. Nasceu antimilitarista, em plena guerra, pelas mãos de Maurice Maréchal e Jeanne Maréchal, ajudados por Henri-Paul Deyvaux-Gassier. 
O seu título foi inspirado no jornal de Clemenceau, L'Homme libre, que tendo sido proibido mudou o nome para L’Homme enchaîné
O português Brito foi um dos cartoonistas deste jornal.

Paris: Nouvelle Monde Éd., 2005
Uma história dos 90 anos do jornal.

Bocage nasceu há 250 anos


Nascemos para amar; a humanidade
Vai cedo ou tarde aos laços da ternura
Tu és doce atractivo, ó formosura,
Que encanta, que seduz, que persuade.

Enleia-se por gosto a liberdade;
E depois que a paixão n’alma se apura
Alguns então lhe chamam desventura,
Chamam-lhe alguns então felicidade.

Qual se abismou nas lôbregas tristezas,
Qual em suaves júbilos discorre,
Com esperanças mil na idéia acesas:

Amor ou desfalece, ou pára, ou corre:
E, segundo as diversas naturezas,
Um porfia, este esquece, aquele morre.

Bocage

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

A nossa Vinheta - "Habit de Parfumeur"

Junto ao Museu Internacional de Perfumaria encontramos esta deliciosa escultura.

Tomek Kawiak - Habit de Parfumeur, d' après une gravure du XVII' siècle, 1977, Grasse


Grasse é uma terra peculiar com inúmeras fragrâncias e de grande beleza. O Museu Internacional de Perfumaria permite uma viagem interessante sobre a arte do perfume. Voltarei a Grasse.

Caixa do correio - 46

Do Báltico alemão chegou este postal de dois prosimetronistas que andam por lá. Vielen Dank!

Descoberta musical

Ao ler a biografia, escrita por João Pedro George, sobre a célebre cortesã que viveu em Paris e ficou conhecida, durante o II Império,  por Marquesa de Paiva ou La Païva, deparei-me com um dos seus amantes, compositor e pianista e dono de uma fábrica de pianos, que não conhecia: Henri Herz, nascido em Viena de Áustria e naturalizado francês. Partilho a descoberta com a sua composição "Minuetto nelle stilo antico".


Villa Flora


O Museu Marmottan-Monet apresenta a coleção Hahnloser-Bühler, constituída pelo casal Hedy e Artur Hahnloser, entre  1906 e 1936, para a casa casa Villa Flora, em Winterthur, próximo de Zurique. A exposição apresenta cerca de 80 obras-primas de artistas como Bonnard, Cézanne, Manet, Manguin, Matisse, Marquet, Renoir, Vallotton, Vuillard ou Van Gogh.

Rapperswil: portas

23 ago. 2015

Para a Isabel.