Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 9 de julho de 2011

Quem se lembra de Jürgen Marcus?


Este cantor alemão, nascido em 1948, representou o Luxemburgo no Festival da Eurovisão, em 1976.

Plaisir d'amour...

Hoje acordei com esta canção na cabeça. Cantava-a minha mãe, belíssima voz de soprano, em muitos recitais que fez, mas a que não assisti e, mais tarde, para mim, era eu um menino a despertar para a música.Porque o seu refrão contém uma daquelas verdades que dói, recordo-a muitas vezes e, se nostálgico, oiço-a e trauteio-a muitas vezes.

Plaisir d'amour ne dure qu'un moment / chagrin d'amour dure toute la vie


Aqui na voz de Dame Janet Baker, numa gravação de 1982, a canção de Jean Paul Égide Martini (1741 -1816), sobre um poema de Jean de Florian (1755–1794), orquestrada por Hector Berlioz em 1854.

Pomme, pomme, pomme


Monique Melsen (1951-) é uma cantora luxemburguesa que representou o seu país no Festival Eurovisão da Canção em 1971.

«Pomme, pomme, pomme dorée
Et j'ai tout l'été pour courir dans les prés».

Joseph Kutter (1894-1941)

Luxemburgo, 1936-1937
Luxemburgo, Museu Nacional de Arte e História

Clervaux, 1937
(Este quadro foi acrescentado ao post, às 11h45, depois da leitura de um comentário de HMJ.)

Kutter, um dos mais importantes pintores luxemburgueses, pintou estes dois quadros para a Exposição Internacional de Paris de 1937. A sua casa natal integra hoje os edifícios que albergam o Museu Nacional de Arte e História.

Em português - 118 : António Zambujo



O fantástico António Zambujo. Bom dia!

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Parlez-vous français?


Baccara era um duo feminino, formado, em 1977, pelas espanholas Mayte Mateos (1951-) e María Mendiola (1952-), que representou o Luxemburgo no Festival da Eurovisão em 1978 com este Parlez-vous français?
Bonne nuit, Luxembourg!

Quem é que?...

... hoje se pode passear por esta Avenida da Liberdade?


E pode ir ouvir esta orquestra, dirigida por Emmanuel Krivine? O concerto começa dentro de 30 minutos e inclui peças de Debussy, Prokofiev e Dvořák. É de aproveitar.

Luxembourg


Quando se olha, sem se esperar e sem saber o que é, para a Estação de Caminho de Ferro da cidade de Luxemburgo fica-nos a sensação de ser uma igreja ou mesmo um Mosteiro...

CURIOSIDADE

A história foi contada por um oficial da marinha. Numa certa viagem antes da largada do porto russo de Roskopf os marinheiros aproveitaram os últimos momentos para fazerem compras. E não resistiram a uns relógios de nome estranho mas de aspecto atractivo e baixo preço, que para surpresa geral deixaram de trabalhar no dia seguinte. Um marinheiro mais afoito resolveu abrir um deles e descobriu que o relógio não tinha mecanismo. Apenas um "cabelo" que movimentava os ponteiros durante cerca de 24 horas (o tempo necessário para evitar reclamações). Estes relógios ficaram associados ao nome do porto e todos os artigos de má qualidade passaram a ser designados por "roscofe".

Uma exposição para MR e Ana

Século XVIII e actualidade
Nos "appartements" do Grand Trianon, no Palácio de Versalhes, está uma exposição que, interessando toda a gente, interessa especialmente o sexo feminino: a influência do século das Luzes na moda actual. Das colecções do Palácio e do Museu Galliera, bem como das de vários costureiros famosos, saíram modelos que mostram como as caleleiras empoadas, as rendas, os corpetes com barbas de baleia, as saias "à pannier", casacas do traje masculino, inspiraram modelos de grandes costureiros, como as Souers Boué, dos anos 20, Christian Dior, Balmain, Sain Lourent, Lagerfeld ou Balenciaga.
Sapatos para MR
Madame du Barry, a marquesa de Pompadour e a rainha Maria Antonieta, com os seus trajes da moda do século XVIII, encontram-se com os vestidos e adereços da moda dos século XX e XXI, em modelos com pedrarias, bordados, golas de renda, viajando para o espendor de Versalhes.
Um leque para Ana
Uma nota amarga: em França, mesmo com  crise, ainda vai havendo dinheiro para esta e outras fabulosas exposições, enquanto por cá a directora do Palácio da Ajuda, confessa, triste, que nem há dinheiro para uma exposição decente sobre a rainha D. Maria Pia, que morreu há cem anos, a 5 de Julho.
A Flauta Mágica de Mozart, na versão portuguesa de Alexandre Delgado. Ainda hoje e amanhã, às 22h00 , as histórias de amor de Tamino e Pamina, de Papagueno e Papaguena, no cenário natural do Castelejo, Castelo de São Jorge, com a Companhia de Ópera do Castelo.
Para ontem, já não havia bilhetes... :(

ONDE ME APETECIA ESTAR- 55 : FESTIVAL DE SAINT-RIQUIER

 Começa hoje, prolongando-se até dia 19, a 27ª edição do Festival de Saint-Riquier Baie de Somme, centrado na abadia beneditina do séc.XIII que lhe dá o nome mas também noutros espaços da baía de Somme, a região da Picardia conhecida como Costa de Opala.
Do lado musical, há jazz, música de câmara, música barroca e chanson française com intérpretes de luxo: os cantores Philippe Jaroussky e Karine Deshayes, Jordi Savall e o Hespérion XXI e muitos outros. Paralelamente, acontecem Dias Marcel Proust, explorando-se as ligações entre música e literatura, e uma exposição do grande affichiste Michel Bouvet.

Mais info aqui : http://www.festival-de-saint-riquier.fr/

Humor pela manhã... - 27

Agora que tudo se parece encaminhar para um arquivamento a 18 de Julho, dado o carácter pouco recomendável da "vítima" ( e fico-me por aqui, já que cada vez se vão sabendo mais pormenores sórdidos ), já não parece mal brincar com a situação.
Mas fica a pergunta: se Strauss-Kahn não fosse um mulherengo incorrígivel ( o que em si mesmo não tem nada de mal , já que a respectiva mulher parece perdoar tudo e mais alguma coisa ) que não gosta de ouvir "não", a história de Nova Iorque teria pegado como pegou?

Lá fora - 117 : As iluminuras do Louvre

Jean Fouquet, Passagem do Rubicão.

Foi inaugurada ontem esta exposição do melhor que contém o fundo de iluminuras do Louvre, tendo sido escolhidas 70 iluminuras francesas, italianas, flamengas e alemãs para figurarem nesta mostra que também deu origem a algo que eu pensava que já existisse: um catálogo raisonné das iluminuras do Louvre.
São obras maravilhosas de Jean Fouquet, Simon Bening, Lorenzo Monaco e outros génios medievais e renascentistas já que se trata de obras do séc.XI ao XVI.

Enluminures du Moyen Âge et de la Renaissance, Louvre, de 7 de Julho até 3 de Outubro.

Auto-retrato(s) - 121

Joseph Kutter (1894-1941) - Auto-retrato

Bom dia !



Os palestinianos Le Trio Joubran.

POEMA DO BECO





Que importa a paisagem, a Glória, a baía, a linha do horizonte?

- O que eu vejo é o beco.

1933



Manuel Bandeira, Antologia, Lisboa: Relógio D'Água, 2006, p.138







Alta de Coimbra

Um Campo Grande

que Maria José Nogueira Pinto (uma sua habitante de sempre) não conheceu assim

Ainda hoje existe esta rua central no jardim (não é a Rua das Palmeiras como se lê no postal), mas o aspecto já é diferente há muitos anos.
O Chalé das Canas era próximo do Palácio Pimenta, actual Museu da Cidade.
Foi destruído no final dos anos 30 do século passado.
O lago ainda existe mas também há muitos anos que o aspecto se alterou.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Diego El Cigala


Diego El Cigala, pseudónimo de Ramón Jiménez Salazar, nascido em 1968, a nova estrela do flamenco.

Aqui a cantar um bolero com Bebo Valdés ao piano.

Buenas noches!

Morte anunciada

Tem sido bom viver estes tempos felizes e difíceis, porque uma vida boa não é uma boa vida. Estou agora num combate mais pessoal, contra um inimigo subtil, silencioso, traiçoeiro. Neste combate conto com a ciência dos homens e com a graça de Deus, pai de nós todos, para não ter medo. E também com a família e com os amigos. Esperando o pior, mas confiando no melhor. Seja qual for o desfecho, como o Senhor é meu pastor, nada me faltará.

Termina assim a última crónica de MJNG publicada por sua expressa vontade (e ela avisou que seria a derradeira) na edição de hoje do DN. Assinala o fim de uma colaboração com aquele diário iniciada em 2006.



SARDINHAS

Ainda este ano as não provei! Será hoje?

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Boa noite!


Roberta Invernizzi, com Il Giardino Armonico, interpreta «Misero spirto mio», de Ottone in Villa, de Vivaldi.

Lost In... D. Pedro V


No sábado passado fui finalmente ao Lost In, à esplanada de restaurante-bar (agregado a uma loja) de decoração indiana, já aqui falado pelo MLV. E digo de decoração porque na comida apresentada não há qualquer vestígio indiano. Quando o MLV falou deste restaurante fiquei com a sensação de que era de comida indiana, mas nem rasto...
De qualquer modo, aconselho a esplanada - com uma esplêndida vista sobre a cidade - numa destas noites quentes de Verão, bem como o serviço e a comida. Éramos vários e só pedimos entradas - todas maravilhosas. As sobremesas também estavam excelentes.
http://www.facebook.com/lostin.esplanada#!/lostin.esplanada?sk=info

Marés Vivas



A galega Mercedes Peón.

Maravilhas de São Petersburgo


Já em si um monumento de beleza indescritível, o palácio em Tsarskoe Selo, 25 quilómetros a sul de São Petersburgo, também conhecido por “Palácio de Catarina”, alberga a chamada “Sala de Âmbar”, em tempos considerada a oitava maravilha do mundo.


Frederico I da Prússia ordenou a construção desta sala, destinada para seu palácio em Charlottenburg em Berlim, a partir de 1701, sob a direcção dos arquitectos e escultores Andreas Schlüter, Gottfried Wolfram, Ernst Schacht e Gottfried Turau. Milhares de peças de âmbar, uma resina fóssil de cor de laranja, revestiram os painéis da sala, decorados ainda com folha de ouro e espelhos – uma configuração de valor inimaginável, nunca dantes realizada. Em 1713, ano de conclusão da obra, Pedro I (Pedro o Grande) visitou Berlim e, deslumbrado com o Bernsteinzimmer (designação da sala em alemão), recebeu a sala como presente, em troca de 55 soldados russos de uma altura de 2 metros, a integrar o exército prussiano. Desmontada a câmara em 1717, foi primeiro reinstalada no Palácio de Inverno por orientação da Czarina Isabel, filha de Pedro I, antes de ser transferida definitivamente para Tsarskoe Selo em 1755. Bartolomeo Francesco Rastrelli, figura incontornável da fisionomia arquitectónica de São Petersburgo, ampliou o espaço, completando-o com acrescentos de mosaicos florentinos de pietra dura.
Durante a Segunda Guerra Mundial, a sala foi desmontada por tropas alemãs. A 14 de Outubro de 1941, sob o comando de Graf Solms-Laubach, foi transportada em 27 contentores para o castelo de Königsberg (hoje Kaliningrad), onde esteve acessível ao público. A partir de Janeiro de 1945, perde-se todo o rasto ao Bernsteinzimmer: a forte destruição do castelo durante bombardeamentos sugere o fim trágico da sala – esta possibilidade será a mais provável. A incerteza, porém, conduziu a diversas teorias sobre o paradeiro da sala de âmbar e a um verdadeiro mito em torno desta preciosidade. Algumas testemunhas afirmam ter visto vestígios de âmbar na estação ferroviária de Kaliningrad em 1945, o que sustentaria a hipótese de um transporte para a Alemanha (Dresden, talvez). Outras especulações relacionam o desaparecimento com a família real holandesa e o ouro nazi. Enfim, a Sala de Âmbar em nada perdeu o seu fascínio ao longo das últimas décadas.

Em 1979, o regime comunista soviético decidiu reconstruir a câmara no Palácio de Tsarskoe Selo, de acordo com as fotografias do original existentes. No âmbito do tricentenário da cidade de São Petersburgo, todo o esplendor ressuscitou a 31 de Maio de 2003: o chanceler alemão de então, Gerhard Schröder, e o presidente russo, Wladimir Putin, reinauguraram este espaço único.

Imagens: Sala de Âmbar, Palácio de Tsarskoe Selo

Vício

Começo a sentir-me "dependente" deste que é o 3º site mais frequentado da Internet, imediatamente a seguir ao Google e ao Facebook. É impressionante o que se encontra, de programas antigas de televisão a anúncios geniais, de raridades musicais a humor. Tenho de começar a cronometrar o tempo de permanência e com disciplina...

Bom dia !

Julho - 1

Robert Furber (1674-1756) - Julho, 1730
Da série Doze meses do ano: flores.

«Em Julho eu o ceifo e o debulho.»

«Em Julho tudo farás, só o teu verde não ceifarás.»

terça-feira, 5 de julho de 2011

Ombra mai fu

Sombra, não é de um plátano mas é igualmente belo.

Castelo de Mértola



Ombra mai fu

Frondi tenere e belle
del mio platano amato
per voi risplenda il fato.
Tuoni, lampi, e procelle
non v'oltraggino mai la cara pace,
nè giunga a profanarvi austro rapace.

Ombra mai fu
di vegetabile,
cara ed amabile,
soave più.




(Wikipedia)

Ária de abertura de Serse (Xerxes), ópera de Haendel, na belíssima interpretação de Andreas Scholl

Retratos com História, de Eduardo Gajeiro - 4


Orson Welles no Guincho, s/d

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Os meus franceses - 148


Esta canção faz parte do último cd de Francis Cabrel (1953-).

Otto von Habsburg-Lothringen, do século XIX ao XXI





Algumas notas sobre a morte que me marcou hoje o dia, misteriosamente o de Santa Isabel de Aragão, Rainha de Portugal.

1) Foi sem dúvida um dos melhores, se não mesmo o melhor Chefe dos Habsburgos (propriamente ditos ou já Lorenas, tanto faz). Como seria a Europa se tivesse acedido ao trono, não digo já o austro-húngaro, mas apenas a um dos da antiga monarquia danubiana?




2) Nascido no estertor do século XIX, não viu passar ao lado o século XX e antecipou aquele em que nos encontramos. A sua acção na queda da Cortina de Ferro está demasiado na sombra, apenas evocada, simbólica mas insuficientemente, pelo piquenique da Paneuropa.

3) Otto von Habsburg não precisou de nenhum trono para ser um "imperador" da Europa, não se fechando em nostalgias passadas. De algum modo o herdeiro de Carlos Magno, assumiu como missão pessoal o empenho, individual mas também familiar, material como simbólico, na construção de uma União Europeia, verdadeiramente continental. Nunca se conformou com a redução da Europa à sua metade ocidental, nem esqueceu os povos do Império que ficaram do lado errado do Muro.




4) A sua morte, nestes tempos de, este sim verdadeiramente trágico, défice de liderança europeia, suscita negros presságios, que só poderão dissipar-se com o respaldo das três colinas, Atenas, Roma e Jerusalém, resumo dos valores civilizacionais que nesta parte do Mundo se foram caldeando nos últimos três milénios.

5) Trineto de D. Maria II, pelo lado paterno, era bisneto de D. Miguel I pelo lado materno. Sempre ouvi referir o seu grande afecto por Portugal e ao quinhão do seu sangue que daqui provinha. A sua inclusão no número dos que beneficiaram de visto do Consulado em Bordéus, mais do que sentido humanitário, revestiu foros de justiça histórica.


Daqui a doze dias, será a vez do menino de caracóis, que acompanhava o caixão do seu tio-bisavô, seguir provavelmente o mesmo caminho, solicitando debalde entrada na cripta dos Capuchinhos com todos os seus títulos, finalmente implorando abrigo para um pobre pecador.



Para os crentes, é bonito pensar que hoje se terá voltado a reunir este trio de há 95 anos.


Novidades - 189 : A História das Mulheres

Uma edição da Seuil que conta com os contributos de grandes especialistas francesas: a antropóloga Françoise Héritier, a historiadora Michelle Perrot, a politóloga Nicole Bacharan e a filósofa Sylviane Agacinski.

Maria Berasarte - Cosas que no sé

Cinenovidades - 191 : Les Tuche



Nem de propósito, uma comédia passada no Mónaco: os franceses Tuche, proletários mas grandes admiradores de Stéphanie do Mónaco, ganham 100 milhões de euros na lotaria e decidem mudar-se para o Mónaco... Estreou-se na passada sexta-feira nas salas francesas e foi dirigido por Olivier Baroux.

In memoriam Otto von Habsburg


Morreu Otto von Habsburg. Filho mais velho de Carlos I, último Imperador da Áustria e Rei da Hungria , faleceu hoje de madrugada na sua residência em Pöcking (Baviera). Tinha 98 anos.

O 4 de Julho

Frederick Childe Hassam (1859-1935) - The Fourth of July, 1916

Bom dia !



Com o britânico Jamie Cullum, uma das estrelas internacionais que vão aparecer durante as próximas semanas no Cascais CoolJazz Fest que começa hoje.

Livros de cozinha - 51

Não vi muitas vezes Ingrediente Secreto, o programa televisivo de Henrique Sá Pessoa, mas gostei dos que vi. Pois o programa deu agora origem a um livro: Ingrediente secreto anda à volta de treze ingredientes e de seis receitas em torno de cada um deles.

D. Isabel de Aragão, Rainha de Portugal, Rainha Santa

Rainha Santa Isabel, como é popularmente conhecida, Sé Velha; Coimbra




O Milagre das Rosas




Coimbra, em festa, comemora a Rainha Santa Isabel que faleceu a 4 de Julho, de 1336, em Estremoz. D. Isabel de Aragão jaz no Mosteiro de Santa Clara-a-Nova, em Coimbra.

domingo, 3 de julho de 2011

Os meus franceses - 147


Para o Jad, este cantor de que ele gostou quando o ouviu numa livraria do bd. Saint-Michel, e lembrando um dito de um amigo comum sobre Ava Gardner e leopardos. :-)

Um serão com Tchaikovsky


A célebre companhia de bailado do Teatro Mariinsky de São Petersburgo que mantém o seu nome de tempos soviéticos (companhia Kirov), integra todos os anos o festival "Stars of the white nights" desta magnífica cidade que se realiza de finais de Maio até 24 de Julho. As "noites brancas" que ocorrem sobretudo na segunda quinzena de Junho, dão assim o mote a um conjunto de espectáculos de ópera e bailado, quando o sol marca presença durante 18 horas por dia, nunca permitindo uma escuridão total durante a noite.

Da programação habitual da companhia Kirov consta inevitavelmente o Lago dos Cisnes de Tchaikovsky. Segue o famosíssimo Pas de Quatre dos pequenos cisnes, captado no Mariinsky em 2007.

Senhor de Mértola

Ibn Qasi foi Senhor de Mértola no século XII e continua a ser pois, ninguém melhor do que ele vigia a cidade alentejana.



Peça realizada por Joanide & Horia, Emporiom Metal, Bucarest, 2001


Hoje faz falta o sol de Mértola!

Bom dia !



A grande cantora lírica francesa Mady Mesplé ( 1931-) numa interpretação histórica da opereta La vie parisienne de Jacques Offenbach.

ONDE ME APETECIA ESTAR- 54 : FORTE DE JESUS

Uma escolha devida ao facto de que o Forte de Jesus, em Mombaça ( Quénia ), construído em 1593 pelos portugueses integra desde o passado dia 28 de Junho a lista do Património da Humanidade da UNESCO.

Ainda o Mónaco...



Depois de ouvir e ler tanta coisa nos últimos dias, aqui fica um excerto da cerimónia religiosa de ontem para se ver a "coacção" exercida sobre a noiva e o " arrependimento " dela. Haja paciência!
Mas mais do que as habituais "teorias da conspiração", chocou-me a ignorância de certa classe jornalística pela insistência de que o casamento se fazia para o Principado ter um herdeiro e não perder a independência. Uma falsidade absoluta. Mesmo que os recém-casados não tenham filhos, o Mónaco tem vários potenciais soberanos, de acordo com a Constituição de 1962, revista em 2002:

1- Princesa Carolina
2-Andrea Casiraghi
3- Pierre Casiraghi
4- Charlotte Casiraghi
5- Alexandra de Hanover
6- Princesa Stephanie
7- Louis Ducruet
8- Pauline Ducruet

( Ainda acrescem a estes os descendentes, que tenham nacionalidade monegasca, da Princesa Antoinette, irmã de Rainier III )

Auto-retrato(s) - 120

Hoje é o dia de apresentar alguns auto-retratos de François Gall (1912-1987) que já ontem passou pelo blogue.

 Auto-retrato
Óleo sobre tela
 Auto-retrato que esteve exposto no Salão dos Independentes de Paris, em 1950.
François et Eugénie Gall, sentados na relva, junto ao cavalete.
Óleo sobre tela

Frase da semana ( que passou )


Precisamos de aproveitar a energia das mulatas para produzir electricidade para o planeta.

- Arnold Schwarzenegger