Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 28 de maio de 2011

Como imaginamos Dorian Gray?

 Hurd Hatfield na adaptação cinematográfica de 1945
Ben Barnes no filme de 2009

«The reason I will not exhibit this picture is that I am afraid that I have shown in it the secret of my own soul.»
Oscar Wilde - O retrato de Dorian Gray

Aforismos

Amanhã voltaremos a falhar, mas teremos de ser melhor do que hoje.
27-05-2011

Inspirada em Samuel Beckett, dramaturgo (Dublin, 1906 - Paris, 1989): Falhar, falhar sempre, falhar cada vez melhor!

(Não sei as referências da ilustração, mas ilustra o meu pensamento; estou na estrada, não no atalho).

A Torre da Memória

Leonora Carrington, A Torre da Memória, 1995






Leonora Carrignton nasceu a 6 de Abril, em Clayton Green, Inglaterra, no ano de 1917 e faleceu na Cidade do México, México, a 25 de Maio de 2011. A sua pintura está ligada ao movimento surrealista.

Quotidianos - 68

Picasso - Les enfants et les jouets, 1901

Alguém aqui falou deste quadro; hoje deu-me jeito colocá-lo.

Pintores vistos por pintores - 6

Leopold Massard (1812-1889) - Retrato de [Charles-François] Daubigny (1817-1878)
Musée National du Château de Compiègne
© RMN, Paris / Gérard Blot
Ambos estes artistas pertencem à chamada Escola de Barbizon.

Ninguém sabe o que nos guarda o dia de amanhã

"Uma vez que ignoras o que te reserva o dia de amanhã, procura ser feliz, hoje.
Toma uma ânfora de vinho, senta-te ao luar e bebe, lembrando-te que talvez amanhã a lua te procurará em vão"
Omar Khayyam, Rubaiyat

Onde está o gato?

Uma das páginas que tem sido revisitada nos últimos dias, no Prosimetron, é esta em busca do gato.... e do cão...

Volta-se a publicar, agora com a solução:
Neste quadro há um gato! Descubra-o!

Frans Snyders (1579-1657), The Pantry, c. 1620.
Bruxelas, Musées Royaux des Beaux-Arts


Gato (margem inferior):
Cão (lado esquerdo) 

O meu poema...

"O meu poema é a resposta da alma ao apelo do universo."


Rabindranath Tagore, daqui







Obrigada MR

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Renoir na Comuna


«Renoir que regresó a Paris a princípios de mayo, no perdió la vida de milagro. Monto el caballete a orillas del Sena y se puso a observar los reflejos amarillos y dorados del sol sobre elagua. No presto atención a um grupo de la Guardia Nacional que se había detenido a mirar su obra. Convencidos de que era un espia de las tropas de Thiers para informarles de las actividades de la zona, lo condujeron hasta el ayuntamiento del sexto arrondissement, donde había un escuadrón de fusilamiento de servicio. Mientras lo sacaon para fusilarlo, reparo por casualidade n un hombre vestido de unforme, com una fajã tricolor ceñida a la cintura, rodeado de un grupo de oficiales también impecablemente vestidos. A pesat del atuendo militar, Renoir reconoció en él al desconocido al que se habíencontrrado, unos años antes, en el bosque de Fontainbleau, donde se hallaba pintando cuando, de repente, un joven harapiento salió a trompicones de entre los matorrales y le dijo que se llamaba Raoul Rigaud, periodista republicano al que perseguían las autoridades. El pintor le dio un delantal y un equipo de pintura y le dijo que se hiciera pasar por artista. Ahora, en el ayuntamiento de la capital, Renoir consiguió atraer la atención de Rigaud, convertido en jefe de policía de la Comuna, que lo reconoció immediatamente. Los demás, al verle corriendo hacia Renoir, cambiaron de actitud. Renoir fue conducido a través de dos líneas de soldados hasta un balcón que daba a la plaza, donde se hacongregado una gran multitud para presenciar la ejecución del espía. Rigaud les hizo cantar La Marsellesa en honor del "ciudadano Renoir", el cual se asomó al balcón entre tímidos gestos de agradecimiento. Se le dio un salvoconducto, con el que recuperó la libertad. Aquel fue con toda probabilidad el último acto de humanidad por parte de Rigaud. El 24 de mayo, a los veinticuatro años de edad, fue abatido en la calle Gay-Lussac, donde su cadáver permaneció dos dias enteros sin que nadie se ocupara de él.»
Sue Roe - Vida privada de los impresionistas. Madrid: Turner, 2008, p. 125

Livros de cozinha - 49

A propósito das Sardinhas doces e do Convento de Santa Clara de Trancoso, resolvi ir ver o que diz Alfredo Saramago no seu livro Doçaria conventual do Norte (2.ª ed. Sintra: Colares Ed., 1997). Chama-lhe Mosteiro: «Este Mosteiro foi fundado por D. Cristóvão Mendes de Carvalho, fidalgo da casa de D. João III e seu desembargador no Paço, e por sua mulher, D. Brites Correia. O Mosteiro foi erigido nos paços que tinham pertencido ao conde de Marialva […] e pertencia à Ordem de S. Francisco da Província de Portugal das Claustrais.»
Alfredo Saramago não nos dá a receita das Sardinhas doces, mas sim do Bolo escuro, Manjar de ovos de Trancoso, Marmelada das freiras, Biscoitos da Dona Brites e Broas de milho. Escolhi a receita destas para transcrever:

Broas de milho
Junte 125 g de farinha de milho, 125 g de farinha de trigo, 250 g de açúcar, uma chávena de leite, um cravinho, uma colher de chá de erva-doce e bata tudo muito bem. Deite uma pitada de sal. Tenda com esta massa as broas que deve levar ao forno a cozer numa lata bem untada com manteiga e polvilhada com farinha.

Este fim-de-semana vou experimentar estas broas.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Boa noite!


Para APS.

Bom final de tarde

Brent Lynch - Apéritif Vignette

O que deseja: um Cinzano ou um Campari?
Joe Johannsen - Cinzano e Campari

Franz Lizt - virtuosismo de Yundi Li

Para APS

Por vezes olhamos, por vezes paramos, por vezes revoltamo-nos... Fico triste quando vejo património de todos abandonado.
Deixo apenas duas imagens que passaram pelos meus olhos. Apenas mais um grito... mas tenho medo que amanhã diga: a estátua já foi roubada.
Quem será o seu autor?


Património municipal de Lisboa, abandonado... nas "ruínas" da Escola Primária n.º 66, na Av. Santos e Castro junto ao aeroporto, na freguesia da Charneca.
Fotos de J. B. Antunes, mais fotos aqui

Um quadro por dia - 172

Nicolas Poussin, L'inspiration du poète, 1630, óleo sobre tela, 182,5x213cm, Louvre, Paris.

Especialmente para o APS, com votos de um dia bem passado na companhia da sua musa privativa :).
Na tela de Poussin, dizem os estudiosos que se tratará de Virgílio, inspirado por Apolo e pela musa Calíope.

Auto-retrato(s) - 116

Auto-portrait tournant, ca 1865

Três auto-retratos de Félix Nadar, pseudónimo de Gaspard-Félix Tournachon (1820-1910). Nadar começou como caricaturista no Charivari, em 1848.

Bom dia !



Com os Blondie e esta Sunday Girl, 1º lugar na tabela de singles a 26 de Maio de 1979.

Parabéns, APS!

Saiu em Março passado este livro inédito de Juan Ramón Jiménez.
«Se trata de un libro que pone de manifiesto una faceta lírica del escritor de Moguer que luego fue continuada por otros célebres poetas.
«En Arte menor encontramos parte de la producción lírica de Jiménez que influenció a poetas de la talla de Lorca, Alberti y Miguel Hernández. Sin embargo, es un libro que no llegó a ser publicado hasta nuestros días. Escrito en 1909, Jiménez intentó publicarlo a través de dos editoriales distintas (Ollendorff de París y Renacimiento de Madrid), pero no tuvo éxito.
«Se trata de un libro donde encontramos versos breves, ágiles, rápidos y directos de la poesía neopopular, rasgos de estilo que posicionan a Jiménez como uno de los referentes de la poesía en español del siglo XX (en 1956 ganó el premio Nobel de literatura).» (http://bloglibros.com/arte-menor-de-juan-ramon-jimenez/)



«El viaje Definitivo», poema de Juan Ramón Jiménez, na voz de Francisco Valladares. Música de Carlos López Puccio e Leo Vitale.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Mais frutas

William Joseph McCloskey, Still Life With Wrapped Tangerines, 1889, óleo sobre tela, 25,4x35,56cm, col.partic.

As tangerinas deixam-me eufórico.

- Werner Herzog, in Caminhar no gelo, ed.Tinta-da-China, 2011.

A mim não me deixam eufórico, mas gosto muito delas e este ano ainda não comi nenhuma.

Bom fim de tarde


O trompetista Ibrahim Maalouf (descobri-o recentemente) interpreta «All around the wall».

Elegâncias - 55

Um vestido de noiva (legenda dixit), numa loja de Trancoso.

Um quadro por dia - 171


Salvador Dalí, Chevaliers en parade, 1942, óleo sobre tela, col.part.

Foi comprado no leilão da Christie's de Nova Iorque do passado dia 4, por 974.000 euros, pelo actor Leonardo Di Caprio.

Bom dia !



Uma folk contemporânea com os fantásticos Dark Dark Dark. Esta chama-se Daydreaming.

Humor pela manhã... - 22


O senhor da foto chama-se Harold Camping ( 1921-), é pastor protestante, milionário e empresário da rádio, e foi quem andou a profetizar o Fim do Mundo a ocorrer no passado dia 21 de Maio. Gastou  milhões de dólares na campanha, com parte da verba a vir dos seus milhares de seguidores. Nada aconteceu no dia marcado, e muitos seguidores que até se tinham despedido dos empregos e vendido bens ficaram naturalmente desapontados.
O "profeta", entretanto, já anunciou que afinal a data certa é 21 de Outubro, mas que ele não vai vender nada do que tem...
Tem graça claro, embora admito que assim não pensem os seguidores do Sr.Camping que acreditaram cegamente na profecia de Maio.
No entanto, bastava uma pesquisa na internet para ficar a saber que já tinha acontecido o mesmo em 1988 e 1994....

Barcelona: Flores nas Ramblas - 3

terça-feira, 24 de maio de 2011

A Espada: usos, mitos e símbolos


A espada é um dos objectos mais representativos da Idade Média: arma de guerra, símbolo de poder e de justiça, objecto de aparato. Nenhuma outra produção profana desta época suscitou tanto interesse e fascínio.
Esta é a primeira exposição dedicada a este tema, reunindo 120 obras: um conjunto de espadas do século V ao século XV, como a de Joana d'Arc, assim como manuscritos, pinturas, ourivesaria e objectos de marfim.
Até 26 Set. 2011, no Museu Cluny, Paris

Sardinhas Doces

As sardinhas de Trancoso,
São melhores que as do mar,
Seu recheio é saboroso,
São doces ao paladar!
(Anselmo dos Santos Ferreira)

As Sardinhas Doces de Trancoso terão tido origem no século XVII, no Convento de Freiras de Santa Clara.
A sua confecção baseia-se num recheio feito à base de gemas de ovo, açúcar, amêndoa e canela, envolto numa espécie de massa tenra que depois é frita e coberta com uma calda de açúcar e chocolate.
No dia 7 de Maio teve lugar a cerimónia de entronização da Confraria das Sardinhas Doces de Trancoso.
Ver mais em: http://www.cm-trancoso.pt/culturaelazer/agendacultural/actualidade/Paginas/confraria-das-sardinhas-doces-de-trancoso-nasceu-em-defesa-patrimonio-gastronomico-de-trancoso.aspx

O Gato Branco

Pierre Bonnard - O gato branco
Óleo sobre cartão, 1894
Paris, Musée d'Orsay

BEPPO

El gato blanco y célibe se mira
en la lúcida luna del espejo
y no puede saber que esa blancura
y esos ojos de oro que no ha visto
nunca en la casa son su propia imagen.
¿Quién le dirá que el otro que lo observa
es apenas un sueño del espejo?
Me digo que esos gatos armoniosos,
el de cristal y el de caliente sangre,
son simulacros que concede al tiempo
un arquetipo eterno. Así lo afirma,
sombra también, Plotino en las Ennéadas.
¿De qué Adán anterior al paraíso,
de qué divinidad indescifrable
somos los hombres un espejo roto?

Jorge Luis Borges

Talvez por influência...

Estátua de Bandarra em Trancoso.

... ontem, alguém transformou-se em sapateiro. E eu a pensar que esse alguém era pedreiro...

Poemas - 46



O famoso Poème à mon frère blanc, de Léopold Sedar-Senghor.
«I'm an optimist, but an optimist who carries a raincoat.»
Harold Wilson

Harold Wilson nasceu em 11 de Março de 1916 e faleceu a 24 de Maio de 1995. Líder trabalhista, foi primeiro-ministro do Reino Unido de 1964 a 1970 e de 1974 a 1976.

Pintores vistos por pintores - 5

Hoje é o dia de mostrar quatro retratos de Monet, pelo seu amigo Renoir.

Claude Monet (O leitor), 1872 
Claude Monet lendo, 1872 
 Claude Monet pintando no seu jardim em Argenteuil, 1873
Retrato de Claude Monet, 1875

PENSAMENTO(S) - 175


Será boa a solidão? Sim, é. Mas pressupõe momentos dramáticos.

- Werner Herzog, in Caminhar no gelo, ed.Tinta-da-China, 2011.

Boa noite!


No dia em que Bob Dylan faz 70 anos, esta canção do disco Empire Burlesque, um dos meus preferidos de Bob Dylan.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

A nossa vinheta

Hoje, dia 23 de Maio, deu-se início à Comemoração Solene do Centenário do Instituto Superior Técnico, Universidade Técnica de Lisboa.




Discurso proferido pelo Comissário das Comemorações do Centenário, do IST no âmbito da Cerimónia de Apresentação do Programa
Iniciamos hoje o Ciclo de Eventos destinados a comemorar o 1º Centenário da criação do Instituto Superior Técnico. Foi exactamente em Maio de 1911 que por iniciativa do Ministro do Fomento, Brito Camacho, o I Governo da República depositava nas mãos de Alfredo Bensaúde a responsabilidade de criar, organizar e dirigir este Instituto considerado, no início da República, como essencial e determinante para o País numa lógica de modernização e desenvolvimento da sociedade portuguesa.
O Instituto Superior Técnico que se veio a tornar numa das mais prestigiadas escolas universitárias portuguesas nasce pois da vontade de um ministro e de um governo que atribuíram à formação dos técnicos de engenharia uma prioridade acrescida ao mesmo tempo que escolheram para o lançamento deste grande projecto uma personalidade cujo perfil se adequava às exigências inerentes a um desafio que requeria saber, experiência e conhecimento aprofundado sobre o que, nesse tempo, se passava noutros contextos universitários, mas sobretudo alguém que tivesse a visão e a capacidade para fazer diferente e para inovar ao nível científico e pedagógico na área da formação dos nossos técnicos de engenharia.
Alfredo Bensaúde que é o justo homenageado desta primeira iniciativa das Comemorações dos Cem Anos do Técnico é essa figura de pioneiro que foi escolhida pelo seu perfil e pelo seu curriculum onde se incluíam, entre outras, uma experiência internacional que adquirira durante a sua permanência e os seus estudos na Alemanha designadamente em Hanover, em Clausthal-Zellerfeld e em Gottingen e uma outra através do exercício da docência no Instituto Industrial e Comercial de Lisboa onde revolucionou os métodos de ensino das cadeiras a seu cargo, nomeadamente introduzindo o método experimental como instrumento de aprendizagem que tinha adquirido durante os seus estudos nas universidades alemãs que frequentara.
É pois, com esta exposição a que se deu o título de “A Génese do IST- Alfredo Bensaúde”, que se iniciam as Comemorações do Centenário desta escola de engenharia por onde passaram já cerca de 60.000 estudantes e que constitui hoje uma referência no quadro das grandes escolas de engenharia europeias.
As Comemorações vão-se desenrolar ao longo do próximo ano e até Maio de 2012, sendo de destacar como momentos mais significativos os que a seguir enumero:
A Abertura solene da celebração do Centenário da AEIST em 11 de Dezembro deste ano;
A Sessão Solene Comemorativa do Centenário do Instituto Superior Técnico em 23 de Maio;
A Exposição “O Técnico Novo: Duarte Pacheco” igualmente a 23 de Maio;
A Cerimónia de Entrega de Diplomas aos Graduados do IST a 28 de Maio de 2011;
O momento de regresso ao Técnico por parte dos antigos alunos também em Junho de 2011;
A Sessão Solene de encerramento do Centenário


Eduardo Marçal Grilo, Ver o discurso na íntegra e o programa aqui: Centenário


Alfredo Bensaúde


Itinerários em Paris

Promenades dans les Villages de Paris: 16 itinéraires de charme dans les anciens faubourgs de la capitale é mais um guia da editora Parigramme, da autoria de Dominique Lesbros, autor de outros livros de passeios, como Musées insolites de Paris, Découvertes insolites autour de Paris e Coulisses de Paris.
Antes de serem integradas em Paris, em 1860, Charonne, Passy, Montmartre, Vaugirard, Grenelle, Auteuil, Batignolles e outras comunas autónomas tinham a sua identidade própria: uma rua principal, câmara municipal, igreja, comércio, pequena indústria e, por vezes, até um castelo.
Através de dezasseis passeios - La Villette, Belleville, Ménilmontant, Charonne, Bercy, Ivry, Gentilly, Petit-Montrouge, Vaugirard, Grenelle, Auteuil, Passy, Ternes, Batignolles, Montmartre e La Chapelle-Saint-Denis -, Dominique Lesbros revive o quotidiano campestre destas vilas, hoje bairros de Paris.

Elegâncias - 54

O excêntrico chapéu, desenhado por Philip Treacy e usado pela princesa Beatriz no casamento de William e Kate Middleton, foi leiloado no e-Bay por €91600,00, dinheiro que vai reverter a favor da Unicef e das Children in Crisis. O chapéu chegou a ser eleito pelos internautas como «o pior de sempre». Realmente, pior é difícil.

Barcelona: Flores nas Ramblas - 2

Para o Luís, obviamente. E com votos de bom dia. :)