Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 10 de março de 2012

O mundo de Downton Abbey

St. Martin's Press, 2011 
Vi ontem numa livraria este livro que demonstra bem o êxito que a série tem tido.
Enquanto se espera pela continuação, os fãs podem ver este livro, ilustrado com fotos da série e das filmagens, realizadas em Bampton. Pelo que vi, pareceu-me ser a história de certa aristocracia, numa época de mudança, através da família Crawley e seus criados.

Rostos

Conheci há pouco tempo Paulo Damião
e gostei dos seus traços.
Não conheço o título destas telas no entanto, denominei-as rostos.






O meu serão de ontem



(...) a confirmação de McQueen como um dos maiores cineastas revelados nos últimos anos, com esta exploração formalista mas nunca gratuita da desintegração de um viciado em sexo cujo mundo compartimentado se desintegra com a chegada do "factor humano" na figura da irmã. Com um Michael Fassbender assombroso, Vergonha assume lentamente os contornos de uma catarse, de uma expiação, de uma redescoberta da humanidade. É um dos grandes filmes do ano.

- Jorge Mourinha, no PÚBLICO de ontem.

Vi-o ontem e gostei. Não é um filme fácil nem agradável mas, como diz o crítico que citei supra, a nudez ( que nem sequer é nada do outro mundo ) não é gratuita, as cenas de sexo não são ofensivas, e realmente o Michael Fassbender é um grande actor.
Um filme sobre a dependência sexual, muitas vezes a mais inconfessável e inconfessada das dependências, a dependência que passa muitas vezes mais desapercebida do que as outras, até que chega ao ponto em que há empregos em risco, famílias perdidas, amigos que se afastam, ou até risco de insolvência ( pelo dinheiro gasto em sexo, pornografia, brinquedos sexuais etc ). Não é só na América, pois que até neste cantinho do Ocidente já temos várias clínicas e associações que lidam com este problema...

Tamara Karsavina (1885-1978)

Tamara Karsavina nasceu em São Petersburgo em 10 de março de 1885. Foi solista da companhia Maryinsky e, em 1909, ingressou na Companhia de Diaghilev, tendo sido um dos pares de Nijinsky. Morreu em Londres.
Em Petrushka, 1911 
No Espectro da Rosa
Dançando a polka em Les vendredis
George Barbier - Cena de bailado com Tamara Karsavina, 1914

Humor pela manhã... - 118


Fazer o " pedido " no Muro das Lamentações, acender velas, umas novenas. Temos de começar a pensar usar todos os " recursos", porque isto não vai lá só com austeridade...

Em português - 145 : A Naifa



Um grupo que devia ser muito mais conhecido. Bom dia!

sexta-feira, 9 de março de 2012

Os meus franceses - 183

Depois de um passeio


Quando até a uma colina ou ao longo do mar
os dois saímos nas noites ligeiras
a passear,
vejo todos a soar
coisa fraterna a nossa aliança.
Nós cuja vida pouco tem de bonança
e tanta inusitada alacridade rende,
nada tem que se possa dizer que o vulgo ofende;
a todos perecemos tranquilos e bons
cidadãos, que apenas desejam um copo e cavaqueira.
Só no coração respondem estrídulos sons,
e ao vento se desfralda uma bandeira.

E nos dias de festa, não antevejo
que pareça estranho procurar o mais deserto dos subúrbios, que mais se eria em nós
do que dois a jantar a céu aberto?
Um marido que já ostenta um desejo
de liberdade, a sua mulher ciumenta;
é o que dizer a qualquer pessoa tenta
pois disso nada parece nos distinguir a nós,
a nós em quem cada coração reparte
dois diferentes destinos
de amor e de arte.

Umberto Saba
In: Poesia / trad. José Manuel de Vasconcelos. Lisboa: Assírio & Alvim, 2010, p. 105-107

Umberto Saba nasceu em Trieste a 9 de março de 1883.

Tem-me acompanhado hoje

Livros de cozinha - 59

Guimarães: Despertar Memórias, 2012
€22,00 

Este livro, da autoria de Isabel Maria Fernandes, Nuno Vieira e Brito, Virgínia Ribeiro e Maria da Conceição Costa Mendes, foi ontem apresentado na Associação Comercial Industrial de Guimarães. 
Tal como o título indica, o livro analisa a história da doçaria vimaranense desde o século XVI até ao final do século XIX. Podemos, então, ficar a conhecer a história dos doces vimaranenses: aletria, arroz doce, biscoitos, broínhas, caramelo, creme, chouriços e morcelas doces, confeitos, conservas e doces de fruta, doce de chá, grãos doces, leite-crespo, manjar, massapães e massapão rosado, mexidos ou formigos, ovos-moles, ovos reais, palmilhas, palitos, pão-de-ló, passas, pastéis, queijadas, queimadas de fio, sopa doce, suplicos, tortas e toucinho do céu. Ainda não o vi, mas deve valer a pena.

Obviamente para APS.
Abel Cardoso - Retrato de Martins Sarmento, 1923

Francisco Martins Sarmento nasceu em Guimarães em 9 de março de 1833. Como arqueólogo dedicou-se à exploração da citânia de Briteiros e Sabroso.
Hoje, quem viva em Guimarães, poderá visitar a Sociedade Martins Sarmento, onde ser conserva o seu espólio: 
http://www.csarmento.uminho.pt/nephl_311.asp

Bom dia !

quinta-feira, 8 de março de 2012

Boa noite!



Este pequeno filme de animação foi candidato ao Óscar.

Hoje, noite de lua-cheia.

Acrescento: dia 9 Mar., 00h22: a noite de lua-cheia foi ontem. :)

A nossa vinheta

Celebra-se a 8 de Março o Dia Internacional da Mulher, reconhecendo a ONU em 1975 que esta data deve lembrar as conquistas sociais e políticas da mulheres. Como gostaria que não fosse uma comemoração de apenas um dia no ano, a vinheta vai ficar aqui uma semana. Na esperança de que, em breve, todos os dias sejam o seu dia: de todas as mulheres, esposas, companheiras, mães, avós, irmãs e amigas. Como na foto, novas ou com mais mais anos, são sempre belas e dignas da nossa admiração e do nosso reconhecimento.

Estou a ouvir

Best Bread Book in the world

A tradição do pão em Portugal, da autoria de Mouette Barboff, foi editado pelo Clube do Colecionador dos Correios. O livro conta a história do pão, da cultura dos cereais, da importância do mais universal dos alimentos na economia e na cultura portuguesa. «Procurei apresentar uma breve perspectiva da riqueza que rodeia a cultura do pão, comunicar aos outros o prazer que encontrei ao longo das investigações e partilhar com eles o pão», escreve a autora. O livro de 182 p. percorre o ciclo do pão, em cinco capítulos: «A origem do pão», «O fabrico do pão», «Tipos de pão», «O pão e as festas» e o «Pão gastronómico». Na última parte apresenta diversos pratos cozinhados com pão, bem como sobremesas. A obra contém duas emissões filatélicas dos CTT (de 2009 e 2010), sob o título «Pão tradicional português», compostas por dez selos e três blocos de Acácio Santos e E. Fonseca. O livro, que acaba de obter o 1.º prémio na categoria de Best Bread Book in the world, custa €41,00.
Poste feito com base nesta notícia: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/lazer/cultura/livro-sobre-tradicao-do-pao-em-portugal
Feliz dia Internacional da Mulher!

Leornardo da Vinci, estudo: cabeça de mulher



As imagens transbordam

As imagens transbordam fugitivas
E estamos nus em frente às coisas vivas.
Que presença jamais pode cumprir
O impulso que há em nós, interminável,
De tudo ser e em cada flor florir?



Sophia de Mello Breyner Andresen, Obra Poética I, Caminho

Florbela vai hoje de elétrico


Dalila do Carmo, a protagonista do filme Florbela, recita hoje poesia da autora de «Amar perdidamente», no elétrico 28, a partir do Martim Moniz, às 14h30.

Tarde de mais...

Quando chegaste enfim, para te ver
Abriu-se a noite em mágico luar;
E para o som de teus passos conhecer
Pôs-se o silêncio, em volta, a escutar...

Chegaste, enfim! Milagre de endoidar!
Viu-se nessa hora o que não pode ser:
Em plena noite, a noite iluminar
E as pedras do caminho florescer!

Beijando a areia de oiro dos desertos
Procurara-te em vão! Braços abertos,
Pés nus, olhos a rir, a boca em flor!

E há cem anos que eu era nova e linda!...
E a minha boca morta grita ainda:
Porque chegaste tarde, ó meu Amor?!...

                         Florbela Espanca

Auto-retrato(s) - 155

Elizabeth Vigée Lebrun (1755-1842) - Auto-retrato, 1790
Florença, Galeria dos Ofícios

Já foram postados outros auto-retratos desta pintora.

Números - 86

4

Para ganhar o mesmo que os homens, as mulheres têm de trabalhar mais quatro meses por ano. E já vamos no século XXI...

- Susana de Sousa Dias, cineasta, nova directora do DocLisboa, entrevistada na Visão desta semana.

Humor pela manhã... - 117


A condição feminina, neste Dia Internacional da Mulher. Muitas são verdadeiras heroínas, mas de todos os dias.

Bom dia !



E sobre quem é esta canção?

Antes do nascer do sol

Ainda é tempo de dar os meus parabéns a MR, com ligeiríssimo atraso... ;)


Com nota da exposição, aqui ao "lado"

Museu Thyssen - até 20 de Maio

Mais importante do que um dia, um bom ano!

quarta-feira, 7 de março de 2012

Boa noite!

A todos agradeço com este excerto de um concerto do austríaco  Johann Georg Albrechtsberger, falecido em 7 de março de 1809.

O chá das cinco - 37

Quando Luís XV casou com Maria Leszczynska, filha do rei da Polónia, o pasteleiro Stohrer vai com ela para Versalhes. Cinco anos mais tarde, abre a sua pastelaria - actualmente a mais antiga de Paris.
Assim, e como já vem sendo hábito, este ano o convite, prosimetronistas e amigos, é para lancharmos nesta pastelaria. Espero que consigam chegar a tempo.
Babá com frutas.
Espero que com bastante rum. :) E umas natas ao lado.

E, como dantes se dizia que, em certas pastelarias finas do Chiado, os bules levavam para as mesas das senhoras vinho branco em vez de chá, hoje brindamos com champanhe.

À nossa!

Depois do nosso "chá", vamos até à Ópera, à estreia de La Bayadère, o bailado com música de Minkus e coreografia de Nureyev, feita a partir da de Petipa, e que conta a história dos amores contrariados entre o guerreiro Solor e a dançarina Nikiya.

Pas de deux, do 3.º acto, dançado por Isabelle Guérin e Laurent Hiliaire.

Parabéns, MR


Da Fauchon directamente para a MR, com votos de bom aniversário e de um excelente ano!

Serenata à Chuva

O mais famoso poste de luz do cinema tem uma hístória curiosa. Em 1986 foi salvo do lixo quando os estúdios da MGM cederam as suas instalações à Lorimar. O empregado de limpeza que o encontrou levou-o para a sua casa instalando-o no jardim. Quatro anos depois, o poste foi roubado sem nunca ter sido encontrado.

Parabéns, MR!



Para usar ou simplesmente para enriquecer a sua vasta colecção de Elegâncias. São Christian Louboutin, já da nova estação. Tenha um excelente dia.

Para MR

O belo é gostar dos amigos sem lhe fazer sentir os defeitos!
Obrigado.
Um dia feliz


Acho que deste vai gostar...

MR, se o entregador de bolos fosse este....
já não o devolvia.
Dia feliz!


Miss Tolstoi


Post a pedido de Miss Tolstoi

Parabéns, MR!

Com os meus parabéns e votos de muitos e muitos anos, "ofereço-lhe" esta Árvore da Vida, de Gustave Klimt.

Leituras no Metro - 85

«Uma cultura é um corpo complexo de normas, símbolos, mitos, imagens. Este conjunto penetra o indivíduo, orienta as suas emoções, alimenta a vida imaginária que cada um guarda e com a qual se cobre, modela a sua personalidade. A cultura de massa, através dos filmes, emissões televisivas, magazines, etc., penetra o indivíduo, orienta as suas emoções, muitas vezes a sua vida imaginária, contribui para modelar a sua personalidade.
 [..]
«- A título pessoal, aprecia o que chamamos  a cultura de massas?
«Na minha infância, fui imergido nesta cultura. Eu era e continuo um cinéfago, vejo todas as espécies de emissões televisivas, gosto de séries como New York District Polices Blues, La Loi de Los Angeles, a série brasileira Dona Beja. A cultura de massa pelo cinema e pela televisão é o único terreno comum a todos os povo, dirige-se a pessoas de todas as idades, aos dois sexos, de todas as culturas. Ela revela e acorda o homem-criança que se encontra em qualquer homem, curioso, gostando do jogo, do divertimento, do mito, do conto. Fundamentalmente profana, ela segrega o seu próprio imaginário e a sua própria mitologia, como o culto das stars, e a sua ideologia: aos valores transcendentais opõe a felicidade individual. Efectivamente, ela criou, desde os anos de 1930 até 1960, uma religião baseada na felicidade, tão ilusória como todas as religiões. Eu desprezo qualquer desprezo global, incluindo o que diz respeito à cultura de massa.»

Edgar Morin
In: O meu caminho: entrevista com Djénane Kareh Tager. Lisboa: Inst. Piajet,, 2009, p. 99, 101-102

Nos últimos dias tenho estado a ler esta entrevista de Edgar Morin, em que ele passa em revista a sua vida. Muito interessante. Vai voltar aqui ao blogue.

Parabéns M.R. !

Perguntaram-me na pastelaria se o entregador, dadas as temperaturas altas, podia ir vestido mais informalmente. Eu disse que sim, mas sinceramente espero que ele não se constipe nem a M.R. se atrapalhe. E a pastelaria quer a devolução ( do prato ).

Bom dia !



Para M.R. claro !

Parabéns MR!


Parabéns MR!Um dia muito feliz.






Papiano Carlos, A Menina Gotinha de Água, Lisboa: Portugália, 1977, p.31


Ilustrações de João da Câmara Leme.









E porque Ravel também fazia anos neste dia fica o Bolero dançado porJorge Donn no Palácio de Congressos de Madrid (1989)

terça-feira, 6 de março de 2012

Boa noite!


Hoje lembrei-me dos Gipsy Kings. :-)

Si alguien llama a tu puerta, amiga mía,

Acácia em contraluz na Quinta das Lágrimas



Gabriel García Marquez faz hoje 85 anos.

Si alguien llama a tu puerta, amiga mía

Si alguien llama a tu puerta, amiga mía,
y algo en tu sangre late y no reposa
y en su tallo de agua, temblorosa,
la fuente es una líquida armonía.

Si alguien llama a tu puerta y todavía
te sobra tiempo para ser hermosa
y cabe todo abril en una rosa
y por la rosa se desangra el día.

Si alguien llama a tu puerta una mañana
sonora de palomas y campanas
y aún crees en el dolor y en la poesía.

Si aún la vida es verdad y el verso existe.
Si alguien llama a tu puerta y estás triste,
abre, que es el amor, amiga mía.


Gabriel García Marquez retirado do Google.

O que é que eu faço?

(...) O pomposo ministério da Economia e do Emprego era para ser um Titanic. Hoje é uma piroga. Perdeu as PPP, retiraram-lhe o QREN, não tem emprego para dar. Só lhe sobra desemprego para distribuir como se fossem rosas do seu regaço.
- Fernando Sobral, no Negócios, edição de 6 MAR 2012

Era bom sinal...



Pintores vistos por pintores - 12

Daniele da Volterra (1509-1566) - Retrato de Michelangelo

Sebastiano del Pombo (ca 1485-1547) - Retrato de Michelangelo, 1520-1525

Michelangelo Buonarroti nasceu em Caprese a 6 de março de 1475. 

Humor pela manhã... - 116


Cada país tem os seus " Zés Castelo Branco ", e os EUA, país dos excessos por excelência, tem vários. Este senhor é um dos mais famosos bloggers e escreve sobre celebridades, famosos, etc. E ele próprio é uma celebridade, designadamente pela escolha de indumentárias...

Bom dia !

segunda-feira, 5 de março de 2012

Os meus franceses - 182

Anny Gould, aos 90 anos, interpreta Le Piano de Michel Legrand.

Quem está há 27 minutos dentro do Metro, no túnel?


Já há uns dias que andava para voltar ao tema Metro que está uma lástima. Grandes aumentos. No final do ano, terá sido, para mim e para quem só tem passe de Metro, um aumento de quase 100% e o serviço está pior que nunca.
No sábado esperei por um Metro na linha verde: às 20h40, 15 m; às 23h10, 20 minutos.

Chamar a chuva

Parece que a probabilidade dechover continua adiada, num cenário que até Abril se manterá muito pouco ou nada alterado. Como a falta de chuva começa a ser uma dor de cabeça para os agricultores, proponho trazer ao blogue o tema, pelas artes e letras.

George Moore, o autor de Albert Nobbs

Manet - George Moore
Óleo sobre tela, 1879
Nova Iorque, Metropolitan Museum of Art 

Manet - George Moore, num café em Paris

O cinema, para além de ser cinema, dá-nos a conhecer escritores que desconhecemos. Foi o que me aconteceu agora com Albert Nobbs, que é a adaptação de uma novela do escritor irlandês George Moore (1852-1933). Eu não conhecia nem a novela nem o autor e fiquei com vontade de o ler. Penso que não há nada dele editado em Portugal. Gostei imenso do filme, com uma história um pouco desconcertante. Glenn Close tem uma grande interpretação no papel de um mordomo, Albert Nobbs, que afinal é uma mulher. Na sociedade vitoriana irlandesa, em que as mulheres não tinham direitos, uma mulher resolve empregar-se como homem para conseguir sobreviver.

Frase da semana ( que passou )


Apesar de vivermos a maior crise do capitalismo desde os anos 30 do século passado, vemos a esquerda somar derrotas atrás de derrotas por todo o lado, incapaz de propor aos cidadãos uma visão alternativa credível.

- Manuel Maria Carrilho, no Díário de Notícias de quinta-feira.

Humor pela manhã... - 115


A nossa República, aos 102 anos. Envelheceu mal ...

Bom dia !



Uma voz que desapareceu cedo demais, e um suicídio com pormenores estranhos ( ele era canhoto... ). Boa semana!

domingo, 4 de março de 2012

Boa noite!

Ontem, a procurar um disco dos Monkees, que não encontrei, dei de caras com um de David Garrick, sem capa,com estas canções.

Ditados para hoje

Amor com amor se paga e com desdém se apaga.

Não conhecia a segunda parte deste provérbio português.

Impressões de uma exposição

A exposição Plural como o Universo sobre Fernando Pessoa, que a MR já referiu quando da sua inauguração, teve o condão de preencher o vazio que às vezes se instala. Maravilhou-me a interactividade, a presença de Pessoa que surge da penumbra dada às salas pelos coordenador e responsáveis da exposição patente na Fundação Calouste Gulbenkian. Para eles os meus parabéns!
A Lisboa de Fernando Pessoa pintada por Carlos Botelho.


Carlos Botelho, Lisboa, detalhe 1, 1969


Detalhe 2


Detalhe 3

Museu de Arte Contemporânea da Fundação Calouste Gulbenkian


Fernando Pessoa e o primeiro heterónimo: Chevalier de Pas, um livrinho que adoraria ter.