Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 5 de novembro de 2011

Boa noite!

ONDE ME APETECIA ESTAR- 65

Era ao início da tarde em Paris, no Hôtel Drout, para assistir a um leilão de uma fantástica colecção de cartas de jogar, distribuída por 340 lotes. Baralhos antigos de tarot, educativos, eróticos, de arte, regionais etc, feitos na Alemanha, Inglaterra, Áustria, Bélgica e Espanha.
O leilão está a cargo da casa Millon&Associés que disponibiliza online o catálogo que está supra e que vale a pena espreitar pelas belas ilustrações e pela riqueza simbólica.
Ver aqui: http://www.millon-associes.com/

Citações - 199

Ontem, a nossa ana comentou sobre Duarte Lima, um dos "homens do momento" embora pelas piores razões, lembrando a sua doença. Entretanto, o advogado demitiu-se da Associação Portuguesa de Leucemia, mas um texto de Pedro Norton, na Visão (pg.62) aborda essa mesma questão e fá-lo com muita lucidez :

(...) A vida foi-me ensinando que a contradição, por vezes a contradição aguda, absurda e profunda, é matéria de que se faz cada um de nós. E eu, naturalmente, nada sei sobre os negócios que fizeram as capas do Independente, nada sei sobre as razões da sua fortuna, muito menos tenho opinião sobre o assassínio macabro de que se vê acusado. Pode ser bem que sim. Nada do que vi, naqueles meses cinzentos em que o IPO foi a nossa casa, necessariamente o contradiz. Mas não me sentiria bem com a minha consciência, muito menos honraria a minha memória se, agora que se tornou um proscrito empestado, não vos contasse que conheci um lado luminoso de Domingos Duarte Lima.

Auto-retrato(s) - 144

C. R. W. Nevinson (1889-1946) - Auto-retrato
Óleo sobre madeira, 1911
Londres, Tate

Bom dia !

Hoje, no Porto

Parabéns, Sam Shepard!

Um dos actores vivos que mais aprecio faz hoje 62 anos. Como escritor, conheço-o mal, mas gostei do que li.

«The mind ain't nothing without the old body tagging along to follow things through.»
Sam Shepard

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Entre o ser e as coisas

Onda e amor, onde amor, ando indagando
ao largo vento e à rocha imperativa,
e a tudo me arremesso, nesse quando
amanhece frescor de coisa viva.

Às almas, não, as almas vão pairando,
e, esquecendo a lição que já se esquiva,
tornam amor humor, e vago e brando
o que é de natureza corrosiva.

N´água e na pedra amor deixa gravados
seus hieróglifos e mensagens,
suas verdades mais secretas e mais nuas.

E nem os elementos encantados
sabem do amor que os punge e que é, pungido,
uma fogueira a arder no dia findo

Carlos Drummond de Andrade
(Declaração de Amor, 4.ª ed, Rio de Janeiro, Record, 2006) 

"Life - A fight against death with the knowledge"

Rossio, Lisboa, a cidade de Fernando Pessoa


Life - A fight against death with the knowledge,
Life

A fight against death with the knowledge, or rather, with the certainty of being conquered. Conciliation of general power with the not‑power of benevolence.

But

Leibnitz might have reflected on this and on the irony of it, that life is a combat against death with the certainty of being conquered.


s.d.

Fernando Pessoa, Textos Filosóficos, Vol. I,(Estabelecidos e prefaciados por António de Pina Coelho.) Lisboa: Ática, 1968 (imp. 1993), p. 200.

Boa noite!


Um dos concertos de que mais gosto, e tocado por este violinista.
Mendelssohn faleceu há 164 anos.

xxxxxxxxxxxxx (Enquanto ouvia o David Oistrakh.)
Não, não deixes secar
Este fio de água de violino
Que nas manhãs de ouro
Completa as nossas sombras com flores
- enquanto os pássaros de sementes nos olhos
Procuram na espiral dos voos
Outro cárcere de recomeço
José Gomes Ferreira
In: Poeta militante. Lisboa: Círculo de Leitores, 2004, vol. 2, p. 325

«O incomparável violinista soviético David Oistrakh está em Lisboa. E ontem, depois de um concerto triunfal no Império, foi convidado para uma recepção em casa da Marquesa do Cadaval.
«O russo porém recusou e preferiu ir assistir a um desafio de futebol em que jogava o Eusébio – hoje o português mais conhecido em todo o mundo pela maneira como joga à bola.
«- O Choskatovich ainda gosta mais de futebol do que eu – confidenciou o genial violinista não sei a quem.»
José Gomes Ferreira
In: Dias comuns. Lisboa: Dom Quixote, 2004, vol. 4

Poemas com cinema - Os filmes de Cow-Boys


Apenas como nota introdutória: Ricky Nelson, em tempos idos muito adorado por M.R. (daí as duas imagens), e todos os cow-boys da Sétima Arte mereciam um poema mais benevolente em minha opinião....


Nos filmes de cow-boys do cinema Garrett
aprendemos desde cedo uma péssima lição
que ainda hoje nos mesmos filmes se repete:
os maus morrem sempre, mas os bons é que não.

Os maus começam por fazer basto estrago:
é ver a cowboyada e ter uma ideia,

mas para o mal acabar, meninos, carago!,
basta aos que são bons apenas hora e meia.

Saíamos felizes do cinema Garrett,
cheios de todas as pulgas da Póvoa de Varzim,
alegres com o desfecho pintávamos o sete,
julgávamos que na Vida seria tudo assim.

Vi mil fitas de cow-boys todinhas iguais
e sempre em hora e meia qualquer Cínico escacha.
Hoje odeio-as cada vez mais.
o Cínico, na Vida, quem o despacha?

Oh! filmes de cow-boys do cinema Garrett,
Oh! falsíssima lição
que hoje prantamos em qualquer retrete:
que aí é que se é cidadão!

Alexandre Pinheiro Torres





de Poemas com cinema, antologia organizada por Joana Matos Frias, Luís Miguel Queirós, Rosa Maria Martelo, Assírio & Alvim, 2010;
imagens: Ricky Nelson em Rio Bravo de Howard Hawks (1959)

Petição CONTRA A EXTINÇÃO/REDUÇÃO dos horários nocturnos da CARRIS/METRO!



Em vez de prolongarem os horários dos transportes público (Metro, por exemplo) às sextas e sábados, querem agora reduzi-los. Quanto ao Metro, que é o que uso diariamente, pretendem encerrá-lo às 23h00 e no caso das estações Pontinha e Odivelas às 21h30. Onde já se viu isto?
Se estes decisores andassem de Metro, veriam como, por exemplo, a linha azul quando passa com três carruagens, cerca das 23h00 ou 24h00, na estação Colégio Militar enche. O mesmo em São Sebastião, no Oriente e na Baixa Chiado. São as linhas que mais uso. E mesmo a estação de Telheiras à noite tem muita frequência, devido aos funcionários do Continente. E que dizer do Campo Grande? Como vão as pessoas apanhar as camionetas?
Pode consultar e assinar a petição aqui:

Citações - 198

António Carvalho da Silva Porto, A Ceifa ( Lumiar ), 1884, óleo sobre madeira, Casa-Museu Dr.Anastácio Gonçalves, Lisboa.


(...) Os votos piedosos de regresso aos campos por parte do mais alto magistrado da Nação não nos fazem esquecer que durante a década em que ele foi responsável pelo Executivo Portugal viveu como se a agricultura fosse uma actividade económica dispensável. Quem conheça os solos portugueses sabe que dificilmente poderíamos ser autónomos do ponto de vista alimentar. Mas temos todas as condições para produzir mais para o mercado interno, e para proteger zelosamente, em especial nas zonas periurbanas, os solos da Reserva Agrícola Nacional. Trata-se de um imperativo ecológico e estratégico. Agora, se o sonho europeu se desmoronar num pesadelo, Portugal não tem plano de emergência para substituir as importações agrícolas. O País terá de se agarrar a Espanha, não pelos ideias de um iberismo federalista, mas, simplesmente, para não morrer à fome.

Este é o último parágrafo do texto A cidade e as serras de Viriato Soromenho Marques, publicado na Visão desta semana e que vale a pena ler na íntegra.

Marcadores de livros - 13




Estes, trouxe-os da Irlanda, já há uns anos. Têm receitas da chefe irlandesa Darina Allen (1951-).

Auto-retrato(s) - 143

Guido Reni (1575-1642) - Auto-retrato, ca 1602-1603

Nasceu em Bolonha a 4 de Novembro de 1575.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Boa noite!


Maria Dimitriadi (1950-2009) canta um poema do turco Nazim Hikmet (1902-1963).

Biografias, autobiografias e afins - 118

Ora aqui está uma biografia muito oportuna, por enquanto ainda só o primeiro volume, sobre a vida do Comendador Feteira, cuja herança e desenvolvimentos criminosos têm feito correr rios de tinta. É da autoria de Miguel Carvalho, um muito competente jornalista de investigação da nossa praça.

Números - 68

7.000.000.000

Danica May Camacho, é este o nome da recém-nascida filipina escolhida há 3 dias como o ser humano 7 mil milhões. Um número astronómico, e a respectiva origem a provar que o crescimento demográfico vem da Ásia...

Quase na hora de...


Há dez anos atrás, os actores Maury Chaykin ( o da primeira foto ) e Timothy Hutton foram, respectivamente, Nero Wolfe e Archie Goodwin na mais recente ( e muito boa ) encarnação televisiva das histórias de Rex Stout. Servem de " ilustração " à segunda receita presente em Plot It Yourself/Crimes em Série de que aqui falei recentemente.
E não é uma receita muito difícil de replicar, se bem que exige algum apetite...

(...) Perguntei-lhe o que continha a omelete, e ele disse que continha quatro ovos, sal, pimenta, uma colher de sopa de manteiga de estragão, duas colheres de sopa de natas, duas colheres de sopa de vinho branco seco, meia colher de chá de chalotas picadas, um terço de chávena de amêndoas inteiras, e vinte cogumelos frescos. Eu disse que isso devia chegar para dois, mas ele disse, meu Deus, não, isto era só para Mr.Wolfe, e eu gostaria de comer uma igual? Gostaria. Avisou-me que talvez decidisse, no último minuto, juntar-lhe um pouco de compota de damasco, e eu disse que, se fosse eu, arriscaria.

Um quadro por dia - 211


Gustav Klimt, Litzlberg am Attersee, 1915, óleo sobre tela, col.part.

Esta paisagem de Klimt foi a estrela do leilão realizado ontem à noite na Sotheby's de Nova Iorque, tendo sido comprada por um anónimo por 40,4 milhões de dólares. Foi vendida por Georges Jorisch, neto da última proprietária original ( e judia ), tendo esta morrido no ghetto de Lodz e a tela confiscada pela Gestapo. A Gestapo vendeu-a, tendo estado até recentemente ( antes de ser devolvida ao dito neto ) no Museu de Arte Moderna de Salzburgo.

Novidades - 208

Um livro para os mais pequenos, escrito por Richard Zimmler e ilustrado por Bernardo Carvalho. É uma edição da Caminho.

Mais elegâncias...






Quem adivinha qual o material usado na feitura destas criações recentemente apresentadas em Paris?

Humor pela manhã... - 52

Tantos anos depois, o Ken ainda está apaixonado pela Barbie.

Bom dia !

Frida Kahlo: As suas fotografias

«A Casa da América Latina traz a Lisboa uma selecção de 257 fotografias das 6.500 que compõem o acervo da Casa Azul/Museu Frida Kahlo numa exposição intitulada Frida Kahlo - As suas fotografias. Esta é a primeira apresentação internacional da exposição que pode ser visitada de 4 de Novembro de 2011 a 29 de Janeiro de 2012, no Pavilhão Preto do Museu da Cidade (Campo Grande, 245).»

Boa noite!


Caetano Veloso e Maria Gadú vão estar esta noite no Pavilhão Atlântico.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Mais franceses

Um quadro por dia - 210

Diego Rivera, Dia dos Mortos, 1944, óleo sobre tela, Museu de Arte Moderna, Cidade do México, México.

Precisamente 20 anos depois da tela que apresentei o ano passado para lembrar o Dia de Finados ou dos Fiéis Defuntos que hoje é celebrado no mundo cristão, Rivera pintou esta, menos festiva mas igualmente impressiva.

Citações - 197


Na Eslováquia, o salário dos políticos está indexado ao salário médio nacional e ao défice. Se o salário médio dos eslovacos subir, o salário dos político também sobe, se a meta do défice não for atingida, o salário dos políticos desce.

- Henrique Raposo. no Expresso.

Pergunto eu : Estariam os políticos lusos dispostos a aceitarem uma solução deste tipo?

Chove chuva / Chove sem parar...

A rainha do suspense na primeira pessoa

Lisboa: Bertrand, 2011
€14,90

As memórias de uma das autoras mais lidas em todo o mundo.
«Filha de emigrantes irlandeses viveu a sua infância num bairro pobre de Nova Iorque. Começou, com dezasseis anos, a tentar publicar os seus escritos embora com pouco êxito. Secretária, hospedeira de bordo, mãe de cinco filhos, é o retrato duma mulher normal não fosse o desafio permanente da escrita que sempre a acompanhou. Uma história de sucesso, mas que é antes de mais uma declaração da perseverança necessária para alcançar objectivos.»

Marcadores de livros - 12


Cinco marcadores de cinco livros para crianças.

Novidades - 207


Provando a vitalidade ( inesgotável ? ) do romance histórico, aqui fica a estreia de Alice Vieira (1943-) nestas lides, com chancela da Caminho. Reproduzo a seguir a nota editorial : " Um romance histórico, baseado em factos reais, que nos conta sobre Fernão Nunes e uma sobrinha sua, Filipa Nunes, de Porto Santo, que, dizendo-se inspirados pelo Espírito Santo, se declaram profetas, sendo depois apelidados de herejes, presos e enviados para Évora. "

P.S. -A mais improvável entrada lusa no romance histórico fica para mais logo ou amanhã, e acho que ficarão tão surpreendidos como eu.

Somos ( temporariamente ) importantes !

- Sala do Conselho de Segurança das Nações Unidas, também conhecida como Sala Norueguesa.

Desde ontem que Portugal tem a presidência ( que é rotativa ) do mais importante órgão da mais importante organização internacional, o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas, e assim vai ser durante todo o mês de Novembro de 2011. Está pois explicado o título deste post e a primeira vinheta de Novembro do Prosimetron.

Humor pela manhã... - 51

Boa noite!


Tosti faleceu em 2 de Dezembro de 1916.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Boa noite!


Canção interpretada por Sofia Vembo (1910-1978)

Um canto de anjo

 A voz de Philippe Jaroussky, numa cena de Farinelli, canta "Cara Sposa", da ópera "Rinaldo", de Händel. Era assim a voz de um anjo?

Nostalgia do Verão


Para um prosimetrista com sorte, os últimos dias recuperaram o Verão e o seu sol, senão as temperaturas habituais. Para mim ficou a nostalgia da liberdade que  proporciona e me enche a alma.
Chegou o pôr-do-sol.

Uma sugestão de leitura

Chama-se "Bells" em inglês. A Editorial Presença chama-lhe " O Canto do Anjo", com um substítulo sugestivo que era escusado e apenas denota a tentativa de copiar a de outro livro que se lhe quer comparar,  " a história de um castrato". O autor é o até agora desconhecido Richard Harvell, nascido em New Hampshire, nos EUA e este é o seu primeiro romance. É comparado ao " O Perfume, história de um assassino" porque os sons, todos os sons que perpassam pela vida de Moses, o cantor que foi castrado em criança, são como os cheiros, todos os cheiros, para Jean Baptiste Grenouille, personagem criada por  Patrick Süskind.
Na verdade, as palavras, as frases, os silêncios, estão entremeados de sons, da boa música de Vivaldi ou Gluck, ao barulho para quase todos imperceptivel da cidade ou do vento, aos gemidos do amor e, certamente, aos sinos entre os quais nasceu Moses. E, curiosamente, eles vão  povoando e crescendo na nossa leitura.
Mas há a história, a história de um menino com voz de anjo que é mandado castrar para que essa voz permaneça, as suas dores físicas e morais, a aventura de um amor impossível, a amizade, a esperança apesar de tudo, numa envolvência da Europa do século XVIII, na Suiça, na Áustria, em Itália.
Bem escrito, de leitura fácil e boa tradução de Maria das Mercês Peixoto, é uma sugestão de leitura que apela aos nossos sentidos.

Poemas com cinema - Peeping Tom

A meio de um sonho ocorre-te que a máquina que filma
o ludismo e o horror existe como máscara de um ritual
cuja encenação te escapa. Um ritual que não pode ser
filmado. Um ritual que não é sequer composto pela luz
insubstancial com que colhes a noite ou o dia, a espessa
sombra do que abandonaste ou a aflição do porvir. Um
ritual em cujo centro se ergue um ser desfigurado, a besta
em que jamais te reconhecerás, que tem o teu recôndito
nome e fala com a tua clandestina voz.

Luís Quintais

de Poemas com cinema, antologia organizada por Joana Matos Frias, Luís Miguel Queirós, Rosa Maria Martelo, Assírio & Alvim, 2010;
imagem: Karlheinz Böhm no papel de um psicopata em Peeping Tom de Michael Powell (1960)

O chá das cinco - 34


«[...] Lembra-se do caso Armstrong? Alguém que o ofendesse ou insultasse - mesmo que a ofensa ou o insulto fossem apenas produto da sua imaginação - era convidado para tomar chá e comia sanduíches com arsénico. Uma espécie de sensitividade exarcebada.»
Agatha Christie - Caminho para a morte. Lisboa: Livros do Brasil, s.d., p. 151-152

Estão convidados para o chá. O jantar já não será assim! :)

Leituras no Metro - 75


«- Bonitas flores, não são, Mrs. Beresford? Tenho aqui algumas rosas antigas... Veja esta, vermelha e branca...
«- Comandante Beaurepair - identificou Tuppence.
«- Aqui chamamos-lhes York e Lancaster. Guerra das Rosas... Cheiram bem, não cheiram?
«- Maravilhosamente.
«- Melhor do que essas modernas rosas chá, híbridas.»
Agatha Christie - Caminho para a morte. Lisboa: Livros do Brasil, s.d., p. 78-79


Para o Jad, obviamente.

Romance à volta de Safo

Carnaxide: Alfaguara, 2011
€16,00

35 anos depois de A Casa do Pó, Fernando Campos publica uma biografia romanceada de Safo. A acção decorre na ilha de Lesbos, no Mar Egeu, já na velhice da poetisa.

Auto-retrato(s) - 142

William Merritt Chase (1849-1916) - Auto-retrato, ca 1883
William Merritt Chase (1849-1916) - Auto-retrato, ca 1915
Art Association of Richmond
William Merritt Chase (1849-1916) - Auto-retrato

William Merritt Chase nasceu em 1 de Novembro de 1849.

Quando chegará a minha última hora?

O coral introdutório da cantata BWV 8 Liebster Gott, wann werd ich sterben (Deus amado, quando irei morrer) de Johann Sebastian Bach representa uma das mais belas inspirações musicais e poéticas do compositor de Eisenach. O domínio do oboé, o acompanhamento discreto das cordas e a presença repetitiva da flauta, testemunham a genialidade e originalidade de Bach. O conjunto instrumental que pretende recriar o som de sinos fúnebres, intercala com passagens vocais em que ouvimos a letra de uma canção do século XVII da autoria de Caspar Neumann com a melodia expressiva de Daniel Vetter que dão origem a esta obra.
As duas árias da cantata contrastam, quer musicalmente, quer no seu texto: a primeira, composta para tenor, convida a uma meditação sobre a morte: o espírito não deverá assustar-se, ao aproximar-se a última hora, pois a terra terá de ser o repouso do corpo, para onde milhares seguirão. A segunda ária (para baixo) recorda o andamento final do sexto concerto bradenburguês. Seu movimento alegre reafirma a fé cristã na ressurreição.
Da cantata, estreada em Leipzig em Setembro de 1724, segue o coral inicial, interpretado pelo King’s College Choir - um pequeno contributo de reflexão por ocasião do feriado de hoje e do dia de amanhã (Fiéis Defuntos).

Coroai-me de rosas

Jardim da Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa


IX - Coroai-me de rosas

Coroai-me de rosas,
Coroai-me em verdade
De rosas —

Rosas que se apagam
Em fronte a apagar-se
Tão cedo!

Coroai-me de rosas
E de folhas breves.
E basta.

12-6-1914

Odes de Ricardo Reis, Fernando Pessoa, (Notas de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor.) Lisboa: Ática, 1946, p. 18.

Passado e Presente

Albrecht Dürer, The Landauer Altarpiece, All Saints Day, detail showing self portrait, 1511

Kunsthistorisches Museum, Vienna

Wassily Kandinsky, All Saints I, 1911



Städtische Galerie im Lenbachhaus, Munich