Prosimetron

Prosimetron

sábado, 6 de setembro de 2008

Guerreiros do Imperador


Em Paris encontra-se a Exposiçao Guerreiros da Eternidade. Sao algumas das famosas estatuas que o Primeiro Imperador da China mandou colocar junto do seu Tumulo. Uma das Exposiòoes que nos encantou... a mim e a M.
Desculpem a falta de caracteres Portugueses mas o telemovel nao permite.

Quem é este que anda nas ruas de Paris?

Quem é este que anda nas ruas de Paris?

Antoine de Saint-Exupéry : desenho


Antoine de Saint-Exupéry : Desenho; Paris : Musée des Lettres et des Manuscripts.
Um Museu pequeno mas com algumas preciosidades. Vale uma visita. Fica em Saint-Germain (rue de Nesle).

Paris : Exp. Simbolos do Poder




Paris : Exp. Simbolos do Poder: Magnifica

Tournesols au Palais Royal : Paris

Girassóis no Palais Royal : Paris (para o Luís e não só)

XI Festival Internacional de Orgão de Lisboa


Vai decorrer entre 12 de Setembro e 1 de Outubro, na Sé Patriarcal de Lisboa, Igreja Matriz de Oeiras, Igreja de Nossa Senhora do Cabo (Linda-a-Velha) e Basílica da Estrela. O programa, variado, integra música de Olivier Messien, comemorando o primeiro centenário do seu nascimento, além de Bach e seus antecessores, música vitoriana, concerto que abre o Festival, na Sé Patriarcal, e ainda música espanhola dos alvores da Idade Contemporânea e do Classicismo ao Romantismo e canto gregoriano.

Participam o Coral Lisboa Cantat, coro Solemnis, Coro do Instituto Gregoriano de Lisboa e Coro de Câmara de Lisboa. Serão intérpretes António Duarte, Maria Nacy, Miguel Bernal, Antoine Sibertin-Blanc, Paolo Crivellaro, António Esteireiro, Harald Vogel, Jesus Gonzalo López, Hans-Ola Ericsson e João Vaz.

O concerto de encerramento, na Basílica da Estrela, será dedicado ao compositor português Marcos Portugal.

Programa integral em www.jmp.pt

Impressões de Outono

Desnecessário dizer que Paris vale sempre uma viagem. Tal como acontece em visitas a outras metrópoles, “cumprimos” o circuito turístico obrigatório na primeira homenagem à Cidade Luz, para, em estadias posteriores, nos dedicarmos a programas de lazer puro: a componente cultural, com exposições temporárias e espectáculos convidativos, será prioritária; a componente “lifestyle” poderá ser acessória, no caso de Paris ou Londres talvez mais do que isso….
Existem, no entanto, pontos fixos que merecem visitas repetidas: atraem, ou por uma força inexplicável, ou por recordações de momentos aí vividos que guardamos no nosso íntimo e que nos levam a tempos longínquos, por vezes partilhados com alguém igualmente já muito longínquo…
No caso da capital do hexágono, refiro-me ao Jardim do Luxemburgo no 6º arrondissement. Numa ida a Paris, ofereço-me sempre um passeio neste espaço. Adulterando (um pouco...) as palavras de Henrique IV, diria que “le Jardin du Luxembourg vaut bien une visite”.
Em 1611, Maria de Médicis adquiriu o “Petit Luxembourg” à família de Pinay-Luxembourg após o assassinato do seu marido. Entre 1612 e 1622, foi construído o palácio da autoria de Salomon de Brosse. O estilo renascentista do edifício, nas suas linhas semelhante ao Palazzo Pitti, situava a soberana florentina num ambiente familiar bem italiano. Longe dos acontecimentos do Louvre, esta morada serviria de refúgio à viúva.
As edificações bem como o jardim sofreram múltiplas alterações ao longo dos séculos. O terreno que hoje conta cerca de 25 hectares foi pertença de diversas famílias nobres. A extensão e as confrontações actuais devem-se aos planos de Haussmann. O complexo dos edifícios inclui a sede do Senado francês e uma Orangerie.
Rousseau e Diderot e muitas outras individualidades da filosofia, literatura, música e pintura inspiraram-se no jardim.


O que torna o Jardin du Luxembourg tão especial? A meu ver, é exemplo perfeito de uma harmonia única. O jardim, composto de vários jardins, quer de concepção francesa, quer de fisionomia inglesa, convivem com os palácios e anexos de forma uníssona. Os elementos decorativos são simplesmente belos: os canteiros com flores, o relvado cuidado, as palmeiras, as fontes (entre elas a fonte de Médicis), ou as estátuas que imortalizam ilustres visitantes de outros tempos constituem uma unidade em que reinam a estética e a perfeição.

Esta harmonia transmite-se naturalmente no público deste espaço, com um efeito quase terapêutico, diria eu. Famílias, estudantes do Quartier Latin e muitos outros parisienses vivem este jardim: para ler, reflectir, namorar, praticar diversas modalidades de desporto, descansar ou observar apenas. É-me difícil explicar o “segredo” por detrás do fascínio deste Jardin. As crianças dão-nos uma das impressões mais encantadoras: os modelos de barcos que “invadem” a fonte principal requerem uma condução profissional que os pequenos parisienses, por vezes com alguma ajuda dos pais, dominam com sabedoria (claro, algumas colisões são inevitáveis…).
Tive o privilégio singular de ver o jardim em cores já muito próprias do Outono, a minha estação preferida. Contudo, este espaço será certamente agradável em qualquer momento do ano.



É confortante saber que, numa época de globalização omnipresente a que Paris naturalmente não escapa, existem pontos firmes de identidade francesa. É sempre um prazer voltar ao Jardin du Luxembourg. E é triste voltar a Lisboa e verificar a falta de tal refúgio na nossa capital.
Imagens: Jardin du Luxembourg de R.F. Ruiz, Vista Geral, Foto (barco) de B. Girin e Le Jardin du Luxembourg de Matisse (1903)

Um precedente perigoso ?


Li na VISÃO que : " A Itália vai pagar à Líbia 3,4 mil milhões de euros a título de compensação pelos 30 anos de domínio colonial do país, de 1911 a 1943. O «pacto de desculpas» foi assinado entre o líder líbio Muammar al-Khadafi e o primeiro ministro Sílvio Berlusconi e prevê o pagamento em tranches anuais, durante 25 anos. Outros países africanos saudaram a ideia, reclamando tratamento idêntico. "
Parece-me que já ouço choro e ranger de dentes nalgumas chancelarias europeias...

Música no CCB

É hoje, pelas 21h, o Concerto Inaugural da Temporada no Grande Auditório do Centro Cultural de Belém.
A Orquestra Sinfónica Académica Metropolitana, dirigida por Michael Zilm, e com Krystian Zimerman ao piano, tocará obras de Beethoven, Lutoslawski, Mahler e Leonard Bernstein.

PENSAMENTO DO DIA

Qu' on peigne un paysage ou une nature morte, on fait toujours son propre portrait.

- Jean Cocteau

Vasco Pulido Valente e a convenção republicana

" (...) O que não impediu os 20 mil congressistas de St.Paul de vaiarem o «estrangeiro», especialmente a «Europa» e a Rússia, e em geral o mundo que não os compreende. Uma das razões por que odeiam Obama é porque Obama é popular «lá fora».
Um nacionalismo desta espécie, xenófobo e fanático, leva naturalmente ao militarismo.
Entre alguma parlapatice sem consequência, a Convenção Repuiblicana não passou de uma cerimónia militar. A Convenção não parou de falar do soldado, do prisioneiro de guerra e do herói McCain. E homenageou um herói do Iraque, outros prisioneiros de guerra, antigos combatentes do Vietname e do Golfo e as tropas ( centenas de milhares de homens) que estão hoje no terreno.
Muita gente soluçava e chorava. McCain tem um filho no Iraque e outro a caminho, Palin tem um filho no Iraque. Os delegados berraram de gozo e gratidão. E várias criaturas com responsabilidades ( Giuliani, por exemplo, e a própria Palin) declararam a vitória iminente- a vitória, reparem bem- sem qualquer restrição ou dúvida. (...) "

Vasco Pulido Valente, A convenção republicana, PÚBLICO, 5 de Setembro de 2008

Rir faz bem


" Paulo Portas escondeu do público, durante um ano, a demissão de Luís Nobre Guedes da vice-presidência do CDS-PP. Ao que o IP apurou, o ex-dirigente terá sido escondido num dos submarinos comprados por Paulo Portas quando era ministro da Defesa, tendo ficado guardado na dispensa e apenas tendo autorização para sair e dar umas braçadas uma única vez, há algumas semanas, quando foi confundido, na Caparica, com um tubarão-frade. Mas Nobre Guedes não é o único segredo de Paulo Portas. Antes deste esconderijo, Nobre Guedes estava guardado por baixo da mesa do programa O Estado da Arte, entre as pernas de Paulo Portas e de Clara de Sousa. De referir ainda que, no submarino, juntamente com Nobre Guedes, foram ainda encontrados dois mil sobreiros protegidos, três ou quatro magnólias sobrevalorizadas e uma ave rara, Abel Pinheiro. "



- VE, Inimigo Público, no Público de ontem.

Para ajudar numa nova vida...

Recomendo este manual The Official Filthy Rich Handbook, escrito pelo Christopher Tennant, ao vencedor do recente jackpot do Euromilhões.
No momento em que escrevo, desconheço por completo o desfecho do sorteio, por isso ainda tenho uma secreta esperança de ser o feliz contemplado.
114 milhões de euros- dá sempre jeito uma quantia destas, não acham?

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

As minhas músicas - 1

Uma das melhores canções de uma das minhas bandas preferidas dos sixties, e é uma bela love song.

http://www.youtube.com/watch?v=BC_UILNwWrc

Reflexão laboral...



'Se um dia disserem que seu trabalho não é o de um profissional,

lembre-se: a Arca de Noé foi construída por amadores; profissionais

construíram o Titanic...'

Joaquim Castro Caldas ( 1956-2008 )

Morreu o Joaquim Castro Caldas no passado dia 31 de Agosto, aos 52 anos, no Porto, e só ontem dei por isso. O Joaquim foi poeta e crítico literário, com 11 livros publicados, e foi também o fundador de uma tertúlia poética do Porto, a do Pinguim Café, que dura há já 20 anos.
Conheci-o há meia dúzia de anos em casa de um outro poeta, Luís de Oliveira Nunes, num jantar memorável. Embora não fosse de trato muito fácil, o Joaquim era senhor de uma cultura poética admirável e, como me apercebi nesse jantar, um grande diseur. Foi um serão encantatório.
Que a terra lhe seja leve.

II Feira Maraluna

Nos dias 6 e 7 de Setembro, no Jardim Zoológico de Lisboa ( na zona de acesso livre, junto ao coreto ) , realiza-se a segunda edição da Feira Maraluna, onde poderá encontrar artesanato urbano e acessórios pessoais e decorativos com um design bem inspirado.

Ópera na Festa do Avante


Esta noite realiza-se a Grande Gala de Ópera da Festa do Avante, a partir das 21h30. Actuarão os cantores Ana Paula Russo, Giovanni Manfrin, Layssa Savchenko e Pedro Correia, acompanhados pela Orquestra Sinfónica do Ginásio Ópera e pelo Coro Lisboa Cantat.
Do programa fazem parte obras de Rossini, Verdi, Bizet, Mozart, Puccini, Leoncavallo e Gerschwin.
No local habitual- Quinta da Atalaia, Seixal.

Galos de Barcelos


A exposição de Galos de Barcelos patente na Galeria Arte da Terra ( R. Augusto Rosa, 40, Lisboa ) foi prolongada até dia 14 de Setembro .
Será que o meu amigo Pedro R. já passou por lá ?

A criminalidade inventada...

Quando ouço dizer que o presente surto de criminalidade violenta é uma criação dos media, como já ouvi a um governante descarado e a alguns intelectuais de esquerda, sou assaltado por um desejo sombrio : que os mesmos sejam também vítimas, como o foram nestes últimos meses centenas de portugueses.
Um caso bem recente acompanhei-o de perto: Pela meia noite de quarta-feira, dia 3 de Setembro, 5 automóveis estacionados nos parques do Aeroporto de Lisboa foram roubados por uma quadrilha. Um dos automóveis, comprado há escassos meses, é propriedade de um amigo meu (J.E.S.), que se havia deslocado ao aeroporto por razões profissionais.
Já de madrugada, o veículo do meu amigo foi encontrado com vários danos, e , naturalmente, já sem o GPS, uma câmara digital, dinheiro e documentos que se encontravam no seu interior.
Com um pormenor insólito- Quando a PSP encontrou a viatura, em cima do capô estava uma faca e ainda dois pacotes vazios de ice-tea deixados pelos assaltantes.
Ainda na esquadra, onde juntamente com os outros proprietários aguardou os desenvolvimentos da operação policial, o meu amigo foi advertido, após a recuperação do seu veículo, que se quisesse apresentar procedimento criminal teria de ficar sem a viatura durante pelo menos 48 horas para que se procedesse à recolha de impressões digitais. Justificou a PSP tal período temporal com a quantidade de situações semelhantes ocorridas nos últimos dias...
O meu amigo, que mora a umas centenas de kms de Lisboa, confrontado com tal prazo e uma vez que o seu veículo estava capaz de circular, optou por não apresentar procedimento criminal antevendo as consequentes deslocações a Lisboa e eventuais despesas.
Ficamos portanto a saber que não é seguro sequer estacionar no Aeroporto de Lisboa à noite, ainda que por pouco tempo.

Sobre a pax americana

Sobre a vertente militar do Império Americano, aqui fica um excelente artigo publicado na Common Dreams :



http://www.commondreams.org/view/2008/09/04-2

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

CENAS PORTUGUESAS : 7 - Ainda há românticos

Há poucos dias, a seguir ao almoço, fui tomar a habitual bica ao café habitual, perto de minha casa. Estando ao balcão, não pude deixar de ouvir o diálogo que decorria ao meu lado, entre a empregada do café e outra jovem, que trabalha numa loja contígua:
" - Hoje foi outra vez a mesma coisa, lá veio o homem das flores entregar-me um ramo. - disse a jovem da loja contígua ao café.
- Mas já falaste com ele sobre o assunto?- respondeu a outra.
- Claro que já perguntei, e ele disse que não podia dizer quem é que manda entregar o ramo todas as segundas-feiras.
- Mas disseste que não queres as flores ?
- Disse que não as queria e que ia passar a deitá-las para o lixo mal as recebesse.
- E ele ?
- Respondeu-me que isso não era problema dele, que a sua obrigação era entregar-me um ramo de rosas todas as semanas, até ao fim do ano, e que até já tinha recebido adiantado. "
Acabei a minha bica e saí, surpreendido com o inusitado gesto do admirador secreto, que até pagou adiantado.

Audeguy - 6

Vandalisme

L' usage des téléphones portables dans des lieux publics, associé à l'apparition récente de modèles dotés de puissant haut-parleurs, participe à la destruction de l'espace public. Ce n'est pas être technophobe que de le constater, car le tapage est une barbarie particuliérement virulente : on peut fermer les yeux, se boucher le nez, mais quoi qu' on en dise ont peut difficilement isoler convenablement ses oreilles. Je me souviens d'un passager de train lançant aux autres qui protestaient du vacarme produit depuis deux heures par son enfant d'une dizaine d' années : " Si vous n'êtes pas contents, vous n'avez qu' à mettre des walkmans ! " Des abrutis qui vous importunent, dans le métro, avec les basses et les stridences de leur lecteur MP3, ont est sur le point de se consoler en pensant qu' ils deviendront sourds; et puis l' on réalise que cela prépare une génération de sourds, qui beuglera sur le tard.

- Stéphane Audeguy, Petit éloge de la douceur, Gallimard, 2007.

Blaise Pascal - 1 : Introdução

" (...) Pascal, o génio precoce da Geometria e da Física, autor aos 17 anos de um Ensaio sobre as Cónicas, e aos 19 anos criador da primeira máquina de calcular; o investigador original e fecundo dos fenómenos hidrostáticos e da teoria do vácuo; o pensador- moralista, psicólogo, exegeta dos textos sagrados; o filósofo que trouxe novas e penetrantes luzes à teoria do conhecimento; o polemista ardente e por vezes cruel em matéria religiosa, que travou, com as suas Cartas a um Provincial e outros escritos do mesmo género, as mais ásperas batalhas nos terrenos da fé e da moral cristã; o quase místico, o quase santo, que viu uma obra sua no Index ; o homem de salão que aborreceu depressa o mundo e quis morrer como asceta; o cientista que da ciência humana procurou erguer-se até à sabedoria divina- é uma personalidade tão complexa e densa, de interesses ao mesmo tempo tão especializados e tão universais e, por outro lado, tem sido autor tão diversa e contraditoriamente interpretado ao longo dos séculos, que toda a tentativa de síntese definidora com intuito de divulgação repugna a quem se debruçou alguma coisa sobre este grande vulto da história da cultura ocidental. (...) "

- Esther de Lemos, Introdução aos Pensamentos Escolhidos de Pascal, Editorial Verbo, 1972.


Sobre Sarah Palin - 2

Ttês excelentes artigos sobre a actual polémica que rodeia Sarah Palin, candidata a Vice-Presidente dos E.U.A,
todos publicados no Washington Post.



By Ruth Marcus
Talking about abstinence turns out to be easier than abstaining.



The Cynicism Express

By Eugene Robinson
McCain's choice of running mate is alarmingly cynical or dangerously reckless.



Republicans Rush In

By Richard Cohen
The Alaska National Guard and other foolish arguments for Sarah Palin.

O nosso desporto favorito...

" Quando a má-língua for modalidade olímpica, não haverá quem nos roube o pódio inteiro. "

- Inês Pedrosa, Linguagem e cama, ÚNICA ( Expresso ) , 30 de Agosto de 2008.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

O génio de Oscar - 1: Sobre arte

... beauty is the only thing that time cannot harm.
Philosophies fall away like sand, and creeds follow one another
like the withered leaves of autumn, but what is beautiful
is a joy for all seasons and a possession for all eternity.

... the good we get from art is not what we learn from it,
it is what we become through it.

We spend our days, each one of us, in looking for the secret of life.
Well, the secret of life is in art.


- Oscar Wilde

Sobre a insegurança

" (...) Durante anos a fio, a coberto de uma jovem democracia nascida da ditadura, tudo o que era autoridade das forças de segurança foi gradualmente esvaziada e diluída, num inaceitável complexo do passado. Tantos foram os traumas de excesso de autoritarismo que as polícias não só andam pouco na rua como mostram receio de aplicar a sua força ou expressar a razão essencial para a qual foram criadas.
A sociedade mudou, a abertura de fronteiras e a modernidade trouxeram para Portugal um novo tipo de crime e uma nova lógica de criminalidade. O Estado readaptou-se, tornando as forças de segurança mais ágeis, integradas e com melhores recursos? Antes pelo contrário! Tornou a lei mais fácil de aplicar e os processos mais simples de concluir perante quem não respeita a vivência em sociedade? Nem por isso. Para terminar em beleza, os dois partidos mais representativos ofereceram ainda novas e extensas garantias a quem prevarica, em detrimento das vítimas e dos detentores da propriedade.
A última alteração do Código de Processo Penal foi a derradeira onda num dique que ameaçava aluir. A justiça não continuou apenas lenta, tornou-se mais ineficaz. A quase completa ausência de prisão preventiva libertou para as ruas centenas de delinquentes.(...) Alterar a Lei das Armas, em vez de assumir o erro inicial, é fraca solução de recurso, incapaz de resolver o problema de fundo. "

Pedro Pinto, Os assaltos que colhemos , in Metro, 2 de Setembro de 2008 .


Miróbriga reclassificada

As ruínas romanas de Miróbriga, que estão classificadas desde 1940 como imóvel de interesse público, vão ser reclassificadas como monumento nacional no âmbito de um processo de reavaliação de 40 monumentos situados no Alentejo, processo a cargo da Direcção Regional de Cultura do Alentejo.
Miróbriga será o terceiro monumento nacional existente no concelho de Santiago do Cacém, a par do Castelo Medieval e da bela Igreja Matriz.
Depois da reclassificação, seguir-se-á a recuperação do conjunto arqueológico que está parcialmente abandonado há alguns anos...

Louve-se o Bloco de Esquerda

Os jardins do Palácio de Queluz estão parcialmente encerrados ao público desde 2003 para obras de recuperação, e é visível o seu estado de degradação .
O Bloco de Esquerda questionou ontem o Ministro da Cultura sobre quais as razões que justificam estes cinco anos de encerramento.
Tenho curiosidade em saber quanto tempo demorará Sua Excelência a responder...

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Cabaret


O Teatro Maria Matos estreia no dia 10 de Setembro o musical “Cabaret”, com encenação de Diogo Infante, baseado na peça de John Van Druten e histórias de Christopher Isherwood, com música de John Kander, libreto de Joe Masteroff e letra de Fred Ebb. Do elenco faz parte Ana Lúcia Palminha, no papel de Sally Bowles.

Muitos se recordarão ainda da versão cinematográfica de Bob Fosse, de 1972, com Liza Minelli, que lhe valeu um Óscar, Michael York e Joel Grey (Óscar para melhor actor secundário), no papel do mestre de cerimónias e narrador da história da cantora do cabaret berlinense Kit Kat, Sally, e dos seus amores divididos entre um escritor bissexual e um nobre alemão, nos tempos perturbantes da ascensão do nazismo.
Dificilmente superável, esta versão portuguesa em que Ana Zanatti adaptou as letras e que Pedro German traduziu, é um desafio, mais um, de Diogo Infante, que espero seja superado com êxito.

Sobre Sarah Palin

Um interessante artigo sobre Sarah Palin, a candidata a Vice-Presidente escolhida por John McCain, e que é uma quase desconhecida entre nós.


http://www.alternet.org/election08/96989/?page=2

Sobre um assunto delicado...- 2

Aqui ficam, como prometido, mais alguns tipos elencados por Charles Fourier, desta vez da segunda parte do Tratado, que trata dos cornudos de ordem composta :

" Nº54. Cornudo filantropo ou fraternal : considera os homens uma família fraterna, entre cujos membros todo o bem deve ser comum. Indulgente, alimenta um bando de crianças que, usando embora o seu nome e apelido, pertencem aos seus vizinhos e concidadãos, crianças a quem a sociedade nomeia os diferentes pais: os seus nomes, aliás, estão escritos na cara das crianças. Isto não impede que tenha por todos o mesmo amor,verdadeiro modelo de filantropia, de fraternidade, de igualdade e de virtudes republicanas.

Nº58. Cornudo misantropo é o que, descobrindo a relação, toma o mundo de ponta, pretende que o século está gangrenado e que os costumes estão aniquilados. É o caso de Meinau de Kotzbue. É um semilouco digno de dó nas suas jeremíadas morais e que não se deveria ter casado, se lhe repugnava tanto partilhar a sorte de tanta gente honesta que não lhe fica atrás.

Nº72. Cornudo bem colado, infatigável é o que nenhuma afronta, nenhum ultraje repele. Qualquer escândalo que comprometa a sua mulher, regressa humildemente a solicitá-la. Vê-se que, encontrando a mulher fora de casa, arrebatada, vai à caserna reclamá-la em tom lastimoso a um militar que julga ser o raptor. Engana-se: o militar era apenas um dos galanteadores, não tomou a cargo a mulher arrebatada. Tal mulher ir-se-á embora vinte vezes, e vinte vezes o chifrudo a retomará vertendo lágrimas de alegria. "

- Charles Fourier, Dos cornudos : suas espécies e tipos, trad. de Helder Guégués, Cavalo de Ferro Editores, 2004.

Frases do Bardo - 5

" Esbanjei o tempo e agora o tempo esbanja-me a mim ." ( Ricardo II )


- in 101 Citações de William Shakespeare, org. de André Vasques, Garrido Editores, 2003.

Sobre as línguas

-A Torre de Babel (1563), Pieter Brueghel o Velho
Viena, Kunsthistorisches Museum

Li ontem numa revista que ainda são faladas actualmente 6912 línguas, mas metade delas desaparecerá antes do final deste século. Calcula-se que a cada dez dias uma língua deixa de ser falada.
Mas ontem também, li num jornal que o livro de Saint-Exupéry O Principezinho,que já está traduzido em mais de uma centena de idiomas, acaba de ser traduzido para o altaico, a língua falada na República de Altai, uma das repúblicas que integram a Federação Russa.
Ou seja, concorrentemente ao crescente desaparecimento de muitas línguas, assistimos no século passado e neste a uma explosão de traduções de obras e de feitura de dicionários como nunca antes na história da humanidade.
Mais um exemplo: a propósito da visita de Estado de Cavaco Silva à Polónia e à Eslováquia, foi anunciada a publicação do primeiro dicionário de português- eslovaco.
Evidentemente, não são as línguas europeias que estão em perigo de extinção, mas sim as de algumas tribos da Ásia, das Américas e de África...

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Rosas

Enviaram-me estas rosas para ilustrar o poema de Graça Moura e o transcrito no comentário que é da autoria de José Gomes Ferreira. Aqui fica.

A culpa é da falta de Samba

Desejo que resulte com todos.... dado que é um ritmo alucinante. Bom regresso à vida. Aqui fica um dos outros filmes que Walt Disney criou em homenagem ao Brasil. A culpa é do Samba .... é do Chorinho e já agora é de Aurora Miranda que executa... e do novo pássaro que é o Arapuã... E o filme já tem 60 aninhos.


versão inglesa:

Umberto Eco - 2

Perante este parágrafo lapidar de Eco, não resisto a transcrevê-lo :
" Des hommes d' une perspicacité aigue comme Metternich savaient fort bien que, même en envoyant Napoléon mourir à Sainte-Heléne, on n' éliminait pas le bonapartisme, et Metternich a été contraint de perfectionner Waterloo avec le Congrés de Vienne, qui, au demeurant, n'a pas été suffisant, comme l'a démontré l' histoire du XIX siècle. " (p.32)
Nem o Congresso de Viena conseguiu impedir que a Europa se dilacerasse em pequenas guerras durante grande parte do séc.XIX como recorda Eco, nem a actual Pax Americana irá durar muito mais como se viu já com o ressurgir de uma Rússia neo-imperial .

Citações - 1

" Peu importe la chimère, seule sa poursuite vaut. "

- Henry de Monfreid, La Croisière du Hachish

a rosa, timbres

e outro silêncio enquanto o som repousa:
desfez-se o rebordo numa espuma.
de que sombra dos sons se faz a rosa?
da matéria das sombras? de nenhuma?

de que fosco murmúrio, cristal, bruma?
de que espirais da noite vagorosa?
do coração desfeito? ou não costuma
a luz gravar-se em sombras numa lousa?

coração rouco, o coração. falhada,
a voz vinda do vento se desate
num ramo de penumbras, descontínuo

o mundo passe a ser feito de nada,
só de efémeras rosas a rebate,
como gritos de sangue no destino.


- Vasco Graça Moura, SONETOS FAMILIARES, 2ªed, Quetzal Editores, 1999.

Desenhos de Escritores

A partir de hoje e até 2 de Novembro está patente no Museu Colecção Berardo a exposição Desenhos de Escritores, que mostra desenhos de cerca de 150 autores.
Podem ser vistos desenhos de Victor Hugo e de Proust, caricaturas de Baudelaire, entre muitos outros.

Horário: Seg-Quinta e Sáb. e Dom- das 10h às 19h; Sexta- das 10h às 22h.

Saldos de DVDs clássicos na Amazon britânica


A Amazon.co.uk acabou de lançar a sua oferta de saldos em DVDs clássicos, a partir de £4.97. São mais de 1 500 títulos com descontos até 70% sobre o preço de lançamento, uma boa oportunidade sem problemas de códigos regionais.

domingo, 31 de agosto de 2008

Diana de Gales -- 11 anos depois


Passaram 11 anos desde a morte da Princesa Diana de Gales. Tenho a teoria de que toda a gente sabe onde estava quando soube da sua morte, algo comparável ao 11 de Setembro, à chegada à Lua ou ao assassinato de JFK.

Eu estava num vôo entre Pequim e Hong-Kong, num Boeing enorme e quase vazio, com a minha amiga Susanna. Ela estava a ler um jornal (em chinês), virou-se para mim e disse "Di died!", apontando para o jornal onde se via um carro acidentado e, naturalmente, caracteres em chinês. Perante a minha incompreensão da repetição fonética ("Di died! Di died!"), abrandou e traduziu que a Princesa tinha morrido num acidente de viação no tunel da Pont de l'Alma em Paris.

Frases do Bardo - 5

" O amor sensato é bom, mas o insensato é melhor. " (A Décima Segunda Noite )

- in 101 Citações de William Shakespeare, org. André Vasques, Garrido Editores, 2003.

Receita - Salada de Primavera

Hoje, depois de ir ver a exposição dos "Budas Perdidos" na Galeria de New South Wales, tive um excelente almoço: fiquei tão impressionado que pedi que me escrevessem a receita (e acabou por ser baptizada de "Salada de Primavera"). Como infelizmente não sei traduzir os ingredientes, vou transcrever na íntegra:

Ingredientes (bem, esta palavra ainda sei traduzir)

Salada:
- Rucola salad (100 gr)
- Radicchio salad (100 gr)
- Green beans (150 gr)
- Manchego cheese (50 gr) - sim, queijo Manchego, mesmo aí ao lado
- Can tuna in brine (with lime and black pepper) (50 gr)
- Can tuna in brine (with sweet chili) (50 gr)

Vinaigrette:
- Blood orange juice (1 orange)
- Olive oil (20 ml)
- Chardonnay white wine vinegar (2 tbsp - table spoons)
- Lemon juice (2 tbsp)
- Dijon mustard (1 tsp - tea spoon)
- Pitted black olives (2 tbsp)
- Tomato pesto (1 tsp)
- Salt
- Cracked black pepper

Extras:
- Olive sourdough bread
- Butter


Passos:
- Blanche cleaned green beans for 5 mins, drain and refresh under cold water
- Chop roughly washed salad + mix with beans, tuna and diced cheese
- Mix all vinaigrette ingredients + pour over salad
- Serve with toasted oliver sourdough bread + butter

Resta-me uma palavra:
Merci.

Monocle 16


A edição de Setembro da "Monocle" continua a apresentar as provocações intelectuais que caracterizaram os números anteriores, sob a premissa "What would happen if journalists didn't rely on PRs for stories?"


- Dia 9 de Julho, o Irão lançou mísseis capazes de atingir Israel; em resposta, Israel começou a preparar um ataque ao Irão;
- O Reino Unido, a Itália e a Bélgica ocupam o pódio das nações em declínio;
- A indústria dos ascensores é alvo de análise;
- As camisas bicolores Hackett são alvo de elogio;
- O cinema mexicano é alvo de visita;
- Jornalistas entram em segredo no Turquemenistão e reportam o que se passa nesta nação rica em gás natural na sequência da morte do Grande Líder;
- O novo filme de François Ozon, "Angel", parece bom;
- ... e outros destaques em Negócios, Cultura, Design e diversos.


Como sempre, o risco assenta na tentação de considerar tudo o que a "Monocle" reporta como passando a ser dogma...

Toys in the Attic - a memória de New Orleans revisitada

Acabei de ler sobre a chegada de Gustav que, no encalce de Katrina, se prevê venha a destruir um pouco mais a cidade de New Orleans, nos EUA.

Ontem vi desfilar os talentos superlativos de Geraldine Page, Wendy Hiller, Dean Martin, Yvette Mimieux e Gene Tierney. O filme era "Toys in the Attic", 1963, baseado na peça de Lillian Hellman (que com ela ganhou um Tony) e realizado por George Roy Hill. A trama é sufocada na essência da New Orleans que se sente em Tennessee Williams ou em Anne Rice, sobre um Julian Berniers -- sempre os apelidos franceses... -- (Martin), anteriormente um fracasso crónico, que regressa cheio de dinheiro à casa ancestral, com a sua noiva-criança (Mimieux), sendo recebido pelas irmãs solteironas (Page e Hiller). Os fantasmas começam a descer, opressivos, sobre as memórias esquecidas, as invejas e as inseguranças dos vários personagens, à medida que Page tenta manipular os eventos a seu bel prazer. Gene Tierney é a elegante mãe de Mimieux, mulher rica que olha com desprezo para o casamento da filha e está envolvida com o motorista, um negro.

Espero que New Orleans resista melhor ao Gustav do que ao Katrina -- senão só nos restarão as memórias...

A chegada da Primavera

Alfons Mucha, Printemps, 1896
Amanhã (dia 1 de Setembro) chega a Primavera à Austrália. Pois é, aqui não se segue o Equinócio muito à risca. Não faz mal. Imaginemos que se trata de uma divindade antropomórfica sempre em viagem, que chega um pouco antes do que se esperava... Será que há andorinhas?