Prosimetron

Prosimetron

sábado, 17 de abril de 2010

Da série Poeta


Desenho de Júlio (1902-1983)

Para APS, o outro Júlio de que me lembrei.

O TEATRO DA MEMÓRIA...João Bénard da Costa


Hoje ao passar na FNAC comprei as Crónicas: Imagens Proféticas e Outras de João Bénard da Costa que saiu em Fevereiro. Foi a partir delas que procurei a imagem. Deixo um trecho que me agradou logo que o abri ao acaso.

O TEATRO DA MEMÓRIA

Na memória, como no teatro, tudo se perde, tudo se cria e nada se transforma. lembrei-me disso, anteontem, quando abriu a nova bibloteca de Alexandria e quando me lembrei que Fílon (século I d.C.) terá criado para a antiga (tanto biblioteca como museu) a expressão «teatro da memória». Isso me trouxe de volta um livrinho intitulado L'Idea del Theatro, escrito em 1544 por um certo Giulio Camillo, chamado Delminio e cognominado pelos contemporâneos «o divino» (1480?-1544?). Livrinho que andou esquecido mais de quatro séculos, até ser desenterrado por um inglês, em 1970. (...) Todos sonhamos com dias claros em que possamos ver para sempre. Ver tudo o que foi, ver tudo o que será.


João Bénard da Costa, Crónicas: Imagens Proféticas e Outras, Lisboa: Assírio & Alvim, 2010, p. 83-84

Moleskine - novos (?) modelos


http://designyoutrust.com/wp-content/uploads7/moleskinejournals_4.jpg

Vi há dias, na Fnac, estes cadernos Moleskine que desconhecia. Um amigo, com quem ia, já os conhecia; para mim foram uma novidade.
Lembrei-me hoje deles - em especial do dos vinhos -, depois de ter passado pelo Arpose. Se calhar devia comprar um para anotar os vinhos a esquecer e a voltar a comprar. E como aquilo que percebo de vinhos é nada (apenas: gosto ou não gosto), um caderninho destes deve dar jeito.

Leda and the Swan, um quadro polémico - Leonardo da Vinci(?) !

Leda e o Cisne é um quadro que me atrai não só por causa da sua beleza mas também, por causa do enredo à volta dele. Há uns tempos coloquei um estudo da cabeça de Leda. Agora ficam aqui estes dois trabalhos. Qual é a verdade?
x
Leda and the Swan, copy by Cesare Sesto after a lost original by Leonardo, 1515-1520,

Oil on canvas, Wilton House, England.
x
Leonardo da Vinci, Leda, 1510-15
x

Oil on panel, 112 x 86 cm,Galleria Borghese, Rome


"In the inventories, the famous painting of Leda and the Swan was for three hundred years (until 1893) thought to be by Sodoma, or a copy by the latter. Its attribution is still doubtful, but from recent research into wills it is now thought to be an unfinished painting that was in Leonardo's house at the time of his death (1519) and inherited by his pupil Salai who reworked it. X-rays have revealed another composition beneath this one depicting Leda's four children (Castor, Pollux, Helen and Clytemnestra) emerging from the swan's eggs. Leda with her arms around the swan (Jupiter) in an elegant curving pose, her hair partially escaping from her plaits, set against the spacious river landscape, was most certainly conceived by Leonardo, but executed by different artists".

Giambattista Cima da Conegliano: Il poetta del paesaggio


Madona con il Bambino del Cima

Encontra-se no Palazzo Sarcinelli, em Conegliano, uma exposição sobre o pintor renascentista Giambattista Cima da Conegliano (1459?-1517?) até 2 de Junho.

Out of Africa

Homengem a Karen Blixen no dia em que nasceu em 1885 em Rugstdlung, na Dinamarca.



Banda sonora da autoria de John Barry

Gran Torino, canção de Clint Eastwood & Jamie Cullum e Kyle Eastwood!

Só hoje é que vi o Gran Torino, filme de Clint Eastwood. Não tenho muitas palavras para exprimir as sensações. No entanto, há uma ideia que ficou e é a seguinte:

Homens de culturas e meios diferentes podem comungar das mesmas ideias e conviver pacificamente.


sexta-feira, 16 de abril de 2010

Não é mas podia ser cá

video

Primavera em flor


Sintra, 9 Abr. 2010

Atlantis - novos modelos



Foi lançada esta semana. É em Cristal 30% e tem a medida de 24 cm. Para encomendar.

1964 : Dean Martin

A 16 de Abril de 1964 foi gravada por Dean Martin esta Everybody Loves Somebody Sometime.

Os meus sítios - 9


O GAPMINDER é um dos melhores sítios sobre estatísticas que conheço, com recursos visuais muito agradáveis e informação muito actualizada tendo-me já fornecido alguns dos números que tenho publicitado aqui no blogue.
Podem conhecê-lo aqui- http://www.gapminder.org/- e passa a partir de hoje a ter assento nas nossas LEITURAS.

A "vingança" da Islândia...


País falido, e ainda vítima de um verdadeiro ultimato por parte de países que nos "tempos das vacas gordas" depositaram milhões nos bancos islandeses que pagavam juros como ninguém, à Islândia só faltava realmente ter o ónus de provocar a maior crise da aviação desde o 11 Set.2001. Milhares de passageiros retidos em terra, incluindo o Presidente Cavaco Silva em Praga por pelo menos mais 48h, aeroportos encerrados, e milhares de vidas transtornadas não só em terras europeias.
Esta "pequena amostra" que vem da Islândia serve, porém, para demonstrar quão precária é a nossa civilização face à "infraestrutura planetária"- imagine-se se o que será se tivermos uma erupção semelhante à do Krakatoa cuja nuvem de cinzas deu a volta ao mundo e escureceu os céus durante semanas...

Citações - 81

(...) Tendo em conta a quantidade ( e a qualidade, não sejamos injustos ) dos escândalos, parece impossível que não tenha havido ainda um empresário disposto a explorar a afeição dos consumidores pelo coleccionismo que transformasse os escândalos do décimo sétimo e do décimo oitavo governos constitucionais numa caderneta de cromos.
A inexistência de um álbum que reúna todos os imbróglios aos quais o nome de José Sócrates aparece associado é uma das marcas da debilidade criativa da nossa iniciativa privada. A caderneta teria uma secção sobre o escândalo Freeport, com as fotos de Charles Smith, do primo que está na China e do tio que vive em Portugal; outra secção dedicada ao escândalo da Universidade Independente, com um daqueles cromos panorâmicos da fachada da universidade, uma fotografia do professor de Inglês Técnico e um cromo do diploma com data de domingo; ainda outra página sobre o escândalo PT/TVI, com cromos de Rui Pedro Soares, Armando Vara e, evidentemente, Luís Figo- que, numa demonstração de grandeza apreciável, faria o pleno das cadernetas de cromos.
E assim sucessivamente. Escândalos de Portugal- Uma Caderneta de Cromos. O Planeta Agostini que fale comigo, a ver se não enriquecemos todos.

- Ricardo Araújo Pereira, na Visão desta semana

IN MEMORIAM Werner Schroeter

Werner Schroeter, nome incontornável da vanguarda cinematográfica alemã, morreu na passada terça-feira. Filmou várias vezes em Portugal, país de que gostava muito, inclusive o seu último filme: Esta Noite, adaptação do livro do Juan Carlos Onetti.
Escolhi este excerto do Der Rosenkönig/ O Rei das Rosas, porque é um dos filmes dele de que mais gosto, rodado em Portugal e com uma banda-sonora fantástica. Foi o último filme da actriz-fétiche de Schroeter, a grande Magdalena Montezuma.

Liberalismo capilar...


Lido na imprensa de ontem: " Raul Castro vai privatizar os salões de beleza e cabelereiros estatizados desde 1968. Proprietários poderão alugar os espaços e pagar impostos, em vez de trabalharem por um salário. "


Conjugada esta medida com outra recentemente decidida, e ainda mais significativa, de entregar terras nacionalizadas mas abandonadas a agricultores em regime de plena propriedade, há que dizer que alguma coisa está a mudar na ilha onde nada mudava.



Salon international du livre ancien et de l'estampe


Quem gostaria de estar aqui hoje? Acho que, pelo menos, um prosimetronista e dois comentadores.

Começa hoje e dura até dia 18, no Grand Palais.

«Pendant trois jours, l'écrin chargé d'histoire du Grand Palais met en lumière le plus extraordinaire ensemble de livres rares, manuscrits originaux, cartes anciennes, photographies, estampes à l'occasion du Salon international du livre ancien et de l'estampe. Le Salon international du livre ancien et de l'estampe est l'une des plus grandes et des plus prestigieuses manifestations au monde dans son domaine. Il regroupe des trésors du patrimoine culturel mondial à travers deux événements organisés conjointement : le Salon international du livre ancien et le Salon international de l'estampe. Les points forts de cette 22e édition : des conférences, des expositions, des visites guidées, des concerts, le stand « Découverte du livre ancien », le prix de bibliographie… Un paradis pour les collectionneurs, un voyage dans le temps, un monde infini d'émotions. Un événement organisé par le Syndicat national de la Librairie ancienne et moderne (SLAM).» (http://www.grandpalais.fr/fr/Actualites/Toute_la_programmation/p-212-Toute_la_programmation.htm)

Edições anteriores:

Dia Mundial da Voz - 3

Camões, Alain Oulman e Ela em 1970- Voz suprema. Este é um dos meus preferidos do "Disco dos Poetas".

Dia Mundial da Voz - 2

Uma voz inesquecível.

Terminam hoje. Depois começa a provação da limpeza e arrumação.

Madeleine Lemaire (1845-1928)


Madeleine Lemaire - Um chá elegante no estúdio da artista,
ca 1865-1928

Não conhecia esta pintora que se encontra representada na exposição que abriu ontem em Paris. Procurei algo sobre ela e fiquei então a saber que Madeleine Lemaire, grande amiga de Marcel Proust, tinha um salão na sua casa da Rue Monceau, em Paris, onde reunia alguns dos seus amigos: Jean Béraud, Puvis de Chavannes (já nossos conhecidos aqui no blogue), Edouard Detaille, Léon Bonnat e Georges Clarin. Toda a Paris queria frequentá-lo. E não só: também a princesa de Gales, a imperatriz da Alemanha, o rei da Suécia e a rainha dos belgas se faziam convidados, quando se deslocavam à capital francesa.
Se quiser saber mais:

Boa noite!


Sei que esta canção já andou pelo blogue várias vezes. Eu própria já a postei uma, mas esta noite ouvi-a em castelhano, de modo que não resisti a colocá-la novamente pelos meus queridos Moody Blues. Ainda eu não me tinha recomposto, começa A Rainha da Noite em batida de rock. Um espectáculo digno de se ver foi a cara do meu companheiro do lado, o Jad.

Ave Maria. Mascagni

Plácido Domingo and Sissel

Um retrato de Agnolo Bronzino!

Agnolo Bronzino é um pintor florentino. Pintou temas sagrados e profanos. Foram os retratos que mais me atraíram por os achar belos. A beleza reside na encenação e na atmosfera que ele cria na personagem que retrata. Este que escolhi despertou-me especial interesse por causa da escultura que ele segura e da controvérsia que originou a atribuição do seu autor. Por trás de cada quadro há uma história ou podem exisitir várias histórias.
x
Agnolo Bronzino (1503-1572) "Portrait of a Man Holding a Statuette",
c. 1545- 1555.
x

Oil on wood transferred to canvas, 99 x 79 cm, Louvre, Paris

No site do Museu do Louvre encontrei a seguinte informação:

"Lorsqu'en 1671, Louis XIV l'acheta au banquier E. Jabach, le tableau était attribué à Sebastiano del Piombo et tenu pour un portrait du sculpteur Baccio Bandinelli. Si l'attribution à Bronzino, rétablie au XIXe siècle, ne fait pas de doute, l'identité du modèle, sculpteur ou amateur, demeure inconnue. Mais il ne peut s'agir de Bandinelli, dont l'autoportrait conservé à Florence (Offices) est très différent".

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Dia Mundial da Voz - 1


Laurence Olivier


Luís Miguel Cintra

Estas são duas das vozes de que mais gosto.
Não querem escolher também as "vossas" vozes?

P.S. - O Dia Mundial da Voz comemora-se amanhã, dia 16 de Abril (engano meu ao colocar hoje o post).

Poema, Nuno Júdice!

Stephens, Mirror Ball


Poema

De tarde, no campo, nenhum pássaro cantou;
e só neste fim do dia um vento traz o assobio
da primavera melancólica: despedidas,
imagens breves, nenhuma inspiração. O sopro nocturno,
porém anuncia um reflexo de espelho no fundo
do corredor. A voz surge de um dos quartos
em que a ausência se perde. Um baço
murmúrio se aproxima do gemido que evoca
o mar - sem que a onda se decida, quebrando
o som agonizante, Então abro a porta
e chamo-te; sabendo que só a noite me
responderá.

Nuno Júdice, As Regras da Perspectiva, Lisboa: Quetzal Editores, 1990, p.54

Femmes Peintres et salons au temps de Proust

De Madeleine Lemaire à Berthe Morisot


Madeleine Lemaire (1845-1928) - Mulher sentada numa cadeira Dagobert



Berthe Morisot (1841-1895) - No baile, 1875

Pois eu hoje não me importava de ir até até ao Musée Marmottan Monet, em Paris, onde abre esta exposição que pode ser vista até 6 de Junho. Ainda por cima, nunca visitei este museu.

Lincoln assassinado há 143 anos

«Quando faço bem, sinto-me bem; quando faço mal, sinto-me mal. Essa é a minha religião.»
Abraham Lincoln


xxX15 Abr. 1865

xxNew York, 29 Abr. 1865

Homenagem a Leonardo da Vinci!

Leonardo da Vinci nasceu a 15 de Abril de 1452, julga-se que foi em Anchiano no munícipio da Vinci, Itália. Presto a minha homenagem deixando o auto-retrato provável e a imagem do Tratado da Pintura por ele elaborado. Já coloquei vários desenhos de Leonardo mas hoje deixo só a sua face, o seu olhar, no desenho sobejamente conhecido.

Leonardo da Vinci, provável auto-retrato, c. 1512 a1515.
(Biblioteca Real de Turim)

Esta imagem do Tratado da Pintura de Leonardo da Vinci é de uma cópia fidedigna, segundo o original que se encontra no Codex Vaticanus, publicada em Roma, em 1792. Ela pertence à colecção da biblioteca do Museu de Arte de São Paulo, São Paulo, Brasil.

Directamente do Youtube.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Auto-retrato(s) - 51


Almada Negreiros - Grupo
Óleo sobre tela, 1925
Lisboa, CAM
Painel realizado para o café A Brasileira (Lisboa)
Almada é o primeiro à esquerda.

Não estava previsto para hoje, mas como é o Dia Mundial do Café, aqui fica dedicado aos prosimetronistas frequentadores d'A Brasileira. E àqueles que, não sendo prosimetronistas, já o foram - noutras guerras e noutros contextos.

Johann Jacobs Museum


William Nicholson - Velhos a beber café
Gravura, ca 1900

Há anos visitei este Museu, em Zurique. Podem espreitá-lo em:
http://www.johann-jacobs-museum.ch/index.php?id=124&L=3

República Espanhola - Requiem for a Dream

Dia Mundial do Café

Não sabia que havia um dia mundial dedicado ao Café, que tem vários devotos neste blogue. O Luís pediu-me que o assinalasse, dado hoje estar longe do computador.
Ontem foi apresentada, no Palácio da Ajuda, a Confraria do Café que reúne os empresários do sector.
Para além da bebida Café, gosto de tudo o que sabe a café: pudins, bolos, bebidas. Aqui ficam alguns exemplos:


http://culturageralsaibamais.files.wordpress.com/2009/05/cafe-filosofico.jpg


http://www.imotion.com.br/segredos/images/capuccino.jpg


http://farm4.static.flickr.com/3361/3571235558_f040ec6680.jpg


http://www.revistacafeicultura.com.br/bancofotos/materias/cafe_mate.jpg

Quotidianos - 32


George Dunlop Leslie (1835-1921) - This is the way we wash our clothes
Lady Lever Art Gallery, National Museums Liverpool

Tutti Frutti - Queen!

Titti Frutti uma canção de 1955 de Little Richard

Abril


Gravura de Robert Furber (1674-1756)

Há 79 anos...



Em 14 de Abril de 1931, depois de uma vitória estrondosa dos candidatos republicanos, abria-se, em Espanha, uma época de esperança. A II República foi acolhida com muito entusiasmado, dando início, no país vizinho, a uma época de liberdade e justiça. Infelizmente, foi um período efémero. Em Julho de 1936 teria início a Guerra Civil, a antecâmara da II Guerra.

Auto-retrato(s) - 50


Elizabeth Siddal - Auto-retrato, 1854

Já que está na ordem do dia, devido à apresentação do livro Adoecer, de Hélia Correia, uma biografia romanceada desta pré-rafaelita...

A year and a day


Dante Gabriel Rossetti - Retrato de Lizzie Siddal, 1865
Slow days have passed that make a year,
Slow hours that make a day,
Since I could take my first dear love
And kiss him the old way;
Yet the green leaves touch me on the cheek,
Dear Christ, this month of May.

I lie among the tall green grass
That bends above my head
And covers up my wasted face
And folds me in its bed
Tenderly and lovingly
Like grass above the dead.

Dim phantoms of an unknown ill
Float through my tired brain;
The unformed visions of my life
Pass by in ghostly train;
Some pause to touch me on the cheek,
Some scatter tears like rain.

A shadow falls along the grass
And lingers at my feet;
A new face lies between my hands –
Dear Christ, if I could weep
Tears to shut out the summer leaves
When this new face I greet.

Still it is but the memory
Of something I have seen
In the dreamy summer weather
When the green leaves come between:
The shadow of my dear love’s face –
So far and strange it seems.

The river ever running down
Between its grassy bed,
The voices of a thousand birds
That clang above my head,
Shall bring to me a sadder dream
When this sad dream is dead.

A silence falls upon my heart
And hushes all its pain.
I stretch my hands in the long grass
And fall to sleep again,
There to lie empty of all love
Like beaten corn of grain.

Elizabeth Siddal (1829-1862)

Le Desir!

Reflexos no espelho é como intitulo este quadro de Degas que me intrigou.
x
Edgar Degas (1834-1917) , Mrs Jeantaud in the Mirror, C. 1875
x
Oil on canvas, 70 x 84 cm, Musée d'Orsay, Paris

Le désir

Je sais la vanité de tout désir profane.
A peine gardons-nous de tes amours défunts,
Femme, ce que la fleur qui sur ton sein se fane
Y laisse d'âme et de parfums.

Ils n'ont, les plus beaux bras, que des chaînes d'argile,
Indolentes autour du col le plus aimé ;
Avant d'être rompu leur doux cercle fragile
Ne s'était pas même fermé.

Mélancolique nuit des chevelures sombres,
A quoi bon s'attarder dans ton enivrement,
Si, comme dans la mort, nul ne peut sous tes ombres
Se plonger éternellement ?

Narines qui gonflez vos ailes de colombe,
Avec les longs dédains d'une belle fierté,
Pour la dernière fois, à l'odeur de la tombe,
Vous aurez déjà palpité.

Lèvres, vivantes fleurs, nobles roses sanglantes,
Vous épanouissant lorsque nous vous baisons,
Quelques feux de cristal en quelques nuits brûlantes
Sèchent vos brèves floraisons.

Où tend le vain effort de deux bouches unies ?
Le plus long des baisers trompe notre dessein ;
Et comment appuyer nos langueurs infinies
Sur la fragilité d'un sein ?

Anatole France

Lady In Blue - Tori Amos

terça-feira, 13 de abril de 2010

Boa noite!


Lembram-se (ou ainda conheceram) destes Beijinhos?
Vendiam-se em pacotes nas feiras. Há anos que os procurava. Estes vieram do Zêzere. Boas recordações de épocas distantes.

Antes que o dia acabe

e passe o Dia Internacional do Beijo, aqui deixo alguns célebres beijos do cinema com a música de fundo de Marisa Monte em "Beija eu".

Números - 14

622 ( milhões de euros )

Este "grande número" é a soma do que foi levantado nos multibancos e dos pagamentos feitos nos terminais de estabelecimentos na quadra da Páscoa. Isoladamente não diz muito, mas quando se fica a saber que são mais 94 milhões do que em 2009, há algo de surpreendente, pelo menos para mim. Depois da histeria PEC, do susto grego etc etc, parece-me paradoxal que os níveis de consumo tenham subido desta maneira. E não são só os ricos que gostam de amêndoas e cabrito...

Bom dia!

Quando Cat Stevens ainda não era Yusuf Islam.



Av. Sacadura Cabral

Esta loja é um verdadeiro achado. Espero que continue por muitos anos, ali junto à Av. de Roma.

Rasgos da vida de Brel... em sua memória!

Jacques Brel a partir de uma imagem retirada da net.


"Ele, o blasfemo, o excomungado, foi amigo toda a vida de um padre a sério, que ele visitava a cada regresso.
Disseram-me que ele era feio, desajeitado de corpo e, no entanto, mulheres muito belas o quiseram, o perseguiram, o conquistaram.
Quando partiu para viver longe de todos, a trinta e cinco horas de viagem da Europa, a oito dias de viagem de Paris (contando as esperas). Brel escrevia num postal endereçado ao seu amigo de infância Frantz: «Até já».
(...)
E, um dia antes da minha partida, um amigo dele mostrou-me um filme com uma antiga entrevista de Brel. Três horas de entrevista, em que ele fala da sua vida, das pessoas e das coisas que ama. E, a um dado momento, em resposta a uma pergunta relativa à sua profissão, Brel diz muito depressa uma frase, e foi essa a única que me ficou na memória, talvez por causa da veemência com que ele a disse:«É preciso enganarmo-nos, é preciso ser imprudente, é preciso ser louco. De outro modo não passamos de dimínuidos.»"

Joanne Ester, in Jacques Brel, Antologia Poética, Lisboa: Assírio & Alvim, 1997, p. 34-35

Miguel Torga, um poema cantado!

Directamente do youtube.
João Francisco Nascimento (1957) - Requiem por mim (2009) poema de Miguel Torga Coro Ricercare (dir.Pedro Teixeira) Sinfonietta de Lisboa - Vasco Azevedo gravação o vivo na Igreja dos Ingleses, Lisboa, em 8.JUL.2009




REQUIEM POR MIM

Aproxima-se o fim.
E tenho pena de acabar assim.
Em vez de natureza consumada,
Ruína humana.
Inválido do corpo
E tolhido da alma.
Morto em todos os órgãos e sentidos.
Longo foi o caminho e desmedidos
Os sonhos que nele tive.
Mas ninguém vive
Contra as leis do destino.
E o destino não quis
Que eu me cumprisse como porfiei.
E caísse de pé, num desafio
Rio feliz a ir de encontro ao mar
Desaguar,
E, em largo oceano, eternizar
O seu esplendor torrencial de rio.

Miguel Torga, Diário XVI, Coimbra, 10 de Dezembro de 1993

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Saturno

Porque te sentaste à minha mesa
se não eras alegria nem beleza?

Alberto Soares
In: Equilíbrio. Lisboa: Caminho, 1988

Com bastante atraso, à laia de agradecimento.

ONDE NÃO GOSTARIA DE ESTAR




Recebi ontem este sms do meu amigo J.P.L. : " Acabei de chegar a Oakland, a bela cidade que é recordista mundial de balas disparadas por minuto na rua contra civis! Cheguei a ponderar comprar um colete à prova de bala... Vou assistir a um concerto da Alicia Keyes e não fico mais tempo do que o necessário."
Eu gosto muito da Califórnia, mas definitivamente Oakland não está nos meus planos...


Um quadro por dia - 55

Horace Vernet, O Prometeu Polaco, 1831, óleo sobre tela.

Espero que os leitores russos hoje não apareçam...

PENSAMENTO(S) - 119

Talvez haja apenas um pecado capital: a impaciência.Devido à impaciência, fomos expulsos do Paraíso; devido à impaciência, não poderemos voltar.

- Franz Kafka

Quero ver

Este filme franco-belga sobre uma das mais famosas freiras da segunda metade do séc.XX é do ano passado, mas não passou pelas nossas salas. Mas já há em dvd, embora ainda não o tenha encontrado nos sítios do costume. A vida de Jeanine Deckers ( 1933-1985 ), que de simples dominicana do Convento de Waterloo na Bélgica passou a estrela internacional com uma canção inesquecível - Dominique, nique,nique- que foi um sucesso mundial. Sucesso que transformou a Soeur Sourire, como era conhecida, em estrela de um dia para o outro mas que a longo prazo não lhe trouxe grande felicidade. Ela acabou por renunciar aos votos, tentou uma carreira musical sem sucesso e acabou falida, suicidando-se, juntamente com a sua companheira de 10 anos, em 1985 com uma overdose de barbitúricos.
O guião e a realização são do belga Stijn Conix, e Cécile de France tem o papel principal.

A Grande Muralha Verde

A ideia é excelente: construir uma enorme muralha verde, de 7000 kms de comprimento e 15 kms de largura, do Senegal ao Djibuti, para parar a desertificação, propiciar a agricultura e a fixação de populações que estão a fugir aos avanços do deserto.
O Senegal idealizou este plano, que conta com a adesão de 11 países e o apoio da União Africana, mas a verdade é que ainda só estão plantados 525 kms de árvores, todos no Senegal...

"Reflexos na pintura"- 5!

"Reflexos" na pintura pela mão de Charles Cottet, pintor francês que nasceu em Le Puy-en-Velay, em 1865, e morreu em Paris, em 1925.

Retrato de Cottet(1896) pintado por Émile-René Ménard ( Museu D'Orsay)
x

Charles Cottet, Evening Light at the Port of Camaret,1892

Oil on canvas, 74 x 110 cm, Musée D'Orsay, Paris

"Rayons du soir", 1892

Oil on Canvas, 54.6 x 81.3 cm, Gallery Hermain