Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sexta-feira, 30 de outubro de 2015

Boa noite!

Angel Deradoorian para mim foi ma descoberta recente. Parece que ela já tinha 'andado' pelos U2 e outros grupos.

Frases


Não foi fácil para mim . Tive de começar em Brooklyn, o meu pai deu-me um pequeno empréstimo de um milhão de dólares .

- O inefável Donald Trump ...

Citações



A fase de linchamento público de José Sócrates, de que ele se dizia vítima e os seus advogados e amigos corroboravam, acabou no sábado, depois da conferência em Vila Velha de Ródão. Naquele dia, começou a fase de lavagem pública da imagem do antigo primeiro-ministro.
Apenas registo a mudança e faço-o sem qualquer intuito recriminatório. Sócrates tem todo o direito de se defender na praça pública, depois de tanto se ter insurgido por ter sido condenado em tribunais populares. ( Escusava, porém, de tentar associar os sistemas judiciais angolano e português, ele que é largamente responsável pelo que se passa em Portugal em matéria de justiça. )
A reflexão que esta nova situação suscita tem a ver com o insuportável segredo em que as nossas autoridades se escondem e na hipocrisia dos muitos envolvidos em processos mediáticos, que se apressam a condenar as revelações quando as não controlam. Afinal, como Sócrates mostrou, para eles o mal não está em falar dos processos, está em que sejam outros a falar . (...)

- João Garcia , na Visão desta semana .

Aquisições recentes


Comprados ontem estes dois ensaios históricos , o primeiro sobre o que era ser " Rei de França " ( toda a simbólica, cerimonial, etc ) e o segundo sobre a idade média africana, algo pouco estudado mas mais interessante do que se pensa .
O melhor é não entrar mesmo em livrarias ... :)

Humor pela manhã


O jornalismo que temos, a falta de revisores, e se calhar apenas a ignorância à solta ...

Bom dia !





Uma interessante voz libanesa .

Pacotes de açúcar - 113

Agora que a Liga Mundial de Surf está a acontecer em Peniche, com bons resultados para dois portugueses.

Lisboa é branca ou melancólica? - pergunta Pierre Pratt‏


Leituras no Metro - 229

Lisboa: Quetzal, 2014

«Uma noite jantava Salazar em casa do general Carmona, então Presidente da República, e à mesa reinava um silêncio profundo. Um dos netos do general, ainda criança, voltando-se para Salazar quis saber:
- Senhor presidente, o que é o Governo?
Não tendo recebido resposta, na sua inocência fez mais uma pergunta: - E o que é a ditadura?
Salazar retorquiu irritado: - O menino faça como o seu avozinho, coma e cale-se.» (p. 64)

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Boa noite!

A arte do retrato


Vanessa Bell , Retrato de Virginia Woolf , 1912 , óleo sobre tela, Monk's House .

Um dos três retratos da escritora pintados em 1912 pela sua irmã .

Cinenovidades





Comepetiu em Cannes este novo filme do italiano Nanni Moretti, a sua obra mais autobiográfica . Será que chega às nossas salas ?

Auto-retrato(s) - 224


Um auto-retrato de Courbet datado do período suiço : Courbet au chien noir , 1842, Fondation Beyeler, Suiça .

Números


100

O número de instituições portuguesas que se ofereceram até à data para acolher refugiados, designadamente sírios . Os primeiros devem começar a chegar em Novembro .

Um quadro por dia


O quadro do dia só podia ser esta Adoração dos Magos pintada por Domingos Sequeira em 1828 , e que é objecto da primeira campanha pública de crowdfunding artístico em Portugal . Bastam 6 cêntimos para participar e ajudar a pô-la onde pertence : o Museu Nacional de Arte Antiga .

Pode ser aqui : sequeira.publico.pt

Humor pela manhã


Leituras no Metro - 228

Lisboa: Bertrand, 2011
€13,95

Estive a reler esta biografia romanceada da vida de José Fontana, que nasceu há 175 anos, em Cabbio, no Ticino (Suíça). Reli-a agora na tradução portuguesa. E gostei. Talvez até mais do que quando li na edição italiana porque não sei italiano e vi-me e desejei-me para ler o livro. 

Toda a gente tem os seus ídolos e Fontana é um dos meus.

«Todo o pé quer asa.» (Eça de Queirós, cit. p. 13)
Visto de este modo, podemos dizer que os pés de todos os homens da Geração de 70 quiseram e tiveram asas. :)

Bellinzona: Casagrande, 2008

Bom dia !





Um novaiorquino que até já actuou em Portugal várias vezes, mas que só descobri recentemente .

Marcadores de livros - 280


terça-feira, 27 de outubro de 2015

Vamos pôr o Sequeira no lugar certo: o MNAA

Pormenor de A Adoração dos Magos, de Domingos Sequeira

Surgiu ao Museu Nacional de Arte Antiga a oportunidade imperdível de integrar no seu acervo – ao lado do cartão final e dos desenhos preparatórios, que já fazem parte da sua coleção – a pintura A Adoração dos Magos, uma peça fundamental do património nacional. Mas, para adquirir esta obra, o MNAA precisa de contar com o empenho e a participação de todos. O Museu convida, por isso, os portugueses a patrocinar A Adoração dos Magos e a pôr o quadro de Domingos Sequeira no lugar certo.
Parabéns ao MNAA por esta iniciativa, utilizada noutros países. Ultimamente referi diligências semelhantes por arte da BnF e do Museu d'Orsay.

A Adoração dos Magos
Óleo sobre tela, 1828

Eu já comprei os meus pixeis. Compre os seus em: http://patrocinar.publico.pt/

Boa noite!

A Cinemateca Portuguesa projeta hoje este filme de John Ford, que esteve desaparecido até 2009.

Leituras no Metro - 227

Lisboa: Objectiva, 2012

Fragmentos: poemas, cartas e notas íntimas reúne textos, escritos entre 1943 e 1962, que estavam na posse da viúva de Lee Strasberg. 
Tabucchi escreve no prefácio que «dentro deste corpo […] vivia a alma de uma intelectual e de uma poetisa de que ninguém suspeitava.»

«Vejo-me agora ao espelho, a minha sobrancelha franzida –se me aproximar muito vou ver aquilo que não quero ver – a tensão, a tristeza, a deceção, os meus olhos sem brilho, as faces avermelhadas por pequenos vasos que parecem rios num mapa – os cabelos que caem como serpentes. É a boca que mais me entristece, a seguir aos meus olhos quase mortos. Existe uma linha escura entre os lábios como os contornos de numerosas ondas levantadas por uma violenta tempestade – que diz não me beijem não me ridicularizem, eu sou uma bailarina que não sabe dançar.» (p. 153)
Estes textos acrescentam algo à controversa personalidade de Marilyn Monroe.

domingo, 25 de outubro de 2015

Boa noite!

Tarde no cinema


Jean- Jacques Annaud realizou mais um belíssimo filme, na senda de O Nome da Rosa, O Urso ou Sete Anos no Tibete: em português A Hora do Lobo, em francês e muito bem Le dernier Loup ( há em Portugal o mau hábito de dar nomes diferentes dos originais, creio que para serem originais). Baseado no livro Wolf Totem, do dissidente chinês que chegou a estar preso pela sua luta pela democracia, Liu Jiamin que o publicou com o pseudónimo Jian Rong e cuja identidade só muitos anos mais tarde foi revelada, conta  história (uma quase autobiografia do autor do livro) de um estudante chinês de Pequim enviado em 1967 para a Mongólia Interior, para ensinar mandarim a uma pequena comunidade de pastores nómadas, numa daquelas loucas políticas da Revolução Cultural e do Grande Salto em Frente de Mao Tsé Tung dos anos 50 e 60, que levou também ao extermínio de várias pragas que alteraram o natural sistema ecológico da produção de arroz e conduziu, entre outras causas, à Grande Fome que assolou a China e provocou mais de 30 milhões de mortes.
A zona onde o jovem foi colocado era infestada pelos lobos que dizimavam os rebanhos e que uma directiva do poder determinou que fossem dizimados.
O estudante Chen Zhen decide criar uma cria de lobo e é esta relação que domina o filme que o realizador expurgou de referências políticas, que no entanto estão subjacentes.
A beleza desolada e por vezes agreste das grandes estepes mongólicas, a música de James Horner e o excelente trabalho dos actores chineses, faz deste filme sino-francês um tempo de prazer a não perder, 

Na montra

Il de Arthur Getz.

Também já vamos vendo por aí algumas abóboras, convidando à celebração de algo que não tem nada a ver com a nossa cultura.