Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 31 de janeiro de 2015

Boa noite!

Um livro para o dia de hoje

Em 1901 foi publicada uma obra em dois volumes (encadernados num só) sobre a revolta do 31 de Janeiro, escrito por dois dos seus participantes: João Chagas (que nesse dia de 1891 se encontrava preso) e o tenente Coelho. Depois da revolta, foram ambos deportados para Angola.
Em 1978, saiu a 2.ª ed., na Assírio & Alvim.



Citações


(...) Um mês decisivo. A maior ameaça para a Europa não reside em Atenas, mas sim numa eventual reacção desproporcionada do governo de Berlim. Cabe à chanceler Merkel a escolha entre esmagar Atenas ou dialogar com Alexis Tsipras sobre a dívida e a austeridade, também no quadro de uma futura grande conferência europeia. Se escolher a força, poderá não só lançar a Grécia no caos, como desencadear uma reação em cadeia de proporções destrutivas incalculáveis sobre a Zona Euro e a União Europeia.
O destino bate à porta. Importa não lhe dar a resposta errada.

- Viriato Soromenho Marques, E agora, frau Merkel ?, na Visão desta semana.

Humor pela manhã


Paris: rue de l'Université

Paris, rue de l'Université

Para a Isabel.

Bom dia !

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Uma pintora surrealista

Aprecio sobremaneira o movimento surrealista mas conheço mal o movimento no feminino. 
Gostei muito de Remedios Varo. Escolhi uma tela em que a Água - origem da vida - predomina. Mormente seja alegria, ela também é tristeza como estes dias de chuva.

Remedios Varo, Exploring River of The Source Orinonoco, 1959

Exploring River of The Source Orinonoco - Remedios Varo


María de los Remedios Alicia Rodriga Varo y Uranga era uma pintora catalã, nasceu em Àngles. Durante a guerra civil espanhola mudou-se para Paris onde contactou com os surrealistas. Com a ocupação Nazi da capital francesa foi obrigada a exilar-se tendo ido para a Cidade do México onde faleceu.

Boa noite!

Elegâncias - 118

Uns sapatinhos Valentino (Paris, Av. Montaigne): 
custam apenas €3900,00.

quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

ao rigor em que se vai


os percursos, as estações, um livro de João Rui de Sousa, numa edição muito bonita com desenhos de Justino Alves.
Obrigada, MR



ao rigor em que se vai 

A rosa murcha
ao contacto da régua.

O poente perde-se
visto por um espelho.

Só as mãos e os olhos
são medida exacta

para os encontrar
- filtro verdadeiro!

João Rui de Sousa, os percursos, as estações. Lisboa: Edição ara-galeria de arte/publicações Dom Quixote, p. 27.

Os meus franceses - 381

Este manuscrito de Gainsbourg estava na exposição Sade, marquis de l'ombre, prince des lumières, organizada no Institut des Lettres et des Manuscrits (Paris). Hei-de voltar a esta expo.

Guillaume Musso


Não conheço Guillaume Musso. Nunca o li, mas ele foi eleito, pelo terceiro ano consecutivo, o escritor francês mais lido. Tem 40 anos e já vendeu mais de dezoito milhões de exemplares.
Este Central Park, saído em 2014, é o seu último romance.


A arte do retrato


É de Giambattista Tiepolo ( 1696-1770 ) esta Figura de homem com manto de pele, executada no início da década de 1750 enquanto o pintor residia em Wurzburg, na Baviera, convidado pelo príncipe-bispo Carl Philipp de Greiffenclau a decorar a sua residência. Foi a primeira estada de Tiepolo fora de Itália, levando consigo os seus dois filhos que o ajudaram nos frescos das paredes e dos tectos do palácio episcopal. Três anos depois, dá-se o regresso a Veneza, tornando-se Tiepolo o presidente da Academia de Veneza e cada vez mais célebre com cada vez mais encomendas que fariam dele um dos grandes pintores do séc.XVIII.
Foi vendido este belo retrato no passado dia 17 de Dezembro em Paris, pela bela soma de 3,7 milhões de euros.

Para o J.P. , com atraso mas com a indefectível amizade de sempre .

Humor pela manhã


Uma visão diferente dos contos de fadas :)

Bom dia !





A actual rainha do music-hall francês.

Nas montras de Paris - 12

Na Galerie Dumonteil, rue de l'Université, Paris.

Je te Veux

Je te veux na voz de Yoshikazu Mera

Boa noite!

terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Boa noite!

Parabéns, JP


Uma imagem de Praga para o nosso aniversariante. Muitos parabéns!

Uma carta de jogar para o JP

Carta de jogar: o navio
Itália, 2.ª metade do século XIV
Paris, musée de Cluny


E uma canção de Mahler, com votos de um dia feliz.

Parabéns, JP

Um abraço de parabéns para o João Portugal e que por muitos anos o sol que hoje nos aquece seja o sol da sua vida.

Bom dia !



Mais uma estrela no Céu.

In Memoriam

Dia Internacional da Memória do Holocausto
Centro de Coordenação Cultural de Viseu, exposição:
Coragem em tempo de Medo: Aristides de Sousa Mendes


Parabéns, JP

Desejo-lhe um dia muito feliz!

Jeronimus Becx, The Arms of the Dutch East India Company and the Town of Batavia, 1651
Rijksmuseum, Amesterdão.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Os meus franceses - 380

Mais " Leituras "

www.flickr.com/photos/britishlibrary

www.numerique.culture.fr/pub-fr/index.html


Temos há anos, na margem direita do blogue, uma secção denominada Leituras, onde elencámos alguns espaços virtuais muito recomendáveis. A partir de hoje, estarão lá mais os dois indicados supra. O primeiro é da British Library, que disponibilizou na rede social Flickr um milhão de imagens em acesso livre e para serem utilizadas sem qualquer restrição jurídica. O segundo é do catálogo oficial das colecções do Ministério da Cultura de França. Acreditem que o tempo passa muito depressa quando iniciamos a exploração destas maravilhas.

Poemas

La main tenant la rampe
et le soleil d'hiver dorant les murs

le soleil froid dorant les chambres fermées

la gratitude envers l'herbe des tombes
envers les rares gestes de bonté

et toutes les roses éparses des nuages
les braises laineuses des nuages
éparpillées avant que la nuit ne tombe

- Philippe Jaccottet ( 1925 - ), in Ce peu de bruits, 2008 .


O terceiro poeta a entrar ainda vivo na Bibliothèque de La Pléiade, depois de Saint-John Perse e René Char.

Um quadro por dia



Foi em 1868, provavelmente no Havre onde passava férias durante a juventude, que Claude Monet ( 1840-1926 ) pintou este pequeno estudo do céu a pastel que foi vendido no passado dia 19 de Dezembro na leiloeira Beaussant Lefèvre .

Aqui fica, a pensar na Ana e com ligeiro atraso :)

Humor pela manhã

Um marido romântico é outra coisa ... :)

Auto-retrato(s) - 215

Louis Anquetin - Autoportrait à la pipe, 1892

Nas montras de Paris - 11

Uma edição de bolso de um livro publicado em 1990. Desconheço o autor e, obviamente, o livro.


Bom dia !





72 anos, 34 álbuns , e o mais recente é de duetos com outros grandes nomes : Stevie Wonder, Billy Joel, Lionel Richie, Michael Buble etc. Chama-se Partners , e escolhi este vídeo de apresentação em que o convidado é o próprio filho de Barbra Streisand, Jason Gould .

domingo, 25 de janeiro de 2015

Boa noite!

Almoço de domingo


Vai um prato de foie gras Valette?

Nas montras de Paris - 10

Paris: Flammarion, 2015

«Quand Ravel leva la tête, il aperçut, à distance, debout dans l’entrée et sur les marches de l’escalier, une assistance muette. Elle ne bougeait ni n'applaudissait, dans l’espoir peut-être que le concert impromptu se prolongeât. Ils étaient ainsi quelques médecins, infirmiers et convalescents, que la musique, traversant portes et cloisons, avait un à un silencieusement rassemblés. Le pianiste joua encore la Mazurka en ré majeur, puis une pièce délicate et lente que personne n’identifia. Son doigt pressant la touche de la note ultime la fit longtemps résonner.»
Em março de 1916, pouco depois de ter terminado o seu Trio em la maior, Maurice Ravel vai para Bar-le-Duc, e depois para Verdun. Tem 40 anos, alista-se voluntariamente, e, como condutor de ambulâncias, ele é encarregado de transportar para os hospitais de campanha homens feridos pela ofensiva alemã. Michel Bernard 'apanha-o' nesta mudança de vida, acompanha-o no difícil regresso à vida civil e mostra como, até ao seu último suspiro, «o enorme concerto da frente» não parou de ressoar na alma de Ravel.
 


Nos quiosques de Paris - 2

Gosto muito de Jacques Attali e gostava e ler esta entrevista, mas não comprei a revista. Aliás,só comprei a Marianne porque ultimamente a tenho adquirido também em Portugal.

Um vaso com flores

Com o meu agradecimento. :))

Joaquim Lopes (1886-1956), 
Casa-museu Almeida Moreira, Viseu