Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 22 de outubro de 2016

Os meus franceses - 498

George Brassens faria hoje 95 anos.

A árvore de Georges Moustaki na margem do Sena, no quai de Béthune.  


Marcadores de livros - 494

Cinco marcadores que formam um puzzle; o reverso de todos eles está em baixo:
Uma maravilha! E só percebi que formavam puzzle quando os coloquei no scanner para digitalizar. :(

Grazas, Luisa!

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Os meus franceses - 497


Manhã

Raphaël Collin faleceu há 100 anos.



Marcadores de livros - 493

Marcadores (verso e reverso) de KRK ediciones, de Oviedo:
Em cima: cada um dos três marcadores colocados em cima tem dois reversos diferentes.
Em baixo: verso de reverso de quinze marcadores.



Gracias, Luisa!

Amanhã no Príncipe Real



1.ª Exposição de Cartazes do Cinema Português

A Academia Portuguesa de Cinema apresenta a 1.ª Exposição de Cartazes do Cinema Português até 30 de novembro. 
A mostra, que abrange o período entre 1933 e 2000, está dividida por três espaços: na Sociedade Nacional de Belas Artes encontra-se a maior parte dos cartazes escolhidos para figurarem nesta exposição; na Cinemateca, cartazes do tempo do cinema mudo e referentes à obra de Manoel de Oliveira;  e no Hotel Tivoli Lisboa está o núcleo dedicado aos filmes de José Fonseca e Costa.
A exposição abre hoje e pode ser visitada até dia 30 de novembro.

quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Os meus franceses - 496


No Museu do Aljube


Marcadores de livros - 492


Rimbaud

«En ce moment j'ai une chambre jolie, sur un cour sans fond, mais de trois mètres carrés. - La rue Victor Cousin fait coin sur la place de la Sorbonne par le café du Bas-Rhin, et donne sur la rue Soufflot, à l'autre extrémité» - escreve Rimbaud numa carta ao seu amigo Ernest Delahaye, numa carta datada de «Parmerde, Junphe 72».
Paris, set. 2016

Éternité

Elle est retrouvée.
Quoi ? L'éternité.
C'est la mer allée
Avec le soleil.

Âme sentinelle,
Murmurons l'aveu
De la nuit si nulle
Et du jour en feu.

Des humains suffrages,
Des communs élans,
Donc tu te dégages :
Tu voles selon...

Jamais l'espérance,
Pas d'orietur,
Science avec patience...
Le supplice est sûr.

De votre ardeur seule
Braises de satin,
Le Devoir s'exhale
Sans qu'on dise : enfin.

Elle est retrouvée.
Quoi ? L'éternité.
C'est la mer allée
Avec le soleil.

Rimbaud

Soares e Havel


quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Boa noite!


«Certa tarde estava a despejar Coca-Cola de um jarro de leite para um copo, quando ouvi uma voz vindo suavemente do altifalante de rádio. Ricky Nelson estava a cantar a sua nova canção Travelin' Man. Ricky tinha uma doçura na tonalidade da sua voz e na maneira como entoava em ritmo acelerado. Ele era diferente do resto dos ídolos dos adolescentes, tinha um excelente guitarrista que tocava numa mistura entre o herói de música country e o rabequista de bailarico. Nelson nunca foi tão inovador como os primeiros cantores que cantavam como se estivessem num navio em chamas. Não cantava de forma desesperada, nem fazia grande estrago, e nunca seria confundido com um xamã. Dava a impressão de que a sua resistência não era levada ao limite, mas isso também não era relevante. Cantava as suas canções calma e serenamente, como se estivesse no meio de uma tempestade, entre homens aos berros. A sua voz era algo misteriosa e fazia-nos cair num certo estado de espírito.
«Tinha sido um grande fã do Ricky e ainda gostava dele, mas aquele tipo de música estava a desaparecer. Nada ali podia significar o que quer que fosse. Não tinha futuro. Era tudo um engano. Mas o fantasma do Billy Lyons a ganhar raízes, a pairar no East Cairo, a Black Betty bam ba bam, não era engano nenhum. Definitivamente, não era um engano. Era o que estava a dar. Fazia-nos questionar o que dávamos por adquirido, podia encher-nos de desgosto mas tinha alma. O Ricky estava como sempre a cantar letras lavadinhas.[…] Ainda assim sempre me senti próximo dele. Éramos praticamente da mesma idade, era natural que gostássemos das mesmas coisas, éramos da mesma geração apesar da nossa experiência de vida ter sido muito diferente […].»
Bob Dylan - Crónicas. Lisboa: Ulisseia, 2005, vol. 1, p. 17-18.

Não encontrei esta canção interpretada por Billy Lyons; aqui fica por Leadbelly.

Biografias e afins


Sempre tive um grande fascínio por esta cidade-estado da Antiguidade, a maior rival que Roma teve , e de que restam hoje apenas algumas pedras e a memória . O historiador Khaled Melliti faz a biografia desta potência mediterrânica, a sua ascensão, glória e queda.

Carthage : Histoire d'une métropole méditerranéenne, Khaled Melliti, Perrin, 549p, €25 .

Humor pela manhã


Ora aqui está outro reclame muito original ...

Bom dia !

Marcadores de livros - 491

Frente e reverso de quatro marcadores dos Arquivos de Rennes.

A Natividade com São Francisco e São Lourenço, de Caravaggio



«Uma rapariga, um comissário de polícia, a Máfia e Caravaggio.
«Descrito pelo duque de Nottetempo, seu contemporâneo, como "um brigão, um arruaceiro", o pintor Caravaggio passou uma curta temporada na Sicília em 1609, aguardando o indulto papal para um crime de sangue que cometera em Roma. Nesse período, pintou uma tela que ficaria conhecida por A Adoração e que esteve no Oratório de S. Lourenço, em Palermo, até ser roubada em 1969, ano em que nasceria Antonia Rei. É essa mesma Antonia que, em 1992, testemunha um homicídio perpetrado pela máfia numa praça da cidade, onde é interrogada pelo comissário Salvatore Amato, que acaba por contactar alguns dias mais tarde. Mas não é curiosamente sobre o assassínio que lhe quer falar, antes sobre o roubo do famoso quadro. Oscilando entre épocas afastadas no tempo, entre a história fascinante da pintura d’A Adoração e a da investigação de Salvatore Amato num dos mais violentos períodos da acção da máfia, este romance recorre aos jogos de espelhos que Caravaggio usava nas suas pinturas para atrair ao mesmo vórtice de luz e trevas as vidas de um leque de personagens cativantes, mortas ou vivas, mas todas misteriosamente condenadas ao desencontro.» (Da nota à imprensa da editora)

Pormenor do quadro de Caravaggio.

La France d’Avedon: Vieux Monde, New Look

Audrey Hepburn

Os laços do fotógrafo americano Richard Avedon com a França são tema para uma exposição na Bibliothèque nationale de France que apresenta mais de 200 obras. Conhecido no mundo inteiro tanto como fotógrafo de moda como pelos seus retratos de celebridades, Avedon teve com a França uma relação intensa. 
A exposição, que pode ser visitada até 26 de fevereiro de 2017, explora estas ligações que percorrem a sua obra desde os anos 1940 até 1985. 

Jean Cocteau, 1958
Coco Chanel
Jeanne Moreau
Catherine Deneuve

Inveja!

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Os meus franceses - 495


Números



243 000 000 000 

243 mil milhões de euros , o valor da dívida pública portuguesa a 31 de Agosto de 2016, o valor mais alto alguma vez registado e a terceira maior dívida pública do mundo ... Bom número para lembrar em tempos de orçamento ... É um número brutal, e só os juros anuais que a República Portuguesa paga são também eles astronómicos ...

Lá fora - 274



Três mestres da modernidade na pintura, três pintores que se impuseram desafios difíceis : como pintar a neve ? Como sugerir os movimentos da luz numa tela fixa ?

Hodler, Monet, Munch - Peindre l'impossible , de 15 de Setembro até 22 de Janeiro , no Museu Marmottan -Monet , Paris .

Onde me apetecia estar



Em Paris, para assistir esta noite à ultima récita da Norma com a melhor mezzo do nosso tempo, a Bartoli claro, acompanhada pela orquestra I Barocchisti.  theatrechampselysees.fr

Um quadro por dia


Uma das 69 telas provenientes dos descendentes de Jean-Francis Auburtin ( 1866-1930 ) , agora em venda. Um motivo também para voltar a falar deste amigo de Maurice Denis e de Rodin, de Loie Fuller e Isadora Duncan . Esta chama-se Belle-Île, soleil couchant sur Port Goulphar , 47,5x98cm, e foi vendida no passado dia 5 de Outubro .

Humor pela manhã



Tendo a concordar :)

Leituras no Metro - 259

Lisboa: Bertrand, 2015. (11/17)

«- Meu Deus, como eu odeio quando os jornalistas usam a palavra história. Houve uma altura em que os autores escreviam histórias e os jornalistas se limitavam a relatar factos.» (p. 91)

«Até conseguiu que o nomeassem diretor do nosso Grupo de Interrogatórios a Detidos de Importância Elevada. Se alguma importante figura terrorista for capturada [...] o James McKenna vai ser o responsável pelo interrogatório. É imenso poder para se pôr nas mãos de uma só pessoa, mesmo que essa pessoa fosse competente.» (p. 94)

Marcadores de livros - 490


Agradeço a quem mo trouxe. :)


Renoir y la intimidad

Renoir - La Promenade, 1870
The J. Paul Getty Museum

Em Renoir e a intimidade, a nova exposição que abre hoje no Thyssen (em Madrid), estão expostas mais de 70 obras, entre cenas de grupo, retratos, nus, naturezas mortas e paisagens. 
Enquanto outros pintores estabeleciam um afastamento entre o que pintavam e os que viam os seus quadros, Renoir procurava envolvê-los nas suas pinturas, através de sensações que a sua pintura cria(va).
A exposição pode ser visitada até 22 de janeiro de 2017.

Bom dia !





Aynur Dogan , uma cantora turca de ascendência curda, e através dela uma pequena homenagem aos bravos curdos, essa nação sem estado ( até ver ... )

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Os meus franceses - 494

Amanhã, às 21h30, passa na Cinemateca passa Voyage à travers le Cinéma Français, documentário de Bertrand Tavernier, com a duração de 3h11.

Guias - 18

Paris: Dervy, 2016
€25,00

Serge Thibaut propõe-nos um passeio de guia na mão para vermos Paris com um outro olhar, assente na sedimentação dos diferentes significados da arquitetura da capital francesa. Ele estuda todas as formas do hermetismo: as simbólicas cristãs, alquimistas, astrológicas e maçónicas.
Não me parece que venha a utilizar este guia.

Marcadores de livros - 489

Grande coleção de marcadores penso que da A Guerra dos Tronos que, em Espanha, se intitula Juego de Tronos.

Gracias, Luisa!