Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 28 de julho de 2012

Boa noite!

À beira-rio

Cais do Sodré, 22 jul. 2012.
Muita gente a fotografar à beira-rio.

«um modesto 59.º lugar»

Esta crónica de Manuel Halpern no JL (25 jul. 2012, p. 39) irritou-me bastante. Começa assim: «No ranking de medalhas da história dos jogos olímpicos, Portugal ocupa um modesto 59.º lugar. Sem contar com os países recentes, na Europa, apenas a Islândia e o Luxemburgo apresentam uma classificação inferior.» 
Portugal tem cerca de dez milhões de habitantes, é um dos países mais pequeno da Europa e há 35 anos a actividade desportiva era quase inexistente. 
A Islândia tem 319 000 habitantes e o Luxemburgo 517 000. 
Ontem desfilaram em Londres mais de 200 delegações olímpicas. Um 59.º lugar é desonroso?

Parabéns!

João Costa foi 7.º na final do tiro de pistola com ar comprimido.

Manhã de Verão

Charles Hoffbauer - Estudo para A Praia
Charles Hoffbauer - A Praia, 1907

Pacotes de açúcar - 38

A Tofa tem os pacotes de açúcar mais engraçados. Já aqui coloquei os do Museu do Fado e umas vistas de Lisboa pintadas a café. Estes são sobre as nossas especialidades em forma de bolo.

Anos 80


 Há quem esteja a ouvir música dos anos 80 esta noite.
A canção da Blondie deve ter sido das mais ouvidas nesses anos; os Queen são uma das minhas bandas favoritas;e  este disco do Dire Straits, que ouvi vezes sem conta, deu-me a conhecer um guitarrista de eleição - Mark Knopfler.

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Boa noite!

Vamo-nos refrescar - 14

Henry Singleton (1766-1839) - The Ale Hous Door, ca 1790

Hey, Jude!


Hey, Jude, don't make it bad
Take a sad song and make it better
Remember, to let her into your heart
Then you can start, to make it better

Hey, Jude, don't be afraid
You were made to go out and get her
The minute you let her under your skin
Then you begin to make it better

Anytime you feel the pain
Don't carry the world upon your shoulders
For well you know that it's a fool
Who plays it cool
By making his world a little colder
Na na na na na na na na

Hey, Jude, don't let me down
You have found her now go and get her
Remember (Hey Jude) to let her into your heart
Then you can start to make it better

Hey, Jude, begin
You're waiting for someone to perform with
And don't you know that is just you?
Hey, Jude, you'll do
The movement you need is on your shoulder
Na na na na na na na na

Hey, Jude, don't make it bad
Take a sad song and make it better
Remember to let her under your skin
Then you'll begin to make it better (better, better, better,better, better, oh!)
Na, na na na na na, na na na, Hey Jude

Paul Mccartney vai cantar Hey, Jude hoje na abertura dos Jogos Olímpicos.

Jogos Olímpicos de Londres, 1948


Foi você que pediu um Pavilhão?


O Atlântico já não pode ter. Apesar das dívidas e dos processos judiciais que são do domínio público, Luís Montez, empresário dos concertos e genro do Presidente Cavaco conseguiu comprar este grande palco lisboeta.

Bom dia !



A bela voz de Vitor Ramill, cantor, compositor e escritor brasileiro

London, the city of 2012: Jogos Olímpicos, 2012

Das imagens do passado aos acontecimentos do presente: a abertura dos Jogos Olímpicos em Londres, hoje a partir das 21h, justifica naturalmente uma nova vinheta. O logótipo oficial, ainda que de gosto discutível em meu entender, preencherá a vinheta até ao final do mês.

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Boa noite!

O compositor português Armando José Fernandes nasceu em 26 de julho de 1906 e faleceu em 3 de maio de 1983.

O livro de Joel Santos na bagagem para férias

O livro de Joel Santos sobre fotografia é uma beleza.
É com ele que venho desejar a todos boas férias!
Ofereceram-me este livro que levo na bagagem. 



«O objectivo da arte não é representar a aparência exterior das coisas, mas o seu significado interior.»
Aristóteles, 
Joel Santos, Foto/Grafia, Luz, Exposição, Composição, Equipamento, Lisboa: Centro Atlântico, 2012 (5ª edição), p.17.


Obrigada E.R.

Pez

Pez, detalhe rapinado no google
Um presente extraordinário com um saboroso regresso à infância. 
Quem não teve um distribuidor de Pez, uns rebuçados fabulosos? 
Encontrei-os no livro A Delicadeza,de David Foenkinos, que me está a surpreender pela positiva, Está quase no fim. Tenho pena de não ter visto o filme.
Dele deixo os seguintes trechos:

« A vida é sobretudo feita de esboços, rasuras e espaços em branco», p.120.

«O Beijo [uma interpretação sobre a tela de Gustave Klimt] a consumação última da procura humana da felicidade», p.84

David Foenkinos, A Delicadeza, Lisboa: Editorial Presença, 2011, p. 120 3 84.


Pacotes de açúcar - 37


Um quadro por dia


Meus avós, meus pais, e eu em 1936, de Frida Kahlo neste Dia dos Avós.

Citações


Votre esprit est d'une espèce qui donne de l'élan à celui d'un autre.


- Escreveu Casanova, que não era propriamente modesto, ao Príncipe de Ligne. Um elogio merecido por Charles-Joseph de Ligne, um dos europeus mais irrequietos do século XVIII.

Bom dia !

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Boa noite!

Lya De Barberis no pianoforte 

Em língua portuguesa (IV)

CANTATA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO
A MUI LEAL E HERÓICA CIDADE DE SÃO SEBASTIÃO

IV/ O SÉCULO XIX
Levantámos a Cidade: de águas pantanosas nasceram jardins.
Tempo de Vice-Reis. O palácio, a estátua, a fonte, o chafariz...

Brancos, mamelucos, negros, todos juntos a Cidade construíram.
Nela os poetas cantaram, os mártires morreram.
Mas a cidade vivia!

(Lá vem a nau da Rainha
que venceu o temporal:
vêm príncipes, vêm princesas.
- a Côrte de Portugal)

Levantamos a Cidade: sobrados, museus, chácaras, carruagens...
Casamentos reais, festas, luminárias, mucamas e pagens.

(Ai, quem é que canta num sôpro tão manso?
É a negra embalando o menino branco.

Que barulho é êste, de música surda?
É o negro dançando pela noite escura...)

Levantamos a Cidade. Navios que trazem sábios e artistas.
Navios que partem com o Rei e a Côrte. E o Príncipe que fica.
Levantamos a Cidade. Hinos, modinhas, proclamações imperiais.
Cidade de S. Sebastião, Heróica e Mui Leal.

Os teatros que surgem. Os livros que se abrem. Cidade de ciências, de artes e ofícios.
Mil vozes  cantando missas, ladainhas, óperas e hinos...

Fogo de artifício. Máscaras. Carnavais. Inaugurações.
Levantamos a Cidade sôbre esperanças de independência e libertação...

Pianos, árias, sermões, orações cívicas, aerostatos.
Ruas e ruas novas, e as sinhàzinhas que se separam de seus escravos.

 (Pisei na pedra,
a pedra balanceou:
o mundo estava torto.
Princesa endireitou...)

(Quem canta com todo êsse contentamento?
É o negro qie já fico livre do cativeiro!)

"... LEVANTAMOS A CIDADE PARA SER A RAINHA DAS PROVÍNCIAS..."


Cecília Meireles, Obra Poética, Rio de Janeiro:Cia. José Aguilar Editôra, 1967 (2ª edição), p. 857-858.


O poema (inédito) de Cecília Meireles sobre o Rio de Janeiro está quase a chegar ao fim. Por ser longo optei por escrever por partes.

Boa tarde!

Humor pela manhã...


Quando?


É que o Prosimetron faz um piquenique? De preferência num pinhal onde se apanhem pinhas tranquilamente, sem interrupções de " quem trabalha " :)

Espaço Açores

Rua de S. Julião, 58

Av. Elias Garcia, 57

Nestas lojas encontram-se produtos açorianos muito bons: iogurtes, queijos, conservas, compotas, bolachinhas e biscoitos, para além da carne açoriana, do ananás e de vinhos. E também algum artesanato.
Só tenho comprado «coisas boas» (expressão de um amigo depois de comer - e se ele gostava de comer...) nestas lojas. O ananás não tem nada a ver com o comprado noutras lojas de Lisboa.
Um dia destes vou ver se lá há o atum de Santa Catarina.

Para HMJ que é fã da loja da rua de S. Julião.

Dois livros de Jean Ziegler

Lisboa: Terramar, 1999 
Lisboa: Terramar, 2003

Quando li estes livros até fiquei arrepiada.
Em geminação com o Arpose, a propósito do seu post «Os Tempos que passam».

Auto-retrato(s) - 162

Vários auto-retratos de Otto Dix que morreu há 43 anos.

Em 1912 com um cravo
Em 1913
Em 1915

Em 1942

Adão e Eva

Eduardo Malta,  Lisboa, 1936                      © Jad, 2012

Não, o objectivo não foi fazer uma fotografia sui generis nem surrealista. O objectivo era somente tirar uma foto a um quadro pelo qual me apaixonei. Estive quase, quase, quase, a fazer a minha loucura do ano. Entrar e dizer, posso levar e ficar a pagar em prestações? Mas, sinceramente, tive medo que dissessem que sim!
A luz de Lisboa, que é muita, foi a culpada deste ensaio fotográfico.

Post para MR que também adora fazer fotografia.

Emilie Simon

Emilie Simon, depois de comprar um livro improvável: "A delicadeza" de David Foenkinos

Boa noite!

terça-feira, 24 de julho de 2012

Boa noite!

Carla Fraci e Erik Bruhn, 1969

Leituras de Verão

E quais são (ou vão ser) as vossas leituras?

A arte do retrato


Tal como prometido, mais um dos monomaníacos retratados por Géricault. Este Retrato de um cleptomaníaco é de 1820-24, óleo sobre tela, e está no Museu de Belas-Artes de Gand/Ghent.

Pacotes de açúcar - 36



Auto-retrato(s) - 161

 - 1870, 21 anos.
 - 1886, Gersau, Suiça.
 - 1886, auto-retrato com as duas filhas, Gersau, Suiça.
 - 1892-93

- 1891, em Värmdö-Brevik


Dramaturgo, poeta, pintor, mas também um fotógrafo muito interessante o sueco August Strindberg. Fiquei fascinado com estes auto-retratos.

Números


4000...


... mulheres e alguns homens, o número de amantes de Mick Jagger, a fazer fé nesta recente biografia do mais célebre Rolling Stone. Quanto a nomes conhecidos, eu já sabia de Madonna, Angelina Jolie ou Carla Bruni. Mas fiquei espantado com a princesa Margarida e Jackie Onassis...

Humor pela manhã...


Bom dia !



Menos conhecido talvez que outros grandes pianistas do século XX, Earl Wild interpreta aqui Un sospiro de Franz Liszt.

Maré Cheia

Foi o filme que vi esta noite. Já há muito que não via Jean Gabin, aqui na sua primeira participação num filme americano. Realizado por Archie Mayo em 1942.