Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 20 de novembro de 2010

Aggiornamento...



Acabo de saber, pela Lusa, que Bento XVI declarou hoje que a Igreja Católica passará a admitir o uso do preservativo "em certos casos" para evitar a contaminação pelo vírus HIV.
Vou procurar saber que "certos casos" são estes, mas é um importante ( ainda que tardio...) primeiro passo.

A arte do retrato - 9

Suzanne Valadon, Retrato de Maurice Utrillo, 1921, óleo sobre tela.


Je ne suis pas fou, je suis alcoolique.

-Maurice Utrillo (1883-1955), deambulando pelo seu amado bairro de Montmartre.

Foram vários os retratos que a Valadon fez do seu filho, o também pintor e boémio Utrillo, mas este escolhi-o pela ligação directa à paixão comum à mãe e ao filho: a pintura. Apesar desta paixão comum, a forte personalidade ( e liberdade de costumes... ) de Valadon nem sempre caiu bem a Utrillo que nem sequer era filho biológico do catalão que lhe deu o apelido mas sim de um amante ocasional da mãe, e que mais tarde viu o seu melhor amigo tornar-se seu padrasto naquela que foi a mais longa ( 30 anos ), e parece que mais feliz, relação amorosa de Valadon.

Cinenovidades - 152 : Penúltimo Potter

Estreou na passada quinta-feira a primeira parte do último filme a adaptar as aventuras do mais célebre feiticeiro juvenil dos nossos dias. E as salas enchem-se...

Boa tarde!

Pois que já passa do meio-dia! Ouvir Yael Naim (1978-), nascida em Paris de pais tunisinos, põe-me bem disposto. Espero que gostem desta New Soul.

Auto-retrato(s) - 70

Paul Gauguin (1848-1093), Auto-retrato como cabeça decapitada, 1889, cerâmica.

Se não me engano, este é o primeiro auto-retrato em cerâmica que surge nesta rubrica colectiva do Prosimetron, e é uma das cerâmicas presentes na exposição sobre Gauguin patente na Tate Modern de que falo infra.
Cerâmica que tem ainda um potencial valor funcional: é um jarro, embora o sangue que escorre pela face abaixo deva inibir tal funcionalidade... Mas serve, no entanto, para nos lembrar que Gauguin foi também um excelente ceramista.
Esta peça foi feita pouco depois da estadia de Gauguin com Van Gogh em Arles, tendo sido durante tal convívio que ocorreu a mais célebre auto-mutilação da História da Arte...
Para além da associação do sangue que escorre à orelha cortada de Van Gogh, há estudiosos que também associam esta cabeça decapitada a S.João Baptista, entendendo que Gauguin via-se como um profeta da pintura nova que viria.

Lá fora - 89 : Gauguin em Londres

- Nature-morte aux fleurs et a l' idole, 1893-94, óleo sobre tela, 40,5x32cm, Kunsthaus Zurich.
- Auto-retrato com óculos, 1903, óleo sobre tela.

- Parahi te Marae, a Montanha Sagrada, óleo sobre tela, 1892.


É a maior retrospectiva de Paul Gauguin (1848-1903) organizada na Europa nos últimos anos, decorrendo na Tate Modern, Londres, até 16 de Janeiro de 2011. E parece que vai bater os recordes de entradas, já consideráveis, das exposições da Tate.
Não é de estranhar a afluência, já que estão reunidas dezenas e dezenas de telas do mais famoso pintor francês expatriado cobrindo as várias fases do seu percurso artístico e dos vários géneros que abordou: as famosas paisagens taitianas, mas também belas naturezas-mortas e retratos ( inclusive auto-retratos, sendo o que está supra um dos seis expostos na Tate). Estão também expostas criações menos conhecidas de Gauguin como os seus desenhos e as suas cerâmicas.

Biografias, autobiografias e afins - 89

Uma biografia bem recente ( este mês ) do meu querido Offenbach pelo crítico musical e escritor francês Nicolas d' Estienne d' Orves numa edição da Actes Sud/Classica.
E ouçamos o biografado, rei das operetas, num dos seus trechos sublimes- a Barcarola dos Contos de Hoffmann:

Teixeira Gomes, os anos passados no Porto

Pormenor do retrato de Teixeira Gomes por Marques de Oliveira.
Porto, MNSR

É evocado o republicano, o escritor e o coleccionador que ofereceu ao Museu Nacional Soares dos Reis o seu retrato, pintado pelo amigo Marques de Oliveira, e o da filha do Visconde de Meneses, a quem o ligaram sentimentos cuja memória não quis deixar apagar.
A visita que Teixeira Gomes faz ao Porto, em 1924, como Presidente da República, é pretexto para, na exposição, se evocar a cidade desses anos.


Visconde de Meneses (1817-1878) - Retrato da filha, Elisa Wilfrida
Óleo sobre tela, ca 1878
Porto, MNSR


Gostava de ter aqui transcrito um trecho de uma carta de Teixeira Gomes a um amigo em que explica que deixou estas duas pinturas ao Museu Soares dos Reis, com a condição de ficarem expostas de determinada maneira, de modo que ficassem os dois a olhar um para o outro. Ele dizia qualquer coisa como: «Alguma vez poderemos olhar um para o outro.» :) Não consegui encontrar essa carta.

Um dia destes, vou até ao Porto ver esta exposição.

No Museu Nacional Soares dos Reis
Até Março de 2011

Ambientes Femininos III

Lawrence Alma-Tadema (Sir),(1836-1912), A Favorite Custom,1909

Oil on canvas, 66.1 cm x 45 cm, Tate Gallery, London

Quotidianos - 43


Jan Sanders van Hemessen (ca 1500-ca 1566) - Femme à la balance d'or
Para Jad.

No Dia Universal da Criança


http://www.wristbandconnection.com/wristbands-events/uploaded_images/universal-children-day-bracelet-774945.gif

Em 20 de Novembro de 1989, as Nações Unidas adoptaram por unanimidade a Convenção sobre os Direitos da Criança.

CRIANÇA

Cabecinha boa de menino triste,
de menino triste que sofre sozinho,
que sozinho sofre, — e resiste.

Cabecinha boa de menino ausente,
que de sofrer tanto se fez pensativo,
e não sabe mais o que sente...

Cabecinha boa de menino mudo
que não teve nada, que não pediu nada,
pelo medo de perder tudo.

Cabecinha boa de menino santo
que do alto se inclina sobre a água do mundo
para mirar seu desencanto.

Para ver passar numa onda lenta e fria
a estrela perdida da felicidade
que soube que não possuiria.

Cecília Meireles

20 de Novembro de 1975


A data já faz parte das minhas memórias políticas de juventude. Uma morte festejada com alegria... era a primeira vez que via, com consciência política. Morria Franco!

Ecce Homo


Ecce Homo, 2.ª metade do século XVI (pormenor)

«Representação de um corpo mortificado, de olhar velado por uma túnica branca, que prefigura a mortalha, emergindo de um escuríssimo fundo neutro, como uma silenciosa mas fortíssima presença intemporal no espaço do próprio observador, esta é certamente uma das imagens mais misteriosas e singulares criadas pela arte portuguesa: a ocultação do olhar deste Ecce Homo constitui, de facto, um elemento figurativo de absoluta originalidade na iconografia cristológica da pintura europeia.»
Visita orientada por José Alberto Carvalho e Anísio Franco.
Museu Nacional de Arte Antiga
4.ª feira, 24 Nov. alterado 5.ª feira, 25 Nov.
18h00
Entrada livre

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Nuvens no céu de Lisboa!

Plena de luz a cidade ainda adormecida pertence a um número restrito de pessoas. Aquece a alma ver a quietude de Lisboa e pensar que, durante uns minutos, é só nossa.
x
Nuvens no céu de Lisboa, Chiado

Amanhecer em Lisboa

Quotidianos - 42


Federico Zandomeneghi (1841-1917) -No teatro
Óleo sobre tela
Col. particular

Quotidianos - 41


Bernard Dunstan (1920-) - Making marmalade
Óleo sobre cartão
Museum of New Zealand Te Papa Tongarewa

1983 : Tina Turner

Foi em 1983 que Tina Turner voltou à ribalta, e em 19 de Novembro aos tops de vendas com esta Let's Stay Together, uma versão do clássico de Al Green. Esta actuação ao vivo é de 1985, quando ela já andava novamente em digressões pelo mundo. Uma força da natureza.

Auto-retrato(s) - 69


Carolus-Duran (1837-1917) - Le baiser, 1868
[Auto-retrato do artista e da sua mulher, recem-casados.]
Lille, Palais des Beaux-Arts

«Le baiser est la plus sûre façon de se taire en disant tout.»
Guy de Maupassant (1850-1893)

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Boa noite!


Descobri este disco há poucos dias e chegou-me hoje por correio. Nem conhecia a Giovanna.
Para APS.

Frutas - 37


Giovanni Quinsa (fl. 165-) - A smiling man at a table spread with a still life of a feast
Óleo sobre tela
Tuxedo Park, NY, Robert Simon Fine Art

Novidades - 158 : Da leitura


(...) Je crois qu' il existe trois degrés de lecture. 1) On lit pour comprendre le monde. 2) On lit pour se comprendre soi-même. 3) On lit pour comprendre l' auteur. Le stade nº3 est celui des lecteurs les plus fins; mais, quels qu'ils soient, ils sont généreux. Ils donnent aux livres la chose la plus importante de leur vie: leur temps. (...)

Este é o mais recente ensaio de Charles Dantzig, autor que já passou por estas páginas a propósito de uma sua excelente obra. Desta vez, é o acto da leitura que é interrogado, acto tão grato aos prosimetronistas e a muitos que nos lêem. Actividade grata, mas economicamente inútil especialmente quanto à literatura propriamente dita ( e daí o seu valor) : (...) On lit parce que ça ne sert à rien. C'est un moment de gratuité dans des societés utilitaires, une révérence à l'esprit dans une humanité qui ne baisse généralement le front que devant la force. (...)


Charles Dantzig, Pourquoi lire?, Grasset, 250p, €18, Outubro de 2010.

Shirley Verrett

A recentemente falecida Shirley Verrett (1931-2010) numa das minhas árias favoritas.

Números - 30


3.039
Este é o número de empresas que interpuseram pedidos de insolvência de 1 de Janeiro a 30 de Setembro de 2010. Número que representa um aumento de 10% com relação a igual período de 2009 e de 51% relativamente a 2008.
Além dos débitos que ficarão por pagar, e que podem comprometer a saúde de outras empresas, é número que implica mais umas centenas ou milhares de desempregados.

Jardins impressionistas

Esta exposição, que se encontra organizada em quatro núcleos, deve ser uma maravilha.

Os Precursores

Camille Corot - O Parque dos Leões em Port-Marly
Óleo sobre tela, 1872
Madrid, Museo Thyssen-Bornemisza


O Jardim como espaço social

Berthe Morisot - No Bosque de Bolonha
Óleo sobre tela, ca 1879
Estocolmo, Nationalmuseum


O Jardim Decorativo

Gustave Caillebotte - Dálias, jardim de Petit-Gennevilliers
Óleo sobre tela, 1893
Col. particular


O Jardim Produtivo

James Ensor - O jardim da família Rousseau
Óleo sobre tela, 1885
Ohio, The Cleveland Museum of Art


Museo Thyssen-Bornemisza
Madrid
Até 13 Fev.

Documentários na Cordoaria



Os visitantes da exposição Viva a República! 1910-2010, na Cordoaria Nacional, têm a partir desta semana e até ao fim do mês de Novembro a possibilidade de ver no grande ecrã alguns dos documentários que foram produzidos este ano a propósito do Centenário da República.
Esta semana, a programação do auditório da Cordoaria, abrange os documentários que foram produzidos pela Companhia de Ideias para a RTP2, “Nós, Republicanos”, com realização de João Osório, em cinco episódios (Política, Trabalho, Religião, Educação, Saúde).
Estes cinco episódios são exibidos todos os dias, de segunda a sexta-feira, entre as 10h00 e as 18h00.
Ao fim-de-semana, os visitantes da Cordoaria podem assistir à exibição dos três documentários produzidos a propósito do Centenário da República para o Canal de História: “A República Portuguesa”, “As Republicanas” e “D. Manuel II”, uma produção de Luísa Carvalho e Canal de História, com realização de José Carlos Santos.

Gala dos travestis


Pormenor do cartaz da 18.ª Gala Noite dos Travestis. que terá lugar no Teatro S. Luís, a 1 de Dezembro próximo. Achei graça a esta adaptação no ano do centenário da República.

Um sábio ditado

Willem Kalf ( 1619-1693 ), Natureza-morta com corno de beber. ( Uma pronkstilleven, natureza-morta opulenta-pelos alimentos, os utensílios, as toalhas etc -, subgénero de que Kalf foi o mestre indiscutível ).


Pequeno-almoço como um rei,
Almoço como um príncipe,
Jantar como um pobre.


Com dedicatória conjunta ao Jad e à Miss Tolstoi, embora por razões diversas, e com as minhas desculpas pela terminologia algo monárquica mas que pode ser substituída como entenderem ( Cavaco, Sócrates, Belmiro, Ricardo Salgado etc )

Kim Wilde

Faz hoje 50 anos, e este foi o seu maior sucesso- Kids in America.

Waffles

São um dos meus pequenos-almoços preferidos de Outono/Inverno, acompanhadas com manteiguinha e uma compota ou mel. Ou com chocolate quente, sendo que algumas que se compram até já trazem o chocolate líquido na medida certa.
Por razões óbvias, é "modalidade" que pratico apenas uma ou duas vezes por semana. Hoje resisti, embora tenha custado, e fiquei-me por uma modesta torrada.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Os meus franceses - 113

Quotidianos - 40


Auguste Toulmouche (1829-1890) - Le baiser, 1886
Col. particular

«Un baiser est une gourmandise qui ne fait pas mal.» (Anónimo)

1966

Foi este o ano em que nasceu Jeff Buckley, que faria hoje 44 anos não fora o suicídio/acidente que o vitimou em 2007.

No Prado

Pintura de los reinos. Identidades compartidas en el mundo hispánico

Juan Martín Cabezalero - Comunión de Santa Teresa
Óleo sobre tela, ca 1670
Madrid, Fundación Lázaro Galdiano
Até 30 Jan. 2011

Bibliotheca Artis: Tesoros de la biblioteca del Museo del Prado

Giuseppe Galli Bibiena (1696-1756) - Architetture e prospettive..., 1740
Até 30 Jan. 2011

Paixão por Renoir

Pierre-Auguste Renoir - No concerto, 1880
Williamstown, MA, EUA, The Clark
Até 6 Fev. 2011

Rachel de Queiroz, centenário do nascimento


Rachel de Queiroz nasceu há cem anos (17 de Novembro de 1910) em Fortaleza, Brasil. Escritora, jornalista, cronista, tradutora,dramaturga, morreu com noventa e três anos, depois de um longo percurso literário e político, que lhe valeu a prisão em 1937 (no Estado Novo de Getúlio Vargas) por subversão e a queima dos seus livros e o apoio ao golpe militar em 1964, depois de se ter afastado da esquerda após o assassinato de Trotsky.

Foi a primeira mulher eleita para a Academia Brasileira de Letras, em 1977. Recebeu inúmeros prémios literários, e entre eles o Prémio Camões, em 1993. Da sua obra ressaltam os romances "O quinze", com que estreou em 1930, "João Miguel", "Dôra, Doralina" e "Memorial de Maria Moura", de 1992 que foi adptado pela Rede Globo para uma minisérie televisiva, que obteve enorme êxito e também foi vista em Portugal.



Na Gulbenkian


Começam hoje as conferências Image in science and art, estando a desta tarde (18h, Aud.2 da FCG) a cargo de Martin Kemp.
( Com um agradecimento ao Ricardo Reis dos Santos, cientista e meu colega das andanças filosóficas )

Susy Solidor

Peço desculpa por estar a invadir os "terrenos" da nossa M.R. mas é que desconhecia Susy Solidor (1900-1983), actriz e cantora francesa que foi retratada por vários grandes pintores seus contemporâneos. Foi, aliás, à procura de retratos que dei com esta senhora.

Bom dia!

A começar com Debussy e a bela Jardins sous la pluie. Não era esta a interpretação que eu queria aqui trazer (era a de Aaron Kurz, o jovem prodígio, que podem ver também no YouTube mas não incorporar! ) mas gostei de ouvir Marie-Bénédicte Cohu tocar esta difícil peça.

Évora: 18 de Novembro

Yokihi


Cena de A Imperatriz Yang Kwei Fei (Yokihi, no original), de Kenji Mizoguchi (1898-1956), que passa na Cinemateca, amanhã, às 19h00.

Adaptação de uma história chinesa, do século IX, é um dos mais célebres filmes de Mizoguchi e o seu primeiro filme a cores - umas cores fabulosas. Machiko Kyo dá corpo a um portentoso retrato feminino, o da imperatriz Yang Kwei Fei; Masayuki Mori é o actor que veste a pele do imperador Xuan Zong. Uma história de amor, no meio de lutas de poder e intrigas políticas. Para mim, o mais belo filme de Mizoguchi. Ainda não sei se irei revê-lo.


Yokihi é um bailado, inspirado na figura da imperatriz Yang Kwei Fei e criado por Bandō Tamasaburō V (1950-), um actor japonês kabuki, especializado em papéis femininos.

Dedicado a Miss Tolstoi.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Boa noite!

Um quadro por dia - 111

D.Carlos de Bragança, Farol da Guia, 1900, aguarela sobre papel, 35,5x39,2cm, col.part.

Porque hoje é o Dia Nacional do Mar.

Peripécias helvéticas...


Nos seus tempos áureos, o Festival Eurovisão da Canção contava com intérpretes de grande craveira a representar a Suíça, entre eles, Esther Ofarim e Céline Dion. A vitória do primeiro certame, realizado em 1956, coube à Confederação Helvética.

Contudo, longe vão os tempos em que este festival ocupava um lugar decisivo no panorama musical internacional (à excepção de algumas ocorrências recentes, como a da canção vencedora alemã do ano passado). E longe vão os tempos em que a Suíça alcançava resultados “apresentáveis”.


Com vista a inverter esta tendência desastrosa, decidiu o tenor Leo Wundergut concorrer para a selecção nacional suíça que apurará a canção helvética a competir nas meias-finais do próximo festival, a decorrer em Düsseldorf em Maio de 2011. E tendo em consideração o (in)sucesso suíço em edições anteriores, o título da canção, escolhido por Wundergut, revela-se mais do que apropriado: "La Suisse – zéro point”.


Imagens: Lys Assia, a primeira vencedora do Festival em 1956; Leo Wundergut em 2010

Já que se falou dele...

Felizmente para todos nós, o sonho de Otelo, bem apanhado nesta caricatura cuja autoria desconheço, nunca se concretizou. Sobre o que penso dele, remeto para o que escrevi no passado dia 1 de Outubro.

A Marinha na República



A exposição, desenvolve-se em dois núcleos destacando o papel da Marinha na implantação da República e das unidades navais na primeira década do século XX, salientando o papel que marinheiros e navios tiveram no desenrolar dos acontecimentos.
Num primeiro núcleo, evoca-se a participação dos Marinheiros, abordada de forma sequencial, desde os dias que precederam o 5 de Outubro. Este núcleo encontra-se na Sala da Casa da Balança (entrada pela Praça do Município).
Um segundo núcleo, referente aos navios que a Marinha possuía em 1910 e em especial aos surtos no porto de Lisboa aquando da Revolução, está patente no Museu de Marinha.
Até 5 Jan. 2011, das 10h00 às 17h00 horas

Os Lusíadas em mirandês

Novidades - 157

Neste ano de centenário, com publicações de todos os géneros, quase ad nauseam, aqui está uma obra que viu mais bem longe: o longo período de 1210 a 2010, através de nove retratos das várias épocas históricas. É uma edição da Texto Editores.

Citações - 135

(...) Com tudo incluído, a nossa dívida pública já deve ter ultrapassado os 100% do PIB. De forma marcial, este número quer dizer que a política portuguesa parte da ilusão e não da realidade. E, atenção, a nossa atual crise foi causada por este "predomínio da ilusão sobre a realidade" (Oliveira Martins dixit). Ano após ano, a dívida lá foi preenchendo o vácuo que separava as possibilidades de Portugal dos desejos dos portugueses. Ou seja, a dívida foi o instrumento que permitiu a suspensão da realidade. (...)

- Henrique Raposo, no Expresso do passado sábado.

Ambientes Femininos II

Júlio Romero Torres nasceu em Córdoba em 1874. O pai foi director do Museu de Belas Artes de Córdoba e teve um papel preponderante na orientação dos estudos do pintor. Descobri este pintor aqui. Li mais sobre o quadro que escolhi neste link.

x
Júlio Romero Torres (1874-1930), La Gracia, 1915

O amor nas duas vertentes: o amor carnal e o amor espiritual foi este um dos pensamentos que me assolou ao ver este quadro.

A arte do retrato - 8

Willy Rizzo, Marlene Dietrich, Hôtel de Paris, Mónaco, 1956.


É um dos maiores fotógrafos franceses vivos, com uma longa carreira de 60 anos começada como repórter fotográfico nos julgamentos de Nuremberga, cenário que deprimiu o jovem Willy que logo em 45 foi para os Estados Unidos pois que, como tantos europeus da sua idade, sonhava com Hollywood e as suas estrelas. E fotografou-as, produzindo imagens que correram o mundo: Gary Cooper, Robert Mitchum, Gregory Peck, Douglas Fairbanks, Sophia Loren, Marilyn e outros tantos ídolos da Sétima Arte.
Voltou para França 4 anos depois, na fundação da Paris Match, sendo sua logo a primeira capa- um retrato de Winston Churchill. Alguns dos melhores retratos são de artistas plásticos, com Dalí e Picasso à cabeça, que virão ter a estas páginas certamente.

Bom dia!

É um prazer ouvir Martha Argerich tocar o Gaspard de la nuit de Ravel, mas o pior é que apetece voltar para a cama!

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Os meus franceses - 112


Há tempos ouvi esta canção pelos Divo; há dias comprei um CD de Richard Anthony e aqui está uma das canções, sobre a música de Joaquim Rodrigo.
Boa noite!

Há dias...

Hieronymus Bosch.
Tentações de Santo Antão, pormenor (1495-1510)
Lisboa, Museu Nacional de Arte Antiga

Há dias em que o dia é dia de viver,
Há dias em que o dia é dia de morrer...

Edite Estrela: �Eles sao insuportaveis�

Edite Estrela: �Eles sao insuportaveis�


Não é figura política que aprecie, antes pelo contrário, mas ainda assim conseguiu surpreender-me pela negativa. E, com este par Vara/Estrela, há razões para acreditar no velho adágio "Diz-me com quem andas..."

Filha de peixe...

Estes I Blame Coco são uma banda britânica, cuja vocalista de 20 anos de idade, Coco ( Paulina Sumner ) é filha de um senhor chamado Sting. Vão estar em Lisboa dia 29 deste mês.

Lá fora - 88 : Hockney em Paris





Regressamos a Paris, cidade de todas as exposições, para a que está patente na Pierre Bergé/Yves Saint Laurent: Fleurs fraîches, de David Hockney que aos 73 anos continua na crista da onda- as obras expostas foram criadas através da aplicação Brushes do iPhone, pelo que não há telas penduradas nas paredes mas sim ecrãs de iPhone e iPad.
Fondation Pierre Bergé-Yves Saint Laurent, Paris, até 30 de Janeiro.