Prosimetron

Prosimetron

sábado, 29 de agosto de 2009

Doçaria tradicional - 5


http://clubevinhosportugueses.files.wordpress.com/2009/06/palha-de-abrantes.jpg
Quem gosta desta palha?...

Lisboa estrelada (rua do Ouro)


E hoje é....

O Amoroso...

O Amoroso...

Hora certa...

Hora certa...

AS GAIVOTAS


As gaivotas. Vão e vêm. Entram pela pupila.
Devagar, também os barcos entram.
Por fim o mar.
Não tardará a fadiga da alma.
De tanto olhar, tanto
olhar.
- Eugénio de Andrade

Provar da maçã - 1

- P.P. Rubens, Adão e Eva, 1597, Rubenshuis, Antuérpia.

O BEM E O MAL

" Não foi por gula que Adão provou da maçã que Eva ( ou a serpente, por ela ) lhe estendeu; foi por desejo de absoluto, ou curiosidade ou, como sugere Paul Nothomb, na sua leitura dos livros do Génesis consagrados à «história da maçã», porque Deus o quis livre e responsável ( não foi Deus que lhe chamou a atenção para a árvore e o interdito? ).
O Homem integral ( e, ao mesmo tempo, desgraçadamente imperfeito, anjo decaído, flor do pecado ) é o que prova a maçã, o que se deixa tentar pelo excesso, o que conhece do mundo não apenas a inocente homogeneidade do todo paradisíaco, mas a experiência que lhe ensina a distinguir o Bem e o Mal. "

- António Mega Ferreira, in O QUE HÁ-DE VOLTAR A PASSAR, p.75, Assírio&Alvim, 2003.

Michael Jackson no seu melhor!

Michael Jackson - Smooth Criminal.

Freddie Mercury and Michael Jackson - More To Life Than This!

Hoje faria anos Michael Jackson. Ele foi um excelente músico e isso não posso esquecer. Então resolvi juntá-lo com outro músico que ainda admiro mais: Freddie Mercury! - MORE TO LIFE THAN THIS -


Mozart: Apolo e Jacinto (1767) !

Com Mozart de madrugada.
"Estamos neste mundo para nele aprender continuamente, e para nos esclarecermos uns aos outros pela troca de pensamentos, e para tentar trabalhar para o progresso das ciências e das artes."

Mozart, excerto da Carta para padre Martini. Salzburgo, 7 de Setembro de 1776. (G.Gefray, Correspondance I, 1756-1776, Paris, 1986).

Mozart - Apollo et Hyacinthus - Duet "Natus cadit"



Melia -- Allan Bergius (soprano)
Oebalus -- Michel Lecocq (tenor)
Helmut Müller Brühl and the Kölner Kammerorchester

E a cidade é ....

Só não mato o Sol pelas alturas....,
Para a cidade não ficar às escuras...

Au Petit Peintre



Há 100 anos na Rua de São Nicolau 104 (Lisboa).
Casa especializada em materiais de papelaria, desenho e pintura; molduras, litografias; papéis.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Lisboa estrelada, rua do ouro


Mais uma constelação que espera por um astrónomo que saiba o nome...

Porto

Porto .... invasão (Homemt)

A doçaria Londrina!

O post de MR fez-me lembrar a pastelaria Londrina. Gostei imenso mas não há nada comparável com os Travesseiros da Piriquita!

São bonitos de ver e de experimentar...
x



O Fudge não tem a espectacularidade dos bolinhos acima mas é uma delícia!

Porto

Porto na guerra... das bandeiras

Porto

Porto 29 graus... Sereias tomando banho.

Nuno Barreto

Nuno Barreto: pormenor do quadro página em branco... Assim estou eu...

Se me Perguntarem das Artes


Se me Perguntarem das Artes

Se perguntarem das artes do mundo?
Das artes do mundo escolho a de ver cometas
despenharem-se
nas grandes massas de água: depois, as brasas pelos
recantos,
charcos entre elas.
Quero na escuridão revolvida pelas luzes
ganhar baptismo, ofício.
Queimado nas orlas do fogo das poças.
O meu nome é esse.
E os dias atravessam as noites até outros dias, as
noites
caem dentro dos dias – e eu estudo
astros desmoronados, mananciais, o segredo.

Herberto Hélder, in Mário Soares: os poemas da minha vida, Lisboa: Público, 2005, p. 166

Alba

Como se não houvera
bosque mais secreto,

como se as nascentes
fossem só ardor,

como se o teu corpo
fora a vida toda,

o desejo hesita
em ser espada ou flor.

- Eugénio de Andrade

CANTIGA

Nas ondas da praia
Nas ondas do mar
Quero ser feliz
Quero me afogar.

Nas ondas da praia
Quem vem me beijar?
Quero a estrela d’alva
Rainha do mar.

Quero ser feliz
Nas ondas do mar
Quero esquecer tudo
Quero descansar.

Manuel Bandeira
In: Poesias completas. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1940, p. 137

Arte Nova no Harrods!

No Harrods o que mais me atraiu foi o sector da alimentação, sobretudo pela qualidade dos produtos, a sua exposição e a decoração Arte Nova!
x
O tecto que decorava a zona de caça

Pormenor da parede junto ao tecto

Peço desculpa pela fotografia mas com a luz não consegui melhor! São lindos estes pavões enamorados.

Uma dica para o Filipe...

Sabendo eu que o nosso Filipe, tal como outros prosimetronistas, adora chocolate, aqui vai uma dica, mesmo para quem não aprecia o golfe. Estas bolas de golfe de chocolate branco são uma criação de Pierre Marcolini, um dos grandes chocolateiros belgas, mas também se vendem na loja da marca em Paris ( 89, rue de Seine, 6e ) ...
E não se pense que são ocas: " fourrées au praliné et caramel déglacé à la créme et au grand café arabica de Java."

Olga Roriz em Janeiro de 2010!

Aos 54 anos, Olga Roriz confessa que não se arrepende de ter abdicado de uma carreira internacional porque foi "neste país difícil para os artistas" que aprendeu tudo.
Em Janeiro de 2010 vai vestir a solo a pele de Electra.

Olga Roriz
MR quer ir comigo ver? Ou querem ir comigo ver?

Um quadro por dia - 15

- Turner, Rain, Steam and Speed, óleo sobre tela, 1844, National Gallery, Londres.



Não havia que hesitar na escolha de um quadro para hoje, dado ter acabado de ler um pequeno texto sobre este tão conhecido de Turner:



" Um pormenor, no lado esquerdo do quadro de Turner, Rain, Steam and Speed, pintado em 1844: uma lebre, à primeira vista imperceptível, corre numa trajectória paralela, mas à frente da locomotiva. É inacreditável: toda a leitura do quadro se altera, o que aparecia como esplêndida irrupção da máquina, a sua afirmação entre a bruma em que o pintor envolve os seus motivos, transforma-se em exercício paródico onde lebre e tartaruga se defrontam como motivos de pintura. «É o paradoxo de Zenão ao contrário», comentou Jano, que se diverte com as minhas descobertas tardias. "



- António Mega Ferreira, Paradoxo, in O QUE HÁ DE VOLTAR A PASSAR, p.66, Assírio&Alvim, 2003.

Estarreja

Estarreja que santo é este?

Doçaria tradicional - 4


http://3.bp.blogspot.com/_UoHsqFEgjQo/R8aCGuOU_AI/AAAAAAAAA0A/uPzXOhvQpN8/s400/piriquita.jpg
Hoje trago os Travesseiros de Sintra. Não há ida Sintra, sem passagem pela Piriquita.
As queijadas também são boas, mas prefiro as da Sapa. Um dia falarei de queijadas.

Uma delícia! Pena já terem acabado.

Consta que a receita dos travesseiros data de há 60 anos, quando uma senhora a quem chamavam Piriquita resolveu adaptar à sua maneira a receita dos Travesseiros de noiva. Como não tenho a receita dos travesseiros da Piriquita, aqui fica uma dos

Travesseiros de noiva
400 g de massa folhada
Ovos-moles de amêndoa (5 gemas e 140 g de açúcar)
40 g de amêndoa
Estende-se a massa folhada. Cortam-se quadrados, que se recheiam com ovos-moles. Enrolam-se e achatam-se um pouco. Levam-se ao forno a cozer em tabuleiros polvilhados com farinha. Ao sair do forno, envolvem-se com açúcar pilé.
(Maria Odete Cortes Valente - Cozinha regional portuguesa. Lisboa: Círculo de Leitores, 1988, vol. 4, p. 125)

Mas é melhor não arriscar: os da Piriquita devem ser bem melhores!

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Distracção, Eugénio Sanches da Gama (1885)

Se me quero distrahir
de algum novo desengano;
vou ao teu jardim ouvir
as vozes do teu piano.

tambem gosto de sentir
a tua voz de soprano,
ao fazer sobresahir
algum canto italiano,

Quando escuto esse lamento
de côro irlandez da Martha,
parece que o pensamento

d'este mundo se me aparta;
e no meu contentamento
digo á tristeza que parta!

Nota- transcrevi o poema conforme o original.

Eugénio Sanches da Gama, Primaveraes, Coimbra: Imprensa Progresso, 1885, p.51-52.

Lisboa estrelada, rua do ouro


E hoje é ...

Um quadro por dia - 14

- Carl Spitzweg, Der arme Poet ( O poeta pobre ) , óleo sobre tela, 1837, Alte Pinachotek de Munique.

Porque estes dias têm sido ocupados com muita poesia, lida.

Porque também gosto muito delas

FRUTOS

Pêssegos, peras, laranjas,
morangos, cerejas, figos,
maçãs, melão, melancia,
Ò música de meus sentidos,
pura delícia da língua;
deixai-me agora falar
do fruto que me fascina,
pelo sabor, pela cor,
pelo aroma das sílabas:
tangerina, tangerina.

- Eugénio de Andrade

Em cada estrela cadente


Em cada estrela cadente
Que vai perder-se no rio
Uma parte de mim parte
No mistério do navio.
x
Sou passageira da noite,
Num veleiro de luar.
O porto onde eu embarquei
É onde devo parar.
x
A onda que vem à praia
E volta de novo ao mar,
Abriu um lírio na areia
Que a brisa vem desfolhar!
x
Passem navios ao longe,
Num jeito de não parar!...
x
Natália Correia, Antologia Poética, Lisboa: D. Quixote, (Org. de Fernando Pinto do Amaral), 2002, p. 42-43.

Iman Maleki: um pintor iraniano.

Recebi gentilmente esta pintura de Iman Maleki que não conhecia. Obrigada João Mattos e Silva.

Iman Maleki pinta com um hiper-realismo fantástico. Gostei imenso deste pintor iraniano que nasceu em Teerão
x
Sem título

Vou mudar de secretária... por uns tempos



Mudança de ar... apenas. O trabalho continua...

Uma portuguesa no Tate Britain!

Esta tela chamou-me a atenção por ser uma portuguesa em Londres.
x
Augustin John, Madame Suggia, 1920-23
x
Óleo sobre tela, 186,7 x 165,1 cm, Tate Britain
x
Guilhermina Suggia nasceu no Porto, foi aluna de Pablo Casals e iniciou a sua carreira internacional aos 17 anos. Equiparou-se aos melhores intérpretes do seu tempo. Em 1914 foi viver para Londres onde ficou famosa como violoncelista solo, o que na época era raro!


Guilhermina Suggia plays Kol Nidrei from Max Bruch

Em Memória das mulheres na II Guerra Mundial!

Monumento em memória das mulheres na II Guerra Mundial,
a caminho de Trafalgar Square!


Adorei este monumento pela simplicidade e escolha escultural que nele aplicou o escultor. Não há dúvida os ingleses apreciam e valorizam a mulher!

Walking back to happiness

I wah-wah-wah-wah-wonder - Com estas palavras, interrogava-se Del Shannon em 1961 sobre os motivos que conduziram a sua namorada a abandoná-lo. Enjoy!


A primeira visita

Flores em Sintra - 2




Na Volta do Duche. Estas hortenses escaparam...
Alguém sabe como se chama esta flor amarela?

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

POEMA INVOLUNTÁRIO

Decididamente a palavra
quer entrar no poema e dispõe
com caligráfica raiva
do que o poeta no poema põe.

Entretanto o poema subsiste
informal em teus olhos talvez
mas perdido se em precisa palavra
significas o que vês.

Virtualmente teus cabelos sabem
se espalhando avencas no travesseiro
que se eu digo prodigiosos cabelos
não têm sua cor nem seu cheiro.

Finalmente vejo-te e sei que o mar
o pinheiro a nuvem valem a pena
e é assim que sem poetizar
se faz a si mesmo o poema.

Natália Correia, Antologia Poética, Lisboa: D. Quixote, (organização de Fernando Pinto do Amaral), 2002, p.116

Estrelas na rua do Ouro (Lisboa)


Desafio: Esta constelação hoje é um pouco mais fácil...

Rapsódia de Chabrier conduzida por Plácido Domingo!

Para terminar a noite na companhia de Plácido Domingo e Chabrier. Espanha, 3 de Dezembro de 2008

Amanhã já será outro horizonte

UUUUUU obdcm oooooo


Quando os grandes têm medo dos pequenos.
Rinoceronte de quem o elefante tem medo.

26 de Agosto de 1958 : Ralph Vaughan Williams

A 26 de Agosto de 1958 morria o compositor inglês Ralph Vaughan Williams, autor de sinfonias e outras peças "canónicas", bem como de bandas-sonoras de filmes. Foi também investigador e coleccionador da folk britânica, tendo composto peças baseadas em temas antigos.
Do youtube retirei esta primeira parte da Fantasia on a theme by Thomas Tallis. Como costuma dizer o nosso Filipe, enjoy !

Arte... conservação


Como um carimbo, mesmo no verso, pode prejudicar a conservação da arte.

Carimbo, diz: Atelier Museu Anjos Teixeira

Pubs!

Os Pubs eram lugares muito aprazíveis. Depois do jantar e de um longo dia a andar por todo lado, sabia bem entrar num dos Pubs e beber uma cerveja ou uma limonada...
x