Prosimetron

Prosimetron

quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Dora Maar na Tate Modern


Nos anos de 1930, as fotomontagens de Dora Maar ficaram como ícones do surrealismo. Ela também se dedicou à fotografia comercial, particularmente para moda e publicidade, e a documentários de caráter social. No clima político cada vez mais difícil que a Europa vivia então, Dora Maar subscreveu vários manifestos de esquerda, o que era invulgar para uma mulher da época.
O seu relacionamento com Picasso teve repercussões em ambas as carreiras, tendo ela feito um documentário sobre Guernica 1937. Picasso retratou-a no quadro Mulher chorando (1937).


A exposição pode ser vista até 15 de março de 2020.

Marcadores de livros - 1479

 

terça-feira, 19 de novembro de 2019

As minhas primeiras memórias de José Mário Branco

Fiquei chocada quando soube da morte repentina de José Mário Branco.

O primeiro disco de José Mário Branco. Acho que já falei dele aqui:

Um 45 r.p.m., editado em 1967, e que tem Sérgio Godinho como 2.ª viola e pandeireta e Raymond Guyot na flauta. 

Segundo disco de José Mário Branco, editado em 1969.

Primeiro LP, gravado em Paris, em 1971.

Leituras no Metro - 1043

Lisboa: Esfera dos Livros, 2019

Isabel Nery escreveu a primeira biografia dedicada à nossa maior poeta do século XX. «Isabel Nery compõe um relato da vida pública e privada de Sophia com detalhes pouco conhecidos e episódios saborosos, mas que quase nada nos diz da sua formação e evolução enquanto poeta.» (Luís Miguel Queirós) De qualquer modo gostei deste entrelaçar de que foi feita a sua vida (familiar, escritora e atividade cívica) e as viagens que a biógrafa fez para conhecer os lugares por onde Sophia andou.

El Gabinete de descanso de Sus Majestades

Nos 200 anos do Museu do Prado.

Bernardo López y Piquer - Maria Isabel de Bragança mostrando o Prado, 1829

Esta exposição pretende evocar um dos espaços mais singulares do Museu do Prado: El Gabinete de Descanso de sus Majestades. Esta sala pode ser visitada até ao próximo dia 24 de novembro.


A construção da imagem das rainhas portuguesas e espanholas do século XVI ao século XVIII


O Instituto Cervantes de Lisboa organiza, no quadro da Mostra Espanha 2019, um colóquio sobre a imagem das rainhas ibéricas dos séculos XVI ao XVIII no qual se discutirá e analisará a construção e evolução da representação real do século XVI à primeira metade do século XVIII. Perceber como vai mudando essa forma de retratar as rainhas dependendo do seu estado ou das funções que realizem e que elementos permanecem ou se alteram quando se mudam por matrimónio para outras cortes.
Participam neste colóquio: Susana Varela Flor, Carmen García-Frías Checa, Álvaro Pascual Chenel, Mercedes Llorente e Pedro Dias Ferreira de Almeida Flor. 
Amanhã, no Museu Nacional de Arte Antiga, às 9h00.

segunda-feira, 18 de novembro de 2019

Boa noite!


Marcadores de livros - 1478

Émile Laporte - Le rêve


O jovem trompetista

Norman Rockwell - Trompetista, 18 nov. 1950


Um quadro por dia - 472


Quatro telas de Achille Laugé ( 1861-1944 ), pintadas na década de 1890, foram à praça pública pela primeira vez, depois de terem estado todo este tempo nos descendentes do dr Victor Gaujon, médico contemporâneo do pintor e seu primeiro coleccionador.
Esta Nature morte aux deux vases,pommes et grenades, de 1893-1895, 60x73cm, é uma delas, oferecida ao dr Gaujon como presente de casamento.

( O leilão foi em Toulouse, a 25 de Setembro )

Pensamento ( s )


Quem é capaz de sofrer intensamente também pode ser capaz de intensa alegria

- Clarice Lispector

Agora que estou a ler uma fotobiografia prosimetronicamente oferecida  :)

Lá fora - 372





As influências recíprocas entre o pintor e a sétima arte, mostradas através de arquivos, filmes de Matisse e 83 quadros. No Museu Matisse em Nice.

Humor pela manhã


Bom dia !





Deixou-nos há 7 dias, mas a sua voz tinha-se calado há anos dada a frágil saúde. Foi dos primeiros a cantar Pessoa.

domingo, 17 de novembro de 2019

Boa noite!


A PIDE e os seus informadores


Paulo Silva relata-nos a ação de um importante informador da delegação da PIDE de Coimbra, Inácio, que denunciou entre 400 e 500 pessoas ao longo de mais de 35 anos. 
A partir dos relatórios de Inácio, a PIDE fica a conhecer os meandros da oposição em Coimbra e importantes áreas da região centro entre 1935 e 1971.
Luís Filipe Torgal apresenta este livro no dia 19 de novembro, às 18h30, no Museu do Aljube.

Marcadores de livros - 1477

Madrid: Puerta de Alcalá, Cibeles e edifício Metropolis.

Obrigada, Jad!


quinta-feira, 14 de novembro de 2019

Os meus franceses - 729


Vincenzo Gemito: o escultor da alma napolitana


Uma das personalidades mais fortes da arte italiana do final do século XIX, Gemito é autor de uma grande obra e variedade, na escultura e no desenho. Retratou celebridades como Verdi e o povo anónimo napolitano. A exposição «Vincenzo Gemito: Le sculpteur de l’âme napolitaine» pode ser visitada até 26 de janeiro de 2020 no Petit Palais (Paris).

Caixa do correio - 131

Mais três selos que vieram de França: Catedral de Notre-Dame (Estrasburgo), Relógio do Louvre e Grand Palais (Paris).

Um passeio por Estrasburgo e a sua catedral.

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

In memoriam Manuel Jorge Veloso



Leituras no Metro - 1042

Paris: Mercure de France, 2005

Félix Fénéon, crítico de arte, inaugurou uma secção bizarra no jornal Le Matin: «Les Nouvelles en trois lignes», que era composta por notícias de última hora recebidas no jornal e que foram publicadas como resumos nas páginas internas do jornal.
Tenho-me divertido com estas notícias tinham a ver com faits divers, bem com os fluxos do mercado financeiro ou o comércio marítimo.

«Depuis son enfance, Melle Mélinette, 16 ans, moissonnait sur les tombes de Saint-Denis les fleurs artificielles. Fini: elle est au Dépôt.» (p. 22)

Literatura policial ilustrada na Casa da Cerca


terça-feira, 12 de novembro de 2019

segunda-feira, 11 de novembro de 2019

Boa noite!



Parabéns, Margarida!

(Que fez anos no dia 3 e eu esqueci-me.)

 
Barcarena: Presença, 2019

«As imagens deixaram-nos estupefactos e em estado de choque. Fiquei à beira das lágrimas. Algo inestimável morria perante os nossos olhos. A sensação era desconcertante, como se a terra por baixo dos nossos pés estivesse a tremer.»
Ken Follett 

Este fim de semana estive a ler este pequeno livro que Ken Follett foi desafiado a escrever e cujos lucros revertem a favor da reconstrução da catedral. Nele, o autor descreve o que sentiu ao assistir pela televisão às imagens do incêndio, faz um pequeno relato da história da construção da catedral e escreve sobre a influência que a Notre-Dame exerceu na escrita de Os Pilares da Terra. Talvez me abalance a ler o seu livro mais popular.

Uns bolinhos para o seu lanche. 

Marcadores de livros - 1474


Parabéns, Arpose!

Para festejar este aniversário, nada melhor que umas castanhas e um vinho:
Nunca experimentei este Quinta de S. Francisco licoroso doce 20 anos.