Prosimetron

Prosimetron

sábado, 12 de janeiro de 2019

quinta-feira, 10 de janeiro de 2019

quarta-feira, 9 de janeiro de 2019

Os meus franceses - 667


Vinheta : Na Venezuela


Este antigo motorista de autocarro, que ainda não se tem certeza hoje se é colombiano ou venezuelano de nascimento, toma posse amanhã novamente da presidência de um dos países mais ricos em recursos naturais da América do Sul. O mesmo país que é cada vez mais uma nação à deriva, um estado profundamente dividido. Eleito com 67% dos votos, mas numa eleição reputada como fraudulenta pela União Europeia, pela OEA, pelos países vizinhos. Pobre Venezuela, e pobres milhares de portugueses e lusodescendentes que ainda lá estão ...

Humor pela manhã


Bom dia !





Agora que a Parlophone lançou uma completa antologia deste grande nome do hexágono.

O Cavalheiro com Arma


Em 1979, Forrest Tucker, criminoso desde novo, fugiu da prisão de San Quentin, na Califórnia, e começou uma série de assaltos, na sua maioria a bancos. Essa foi apenas uma de várias fugas da prisão.
Em 2003, um ano antes da morte de Tucker, o jornalista David Grann escreveu sobre este personagem na revista The New Yorker, artigo que foi agora adaptado ao cinema por David Lowery. 
Robert Redford, que já anunciou que este é provavelmente o seu último papel no cinema, encarna Tucker, à frente de um elenco com Sissy Spacek, Casey Affleck, Tom Waits, Danny Glover e John David Washington.


Marcadores de livros - 1248


Thank you, Justa!

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

Boa noite!


Menina calçando a meia

Menina calçando meia. Escultura de Leopoldo de Almeida.
Lisboa, Estufa Fria, Parque Eduardo VII

(Estufa-Fria, 1966)

Não te mexas.

O futuro é perder o equilíbrio,
cair até bater no fundo
de uma insónia hora a hora
interrompida para respirar
à superfície da luz.

Não te mexas, ainda.

Não hesites, não assustes o sonho
pousado em teia sobre ti,
não agites as águas.
E talvez a vida se deixe
ficar à margem
com os seus dias armados de pedras.

Inês Dias

Marcadores de livros - 1247

Marcador chinês de metal dourado com flores de lótus (em cima) na sua embalagem; em baixo, o envelope. Lindérrimo! (É pena ter ficado mal digitalizado...)
Obrigada, Sandra!

segunda-feira, 7 de janeiro de 2019

Os meus franceses - 666


Marcadores de livros - 1246



Leituras no Metro - 1002

Lisboa: Relógio d'Água, 2005

Acabei de ler o livro de entrevistas que Dominique Petitfaux fez a Hugo Pratt sobre a sua vida. Gostei imenso. Nele se fica a saber sobre a vida aventurosa e de viajante incansável que foi Hugo Pratt, bem como o que leu e estudou para elaborar as suas bandas desenhadas.
DE Hugo Pratt só conheço os livros de Corto Maltese. Não sabia que Hugo Pratt tinha feito BDs sobre a história dos Estados Unidos, chegando mesmo a
Descendente de franco-ingleses, judeu-espanhóis e turcos, Hugo Pratt nasceu nos arredores de Rimini (Itália), e passou a maior parte da infância em Veneza. Despertou para a sua o desenho na Etiópia, para onde foi aos dez anos e onde viveu seis anos. Na Etiópia desenhou em vários cadernos o que via, cadernos que a mãe mais tarde queimou. Anos depois voltou a Veneza, onde viveu a queda do fascismo, habitou treze anos em Buenos Aires, regressou a Itália,  viveu em Paris e instalou-se na Suíça, perto do Lago Léman, nos últimos dez anos da sua vida. Isto tudo com muitas viagens («peregrinações») pelo mundo inteiro. 
Perito na cabala, iniciado no vodu e na maçonaria, falante de várias línguas, Hugo Pratt surge-nos neste livro, muito ilustrado com desenhos seus, como um personagem ainda mais fascinante do que Corto Maltese. A amizade foi o laço que Hugo Pratt mais cultivou.

p. 287-288


domingo, 6 de janeiro de 2019

Boa noite!

O patinador Denis Ten faleceu em 2018 com 25 anos.

J. S. Bach e a Epifania

Da sexta cantata da Oratória de Natal de Johann Sebastian Bach, composta para o dia da Epifania, segue o coro final. A todos, um bom domingo!

 

Humor pela manhã


Um telegrama


Florença: Capela dos Magos

Não conhecia o Palácio dos Médici e no Verão fui ver a magnífica Capela dos Magos.



A capela (de 1459) está decorada com frescos, obras primas do florentino Benozzo Gozzoli. Nas três paredes maiores está representada a Cavalgada dos Magos, um tema religioso que serve de pretexto para representar toda uma série de retratos de família e de personagens políticas da época, vindas oficialmente a Florença a convite dos Médici, retratando a celebração da conquista política da família. Entre as personagens representadas encontra-se um jovem, Lourenço o Magnífico, o seu pai, Pedro, il Gotoso, e o chefe da família, Cosme de Médici. 
Sobre o altar encontra-se, atualmente, uma cópia de finais do século XV da original Natività de Filippo Lippi, cujo original se está em Berlim.