Prosimetron

Prosimetron

sábado, 27 de maio de 2017

Boa noite!



Humor pela manhã



Artistas há muitos :)

Bom dia !





Do mais recente álbum desta brasileira .

Marcadores de livros - 719

Uma amiga vampiresca (a quem agradeço) deu-me estes marcadores dos n.ºs 4 a 11 da nova coleção Vampiro. Parece que os n.ºs 1 a 3 não são acompanhados de marcador. E os próximos estão prometidos. :)

O Olhar da Sibila – Corporalidade e Transfiguração.

Pomar - Le bain turc, d'après Ingres, 1968
Rui Sanches - Madame Récamier, segundo David
Li Yousong - Sem título, 1999

«A metamorfose do corpo, interpretada por artistas dos séculos XX e XXI em oitenta e uma obras, mostra-se em O Olhar da Sibila – Corporalidade e Transfiguração.
«A exposição constitui uma iniciativa pioneira ao reunir obras de arte pertencentes a seis colecções institucionais, que revelam o trabalho de dinamização cultural e artística de outras tantas fundações: Fundação Arpad Szenes – Vieira da Silva, Fundação Caixa Geral de Depósitos – Culturgest, Fundação EDP, Fundação Millennium bcp, Fundação Oriente e Fundação PLMJ.
«Entre os 37 artistas representados contam-se Maria Helena Vieira da Silva e Arpad Szenes, Helena Almeida, Julião Sarmento, Noé Sendas, Ângela Ferreira e Fernanda Fragateiro, Susanne Themlitz, Leonor Antunes, Li Yousong, Adriana Molder ou ainda Ramiro Guerreiro entre outros. São da sua autoria os trabalhos expostos, em fotografia, vídeo, desenho, pintura, escultura e instalações, a par de um conjunto de livros de artistas.»
Ana Vidigal - Bild date, 2002
Fernanda Fragateiro - Estante e coleção de livros de autores que se suicidaram, 2000
(Em baixo, alguns dos livros expostos.)

Ana Vieira - Sem título, 1968
Ana Jota - LDJ, Luz de Jota, 2001
Nuno Barreto - Mesa comum 3, 1999 
Nuno Barreto - Noiva manchu, 1992
Guo Jin - Little chair, 2002

Exposição patente até dia 18 de junho, no Museu do Oriente, tem alguns quadros bastante bonitos, para além dos de Arpad Szènes.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Boa noite!

Humor pela manhã



Uma das respostas a que achei mais graça foi : " Pode tentar domesticá-los "  :)

Bom dia !





Irresistível o jazz-soul desta cantora de origem senegalesa .

Marcadores de livros - 718

Quatro perdizes. Vitral, ca 1500.
Paris, Musée du Moyen Âge

Para APS.

Parabéns, APS!

Um dia feliz, com uma visita virtual ao Museu da Caneta:


O Gosto


Augusto César Ferrari (1871-1970)
I gíusti, 1912

(óleo sobre madeira)

Os gostos, tinha de ser a minha escolha para o APS que hoje festeja o seu aniversário. Espero que tenha como presente um bom livro e uma boa comida.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

La biblitohèque, la nuit


A BnF apresenta uma exposição, até 13 de agosto, realizada pelo cenógrafo Robert Lepage e pela Ex Machina, a partir de uma ideia original da biblioteca e dos arquivos nacionais do Québec. Inspirada na obra de Alberto Manguel, a exposição foi enriquecida com uma introdução sobre o imaginário das bibliotecas, concebida pela BnF a partir das suas coleções. 


Um gato olhando-se no vidro

Por uma janela vi um gato que se olhava em uma outra janela...



...ou estaria ele também a espreitar alguém do outro lado da janela?

Bom dia a todos!

Ilustração de Alice Rey Colaço, ca 1920.

Marcadores de livros - 717

Rosa Bonheur - Labourage nivernais: le sombrage, ca 1849 (pormenor)
Paris, Musée d'Orsay


Hokusai: Beyond the Great Wave


Esta exposição abre hoje no British Museum e pode ser visitada até 13 de agosto.


Falcó


O anúncio na rua...

Falcó é um ex-contrabandista de armas que se converte em espião sem escrúpulos. É o novo herói criado por Arturo Pérez-Reverte. Embora o livro tenha saído em novembro de 2016 a minha edição, que me foi hoje oferecida, é a quarta (com data de janeiro de 2017).  
Estamos no Outono de 1936, num comboio a caminho de Barcelona...

... o livro que me aguardava no quarto.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Cerejas

Pierre-Auguste Renoir
Pêches et Cerises

Dedicado a Miss Tolstoi que faz anos no tempo das cerejas.
Já ficam dados os parabéns.

Boa noite!

Rodin

Estreia hoje em França o filme Rodin, de Jacques Doillon. Espero que venha aí...

Bom dia !





O rei da música congolesa . As temperaturas já pedem estes ritmos !

Marcadores de livros - 716

É o primeiro marcador de Bob Dylan que tenho. Dos livros constantes no reverso, hei de ler a autobiografia de Bruce Springsteen.

Gracias, Luisa!

Auto-retrato(s) - 253

Bob Dylan - Autorretrato
Pertenceu a Joan Baez e foi leiloado pela Sotheby's no dia 10 dez. 2016.

Bob Dylan faz hoje 76 anos.


Genuína fazendeira



Se ontem me tivessem perguntado quem era o autor do quadro?


Se ontem me tivessem perguntado quem era o autor do quadro? Eu não teria acertado!

Depois de Margarida Elias ter respondido, completo a informação com uma explicação do próprio Museu:


segunda-feira, 22 de maio de 2017

Boa noite!


Te recuerdo Amanda
La calle mojada
Corriendo a la fábrica
Donde trabajaba Manuel

La sonrisa ancha
La lluvia en el pelo
No importaba nada
Ibas a encontrarte con él
Con él, con él, con él, con él, con él…

Son cinco minutos
la vida es eterna en cinco minutos
suena la sirena
de vuelta al trabajo
y tu caminando
lo iluminas todo
los cinco minutos
te hacen florecer

Que partió a la sierra
Que nunca hizo daño
Que partió a la sierra
y en cinco minutos quedó destrozado
Suena la sirena
De vuelta al trabajo
Muchos no volvieron
Tampoco Manuel

Viver, morrer e viver



“Viva hoje! Arrisque hoje! Faça hoje!
Não se deixe morrer lentamente!
Não se esqueça de ser feliz... Feliz... Arriscar Fazer, para Viver Feliz!”
                                                                                                      Pablo Neruda
(O meu pôr do sol, fotografado no dia 21-05-2017)

Arte Urbana - fora de portas

Ao virar da esquina somos surpreendidos por um olhar conhecido numa arte conhecida.
Numa rua do mundo
 
 

Um quadro por dia - 364


Este Sem título é de 1982, quando Jean-Michel Basquiat ( 1960-1988 ) ainda era um desconhecido no mundo da arte e pintava nas ruas e paredes de Nova Iorque. Uma tela de 2x2m, com aerosol, óleo e acrílico.
Foi vendida na Sotheby's de Nova Iorque, a 18 de Maio, por uns extraordinários 110 milhões de dólares, que quase dobraram a avaliação pré-leilão de 56 milhões. Um recorde para um pintor das últimas décadas.

Pensamento ( s )



Não sabemos o que a manhã nos traz .

- Grigory Rasputin, 1914 .

Lá fora - 311





Uma nova perspectiva sobre a primeira mulher de Picasso, Olga Khokhlova, e mãe do seu filho Paul , que prescindiu da sua carreira nos Ballets russes para se tornar a primeira musa do pintor, graças sobretudo a documentos recuperados por um dos curadores, Joachim Pissarro.



Olga Picasso, até 3 de Setembro, no musée Picasso, Paris.




Humor pela manhã


É verdade que a concorrente não parece muito convicta da resposta que deu, mas quem se mete nelas ...

Bom dia !





Assinalando os 250 anos da morte do genial Georg Philipp Telemann ( 1681-1767 ) . Boa semana !

As palavras, como é hábito


Qual o poder do Autor, num mundo onde as palavras foram substituídas por números que subtraem, omitem ou rasuram as pessoas? Apesar do cerco actual, aprendemos com outros cercos e sobrevivemos a outros perigos e ameaças. A nossa história foi-se construindo na ilusão, um pouco louca, um pouco presunçosa, de nos anteciparmos a nós próprios a fim de estabelecer a ponte entre isto e aquilo.
Escrever, criar, sonhar não são, apenas, representações: são projectos e projecções ideológicos, e renovadas relações entre História e memória. Não há que fugir a isto: ao compromisso exemplificado na declaração tremenda de que a batalha pela liberdade de criação implica a recusa da mentira e uma permanente resistência à opressão e à tirania. Temos de estar cada vez mais atentos e cautelosos. As minúcias do cerco tornaram-se extremamente subtis e, por isso mesmo, mais operativas. Querem fazer-nos crer na fragilidade da palavra, na fugacidade da arte, na desimportância do acto de pensar. Acaso essas afirmações possuam algo de verdadeiro. Porém, a opção cultural não é questão de previsões, de cálculos, de estatísticas - exactamente porque estamos a falar da condição humana, a argila com a qual o Autor molda a natureza das suas imperfeições, na procura de uma improvável perfeição.
O nosso horizonte nasce e amplia-se através de fortes imperativos éticos e de consistentes decisões morais. A estética resulta do almofariz onde se procede a essa fusão, e a invenção de formas provém da probidade com que trabalhamos no nosso ofício. O Autor não é uma criatura neutra e muito menos independente ou imparcial. Escrever, criar, sonhar são sempre lugares de encontro e de procura do outro. Interpelar é tomar o partido da compreensão, para se refazer o caminho. Responsáveis pelas nossas palavras, poderemos vir a ser culpados de as utilizar sem a autoridade moral e a nobreza por elas exigidas. Com o tempo e com a prática aprendemos que as coisas insignificantes devem ser tratadas com a maior seriedade.
Talvez o mundo de outrora fosse mais simplificado, sem deixar de ser menos complexo ou perigoso. Enfrentámo-lo na certeza de que as palavras continham, no seu bojo, a magnitude da esperança, e a crença de que poderiam modificar as coisas e os destinos. Enfrentámo-lo no limiar do desassossego que torna cúmplices o coração e a razão.
Enfrentámo-lo e aqui estamos, herdeiros de um legado de insubmissão e de altivez. Aqui estamos, para o que der e vier. Com as palavras, como é hábito. 

Baptista-Bastos
(Texto lido no Dia do Autor, 22 maio 2007)

O Compromisso da Misericórdia



Helga Maria Jüsten fala amanhã sobre este livro com 500 anos, no Museu de São Roque, às 18h00: O Pentacentenário do primeiro Compromisso impresso: 1516-2016


domingo, 21 de maio de 2017

Boa noite!


Bases de copos - 47

Há dias fui com umas amigas tomar um copo ao Infame, bar do hotel 1908, no Intendente. Sítio muito simpático. Ficámos nesta mesa:


A Ópera Chinesa



Encontra-se no Museu do Oriente a exposição A Ópera Chinesa, que provém da colecção Kwok On. Podemos ver cerca de 280 peças tais como trajes, perucas, toucados, modelos de maquilhagem, marionetas, gravuras, pinturas e instrumentos musicais, bem como fotografias e vídeos.


«Considerada um dos tesouros culturais da China, a ópera tradicional surgiu em finais do século XI, agregando elementos de formas artísticas bastante mais antigas. É uma síntese de várias artes, que engloba canto, música, fala, mímica, dança, técnicas de maquilhagem, acrobacia e artes marciais com manipulação de adereços como armas, barbas e leques.
 
 

«Tradicionalmente representada sem cenários, e com um vasto repertório, a principal característica da ópera chinesa é estar no ponto oposto do realismo. A voz nunca é natural e os movimentos, muito estilizados e simbólicos, exprimem os sentimentos da personagem de acordo com um rigoroso imperativo estético.
«É este universo pleno de simbolismo e grande riqueza material, que a exposição A Ópera Chinesa se propõe mostrar, através das histórias, objetos e personagens que a compõem.
«Mergulhando os visitantes na experiência do espetáculo, na entrada da exposição encontra-se a reconstituição de um cenário de ópera, um vídeo de uma atuação, instrumentos musicais das óperas de Pequim e Cantão e a recriação do camarim da aclamada estrela operática Mei Lan-Fang (1894-1961). «Tal como as representações de ópera eram muitas vezes antecedidas de bailados ou danças propiciatórios, também a exposição apresenta vestes, máscaras e outros acessórios usados nestes rituais que visavam garantir a protecção dos deuses para os actores e público.»

A exposição pode ser vista até final de 2018.