Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 7 de junho de 2014

Boa noite!

Dean Martin faria hoje 97 anos.

Dos Almanaques - 18


«Há sempre nas praias uma menina que recita.
«De pé, quase sempre vestida de branco, recita versos azuis. Quero dizer, versos etereamente românticos. Enquanto ela recita, a mãe põe os olhos no chão. As outras senhoras põem o leque diante da cara.
«Alguams vezes, a menina engana-se, falta-lhe a memória. Nem para trás nem para diante.
«Então lança mão de um recurso supremo: desmaia.
«- Um médico! Não está aí um médico?
«Numa praia estão sempre quatro médicos, pelo menos.
«Vem um.
«- Isto não é nada, passa já.
«Mas o irmão mais novo da menina desmaiada foi, a correr, buscar a casa o Almanach das Senhoras.
«E, reanimada por este auxílio, a menina continua a recitação [...].»
Alberto Pimentel - Manhãs de Cascaes. Lisboa: Ferin, 1893, p. 17-18

Livros de cozinha - 81

Soube pelo jornal Metro que Gwyneth Paltrow publicou um livro de cozinha, It's all good (New York: Grand Central Life & Style, 2013), cujo lema é «zero café, zero pão e  zero diversão», o que para mim não dá. Nada de café e nada de pão?! Não!
O jornal Metro (29 maio 2014) reproduziu algumas receitas, entre as quais um «pequeno-almoço rico em proteínas» que aqui reproduzo:

Isto é saudável? Até tem couve frita e um ovo estrelado... Mal por mal, prefiro o meu rico pequeno-almoço inglês (com torradinhas, ovos, baked beans e tudo), que preparo de vez em quando. Hoje não, porque comi-o no sábado passado. E soube-me que nem ginjas!... :)

E quem é ...


... o prosimetronista que anda pela Cidade-Luz ?

Onde vou estar esta manhã


Quem conhece? É em Lisboa, para ajudar.

Humor pela manhã


Bom dia !

"El color del agua"

A minha hortênsia, Hydrangea macrophylla


 Mil pequeños peces blancos 
Como si hirviera 
El color del agua 

E. Konishi Raizan (1657-1706) 
(cortesia do Google)

Bom sábado!

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Boa noite!

Grande Guerra - 1

Esta exposição apresenta objetos e estruturas encontrados pelos arqueólogos na frente e na retaguarda da Guerra.  A ênfase da mostra é colocada no modo como preservar este frágil e ameaçado património militar, e na reflexão sobre o modo como proteger os locais de memória, cujo desaparecimento está ameaçado, quer por ser frágil, quer pela pilhagem ilegal causada pelo isolamento desses mesmos lugares.
Esta exposição pode ser vista até final do ano, em Estrasburgo.
Catálogo em:
http://www.musees.strasbourg.eu/uploads/documents/presse/A%20l_Est/DP-FR-alest_web.pdf

Leituras no Metro - 162


Ce livre est toute ma jeunesse;
Je l'ai fait sans presque y songer.
Il y parait, je le confesse,
Et j'aurais pu le corriger.
... ...
Et ne me condanme qu'en somme:

Mes premiers vers sont d'un enfant,
Les seconds d'un adolescent,
Les derniers à peine d'un homme.

Musset

A poesia de Musset é, quanto a mim, francamente positiva. :)


Parabéns Velázquez!

Diego Velázquez nasceu a 6 de Junho de 1599 em Sevilha.

Diego (detalhe) na tela As Meninas, 1656, 
Museu do Prado

Diego Velázquez, Cristo na casa de Marta e Maria, 1618, 
National Gallery (Wikimedia Commons)

Para MR


Um BOM DIA. Com um sorriso!

Caminhos da Liberdade - III

Desembarque na Normandia.

6 de Junho de 1944

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Boa noite!


No Dia Mundial do Ambiente.

Amanhã no Porto


Números


670 milhões

As remessas enviadas por portugueses para Portugal no primeiro trimestre de 2014, dos quais um terço vem de França.

Em Mafra

Assinala-se amanhã o tricentenário do nascimento do Rei D.José I com o seminário " OS MESTRES DO REI ". Inscrições e mais informações em osmestresdorei@gmail.com

Telheiras: Jacarandás

Telheiras, 4 jun. 2014

Leituras no Metro - 161

Arles: Actes du Sud, 2011

De A a Z, os autores recensearam locais imaginários que nos chegaram através de relatos de viagens, ou da própria literatura, seja dos contos de fadas como da ficção científica.
Assim temos Fonseca, uma ilha referida num relato de viagem, ou o Castelo da Bela Adormecida e o Castelo do Drácula.
Escolhi como amostra a entrada «Poliglota»: «Ilha do Mar Vermelho, onde vive uma raça versátil, a dos Poliglotas. Esta gente, que fala todas as línguas, paralisa de estupor o estrangeiro que ali chega, podendo assim comê-lo cru no local. Coisa nunca vista em Paris, apesar da lenda popular, Na mesma ilha, mas do lado oposto, vivem homens de nove metros de altura, cujo corpo, feito de mármore branco, tem asas de morcego. À noite, utilizam as suas orelhas como colchões e coberturas. Assim que um homem destes vê um outro ser humano, ele veste-se com os seus imensos órgãos auditivos e escondem-se nos desertos interiores.»
Baseado num relato anónimo, Liber monstrorum de diversis generibus, século IX. Trad. minha.


Um livro para ir consultando...

Carl Larsson - L'imagier de la Suède

No Petit Palais até sábado.



E mais um bónus:

Caminhos da Liberdade - II



5 de Junho de 1989

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Os meus franceses - 332


C'était le 4 juin
Le soleil tapait depuis le matin
Je m'occupais de la vigne
Et mon frère chargeait le foin
Et l'heure du déjeuner venue
On est retourné à la maison
Et notre mère a crié de la cuisine:
«Essuyez vos pieds sur l'paillasson»
Puis elle nous dit qu'elle avait des nouvelles
De Bourg-les-Essonnes
Ce matin Marie-Jeanne Guillaume
S'est jetée du pont de la Garonne
[...]

"os teus antepassados?"

Tradução de Maria Helena da Rocha Pereira, Hélade, p. 378 in "Atenas, uma Democracia?" (Conferência realizada na Faculdade de Letras do Porto em 17-04-1989 pelo Professor Doutor José Ribeiro Ferreira (UC).*), pp. 171-187.

Atena e Heracles na Ática, 480-470 a.C.

Afirmação de Atena nas Euménides de Ésquilo (vv- 696-699) *

Geribéria II

A minha geribéria está a ficar com o centro amarelo. Assim, está a perder a sua parecença com o girassol.

Caminhos da Liberdade - 1

China, Pequim, Tiananmen square
Junho, 1989


Dia (s) Histórico (s) - II

Pequim, China, 1989


Armado com sacos plásticos parou a coluna de tanques!
Que grande exemplo para a Humanidade! 
 
(Ninguém sabe o seu nome, nem o que lhe aconteceu depois, mas salvou vidas)
Passaram hoje 25 anos.

Dia ( s ) histórico ( s )


Em Espanha, pois claro. E depois dos comentários ao meu primeiro post sobre a abdicação de D.Juan Carlos, sinto-me obrigado a dizer algo mais : Em primeiro lugar, não há nada em termos formais, jurídicos, que obrigue a um referendo sobre o regime. A Constituição de Espanha de 1978, referendada por quase 90% dos espanhóis, prevê a sucessão automática no trono, seja por morte ou como agora por abdicação. Há um herdeiro, conhecido desde sempre. Não podemos é exigir o respeito pelas constituições quando nos convém e o contrário quando não nos agrada ... Mas mesmo quem entenda que a vontade popular pode sobrepor-se em momentos como este, vi que apenas uns milhares ou umas dezenas de milhares de cidadãos andaram pelas ruas a exigir a república. Se fossem uns milhões, aí realmente havia um problema.
Quero eu dizer com isto que os que agora se manifestaram são os de sempre, aqueles que já contestavam a monarquia e queriam a república.
Por outro lado, não gostei nada de ver, como se constata na foto que está acima, as guilhotinas escolhidas por certas organizações que foram para as ruas para " ilustrar " as suas convicções. Só confirmaram o que penso há muito sobre muitos dos republicanos espanhóis, especialmente os da extrema esquerda : raivosos, ressabiados, invejosos. Em suma, perigosos.

P.S. - Não tenho o ainda Rei de Espanha como ser imaculado, tanto no plano oficial como pessoal, mas resumir 39 anos de reinado ao " caso dos elefantes " e às louras só por distracção histórica ou má vontade.
Até a D.Pilar ( Saramago ) foi mais sensata nas suas declarações...

Bom dia !





Do novo álbum do cantautor de Brest.

Mercado da Ribeira

Fotos de Yadid Levy, anteriores à remodelação do mercado.

Ainda não fui ao novo Mercado.

Dos Almanaques - 17


«O Almanaque tudo diz, tudo mostra, tudo desvenda, tudo patenteia, tudo explica, tudo aclara, tudo ensina.
«Tem tudo quanto tinha a Folhinha, aumentado de tudo quanto encerram os Tratados. É informativo, é elucidativo, é recreativo. É Borda d'Água e Larousse. É Seringador e é Enciclopédia.»
Alfredo Mesquita - Memórias de um fura-vidas. Lisboa: Parceria Antonio Maria Pereira, 1905, p. 186




terça-feira, 3 de junho de 2014

Boa noite!

In memoriam Karlheinz Böhm


Karlheinz Böhm faleceu no passado dia 29 de Maio. 
A geração cinéfila dos anos 5o recordar-se-á deste actor no papel do Imperador Francisco José I ao lado de Romy Schneider na trilogia “Sissi”. 
Fillho (único) de um dos mais importantes maestros do século XX, Karl Böhm, e da soprano Thea Linhard, iniciou, no final dos anos quarenta, a sua actividade como actor no conceituado Burgtheater de Viena e, mais tarde, no Theater in der Josefstadt. Seguiram-se os primeiros êxitos no cinema alemão e austríaco.
O ano de 1955 foi determinante na sua vida e carreira: nasce a primeira filha que se chama “Sissi” – não em homenagem à imperatriz como seria de esperar, mas sim em homenagem ao seu primeiro (e platónico) amor de juventude. O pai reabre com um magnífico “Fidelio” a Ópera Estatal de Viena (Wiener Staatsoper), destruída durante a segunda guerra mundial. E claro – o realizador Ernst Marischka oferece-lhe o papel de Franz Joseph I para a sua trilogia sobre a vida da Imperatriz Elisabeth “Sissi” (1955 – 1957). 
Os filmes tornaram-se um enorme sucesso em toda a Europa. Karlheinz e Romyrapidamente ascenderam ao estatuto de ídolos.“Após a trilogia, poderia ter interpretado centenas de imperadores, reis e príncipes herdeiros. Recusei estas propostas”, referiu Böhm na sua autobiografia de 2008, “Suchen – Werden - Finden”. Mas ao contrário de Romy que sofrera com o cliché de Sissi durante toda a sua vida, Böhm afirmava “ter feito as pazes com Sissi”. 
 
A tentativa de fugir à “imagem de um porquinho de maçapão que impedia qualquer evolução” (entrevista à Cosmopolitan) falhou no entanto. As experiências em Hollywood não resultaram. Durante doze anos, não recebeu uma única proposta de realizadores alemães, até que Rainer Werner Fassbinder, enfant terrible do cinema alemão da década de 70, o descobriu para três películas: Effi Briest (1972-1974), Faustrecht der Freiheit (O direito do mais forte à liberdade, 1974) e Mutter Küsters Fahrt zum Himmel (A mãe Küster vai para o Céu, 1975).
A vida de Karlheinz Böhm mudou radicalmente em Maio de 1981, quando, num concurso de televisão alemão, perdeu uma aposta e se comprometeu a angariar fundos para a população faminta na Etiópia. Encontrou então o sentido e a missão da sua vida: criou a organização humanitária "Menschen für Menschen" para ajudar os etíopes e combater a pobreza e injustiça. Ao lado da sua mulher Almaz (etíope), desempenhou assim o seu papel mais notável de toda a sua carreira e vida.
 

Bom dia !





Uma voz nova norte-americana, e que estará em Portugal este mês ( Festival de Paredes de Coura ).

Pensamento ( s )



Não é o sofrimento das crianças que se torna revoltante em si mesmo, mas sim que nada justifica tal sofrimento.

- Albert Camus

Era para o ter aqui trazido no passado Domingo, mas não me foi possível .

Elegâncias - 109

Hoje trago sapatos da coleção de Charlotte Olympia. Todos lindos e económicos. :)

Catch of the Day, €915,00
Leila, €915,00
Maiden Voyage, €1475,00

segunda-feira, 2 de junho de 2014

O homem que sabia de mais

Pois... este filme de Alfred Hitchcock, na sua versão de 1956, foi o tema do almoço, hoje. Pouco antes tinha visto uma Gare, grandiosa.


Sim, esta canção de Doris Day é desse filme.
Ganhou o Oscar da música para o ano de 1957.

Boa noite!

De Marrocos, hoje vamos para Espanha.

Leituras no Metro - 160

Koutoubia
Montanha do Atlas, perto de Marraquexe

«Quem quer compreender Marraquexe deve começar por subir ao telhado do Bahia ao pôr-do-sol.
«A cidade-oásis do sul espraia-se aos nossos pés, plana e vasta como o enorme acampamento nómada que é na realidade, os telhados baixos estendendo-se por todos os lados até uma faixa de palmeiras azuis rodeadas pelo deserto. Só há dois ou três minaretes e umas cassa da nobreza entre jardins a quebrar a planura geral; mas quase não se dá por eles, de tal modo os nossos olhos são irresistivelmente atraídos para dois objetos dominantes – a parede branca do atlas e a torre vermelha de Koutoubia.»
Edith Wharton - Em Marrocos. Mem Martins: Europa-América, 2007, p. 81

Livro escrito em 1920.

Dia histórico


Há muito tempo que não via tanto a TVE ...

Humor pela manhã



É bem verdade, o pior é o dia seguinte ... :)

Livros de cozinha - 80

Lisboa: Verbo, 2007

Mais uma receita marroquina, desta vez um caracol:



Bom dia !





O grande Sun Ra, figura lendária do Jazz e uma das figuras a evocar em 2014, ano do centenário do seu nascimento.

domingo, 1 de junho de 2014

Boa noite!

Parabéns, Filipa Martins! Parabéns, Diana Abrantes!

Não sou grande aficionada de desporto, mas gosto de atletismo (muito), ginástica e hóquei em patins. E vejo alguns jogos de futebol.
Soube ontem que o Campeonato Mundial de Ginástica Artística esteve a decorrer em Anadia. Segui algumas provas pela tv.
Filipa Martins ganhou três medalhas: bronze, prata e ouro, respetivamente em saltos e nas paralelas assimétricas. 
Diana Abrantes conquistou a medalha de bronze na trave.