Prosimetron

Prosimetron

sábado, 16 de maio de 2015

Os meus franceses - 394

Em 2001 saiu o álbum de cima com 3 cd; em abril passado, uma nova edição edição (a de baixo) acrescida de mais dois cd. 
Sobre o álbum, ler:
http://www.funku.fr/2015/stephane-lerouge-devoile-le-contenu-inedit-du-cinema-de-serge-gainsbourg/

Quem é o chaperon?

Alan Kingsbury - Little chaperone, 2003-2004

Vai um cafezinho?

Renoir - No fim do almoço, 1879

Feira do Livro

Está quase a acabar. Hoje, em vez de passear pela Rua Anchieta, que tal um saltinho até Madrid?

Visite um Museu no Dia Internacional dos Museus

MUSEU NACIONAL DE ARTE ANTIGA



Lágrimas


Não há no mundo palavras tão convincentes como as lágrimas.

Lope de Vega (Citador)

Pegando na citação de Lope  de Vega remeto para o livro de Günter Grass:



A cebola tem muitas camadas. Existem em maioria. Mal é descascada, renova-se. Cortada, provoca  lágrimas. Só ao descascá-la fala verdade.

Günter Grass, Descascando a cebola. Autobiografia 1939-1959. Cruz-Quebrada: Casa das Letras, 2007, p. 11

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Boa noite!

Saiu há dias este novo álbum de Keuth Jarrett.

B. B. King e a sua Lucille


«The blues was bleeding the same blood as me.»
B. B. King

Faleceu ontem um dos maiores guitarristas de jazz. Tinha nascido numa plantação de algodão, no Mississipi, em 16 set. 1925.

Leituras no Metro - 212

Na coleção D, da INCM, dirigida e pensada por Jorge Silva, acaba de sair um livro dedicado ao ilustrador João da Câmara Leme, capista da Portugália, com capas e ilustrações sempre reconhecíveis, já por aqui andou algumas vezes.
Uma grande alegria para mim, a publicação deste livro, que sou uma grande fã do trabalho de Câmara Leme. Lembro-me das capas dele, desde miúda, dado que ilustrou muitas das coleções Biblioteca dos Rapazes e Biblioteca das Raparigas.
Foi também o capista dos livros de José Gomes Ferreira e José Régio, da coleção Poetas de Hoje, etc., etc.
O livro reproduz ainda algum trabalho de Câmara Leme para publicidade.

Lisboa: INCM, 2015
Lisboa: Portugália, 1961. (Biblioteca das Raparigas)
Esta capa não a identificaria como sendo de Câmara Leme.

Lisboa: Portugália, 1961. (Livro de Bolso)
Lisboa: Portugália, 1961. (Livro de Bolso)
Lisboa: Portugália, 1966
Lisboa: Portugália, 1966. (Col. Os Pequenos Pioneiros)
Il. para A Bela e o Monstro, de Leprince de Beaumont.
Lisboa: Portugália, 1968. (Col. Os Pequenos Pioneiros)
Il. para Figuras Figuronas, de Maria Alberta Menéres.
Lisboa: Portugália, 1969. (Col. Os Pequenos Pioneiros)

Lisboa: Portugália, 1965
Lisboa: Portugália, 1963

Não coloquei a capa maravilhosa que JCL desenhou para as Aventuras maravilhosas de João Sem Medo porque ela já andou aqui noutras guerras.

Bom pequeno-almoço - 44


quinta-feira, 14 de maio de 2015

Boa noite!

Three Flapper Girls

Dois ramos de flores (sem espigas)

Azulejos
Campo Grande, 15 maio 2015

Para os Prosimetronistas e visitantes.

No Dia da Espiga



O teu riso 

Tira-me o pão, se quiseres,
tira-me o ar, mas
não me tires o teu riso.

Não me tires a rosa,
a flor de espiga que desfias,
a água que de súbito jorra na tua alegria,
a repentina onda de prata que em ti nasce.

A minha luta é dura e regresso
por vezes com os olhos
cansados de terem visto
a terra que não muda,
mas quando o teu riso entra
sobe ao céu à minha procura
e abre-me todas
as portas da vida.

Meu amor, na hora
mais obscura desfia
o teu riso, e se de súbito
vires que o meu sangue mancha
as pedras da rua,
ri, porque o teu riso será para as minhas mãos
como uma espada fresca.

Perto do mar no outono,
o teu riso deve erguer
a sua cascata de espuma,
e na primavera, amor,
quero o teu riso como
a flor que eu esperava,
a flor azul, a rosa
da minha pátria sonora.

Ri-te da noite,
do dia, da lua,
ri-te das ruas
curvas da ilha,
ri-te deste rapaz
desajeitado que te ama,
mas quando abro
os olhos e os fecho,
quando os meus passos se forem,
quando os meus passos voltarem,
nega-me o pão, o ar,
a luz, a primavera,
mas o teu riso nunca
porque sem ele morreria.

Pablo Neruda

quarta-feira, 13 de maio de 2015

mar

Figueira da Foz
O Luís na rubrica "Onde me apetecia estar" mostrou uma ilha idílica que me fez pensar no livro que acabei de ler recentemente.

O mar «esse lugar-comum», como costumava dizer, tinha inundado o mundo quando a natureza não teve melhor ideia. Mas, na realidade, não havia uma convenção social, uma obrigação que o forçasse - a ele e aos seus pulmões, aos seus músculos e à sua vontade - a aguentar a chegada àquela ilha grega que, ao fim e ao cabo, não era mais do que uma ideia peregrina, à qual o ligava apenas o bilhete de barco que tinha no bolso.

Sándor Márai, a ilha. Lisboa: D. Quixote, (traduzido do húngaro por Piroska Felkai) 2012, (2ª edição), p. 46.

Márai foca neste livro uma viagem entre dois mundos: o da tranquilidade e o do abismo. A escolha é a palavra-chave.


Boa noite!


« Vous connaissez ma passion pour les grands évènements des monarchies française et européennes dont j aime vous révéler les secrets. Mais connaissez-vous toute la beauté des musiques qui les accompagnent depuis plus de 4 siècles ? Et saviez-vous que les plus grands compositeurs ont créé de magnifiques chefs d uvre à l'occasion des couronnements, mariages, funérailles, mais aussi feux d'artifice et hymnes à la gloire des têtes couronnées ? Ces musiques sont en quelque sorte la bande son originale de ces moments fastueux et permettent d'en retrouver les émotions telles que, durant plus de 400 ans, des génies de la musique les ont retranscrites. Ils ont pour nom Lully, Charpentier, Haendel, Mozart mais aussi Berlioz, Rossini et tant d autres. Ils ont, par leur musique toute royale, accompagné les grand événements de l'Histoire. Pour ma part, j'aime ces musiques indissociables des riches heures de l'Histoire européenne depuis quatre siècles. C'est pourquoi j'ai souhaité aujourd'hui vous faire partager mon choix de ces musiques royales qui vous plongeront immédiatement dans l'univers magique et fastueux des événements monarchiques et vous permettront ainsi d'entrer dans l'Histoire... » Stéphane Bern

Este cd triplo é amanhã posto à venda. Não sei quem é é Stéphane Bern, pelo que fui procurar. E para quem não saiba é um jornalista francês, especialista em nobreza e realeza.

 


Para o Luís, JMM e JP.

Marquesa de Cadaval


A 50ª edição do Festival de Sintra arrancou no passado dia 9 de Maio. Mais uma vez, a organização escolheu os mais belos palcos que Sintra pode oferecer através dos seus palácios e de quintas, onde decorrerão concertos e recitais até 6 de Junho. 
A programação desta edição homenageia em particular a figura de Olga Maria Nicolis di Robilant Álvares Pereira de Melo, Marquesa de Cadaval (1900- 1996), que no seu apoio exemplar de mecenato abriu o percurso a muitos talentos jovens que se tornaram célebres mais tarde. 
A ela se dedica a vinheta desta semana.

Bom almoço! Boas leituras!

Alexandre Auguste Hannotiau - Lendo no café

No Porto



É hoje, e espero que o João Menéres já esteja recuperado o suficiente para poder assistir .

Onde me apetecia estar





Panarea , ao norte da Sicília , com o encanto de Capri mas sem as multidões e o consumismo ...

Lá fora - 225





A exposição que esteve patente no Victoria & Albert de Londres está agora na Philarmonie de Paris, sendo possível até 31 de Maio descobrir ou redescobrir esta carreira de décadas, uma das mais importantes da história da pop, com um percurso pelos arquivos e colecção pessoal do artista .

Pensamento ( s )



É sempre devido a um estado de espírito não destinado a durar que se tomam resoluções definitivas .

- Marcel Proust

Humor pela manhã



Dá que pensar ...

Bom dia !





hip hop com uma bela letra, do álbum homónimo de Capicua .

Le Coffre à jouer


Para celebrar os 40 anos do seu departamento de brinquedos, o Musée des Arts décoratifs, de Paris, apresenta a exposição Le coffre à jouer, uma ocasião para ver uma seleção de mais de 300 brinquedos emblemáticos da coleção do museu. 
Para ver até 30 de agosto.
Soldados da guerra de 1914-1918, desenhados por JOB, França, 1916

Escola com bonecas. França, 1930

terça-feira, 12 de maio de 2015

Boa noite!

Venda recorde


Ontem eram muitas as expetativas quando aos valores que este quadro podia atingir com a sua venda em leilão. Mais de 127 milhões de euros era o número apontado, mas subiu muito mais atingindo os 161 milhões. Assim, as Mulheres de Argel, de Pablo Picasso fica para a história como o quadro mais caro alguma vez vendido em leilão. Feliz ficou certamente o antigo proprietário da obra com o dinheiro arrecadado e mais feliz ainda o novo, que não se sabe quem é.

Maria Altmann


Maria Altmann foi uma judia austríaca, refugiada do nazismo, que se tornou conhecida pela disputa jurídica que intentou contra o governo austríaco para reaver cinco pinturas do artista Gustav Klimt, pertencentes à sua família, e que tinham sido roubadas pelos nazis.
Esta luta jurídica chega agora ao cinema, sendo Maria Altmann interpretada por Helen Mirren. Ryan Reynolds é o advogado.

O retrato de Adele Bloch Bauer, tia de Maria Altmann, é um dos quadros de Klimt que ela reaviu do estado austríaco.
Estou com muita vontade de ver este filme que vai estrear em breve, em Portugal.

À mesa na Idade Média



E já que falo desta exposição, que espero vir a ver, deixo um vídeo sobre um livro que tenho sobre o mesmo tema:

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Boa noite!

Citações



(...) A questão é que o sindicato dos pilotos se comporta, não como um baluarte da luta pelos direitos laborais, mas sim como o representante de uma corporação nociva ( passe o pleonasmo ). Não é aceitável que o País possa ficar refém de uma corporação, seja ela a dos pilotos aviadores, a dos pilotos de barra ou a dos camionistas - como já aconteceu . Os sindicatos convocam greves para lutar por melhores condições salariais, ou de trabalho . Não para boicotar decisões políticas que competem ao poder executivo - como, por exemplo, a opção pela privatização. E muito menos para proteger o interesse capitalista dos seus associados uma fatia das empresas. A lei da greve permite isto ? Não devia .

- Filipe Luís, na Visão .

Lá fora - 224





Nathalie Lété é pintora, escultura, e também tricota . Pela primeira vez, as suas criações são acolhidas num museu, La Piscine, em Roubaix . O mundo da infância numa visão caleidoscópica até 21 de Junho .

Um quadro por dia


Preguiça , um óleo de 1887 por Robert Thegerström . Aumenta o calor e ela instala-se ...

Pensamento ( s )





(...) Em múltiplos domínios, o indivíduo é confrontado com receitas, prescrições quantificadas, fórmulas rigorosas que lhe indicam o único procedimento para alcançar o melhor modo de vida. Na educação, na saúde, na administração e na vida privada; da dietética à cosmética e à cirurgia plástica, da sexualidade ao equilíbrio das emoções, a ciência e a tecnologia definem o único padrão de comportamento a adotar, a única via para o cidadão, o pai de família, o utente, o contribuinte, a futura mãe, a educadora, a trabalhadora . (...)

- José Gil, na Visão .

Humor pela manhã



Melhor a pontaria que a gramática ... :)

Bom dia !

Anna Karina - Sous le Soleil Exactement 1967.

120 ans de cinéma: Gaumont depuis que le cinéma existe.


Até 5 de agosto, em Paris.