Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 12 de novembro de 2011

Boa noite!


Alexandre Borodin nasceu há 178 anos.

Ao final da tarde... - 14 : Bruno Mars

Novidades - 211

Uma psicóloga, Cláudia Morais, escreve sobre as relações amorosas e a mais importante rede social do nosso tempo, o Facebook. É uma edição da Oficina do Livro.

Uma boa notícia


Foi a da Liga Árabe de suspender como estado membro a Síria, onde a repressão continua implacável contra quem se ousa manifestar contra o regime, com quase 4000 civis mortos nos últimos meses.

Um quadro por dia - 214

Alfred Augustus Glendening ( 1840-1921 ), Autumn, Arundel Park, óleo sobre tela, 61,5x105,7cm, Southampton City Art Gallery.

Mais uma paisagem do inglês Glendening, mais outonal que a anterior.

Polémica à volta de um auto-retrato. Nem tudo é intemporal!

Será um auto-retrato?


Encontrei a tela classificada como auto-retrato de Edgar Degas no livro/catálogo intitulado: Colecção da Fundação Calouste Gulbenkian, Artes Plásticas Francesas de Wateau a Renoir, um catálogo da exposição no Museu Nacional Soares dos Reis, Porto, Junho de 1964. (s/n.p.)


Em 1961 numa exposição da Fundação Calouste Gulbenkian e depois em 1964 na exposição do Museu Soares dos Reis a tela era catalogada como um auto-retrato. Hoje parece que não é assim. Nem tudo é intemporal... O homem classifica mas ao longo do tempo abrem-se novas perspectivas. Ver o post de MR


Edgar Degas, Auto-Retrato, 1852 (data provável)




Já fui a muitas exposições na Fundação Calouste Gulbenkian mas nunca vi esta tela.

Boa tarde !



Não há dúvida que estes " Duetos Improváveis " organizados pela Optimus, passe a publicidade, foram uma excelente ideia. Mais logo, o que talvez seja o meu preferido: a Carminho com os Moonspell.

Auto-retrato(s) - 146

Gustave Courbet , L' homme blessé, 1844-1854, óleo sobre tela, 81,5x97,5cm, Musée d' Orsay, Paris.

Mais um auto-retrato de Courbet, e este com uma história particular: as duas datas dadas supra não significam, como habitualmente acontece, que a tela foi pintada durante uma década, mas antes neste caso que este quadro teve duas "versões". Na primeira, de 1844, Courbet retratou-se com a sua bela amante de então também adormecida a seu lado; na segunda, a definitiva de 1854, já não há amante mas sim uma espada e uma mancha de sangue no coração. O "apagamento" da amante deveu-se a que esta entretanto trocou Courbet por outro pintor, Édouard Manet.

Citações - 200

(...) Cherchez la verité sur un auteur plutôt dans sa correspondance que dans son oeuvre. L' oeuvre est le plus souvent un masque. Un Nietzsche, dans ses livres, joue un rôle, s'érige en juge et en prophète, attaque amis et ennemis, et se place, superbement, au centre de l'avenir. Dans ses lettres, en échange, il se plaint, il est misérable, abandonné, malade, pauvre type, le contraire de ce qu' il était dans ses impitoyables diagnostics et vaticinations, véritable somme de diatribes. (...)

- E.M. Cioran, in Manie épistolaire, na NRF nº 489, Outubro de 1995.

Torso de Adélia

Rodin - Torse d'Adèle
Terracota, ant. 1884
Paris, Museu Rodin

«Um dos modelos favoritos de Rodin foi Adèle Abruzzesi, cujo corpo leve e vigoroso lhe inspirou numerosas figuras femininas de grande sensualidade. A terra que ele modelava directamente frente ao modelo ou que ele colocava num molde para a trabalhar de seguida, é o material ideal pela sua capacidade em evocar a suavidade da pele. Sendo um escultor virtuoso, Rodin conseguiu evocar a doçura do ventre, a curvatura dos rins e até o peso dos seios.
«O escultor gostava muito deste estudo, realizado cerca de 1878 para uma cariátide. Ele completou-o, acrescentando-lhe pernas e braços, afim de o utilizar no canto superior esquerdo da Porta do Inferno. Ligeiramente modificado, provido de cabeça, este torso serviu também de base à personagem feminina da Eterna Primavera(http://www.musee-rodin.fr/fr/collections/sculptures/torse-dadele)

Rodin - L'Éternel Printemps
Bronze, ca 1884
Paris, Museu Rodin

Rodin nasceu há 171 anos.

Marcadores de livros - 17

A Biblioteca Joanina, da Universidade de Coimbra. Foi uma oferta da Ana.

Humor pela manhã... - 54


Já que se fala tanto em aumento de produtividade, aqui fica o exemplo de uma medida prática. Acabam-se as pausas higiénicas, é sempre a produzir. Talvez se passe é a gastar mais em Brise e afins...

Auto-retrato(s) - 145

Albert Anker (1831-1910) - Auto-retrato
Aguarela, 1891

Medalha 5.º Centenário Amato Lusitano



Foi ontem, dia 11.11.11, apresentada, em Castelo Branco, a medalha Evocativa do "V Centenário do Nascimento de João Rodrigues de Castelo Branco" com que a Câmara Municipal da sua terra natal o homenageou.

O desenho tem como autor Tiago Santos Marques, jovem albicastrense. No anverso, representa o "rosto" de Amato Lusitano e no verso o desenho de um viço, planta que João Rodrigues comentou quando fez a publicação da obra de Dioscórides.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Boa noite!

Frutas - 68

Albert Anker (1831-1910) - Natureza morta com castanhas e vinho
Óleo sobre tela, 1897
Col. particular

Castanhas, sempre!, mas não com este vinho que parece sumo de laranja.

Biografias, autobiografias e afins - 119

A partir dos anos 40, com a Segunda Guerra Mundial e posteriores revoluções, Portugal torna-se um oásis para os monarcas europeus exilados dos seus países, vivendo entre nós Carol da Roménia, Humberto de Itália, os Condes de Barcelona, os de Paris, Joana da Bulgária e outros. Uns ficaram anos, outros ficaram décadas, e ainda outros como Joana da Bulgária ficaram até à morte.
São estas histórias que são contadas por Charles-Philippe d'Orléans,actual duque consorte de Cadaval, que não as viveu mas as ouviu de seus avós, os falecidos Condes de Paris.
É uma edição da Esfera dos Livros.

Ao final da tarde... - 13 : Ellie Goulding

PENSAMENTO(S) - 207

- Marco Pórcio Catão ( 234 A.C. - 149 A.C. ), Catão, O Velho ou o Censor.

Desde Catão, o Velho, tem-se manifestado um certo tipo de maturidade quando se começa a acusar a nova geração de " vacuidade " e a louvar a anterior pelos seus " valores ".

- Nassim Nicholas Taleb, A Cama de Procusto- Aforismos Filosóficos e Práticos, D.Quixote, 2011.

O chá das cinco - 35

Carl Larsson (1853-1919) - Debaixo do castanheiro, 1912

«Anseio por estar no vale, por percorrer aqueles locais verdes junto à corrente, recostar-me contra os castanheiros .»
William Beckford

Parabéns, ARPOSE!

Para APS e HMJ,
esta música de Nino Rota, compositor apreciado em ambos os blogues.

O homem das castanhas

Joshua Benoliel - Vendedor de castanhas no Rossio, 1907
Lisboa, Arq. Fot. CML

A Grande Exposição de Livros Miniatura

Da revista Ler



CCB/Fábrica das Artes
até 26 Nov.

Números - 70




1.400.000.000

Mil e quatrocentos milhões de euros- É esta a exposição dos três bancos supra, dos maiores portugueses, à dívida soberana italiana. Ou seja, o dobro da exposição à dívida soberana grega que já perturbou bastante o nosso sistema bancário.

Onze do onze do onze...

Hoje, acontece esta raridade de calendário. Que tal fazer algo inesperado às 11h11 ? Já tenho uma ideia...

Frase da semana


Os políticos vivem numa espécie de bolha, isolados, e não sabem muito bem como funciona a realidade.

- George Clooney, em entrevista sobre o seu novo filme, Ides of March.

Auto-retrato(s) - 144

Diego Rivera ( 1886-1957), Auto-retrato, 1916, óleo sobre tela.

Um dos que mais gosto do grande pintor mexicano.

Bom dia !



A fantástica cantora britânica Adele, que está a recuperar bem de uma operação às cordas vocais.

Hoje, dia de S. Martinho...

Christophe Civeton (1796-1831) - La porte et le boulevard Saint-Martin
Tinta da China e aguarela, 1829
Paris, BnF

... não me importava de andar a passear aqui. :)

Humor pela manhã... - 53


(...) Entre a pândega e o trabalho, Cristiano Ronaldo optou por meter na cabeça que vai bater todos os recordes anteriormente estabelecidos pelos melhores jogadores da história, e parece bem lançado para o fazer. Escolheu mal, evidentemente, até porque aos 26 anos não temos ainda a maturidade para distinguir aquilo que é mais importante na vida, e os cantos de sereia da ética do trabalho conseguem fazer com que muito jovem imaturo abandone uma vida de libertinagem para cair tragicamente nos braços da competência profissional. Comparado com o que podia ser, Cristiano Ronaldo é um monge. Há padres mais devassos do que ele. Felizmente, eu sou capaz de perdoar as falhas de carácter mais graves, e não o admiro menos por isso.

- Ricardo Araújo Pereira, Um abraço para Cristiano Ronaldo, na Visão desta semana.

E eu espero que o C.Ronaldo esteja hoje inspirado no jogo contra a Bósnia.

Feliz dia de S. Martinho!

Castanheiro

Raul de Oliveira Feijão, Botânica na Aldeia, Colecção Educativa, série N, nº 16, 1962, ilustração nº 6

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Boa noite!


Uma das músicas que acompanhou hoje o jantar.

«Che luna»!...

No seguimento das boas noites de ontem do Jad.

Lisboa, 29 Out. 2011

EL SECRETO DE HEIDI - Luna creciente

Cuando estoy sentada en el borde de la ventana,
mis uñas son el átomo principal de las estrellas:
hoy, por ejemplo, he alcanzado por fin la palabra luna
en la frase viento que araña. Me la pongo en el ombligo.
Escribo otro nombre que no es el mío
con la punta de los dedos de los pies,
removiendo con cuchara las vísceras del vértigo.
Mirando el cielo en una noche de verano,
los cuerpos celestes son miguitas de pan
que los héroes arrastran para no olvidar volver a casa.
Y me digo que quizá la Heidi que los dioses veneran
es la misma que duerme en la copa del árbol
que yo derribo, que bombardeo con las migas de pan
- escupitajos que se engarzan en desiertos embetunados -
que recojo cuando todos me dejan sola.

Tremendamente sola, hilando Biodramina
en la punta de los dardos que arrojo
a los que se revuelven dentro de mi estómago.
Qué agradable es beberse la cuenca de los ojos,
armarse la boca de septiembre a mediodía.

Elena Medel (1985-)

Esta poetisa espanhola, nascida em Córdoba, vai estar no dia 16, em Lisboa, no encontro Poetas Ibéricos Hoje (http://www.bnportugal.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=670%3Aencontro-poetas-ibericos-hoje-16-nov-18h30&catid=157%3A2011&Itemid=705&lang=pt)

mirror

Café Majestic, Porto

mirror facing a mirror


nowhere else


Ikkyu, Crow with No Mouth, Cooper Canyon Press , 2000, p. 30 (Version Stephen Berg)



Ikkyu Sojun (1394-1481) foi poeta, músico e monge Zen japonês.

Hoje, magusto em Santa Clara

Leituras no Metro - 76


«Se eu fico em paz, morro.»
José Agostinho de Macedo (1761-1831)

Concordo totalmente com esta citação.
Comecei ontem à noite, no Metro, a ler a biografia que António Mega Ferreira escreveu sobre José Agostinho de Macedo e cujo «Prólogo» se inicia com a epígrafe que transcrevi. Mais uma vez, há outros livros que vão ficar para trás. :)

PENSAMENTO(S) - 206


Nada é mais permanente do que arranjos, défices, tréguas e relações " temporárias "; e nada é mais temporário do que os permanentes.

- Nassim Nicholas Taleb, A Cama de Procusto- Aforismos filosóficos e práticos, D.Quixote, 2011.

Bom dia !



Chopin pelo jovem e brilhante Rafal Blechacz.

Marcadores de livros - 16

Dois marcadores com portas de Tavira.

Boa-noite


Guarda che Luna (Pavarotti & Irene Grandi)

Guarda che luna,
guarda che mare,
da questa notte
senza te dovrò restare.
Folle d'amore,
vorrei morire
mentre la luna di lassù
mi sta a guardare.

Resta soltanto
tutto il rimpianto
perché ho peccato
nel desiderarti tanto.
Ora son solo a ricordare
e vorrei poterti dire
guarda che luna,
guarda che mare!

Ma guarda che luna,
guarda che mare,
in questa notte
senza te vorrei morire,
perché son solo a ricordare
e vorrei poterti dire
guarda che luna,
guarda che mare!

Guarda che luna,
guarda che mare!
Che luna!

Elgos - Malgoni - 1959

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

O último segredo


Ainda não li. Sei que foi apresentado no dia 21 de Outubro de 2011, uma sexta-feira.
Uma semana depois perguntaram-me:
- Já leu O Último Segredo, escrito por José Rodrigues dos Santos? Nele morre uma Professora de Paleografia da Universidade Nova de Lisboa!
- Não, não li!, respondi; vou comprar!
- Mas olhe que já esgotou a 2.ª edição!

Entrei hoje na FNAC e encontrei uma "estante" especial só para O Último Segredo. Apresentava o grande êxito da temporada. 5 edições em 15 dias, noventa mil exemplares...

Mas, qual não é o meu espanto. Na mesma "estante" havia exemplares da 1.ª edição; da 2.ª; da 3.ª; da 4.ª; e da 5.ª. Afinal, não estava esgotada nenhuma das edições.



Já me tinham falado que o grande segredo de algumas editoras era esse mesmo. Imprimir logo, no mesmo dia, em tiragem mais ou menos pequenas, consoante a espectativa que tinham do mercado, diferentes edições da mesma obra. Por um lado a impressão ficava quase ao preço da chuva; e por outro, é uma grande estratégia comercial: a indicação de que um livro tem 3, 4 ou 5 edições, 90.000 exemplares (pensando que se esgotaram as edições anteriores), cria um complexo de culpa perante um leitor atento: Puxa! como é que eu ainda não li esta obra! 










Novidades - 210



O que é a virilidade? Como nasceu tal conceito? O que significa hoje? - Responde a estas questões a obra supra, dividida em três volumes ilustrados e coordenada por três grandes nomes da historiografia francesa: Georges Vigarello, Alain Corbin e Jean-Jacques Courtine.

- Histoire de la virilité, Éditions du Seuil, 3vols, Outubro de 2011, €38 cada volume.

PENSAMENTO(S) - 205

Que teria eu feito com uma vida que não fosse mais do que rosas?

- Colette ( 1873-1954 )

Lembrando Cecília Meireles



Motivo

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
— não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno a asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
— mais nada.


Cecília Meireles
morreu em 9 de Novembro de 1964


Bom dia !

-25 de Maio de 1981, François Mitterrand no seu primeiro e algo supreendente acto oficial : a visita ao Panthéon, com Dalida, a amiga/amante, na primeira fila dos convidados. Dois seres obcecados com a morte, e de quem provavelmente jamais saberemos todos os segredos. A foto é de William Karel.


Leonardo da Vinci: pintor na corte de Milão

Retrato de Cecilia Gallerani, ca 1489
Cracóvia, Czartoryski Museum

Abre hoje na  National Gallery uma exposição das obras pintadas por Leonardo da Vinci, em Milão, entre 1480 e 1490, como pintor de corte, quando a cidade era governada por Ludovico Maria Sforza, Il Moro.
Uma rara oportunidade para poder ver quase todas as pinturas dessa época de Da Vinci que chegaram até nós.
Até 5 Fev. 2012

O Músico, 1485
Milão, Pinacoteca Ambrosiana

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Os meus franceses - 172


O novo cd de Julien Clerc, posto à venda ontem. Este cantor está cada vez melhor.

Poemas - 58


MONÓLOGO DA OLIVEIRA

Sobrevivo com uma pinga de água.
Um olhar de quem passa dá e sobra

muitos meses um sorriso me basta
para reverdecer por longos anos

- a minha copa foi feita de sonho
e de coisas exactas e tão negras

como pequeno bago de azeitona.
Sinais minúsculos e trespassados

de luz na cerração densa da morte.
Vi romanos, moiros, e judeus:

o par de mansos olhos do Cordeiro
no meu tronco perdura até ao fim.


- José António Almeida, O casamento sempre foi gay e nunca triste, &etc, 2009, p.50.