Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 16 de maio de 2009

Viagem virtual pela Tate Britain: Peter Lely

Hoje coloquei uma pintura de Margarida Cepêda que intitulei a pintura e a mulher.
Numa viagem virtual ao Tate Britain encontrei este quadro de Peter Lely e não pude deixar de associar o passado ao presente.
Quanto a mim esta tela é fabulosa não só pela expressão que o pintor capta mas, também, pelo drapeado dos vestidos, da cortina e da encenação com paisagem ao fundo.
Peter Lely, Two Ladies of The Lake Family
Cerca de 1660, óleo sobre tela, 1270x1810

Peter Lely (Pieter van der Faes) é um pintor holandês que foi viver para Londres por volta de 1641, foi sobretudo, retratista. A sua obra foi influenciada por Anthony van Dyck.

Nos 50 anos do Cristo-Rei

- Cristo- Rei, foto de Carlos Botelho.

Começam hoje as comemorações do cinquentenário do Santuário do Cristo-Rei, monumento e santuário que resultou de um voto feito pelos bispos portugueses caso Portugal não fosse envolvido na Segunda Guerra Mundial, e também na sequência da visita feita pelo Cardeal Cerejeira ao Rio de Janeiro na década de 30 onde ficou impressionado com o Cristo-Redentor.
Esta tarde, às 17h, no Terreiro do Paço, realiza-se uma missa campal presidida pelo Cardeal-Patriarca de Lisboa sendo esperadas 200.000 pessoas, estando também presente a verdadeira imagem de Nossa Senhora de Fátima tal como há 50 anos.
Amanhã, o Cardeal D.José Saraiva Martins presidirá a uma celebração no Santuário do Cristo-Rei, na sua qualidade de enviado especial do Papa, estando presentes o Arcebispo do Rio de Janeiro e demais autoridades tal como em 1959. Ainda não está confirmada a presença do Presidente da República.

Na Fonte da Telha

- Bateria Nº 4 , Fonte da Telha, foto de Miguel Silva Machado.

Apesar de desde menino fazer praia na Costa da Caparica, nunca visitei os túneis, casamatas e antigas bocas de fogo da Fonte da Telha. É uma visita a fazer este Verão.

Uma morte anunciada

Tenho hesitado em falar aqui no blogue de Farrah Fawcett, dado a sua morte ter sido anunciada várias vezes nos últimos meses. No entanto, o comunicado feito há dias pelo ex-marido de Farrah, o também actor Ryan O' Neal, dizia expressamente que a actriz terá poucos dias de vida, depois de uma luta de dois anos contra um terrível cancro.
Porque falo de Farrah? Porque este ex-Anjo de Charlie foi um dos ícones do início dos anos 80, e uma das mulheres mais fotografadas dessa década. Lembram-se?

O Museu da Língua Portuguesa

Foi anunciado recentemente pelo Ministro da Cultura que o tão falado Museu da Língua Portuguesa abrirá portas já no próximo ano, nas instalações do antigo Museu de Arte Popular que fechou portas em 2006. Será desta?

Cistermúsica - XVII Festival de Música de Alcobaça

Começa hoje o Cistermúsica - XVII Festival de Música de Alcobaça, que conta este ano com Artur Pizarro, Vita Panomariovaite, Ana Ester Neves e o Ensemble Contrapunctus. O festival terminará no dia 20 de Junho com Jordi Savall.

Duras palavras ...

Trata-se de um artigo já quase com uma semana, mas vale a pena transcrevê-lo. Daniel Bessa a falar com uma clareza que nunca lhe vi quando teve funções governativas.

" A classe política, e os portugueses em geral, têm-se ocupado a discutir a solução governativa a partir de Outubro próximo. Com todo o respeito, parece-me um devaneio primaveril. Um país que deve ao exterior mais de 100% do seu PIB anual ( sim, caro leitor, cerca de 20.000 euros cada um de nós, ainda que por interpostas pessoas ) , e se endivida à razão de dois milhões de euros por hora ( 10% do PIB anual ) , pode até escolher Governo ( os executantes ) mas já não tem escolha de políticas. Eu sei, como o leitor, que há uma única solução condigna: produzir mais e exportar mais. Só que já não há tempo para essa solução e, nos tempos mais próximos, já não há alternativa a gastar bastante menos ( nós todos, Estado, empresas e famílias ) . Infelizmente. Podemos até fingir que nos esquecemos desta dura realidade. Não importa. Lá para Novembro, quando começar a aproximar-se o Inverno, os credores imporão, primeiro a política e, se necessário, os próprios executantes. E quanto mais "marialvas" nos mostrarmos, mais depressa nos obrigarão a gastar menos. O FMI tratou do assunto em 1977 ( Governo PS-CDS ) e em 1983 ( Governo de Bloco Central ) . Em 2010, os credores far-se-ão representar pela Comissão Europeia. Votemos, entretanto. "

- Daniel Bessa, Devaneio primaveril, in Expresso de 11 de Maio de 2009.

Um novo doce para Cascais

Natália Pessoa, de 21 anos, aluna finalista da Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril ganhou o concurso anual de Pastelaria desta reputada escola com a criação dos bolinhos D.Carlos, prestando homenagem ao penúltimo rei de Portugal tão ligado à história de Cascais.
Os bolinhos D.Carlos levam batata-doce, batata roxa, leite condensado e especiarias, e foram considerados pelo júri como perfeitamente adequados à época em que viveu D.Carlos. Mas também são adequados aos nossos dias, já que são de baixas calorias. Será que a jovem Natália passa a receita?

História Maravilhosa das mãos de Deus, Rainer Maria Rilke.

S. Nicolau, na Igreja Paroquial de S. Nicolau, Porto.Fotografia de João Paulo Sotto Mayor, retirada do livro "Dicionário de Santos",de Jorge Campos Tavares, Lello Editores, 3ª edição, 2004, Porto.


História Maravilhosa das mãos de Deus

“S. Nicolau, que goza de uma particular consideração junto de Deus, aproximou-se d’Ele e disse através das suas grandes barbas: « Os teus leões estão quietos, mas tenho a dizer que são uns animais bastante altivos! Mas olha, há um cãozinho a correr mesmo na pontinha da Terra, um terrier, está mesmo quase a cair». E Deus viu realmente uma coisinha alegre, branca, a dançar como se fosse uma pequena vela, na zona da Escandinávia, onde é tudo bastante arredondado. E Ele ficou mesmo zangado e censurou S. Nicolau, dizendo que se não gostasse dos leões, que experimentasse fazer outros. Ao que S. Nicolau saiu do Céu batendo com a porta de tal modo que caiu uma estrela precisamente em cima da cabeça do terrier. Foi a desgraça total, e deus teve de admitir que só Ele era o culpado de tudo e resolveu não tirar o olho da Terra. E foi o que aconteceu. Confiou todo o trabalho às Suas mãos, que também são sábias…”

Capela de St. Nikolaus von der Flüe (2007), Alemanha, do arquitecto Peter Zumthor.
Foto: Pietro Savorelli

Rainer Maria Rilke, Histórias do Bom Deus, Vila Nova Famalicão: Quasi, 2008, p.13

Euro 2009

Hoje é a final do Eurofestival 2009: Para os que têm alguma curiosidade mas que não tiveram oportunidade de ver as canções candidatas, há um medley no youtube em três partes:






Vai uma voltinha?

Vai uma voltinha? Bruxelas

Margarida Cepêda, A mulher na pintura!

Margarida Cepêda, A ilusão - 1998
Óleo sobre tela115x130 cm

Margarida Cepêda, Pausa doirada - 2005, Desenho

Margarida Cepêda, nasceu a 12 de Abril de 1959 em Lisboa e é considerada como muitos a sucessora do Mestre Lima de Freitas. Por cá é pouco conhecida.
Iniciou os seus estudos no Centro Infantil Hellen Keller, passou pela Escola António Arroio e mais tarde pelas Belas Artes, onde a temática do simbolismo não era bem vista, mas, Margarida Cepêda “aproveitou” esta passagem para adquirir a técnica que hoje faz dos seus quadros obras únicas.

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Betty Carter em "As Vozes do Jazz" - Rádio Europa Lisboa - esta semana, com um destaque especial para Betty Carter

"As Vozes do Jazz" na Rádio Europa Lisboa - esta semana, com um destaque especial para Betty Carter


Jazza-me muito

AS VOZES DO JAZZ

A SEDUÇÃO DAS GRANDES CANÇÕES

SÁBADO, 16 de MAIO, das 20H00 às 24H00

Emissão em interacção permanente na Internet, com http://twitter.com/radioeuropalx

Da energia pura até à sedução do romantismo, as Grandes Canções do Jazz desfilam semanalmente na Europa Lisboa, em quatro horas de música para sublinhar o prazer dos serões de Sábado. Sempre em viagem, dos grandes clássicos às versões, entre as vozes lendárias, os consagrados e as grandes descobertas, passando pelas estreias e os exclusivos.

Na emissão desta semana, trazemos um destaque especial a uma retrospectiva de carreira da cantora norte-americana Betty Carter.

Aproveitando o assinalar do seu 79º aniversário de nascimento, a 16 de Maio de 1930, três temas representativos de cinco décadas desta poderosa e aclamada voz - desaparecida em 1998 - abrirão, assim, cada uma das horas do nosso programa.

Edição de Ricardo Belo de Morais

Emissão também disponível online em http://www.radioeuropa.fm/ ou através da powerbox da ZON TV Cabo


Puppy no Guggenheim de Bilbao


A pedido de A.R. O Puppy media exactamente 12,4m de altura e as plantas que lhe davam forma eram renovadas com regularidade. Aliás, percebe-se isso comparando estas duas imagens.

Mais um chocolate?


Hoje podem provar, se ainda o não fizeram, uns Corné Port-Royal,
que muitos consideram os melhores chocolates belgas.



Loja na Gallerie de la Reine, Bruxelas.


Se nenhum destes vos agradar, escolham em:
http://www.corneportroyal.be/index.php

1959, o ano da cultura


Nova Iorque está em festa. E está em festa porque celebra, em simultâneo, o 50º aniversário do Lincoln Center e do Museu Guggenheim. Deve ser inédito um acontecimento deste género, o de comemorar ao mesmo tempo, na mesma cidade, dois grandes símbolos da cultura a nível mundial. Estava-se a 14 de Maio de 1959 quando o presidente Eisenhower inaugurava o maior centro cultural do país - o Lincoln - uma estrutura gigantesca de 64 mil metros quadrados que actualmente alberga 12 companhias entre as quais a Metropolitan Opera, Orquestra Filarmónica de NY ou o New York City Ballet. Não é fácil celebrar meio século de vida no mundo das instituições culturais mas o Lincoln Center goza de boa sáude e o seu futuro está assegurado com novas propostas que irão maximizar a oferta enquanto pólo cultural e não só. Da operação de restyling (orçada em 890 milhões de euros) faz parte um conjunto de restaurantes e jardins que vão tornar as idas ao centro ainda mais agradáveis tudo isto com a promessa de estar concluído a tempo e horas por forma a acolher em Setembro a Semana da Moda.
Frank Lloyd Wright morreu seis meses antes da inauguração do Guggenheim de NY, em Dezembro de 1959. Passados 50 anos é de toda a justiça a instituição homenagear o seu criador com uma exposição sobre os melhores projectos (concluídos e esboços de ideias) daquele genial arquitecto. Ao todo são 64 trabalhos que estam patentes ao público até 23 de Agosto para em Outubro viajarem até ao Guggenheim de Bilbao. A exposição mostra como Frank Lloyd não viveu o suficiente para concretizar muitas das suas ideias, nomeadamente um centro cultural para Bagdad, numa ilha à beira do rio Tigre. Sobretudo nos últimos anos, Lloyd demonstrava grande interesse por algumas regiões da Ásia e era um apaixonado pelo livro As Mil e Uma Noites.

60 anos de uma nação: 1953

A RDA está de luto pela morte de Stalin, falecido a 9 de Março. O jornal Neues Deutschland, órgão de comunicação oficial do partido comunista SED, elogia e relembra a “obra” do ditador como “maior homem da época”. A cerimónia oficial decorre na ópera estatal Unter den Linden, são anunciados cinco minutos de silêncio em todo o país a partir das 10h.

A Volkswagen alemã celebra a produção do 500.000º VW-Käfer (“carochinha”). Símbolo da retoma económica da Alemanha Ocidental, é exportado para vários países, entre eles, os Estados Unidos onde é baptizado Beetle. Dois anos mais tarde, seria atingida a meta de 1.000.000 viaturas fabricadas. O último “carochinha” viria a ser produzido no México em 2003 com o número de série 21.529.464.


A coroação de Isabel II em Junho é transmitida em directo pelo primeiro (e único) canal de televisão alemão. Neste primeiro acontecimento televisivo global, são ainda poucos os alemães que assistem à transmissão em directo durante sete horas via Eurovisão.


Serão provavelmente poucos os leitores portugueses que têm conhecimento da primeira revolta contra o regime comunista de Moscovo após 1945: antes dos acontecimentos na Hungria em 1956 e na Checoslováquia em 1968, a Alemanha Oriental insurge-se contra as tropas soviéticas instaladas no seu território. Durante o primeiro semestre de 1953, deteriora-se substancialmente o abastecimento de alimentos e combustíveis, devido ao fracasso da política de plano comunista. As represálias contra dissidentes são violentas. Moscovo anuncia o “reforço de segurança” o que incentiva cada vez mais alemães orientais a manifestar-se em público contra o regime em Berlim Leste.

Greves, manifestações e tumultos estendem-se por 700 cidades e autarquias. Mais de um milhão de alemães participa nesta revolta, ocupa edifícios públicos e liberta presos políticos. A abolição das cooperativas agrícolas, prisão para os membros de um governo fantoche e a reunificação são apenas algumas das exigências feitas.
A resposta soviética não se faz esperar – infelizmente. A administração militar soviética declara o estado de sítio, tropas do exército vermelho actuam sem escrúpulos: 60 a 80 pessoas perdem a vida durante os confrontos; cerca de 10.000 são presas; 20 são condenadas à morte, mais de 2000 a prisão. O dia 17 de Junho viria a ser declarado feriado nacional na Alemanha Ocidental um ano depois como dia da “União Alemã”, em homenagem às vítimas na RDA. Em 1990, foi substituído pelo dia 3 de Outubro, dia oficial da reunificação.



Imagens: Stalin; VW - Käfer; coroação de Isabel II em televisão; a revolta de 17 de Junho na Alemanha Oriental

- CONTINUAÇÃO NA PRÓXIMA SEGUNDA-FEIRA -

A Custódia de Belém, Impressões II.


O Restauro
Fotografia do Público de 09/05/12
A peça foi levada para o Laboratório José de Figueiredo para ser desmontada e fotografada.
No restauro da Custódia Manuelina salientam-se Belmira Maduro que disse ter sido a peça mais complexa que restaurou até hoje, Maria José Oliveira e Isabel Ribeiro.

Fotografia do Público, 09/05/12
Os apóstolos, depois de retirados da custódia, foram colocados lado a lado, numa caixa almofadada, embrulhados cuidadosamente, parecendo "peças de xadrez" até serem restaurados.
No final, as especialistas revelaram algumas conclusões:
-O ouro utilizado na peça pesa sete quilos;
-O esmalte apresenta seis coloridos diferentes, opacos e translúcidos;
-O viril foi substituído por um novo feito na Marinha Grande com o acompanhamento de dois professores da Universidade Nova de Lisboa.

Dedico este fruto à "Geração We" e a todos com os votos de um bom pequeno almoço!

Voltar a ler Eça de Queiroz!

Fui ver o filme “Singularidades de uma Rapariga Loura” de Manoel de Oliveira. Tive vontade de voltar a ler Eça de Queiroz.
Manoel de Oliveira durante a rodagem do filme
Singularidades de uma Rapariga Loura é um conto sobre um homem simples, concebido pelo realismo mordaz de Eça. É uma história de amor, de engano, de amizade traída, de princípios que são esquecidos.
Queiroz criou Macário para retratar e desmascarar a realidade onde se manifesta a maldade, a crueza do destino, a desventura, o sofrimento e a dor.
Em suma, a história é de um homem banal e começa assim:
“Começou por me dizer que o seu caso era simples – e que se chamava Macário…”

Gostei do filme, da narrativa e da adaptação, do Ricardo Trepa na pele de Macário e da Catarina Wallenstein na pele da rapariga loira.

Manoel de Oliveira brincou com o espectador usando um cliché inesperado.

Eça de Queiroz, Contos, Lisboa: Livros de bolso europa-américa, 2000, p.37

quinta-feira, 14 de maio de 2009

O novo rosto da América

Yes, we can foi a frase que correu mundo enquanto Obama se candidatava às presidenciais nos EUA. Mais que um slogan era (e continua a ser) um símbolo de esperança no reencontro do sonho americano em pleno período de mudanças... Vem isto a propósito de um livro recentemente publicado que tem por título Geração We, de autoria de Eric H. Greenberg (CEO de uma empresa de refeições) e Karl Weber (escritor, editor e especialista na indústria da publicação). Mas o que tem uma coisa a ver com a outra? Provavelmente terá porque estes dois factos podem muito bem estar relacionados: a força das palavras terá despertado uma nova consciência no outro lado do Atlântico e esta terá por sua vez originado um novo rosto da América. Um rosto que tem nome: Geração We (Nós). Constituída por indivíduos nascidos entre 1978 e 2000, esta nova força política e social que está a mudar a América caracteriza-se por ser independente em termos políticos, sociais e filosóficos, já influencia os resultados de voto com taxas de participação em crescimento constante e está empenhada em resolver os grandes desafios à escala planetária. Em números, a Geração We representa 95 milhões de indivíduos que nos próximos anos vão alterar o mundo à medida que forem entrando em novos ciclos de vida. Aos 40 e 50 anos assumirão posições poderosas em empresas e governos, trazendo consigo novos hábitos de consumo, ambiente e sociedade. Começaram por marcar a diferença ao transformarem a Internet no meio mais importante para o entertenimento e informação. Todos vêem televisão e estão online em permanente troca de ideias e informação e acreditam ter mais em comum com jovens adultos da sua geração noutros países do que com americanos de gerações mais velhas favorecendo desse modo uma rede ideológica mais multicultural que nacionalista. Em termos sociológicos, a Geração We tende a reduzir o consumo ilícito de drogas e retarda a vida sexual em clara oposição aos Baby-boomers (nascidos entre 1946-64) marcados por uma juventude de sexo, drogas e rock. Actividades relacionadas com o voluntariado, activismo e eleições conferem à nova geração um invulgar sentido de responsabilidade. Trata-se de indivíduos que nutrem uma afinidade comum pela tecnologia a ferramenta que lhes permite acreditar na inovação pessoal. Para a Geração We o mundo tem inúmeras possibilidades e tudo pode ser realizado se houver criatividade e determinação. Acreditam em religiões conservadoras, rejeitam a invasão à vida pessoal e consideram, por exemplo, que o país deve lutar mais para aceitar e tolerar os gays em vez de manter valores tradicionais. Integridade, honestidade, transparência e autenticidade são características que apreciam nos líderes, seja na política ou nas instituições. Partilham a segurança e a paz globais e olham o mundo e os seus recursos naturais de forma responsável, até porque cresceram com o conceito do planeta azul. Embora pareça que tudo estará por refazer, a Geração We encontra disponibilidade para o investimento pessoal a nível físico, psicológico ou espiritual através de práticas como o exercício, dietas ou meditação, afinal, a receita que torna um agente de mudança mais saudável, inteligente e eficaz.

Enviaram-me esta fotografia. Será que o nosso país está assim tão mal?

Vai um chocolate Leonidas?


Só uma prova: um para cada um!
Gostaram? Querem mais? Podem encomendar em:

Cinenovidades - 42 : Shutter Island

Mais um encontro entre Martin Scorsese e Leonard Di Caprio na adaptação para cinema de Shutter Island, romance policial de Dennis Lehane ( que escreveu entre outros Mystic River, muito bem adaptado para cinema por Clint Eastwood ) . Os investigadores são interpretados por Di Caprio e Mark Ruffalo, sendo os outros protagonistas os consagrados Sir Ben Kingsley e Max von Sydow. Um policial de cariz psicológico passado nos anos 50. Estreia em Outubro.

Eu trekkie me confesso ...

Realizado pelo genial J.J. Abrams, criador de Alias e de Lost, duas das mais interessantes mitologias televisivas das últimas décadas, com escrita de Roberto Orci e Alex Kurtzman, e interpretado por Chris Pine, Zachary Quinto, Karl Urban, Simon Pegg , Winona Ryder e Eric Bana, estreou já entre nós a mais recente produção cinematográfica de Star Trek. Fui ver, e sei que outros prosimetronistas também já o fizeram, e gostei bastante. Parece-me que a mítica nave Enterprise vai continuar a navegar pelo espaço sideral.

Gentle reminder...


CONVITE

A outrora carochinha Clara Macedo Cabral, que andou em tempos pela blogosfera na equipa do Desejo Casar, casou, emigrou para Londres, foi mãe, e convida agora todos os amigos e curiosos, casados ou solteiros, a partilhar as suas experiências, reflexões e aventuras no reino de Sua Majestade, contadas no livro Há Raposas no Parque – Crónicas de Uma Portuguesa em Londres, cujo lançamento será no próximo dia 20 de Maio, quarta-feira, pelas 18.30h, na Fnac do Chiado.

No dia 17 de Maio, domingo, a partir das 16h, a autora estará presente no pavilhão da QuidNovi na Feira do Livro de Lisboa para uma sessão de autógrafos (último dia da feira!).

60 anos de uma nação: 1952

A Alemanha Ocidental assiste a um debate público aceso sobre o rearmamento, passados apenas sete anos sobre o fim da Segunda Guerra Mundial. De acordo com as sondagens, cerca de 75% dos alemães pronunciam-se contra este projecto do governo de Adenauer. Vários partidos, sindicatos e representantes das Igrejas convocam manifestações.

O chanceler e os Ministros dos Negócios Estrangeiros da Grã-Bretanha, França e dos Estados Unidos assinam o chamado Deutschlandvertrag (Tratado da Alemanha) em Bona a 27 de Maio. Pondo termo ao estatuto de território ocupado, este tratado restabelece a plena soberania alemã, quer em assuntos internos, quer em assuntos externos. Os Aliados ocidentais reservam-se, no entanto, o direito de decidir sobre a Alemanha “no seu todo” e de manter tropas estacionadas em território germânico. A autonomia bem como a integração da República Federal no universo ocidental são enquadradas na constituição da Comunidade Europeia de Defesa no seguimento do Tratado de Paris.
Esta tentativa de coordenação de forças armadas da Europa ocidental nunca viria a ser formalizada, dado o fracasso do processo de ratificação por parte da Assembleia Nacional francesa dois anos mais tarde. O Deutschlandvertrag entraria em vigor numa versão diferente apenas em 1955. Nesse ano, a Alemanha (ocidental) integraria a NATO e viria a ter novamente um exército próprio.

Em resposta a estes desenvolvimentos, é declarado o Socialismo como objectivo principal da política do partido (único) no poder na Alemanha Oriental. A nacionalização de indústrias chave, as modificações tremendas no sector agrícola e as transformações na justiça, polícia e nos serviços secretos são submetidos às linhas gerais da nova ideologia.
O Natal de 1952 marca o início do primeiro canal alemão de televisão, receptível também na Alemanha Oriental. Os poucos lares que já dispõem de um aparelho televisivo poderão acompanhar emissões regulares. A 26 de Dezembro, é transmitido o primeiro telejornal (Tagesschau) que, desde esse ano, mantém a duração de emissão: 15 minutos!

Imagens: Assinatura do Tratado da Alemanha; o Socialismo na RDA; um aparelho ainda desconhecido: o televisor; "Tagesschau" - o telejornal alemão

Verdadeira Litania Para Os Tempos Da Revolução. Natália Correia.

As armas de D. Sebastião associavam o escudo das quinas às setas do santo homónimo.
No topo, vê-se a insígnia da Ordem da Cruz do Nosso Senhor Jesus Cristo, fundada pelo monarca durante uma estada no Cabo de S. Vicente


Verdadeira Litania Para Os Tempos Da Revolução.

Burgueses somos nós todos
ó literatos
burgueses somos nós todos
ratos e gatos

Mário Cesariny


Mário nós não somos todos burgueses
os gatos e os ratos se quiseres,
os literatos esses são franceses
e todos soletramos malmequeres.

Da vida o verbo intransitivo
não é burguês é ruim;
e eu que nas nuvens vivo
nuvens! O que direi de mim?

Burguês é esse menino extraordinário
que nasce todos os anos em Belém
e a poesia se não diz isto Mário
é burguesa também.

Burguês é o carro funerário.
Os mortos são naturalmente comunistas.
Nós não somos burgueses Mário
o que nós somos todos é sebastianistas.

Natália Correia, in "Inéditos" Antologia Poética , Lisboa: Publicações D. Quixote, 2002, p. 83-84 (Organização de Fernando Pinto do Amaral)

A Custódia de Belém, Impressões I.

O artigo de Lucinda Canelas agradou-me e levou-me a observar com mais pormenor a Custódia de Belém. Registo aqui algumas impressões e não a sua história porque não tenho possibilidade de consultar fontes primárias.
A data da criação da Custódia remonta ao ano de 1506. A autoria é do dramaturgo Gil Vicente, facto que levantou algumas polémicas, contudo, é consensual a sua aceitação.

O ouro utilizado veio da costa oriental africana, resultante de um tributo de vassalagem (30 marcos de ouro) pago pelo régulo de Quíloa ao rei D. Manuel. O ouro foi trazido por Vasco da Gama no regresso da segunda viagem à Índia, em 1503.
Gil Vicente levou três anos a esculpir a peça. Nela conseguiu exaltar os Descobrimentos Portugueses e o poder de D. Manuel I.
Corpo central da peça
A Custódia divide-se em três partes distintas:

- A base, onde se encaixa a haste, decorada com esferas armilares, divisa de D. Manuel; - O corpo central, onde está o viril destinado à hóstia, rodeado pelos 12 apóstolos;
- Finalmente, o duplo baldaquino do gótico final, marcado pela figura de Deus Pai sentado numa cadeira, segurando também ele uma esfera armilar, e pela pomba que simboliza o Espírito Santo.

Fotografia do Público, 09/05/12

A figura de Deus tem oito centímetros e os apóstolos quatro (como convém, são mais pequenos do que o Pai).

quarta-feira, 13 de maio de 2009

No Museu da Electricidade


Brussels : Grand'Place


Hoje estou aqui: mas esta foto ainda não é feita por mim!
Envio uma saudação especial para o LB e JS que adoram o mundo da Bd!
http://www.flickr.com/photos/21707593@N05/3519824320/in/set-72157617957516222/

Uma relíquia da canção de protesto

Patxi Andion, cantor de origem basca nascido em Madrid, fez as delícias revolucionárias dos anos 60 e 70, na Espanha franquista e no Portugal do Estado Novo. Foi duas vezes impedido de cantar no nosso País pela policia política, mas conseguiu que no extertor do marcelismo- um ano antes do 25 de Abril, em 24 de Março de 1973 - o deixassem cantar num Coliseu a abarrotar. Volta agora a Portugal, percorrendo as suas canções antigas, com o seu tom baladeiro e a voz rouca, com medo que gravem as novas canções e as coloquem na internet...

Bruxelas


Cartaz de Henri Cassiers.


Cartaz de A. Ost.


Cartaz de T'Sas.