Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 14 de março de 2009

Blues: John Mayer, Free Fallin' Live!

Fui ouvir o alaúde de Jozef Van Wissen e gostei! Obrigada João Mattos e Silva pela informação.
Isto não é alaúde mas a guitarra em ritmo de Blues, é a minha escolha para o início da noite: John Mayer, Free Fallin' Live



John Mayer nasceu a 16 de Outubro, de 1977, em Bridgeport, Connecticut (EUA). É cantor e compositor de música pop e rock, mas a partir de 2005 começou a tocar blues. Nota-se a influência de Eric Clapton nesta sua viragem para os Blues.

Meditação

MEDITAÇÃO DO INFANTE D. PEDRO

A grandeza da pátria que procuram
nos mares nas descobertas nas conquistas
tudo há-de perecer. Do passado farão
única força se o presente a não tem.
Do futuro dirão que desconhecem.
Por ele hei-de morrer. Por outra
tal grandeza que reviva na alma
mais que no corpo e fundamente
que o meu sonho não morra inutilmente.

- João Mattos e Silva

( in Diogo Freitas do Amaral- os poemas da minha vida, 2ªedição, Maio 2005, Edições Público)

Veio-me à memória este poema do nosso João Mattos e Silva a propósito do meu serão de ontem. Não podemos renegar o passado, mas também não devemos fazer dele única força mesmo que o presente a não tenha.

Como Madoff mas mais modesto...

Como as atenções têm estado focadas em Bernard Madoff, que ficará certamente nos anais dos mercados financeiros e do sistema judicial, outro grande "financeiro" tem passado despercebido.
Falo de Allen Stanford, banqueiro norte-americano que terá lesado milhares de investidores num total de perdas de 8 mil milhões de dólares ( 6,3 mil milhões de euros).
O esquema passava pela promessa aos investidores de elevadas taxas de juros, sustentadas em certificados de depósito do Stanford International Bank, sediado em Antígua, outro paraíso fiscal das Caraíbas. Evidentemente, a crise financeira internacional ajudou a descobrir que os tais certificados de depósito valiam afinal o preço do papel em que foram impressos...
Allen Stanford e outros administradores do banco estão a ser processados por fraude.

O blogue do candidato

Foi lançado no dia 12 o blogue da candidatura de Pedro Santana Lopes à Câmara Municipal de Lisboa. Chama-se Lisboa com Sentido. Fui ver e , antes de mais, aconselho aos autores dos textos uma revisão ortográfica e gramatical.
Aqui fica o endereço para quem tiver curiosidade : http://lisboacomsentido.blogspot.com/

Cinenovidades - 31 : Anjos e Demónios

Este é o trailer oficial do filme Angels and Demons, realizado por Ron Howard, e que adapta o livro com o mesmo nome escrito por Dan Brown. Como se sabe, este livro é anterior ao Código Da Vinci, mas foi o sucesso deste que impulsionou os outros livros de Dan Brown e os respectivos filmes. Mais uma vez, Tom Hanks interpreta o herói de Brown- o prof. Robert Langdon. Como seria de esperar, já existem várias campanhas contra o filme organizadas por organizações católicas mais radicais.

Novidades - 35 : Viagens

Neste Passaporte, Maria Filomena Mónica relata as viagens que fez entre 1994-2008, de Hong Kong a Granada, e também pela Europa e África, bem como algumas viagens "cá dentro".
Os textos são acompanhados por fotografias de António Barreto.

- Passaporte- Viagens 1994-2008, Maria Filomena Mónica, Alêtheia Editores, 2009, 15 €.

Dia 19 na Fnac Chiado

O livro Paisagens dos Confins,organizado por Maria Filomena Molder, e que reúne os textos da homenagem realizada em 2007 na FCSH da Nova a Fernando Gil, bem como um inédito deste- Objecto e objectividade, e ainda um texto sobre a sua obra filosófica, é lançado dia 19 , às 19h, na Fnac Chiado.

A obra será apresentada por João Lobo Antunes e Danièle Cohn.



- Paisagens dos confins, AAVV, org.Maria Filomena Molder, Vendaval, 2009.



Uma nota pessoal: Estive presente aquando da homenagem feita em Outubro de 2007 na Universidade Nova de Lisboa e foi entusiasmante verificar como Fernando Gil marcou as vidas de tantos filósofos portugueses, de várias gerações e vários ramos da disciplina. É realmente um nome incontornável na Filosofia em Portugal.



David Bowie: Life On Mars?

Para homenagear Schiaparelli "Life on Mars?" (1973) de David Bowie que confesso gosto bastante.

Os Quiosques de Jacinto Luís

O post de MLV «A tradição volta a ser o que era» recordou-me os quiosques de Jacinto Luís. Aqui deixo dois deles:


Acrílico sobre tela, 2002
(catálogo da Galeria Valbom, 2003)



Acrílico sobre tela, 2005
(catálogo da Galeria Valbom, 2005)


Voltarei ao post de MLV um dia destes.

Felicità!


Al Bano & Romina Power

Primeiro Mapa de Marte: Giovanni Schiaparelli!

Mapa de Marte de Giovanni Schiaparelli, 1888

Giovanni Virginio Schiaparelli (14 de Março de 1835 - 4 de Julho de 1910) foi um astrónomo italiano. Estudou na Universidade de Turim e no Observatório de Berlim e trabalhou 40 anos no Observatório de Brera (Milão), fundado pelos Jesuítas em 1774.
. A ele se deve o primeiro mapa de Marte. Ao observar este planeta encontrou os “mares” e “continentes” e visualizou superfícies rectilíneas que designou de canais, mera ilusão de óptica. Estes canais nunca existiram, hoje, sabe-se que eram crateras.
Demonstrou que as Perseidas e Leónidas estavam relacionadas com cometas e descobriu o asteróide Hesperia a 26 de Abril de 1861.

Observatório Astronómico de Brera

sexta-feira, 13 de março de 2009

O melhor e o pior ...




Recentemente, a revista para homens Esquire considerou o primeiro-ministro inglês Gordon Brown como o "homem mais mal vestido do mundo", ao mesmo tempo que designava o Príncipe Carlos como o mais bem vestido do mundo. Penso que nunca assistiremos a tal contraste directamente, porque não é provável que trabalhem um com o outro: a Rainha está para durar, e Gordon Brown não deve resistir às próximas eleições.


Cinenovidades - 30 : Young Victoria

Já estreou no início deste mês este biopic sobre a Rainha Vitória, mais propriamente sobre os primeiros anos do seu longo reinado. Parece que ainda vamos ter de esperar alguns meses para o vermos por cá.

Uma exposição na Torre do Tombo!

Porque achei sui generis, e partindo do lema: "Mens sana in corpore sano"
apresento aqui uma exposição que está patente na Torre do Tombo:


Exposição
Colecção de Emblemas Desportivos
de
Frederico da Costa Santos
12 de Março a 4 de Abril
Doacção ao Museu Nacional do Desporto
A exposição destaca 80 estojos, com um total de mais de 6000 emblemas, dedicados ao associativismo português. Não se reporta apenas ao futebol mas a outros desportos, organizada por distrito e ordem alfabética e, contempla também, os clubes das antigas colónias portuguesas.
Entre as peças expostas, nacionais e internacionais, destacam-se os emblemas do comité Olímpico de Portugal e da participação olímpica portuguesa.
A colecção, "No seu conjunto, espelha a história e a evolução dos clubes e do movimento desportivo. E permite salvaguardar a memória dos que já desapareceram"
Laurentino Dias
Secretário de Estado da Juventude e do Desporto
Não me suscita grande atenção mas para os que gostam de desporto aqui fica a mensagem.

Prémio Charles Bisset 2008 para Lídia Jorge


O romance Combateremos a Sombra, de Lídia Jorge, editado em 2007, acaba de ser distinguido com o Prémio Charles Bisset 2008, atribuído pela Associação Francesa de Psiquiatria. O prémio, que teve a sua primeira edição em 1987, destina-se a recompensar obras que, pela sua qualidade, «evocam e aprofundam a problemática humana e que respeitem a verdade dessa problemática». O galardão será entregue à escritora durante o Salão do Livro, em Paris, que terá início amanhã.

PENSAMENTO DO DIA

" A razão pela qual algumas pessoas acham tão difícil serem felizes é porque estão sempre a julgar o passado melhor do que foi, o presente pior do que é e o futuro melhor do que será. "

- Marcel Pagnol

Aqui está um erro em que incorro muitas vezes. Nem o passado foi sempre tão bom , nem o presente é todo mau, e quanto ao futuro estão cada vez mais longe "os amanhãs que cantam" ( sem conotação ideológica) .
E pensar que durante décadas se viveu, a cada revolução tecnológica ( electrónica, robótica, computadores, internet ) com as expectativas da diminuição do tempo de trabalho e correspondente aumento do tempo de lazer, eliminação da fome pelo aumento de produção, eliminação do trabalho infantil etc, todas mais ou menos defraudadas. Ás vezes dá-me vontade de rir, outras de chorar, quando olho para os livros do casal Toffler e outros futurólogos. É verdadeiramente uma ilusão ligar o progresso tecnológico a um aumento do progresso espiritual, ou mesmo material, do género humano.
É certo que comunicamos e viajamos a velocidades nunca vistas, temos informação disponível com um simples toque num teclado, podemos trabalhar,alguns, em casa enquanto cuidamos dos nossos filhos,e já não morremos de causas que durante séculos vitimaram a nossa espécie.
Mas ainda se morre de fome, de doenças tratáveis, de águas inquinadas, e se trabalha em quase escravidão em muitas regiões deste planeta.

Adão e Eva ...

O primeiro casal, Adão e Eva, em versão islâmica.

Uma nova companhia de aviação - Yorkshire Airlines

video


Aqui fica o video de promoção da Yorkshire Airlines, uma low-cost que apareceu recentemente.Uma hipótese a considerar para as excursões do Prosimetron.

Crime em Carnaxide ...e não só


Foi uma das notícias de ontem o ocorrido nas instalações da SIC, em Carnaxide: na quarta-feira, ao início da manhã, um homem arrombou a janela do gabinete de Francisco Pinto Balsemão sito no rés-do-chão do edifício, e preparava-se para fugir com o monitor LCD do computador quando foi surpreendido por uma funcionária de limpeza, tendo fugido sem o dito monitor.
E logo se pronunciaram vários funcionários da empresa: "Há um clima de insegurança na SIC. Qualquer pessoa salta a vedação do parque de estacionamento e consegue aceder aos gabinetes através das janelas", " Insegurança dentro e fora do espaço da SIC. Há duas semanas houve cinco assaltos a carros e as pessoas têm medo de andar aqui".
Não tinha conhecimento desta vaga de criminalidade em Carnaxide, mas não me surpreende já que é consentânea com o aumento geral da criminalidade conforme consta do Relatório de Segurança Interna sobre 2008 que vai ser divulgado hoje oficialmente pelo Governo.
E qual é a conclusão geral deste relatório? Ficamos a saber que em 2008 houve um aumento de 11% da criminalidade, o maior desde há dez anos.
Ou seja, os números oficiais confirmam finalmente o que a imprensa vinha revelando, alguns portugueses sentido na pele, e a opinião pública comentando.
E não nos podemos esquecer que estes números traduzem apenas o número de queixas apresentadas, sempre inferior ao número real de ocorrências.

ONDE ME APETECIA ESTAR - 14 : Chateau Impney





Não, hoje não é praia, nem um destino exótico. Trata-se sim de um hotel inglês que antes foi residência particular. Em 1875, o milionário britânico John Corbett, conhecido como o "Rei do Sal", casado com uma francesa e ambos admiradores dos castelos do Loire, decidiu mandar edificar um sumptuoso castelo à francesa em pleno Worcestershire, com um não menos sumptuoso parque.
É esta a história do Chateau Impney, hoje escolhido para conferências, exposições, e é claro por quem quer passar uns dias de repouso no coração da Velha Inglaterra.
- Chateau Impney Hotel, Droitwich Spa, Worcestershire, Grã-Bretanha.

Biografias, autobiografias e afins - 24

- Carl von Clausewitz, retrato por Wilhelm Wach, 1830.

Hoje trago algo diferente: a biografia de um livro. A história de um dos livros mais famosos sobre "a arte da guerra"- o clássico tratado do oficial prussiano das Guerras Napoleónicas Carl von Clausewitz, ainda hoje estudado em muitas escolas militares, depois de ter inspirado, entre muitos outros, Moltke, Lenine, Hitler e mais recentemente o general Colin Powell como o próprio declarou.
O autor, Hew Strachan, ensina História da Guerra na Universidade de Oxford.
- Carl von Clausewitz' s On War. A biography, Hew Strachan, Atlantic Books, 2008.

Novidades - 34 : México

Esta é uma bela colecção da Plon, dicionários amorosos de países escritos por quem conhece e ama o país escolhido. Depois da Espanha, Rússia, e outros, agora o México pela mão de Jean-Claude Carrière.

- Dictionnaire amoureux du Mexique, Jean- Claude Carrière, Plon, 528p, 24 euros, Março de 2009.

Conhecem Rafal Blechacz ?

Rafal Blechacz é um pianista polaco de 24 anos, que em 2005 ganhou por unanimidade o concurso Chopin, o que já não acontecia a um polaco há 3o anos. Acaba de sair o seu segundo disco ( Haydn, Mozart, Beethoven ) , editado pela Deutsche Grammophon. Neste video gravado em 2007 em Hamburgo, Blechacz toca o prelúdio nº24 de Chopin.

Ilustradores - 1

Estrela da Liberdade Alves Faria nasceu em Évora em 1910 e faleceu em Lisboa, 66 anos depois. Pintora e ilustradora, colaborou na Exposição do Mundo Português e na decoração do Museu de Arte Popular. Como o Jad aqui disse ontem, é de sua autoria o mural da escadaria do antigo Cinema Alvalade. Foi esta referência que me levou a colocar algumas suas ilustrações, retiradas dos livros O príncipe de ouro, de Ricardo Alberty (Lisboa: Verbo, 1971?), O mundo dos meninos verdes, de Maria Manuela Couto Viana (Lisboa: Verbo, 1970?) e Lendas de Portugal, de Gentil Marques (Porto: Universus, 1962, vol. 1).


Ilustração para o conto «Memórias de um guarda-chuva»,
de Ricardo Alberty.


Duas ilustrações para O mundo dos meninos verdes.



Ilustrações para «Lenda da Vila Viçosa» e para
«Lenda da flor que nasceu da lama».

Amanhã, no Cinema São Jorge


Um jovem e Saint-Saëns!

George Li, um jovem de 13 anos interpreta Concerto para Piano Nº 2, in G minor (Part.1) de Saint-Saëns, com Simon Bolivar Youth Orchestra da Venezuela dirigida por Sarah Ionnides no José Félix Ribas Concert Hall em Caracas, Venezuela.

Comment te dire adieu? Françoise Hardy.

O Post de MR levou-me a ouvir uma música da Françoise Hardy que não ouvia há muito tempo.

quinta-feira, 12 de março de 2009

As crises e as alcunhas de Londres

(…) No final dos anos 90, quando o mercado imobiliário de Londres recuperou da recessão que atingira no início da década as rendas e as ambições subiram a pique. Londres tornou-se conhecida, entre financeiros e arquitectos, como a “Manhattan à margem do Tamisa”.
(…) Os ataques terroristas em NY e Washington em 2001 inauguraram uma era mais sombria. O Manhattan à margem do Tamisa tornou-se o “Londristão”. O termo pode ter sido usado pela primeira vez pela polícia anti-terrorista francesa (zangada com o alegado laxismo em relação aos extremistas islâmicos), mas foi mais usado após o 11 de Setembro.
(…) Mas a continuação da prosperidade salvou a ansiedade. Londres recuperou. Os estrangeiros continuaram a chegar, em grande parte vindos dos países recentemente admitidos na União Europeia, trazendo a alegria aos agentes de imobiliários de luxo ou aos directores de escolas privadas e o “Londristão” ganhou outra alcunha: “Londresgrado”.
(…) Durante anos pareceu ser a capital não só da Grã-Bretanha, mas talvez até do mundo: o epicentro da globalização. Para muitos homens de negócios e do sector financeiro, era uma utopia onde não se faziam perguntas e se crescia perpetuamente, um local de prémios generosos e do fluxo de capitais – e de crédito fácil e sem limites. Agora, subitamente, os empregos estão a desaparecer, a libra está em queda, os bancos podem ter de passar a ser totalmente nacionalizados.
(…) Como o New York Times revelou, alguns economistas e negociantes começaram a referir Londres por uma alcunha agoirenta: Reiquejavique à margem do Tamisa. Tal como a Islândia, Londres é palco de um sector financeiro abalado que anteriormente sustentava a economia e de bancos cujas responsabilidades imnpedem o crescimento da produção nacional.
(…) Como serão Londres e a Grã-Bretanha vistas daqui a uns anos? De acordo com David Cameron, líder dos Conservadores, Londres irá tornar-se (se ele for primeiro-ministro) na capital de uma nação recentemente responsável. Os hereges financeiros sairão da cidade no “dia do julgamento”, promete; o resto da cidade e do país viverá com aquilo que ganha e poupará para dias mais complicados. Londres será uma espécie de Grantham à margem do tamis (Grantham é a cidade natal onde Margaret Thatcher adquiriu o gosto pela auto-suficiência).
(…) Enquanto esse dia não chega, a cidade pode parecer ter voltado à era Vitoriana e Eduardiana, com legiões de desempregados a dependerem dos escassos serviços sociais: Londres pode tornar-se numa versão mais humana da “cidade das noites medonhas”, do “império da fome” e do “abismo”, como os sociólogos lhe chamavam há um século atrás.

Excertos extraídos de um artigo publicado no The Economist

O chapéu, a moda e um sorriso!

Parece que o chapéu está a ganhar cada vez mais terreno na vida quotidiana. Li na revista Sábado que as lojas aumentam de ano para ano as suas colecções. E por isso, cada vez mais há modelos para todos os estilos.
Pessoalmente, gosto imenso de chapéus mas não tenho lata para os usar.
Hoje, coloco o chapéu para o tirar ao António que veio esclarecer todas as nuvens que apareceram neste blogue.

A tradição volta a ser o que era

Gostei de ler na Visão de hoje que Catarina Portas e João Regal tiveram a feliz ideia de recuperar alguns dos quiosques de Lisboa para matar a sede a quem por lá passar. São os “Quiosques de Refresco” que lá mais para o final do mês estarão em funcionamento na Praça das Flores, Praça do Príncipe Real e Praça Luís de Camões. Com o Verão à porta vai saber bem poder ali beber uma limonada, capilé, groselha, mazagran ou água em garrafa. Pedir uma cerveja ou qualquer outra bebida alcoólica é que não, pois corre-se o risco de nos servirem uma sandes de bacalhau...
Os três quiosques estarão abertos entre as 7h30 e as 24h, com o do Camões a fechar à 1 da manhã.
A palavra Quiosque vem do turco kioshk, que significa pavilhão. E foram estes pequenos pavilhões de estilo oriental feitos em madeira ou ferro, que no início do séc. XX surgiram em Lisboa para venda de tabacos, jornais e revistas, mas também produtos típicos da cidade. Quem não se recorda de tantas imagens dessa Lisboa antiga onde grupos de clientes se encontravam encostados às pequenas aberturas dos quiosques em amena cavaqueira e a beber um copo que acompanhavam com amendoins ou fava frita. Saía mais barato que nos cafés e podiam optar por vinho, cerveja, ginjinha ou aguardente.
Estou ainda a lembrar-me da belíssima série de quiosques portugueses pintados pela Maluda, posteriormente transformados em selos.

Blogues - 3 : O Braganza Mothers

Satisfazendo, em forma de mensagem, a curiosidade da nossa M.R., aproveito para falar do The Braganza Mothers. É um dos blogues mais irreverentes da nossa blogosfera, com contribuidores bastante iconoclastas, e entre eles o lendário Arrebenta. Mas este blogue não é só famoso pelo estilo e pelas controvérsias. Foi palco de várias cisões internas, infiltrações, e verdadeiros casos de polícia com devassa da vida privada. É um dos blogues portugueses com uma história mais atribulada. Hoje em dia, já não atrai tantos visitantes até porque a sua irreverência foi sendo mimetizada por outros bloggers, mas ainda assim vale a pena conhecê-lo até porque conta com um dos mais talentosos artistas da blogosfera: Kaos.

Previno que talvez choque almas mais sensíveis, mas vale a pena a visita: http://braganzamothers.blogspot.com/

Atenção !

Tendo recebido um mail da nossa M.R. , em que me era perguntado por que motivo tinha eliminado o terceiro comentário ao post do Jad de hoje- "Obrigado, Miss Tolstoi", fiquei perplexo porque não tinha ideia de ter eliminado comentário nenhum, nem hoje, nem recentemente.
Fui verificar, e realmente existe um comentário datado das 10.35h, "eliminado por um administrador do blogue". Ora, eu não eliminei comentário nenhum, sendo certo que neste momento apenas consto eu como administrador deste blogue. Só é possível uma conclusão- alguém se fez passar por administrador do blogue e eliminou o dito comentário.
Convenhamos que é grave, e inédito aqui no blogue, mas não na blogosfera como todos sabemos.
Tentei perceber como foi possível esta intrusão/usurpação, e ainda não consegui perceber, embora já tenha tomado medidas. Vou falar com um amigo informático, de forma a ver se percebemos como isto aconteceu, a bem da minha tranquilidade e da segurança de quem escreve e lê o blogue.
Hoje, foi um comentário, amanhã podemos estar perante situações mais graves.
Solicito a todos que tomem atenção se voltarem a aparecer comentários aparentemente eliminados por mim, ou por vós próprios.
Pode tudo não passar de uma brincadeira, de qualquer modo censória, ou ser algo mais preocupante.

A Rosa Meditativa: um pensamento e Dalí!

Luís Barata fiquei atónita com o Pasquim da Reacção aqui no blogue. Não o fui visitar por causa da agressividade com que se reage a uma crítica. Fiquei mesmo baralhada: qual será o objectivo de um blogue?
O Jad respondeu num comentário a esta questão.

Salvador Dalí, Rosa meditativa (1958)
Coleccción Arnold Grant - Nueva York
28x36 cm, pintado a óleo sobre tela

Como a beleza, seja ela de que tipo for, alimenta a mente, resolvi colocar estas palavras:

"Uma rosa, apesar de bela, tem uma parte acastanhada e suja que está debaixo da terra. E um verso é como uma planta: é belo se investigar a terra que o destino lhe colocou por baixo. A beleza será pois uma profundidade e não uma estatura, muito menos uma cor ou uma forma"


Gonçalo M. Tavares - O Senhor Breton, Lisboa: Caminho, 2008, p.20

Lá fora - 22 : Ariosto no Louvre

- Roland furieux, Jean Charnod.

Está patente na ala Denon do Louvre uma exposição dedicada a Ludovico Ariosto, grande poeta da Renascença italiana que inspirou muitos artistas ao longo dos séculos. A exposição explora essas ligações entre a arte e a literatura, e é acompanhada por colóquios, espectáculos e sessões de leitura da poesia de Ariosto.

- Imaginaire de l' Arioste, L' Arioste imaginé, ala Denon do Museu do Louvre, Paris, de 26 de Fevereiro a 18 de Maio. Mais informações em http://www.louvre.fr/

Biografias, autobiografias e afins - 23


A biografia de um dos grandes dramaturgos do século XX por André Le Gall, que já biografou Corneille e Racine. É dada a obra e a vida deste diplomata romeno, colocado em França e depois nela residente, pai do teatro do absurdo, corrente dramatúrgica tão amada como odiada no século passado. Uma vida com um final infeliz, dominado pela depressão, pela angústia da morte, e pelo alcoolismo.
- Eugène Ionesco. Mise en scène d' un existant spécial en son oeuvre et en son temps, André Le Gall, Éd. Flammarion, 2009.

Proustiana - 2

A pintura percorre toda a Recherche. São muitos os quadros citados, bem como as considerações sobre eles. O pintor Eric Karpeles recenseou-os nesta obra indispensável a qualquer devoto proustiano, onde são reproduzidas cerca de 200 telas mencionadas, bem como as respectivas passagens da obra.

- Paintings in Proust, Eric Karpeles, Thames&Hudson, 2009. ( Há já uma tradução francesa) .

Proustiana - 1

É uma novidade do passado mês de Janeiro este diário imaginário de Charles Swann, uma das personagens mais importantes da Recherche. D.I. Grossvogel, o autor, é um grande proustiano norte-americano, e pretendeu fazer deste romance uma extensão da grande obra de Proust tendo por eixo central o consumado dandy proustiano, supremo diletante, Charles Swann.
A obra cobre os anos de 1882 a 1899, abordando o caso Dreyfus, os primeiros encontros entre Swann e Odette de Crécy , e muitas outras personagens do ciclo proustiano.

- Le Journal de Charles Swann, D.I. Grossvogel, Éd. Buchet-Chastel, 2009.

Ai Carolina

" (...) A « aleivosa» de hoje caminha, desprotegida, à porta de um tribunal, depois de cumprir um dever de cidadã. De testemunha de um processo, passa a ré do povo. Complacentes, dir-se-ia que concordantes- porque ela, afinal, tem o que merece-, as autoridades, tão brutas noutras ocasiões, fecham os olhos à agressão e ao vilipêndio. São vergonhosamente coniventes, sem que o poder político, o Ministério da Administração Interna ou o Ministério da Justiça esbocem um pestanejar.
Esta mulher já teve as costas quentes, manobrou o príncipe, manipulou-o, ofereceu-se-lhe em troca do poder total. Falta imperdoável! Ela ocupou o lugar que era de outras, das sérias, das bem-comportadas, das fidelíssimas.
Já nem são os súbditos do príncipe, os homens, os adeptos ou os hooligans quem a persegue ou abjura. São as súbditas, as mulheres, quem não lhe perdoa o indecoro nem a ousadia. São elas que realmente a odeiam, insultam e vituperam, a ela que se serviu da arma feminina mais poderosa- a da sedução-, a única que nunca poderão perdoar-lhe. Carolina Salgado não foi vítima das suas origens, nem é, sequer, culpada da sua traição ao reino do FC do Porto e ao príncipe Pinto da Costa, o papa. Que, como D.Fernando, não é mandante ou autor de qualquer crime, mas, desresponsabilizado pela sua condição de homem, apenas vítima. Não. Não é a culpa dos actos que persegue Carolina: ela está a pagar pelo facto de ser mulher. E a sofrer na pele os efeitos lusitaníssimos do pior dos machismos: o das outras mulheres. "

- Filipe Luís, Requiem por Carolina Salgado, in VISÃO de 12 de Março de 2009.

Os paraísos fiscais

- Ugland House, Ilhas Caimão.
- As Ilhas Caimão ( Cayman Islands ) são o número 5 do mapa.


Recentemente, num documentário feito por um canal de televisão britânico, "conheci" o famoso edifício que está na primeira foto- Ugland House. E porque é famoso este edifício sito nas Ilhas Caimão? A fama advém de ser a "sede" de 18.000 empresas. É verdade, 18.000 empresas.
É claro que já perceberam que são 18.000 off-shores. 18.000 empresas fictícias, sem empregados, sem actividade económica, existentes apenas com o propósito de canalizarem capitais, circularem capitais, fugindo a sistemas fiscais e muitas vezes lavando dinheiro de actividades criminosas. Foi a quantidade de off-shores que tornou famoso este prédio das Ilhas Caimão que tem servido de "bode expiatório" tanto no Congresso Americano como em instâncias internacionais. Mas é um edifício entre muitos, sendo que as Ilhas Caimão são um dos muitos paraísos fiscais onde o segredo bancário é rei, e ninguém quer saber quais as origens dos milhões que são depositados nos bancos, ou qual a actividade de tantas empresas sediadas no território.
Foi a crise financeira internacional que trouxe de novo à ribalta o tema dos paraísos fiscais, ao descobrir-se até que ponto os bancos "sérios", e não só os barões da droga e políticos corruptos, recorrem a eles, como se viu até entre nós nas investigações feitas ao BPN e ao BPP, mas também ao BCP.
Tenho para mim que por mais boas intenções que a União Europeia e os Estados Unidos proclamem quanto a regular os paraísos fiscais, será sempre uma luta inglória tantos são os interesses cruzados, a começar pela promiscuidade entre actores políticos e agentes económicos.


O JL e o Real Gabinete

- Biblioteca do Real Gabinete Português de Leitura, Rio de Janeiro.

Recentemente falei aqui do milésimo número do Jornal de Letras, e agora volto a falar a propósito de uma recente distinção: o JL foi feito Sócio Honorário do Real Gabinete Português de Leitura, do Rio de Janeiro, pela "excelência do jornalismo cultural" desenvolvido ao longo de quase três décadas. Também José Carlos de Vasconcelos foi distinguido como Sócio Benemérito.

La maison où j'ai grandi e Il ragazzo della Via Gluck

Francoise Hardy - La maison où j'ai grandi


Adriano Celentano - Il ragazzo della Via Gluck (1966)


Acho que o Filipe já aqui postou Il ragazzo della Via Gluck, mas na 3.ª feira quando a estava a ouvir no Instituto Italiano, lembrei-me da adaptação francesa, La maison où j'ai grandi, razão porque coloquei aqui as duas.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Obrigado, Miss Tolstoi


Uma comentadora, Miss Tolstoi, tem dado todo o carinho e apoio a este espaço que é de todos, inclusive dela também. Hoje encontrei esta pintura mural (é apenas um pormenor) mulher vestida de vermelho..., máscara que não permite bem a sua identificação... pensei só pode ser a "nossa" Miss Tolstoi. O quadro (um fresco) ocupa uma grande parede do City Café integrado no Cinema City/ Classic Alvalade. É da autoria de Estrela Faria. Decorava a antiga escadaria do velho cinema Alvalade... recordação com mais de trinta anos (agora recuperada).

PENSAMENTO DO DIA


" Tudo o que amamos profundamente torna-se parte de nós mesmos. "
- Helen Keller

MULHERES EM ATENAS as Legitimas e as Outras Ana Lucia CURADO

ANA LÚCIA CURADO

MULHERES EM ATENAS

As Mulheres Legítimas e as Outras

Lisboa: Sá da Costa Editora, 2009

Sobre o livro:

A jovem Ana Lúcia Curado … foi a última doutoranda e (pelo que vemos) pode ser a legítima herdeira dessa grande senhora das Humanidades que foi a Prof.ª Dr.ª Maria Helena da Rocha Pereira. O livro da doutora pela Universidade de Coimbra sobre As Mulheres em Atenas traz decisiva e dificilmente ultrapassável contribuição para o conhecimento de um até aqui recôndito e difícil objecto de estudo: a vida pessoal e social da mulher grega. Pois agora, através de uma minuciosa e argutíssima análise das alegações em processos judiciais produzidas pelos grandes causídicos atenienses (oradores como Lísias, Isócrates, Demóstenes, Ésquines e outros), Ana Lúcia Curado consegue dar-nos a ver a vida concreta, quotidiana das mulheres (e homens) atenienses de há dois mil e quinhentos anos.

(Professor Pedro Isidoro, no blog Tonel de Diógenes)


À venda em qualquer boa livraria

ou directamente da

SÁ DA COSTA EDITORA

Largo de Camões, 22-4º

1200-243 Lisboa Portugal

Telef.: +351 21 347 71 88

Fax +351 21 343 23 65

sadacostalivraria@gmail.com

Ana Lúcia Curado


Professora da Universidade do Minho, Doutorada em Estudos Clássicos pela Universidade de Coimbra. É autora do livro Cartas Italianas de Verney (Lisboa, Sílabo, 2008) e editora do livro A Antiguidade e Nós. Herança e Identidade Cultural (Braga, Universidade do Minho, 2006). É tradutora de textos clássicos e ensaísta.



Universidade do Minho


Instituto de Letras e Ciências Humanas


Campus de Gualtar


4710 - 057 Braga


Portugal

Telefone: +351-253604170


Fax: +351-253676387


alcurado@ilch.uminho.pt

alcurado@gmail.com


O carácter internacionalista dos portugueses...






O carácter internacionalista do povo Português





-
Se tem um problema intrincado.......................................- Vê -se grego;

- Se não compreende alguma coisa....................................- "aquilo" é chinês;


- Se trabalha de manhã à noite.........................................- trabalha como um mouro;


- Se vê uma invenção moderna........................................- É uma americanice;


- Se alguém fala muito depressa....................................... - fala como um espanhol;


- Se alguém vive com luxo.............................................. - vive à grande e à francesa;


- Se alguém quer causar boa impressão.............................. - é só para inglês ver;


- Se alguém tenta regatear um preço................................. - é pior que um cigano;


- Se alguém é agarrado ao dinheiro .................................. - é pior que um judeu;


- Se vê alguém a divertir-se............................................ - está a gozar que nem um preto;


- Se vê alguém com um fato claro vestido........................... - parece um brasileiro;


- Se vê uma loura alta e boa............................................. - parece uma autêntica sueca;


- Se quer um café curtinho............................................... - pede uma italiana;


- Se vê horários serem cumpridos..................................... - trata-se de pontualidade britânica;


- Se vê um militar bem fardado........................................ - parece um soldado alemão;


- Se uma máquina funciona bem....................................... - é como um relógio suíço;


Mas quando alguma coisa corre mal................................... - é " à PORTUGUESA"


ONDE ME APETECIA ESTAR - 13 : Anguilla







Dizem que as praias de Anguilla são as mais belas das Caraíbas, o que é realmente dizer muito.Pelas fotos que vi, estas e outras, tendo a acreditar. Água cristalina, areia imaculada, o que se pode exigir mais? Talvez uma boa companhia, porque não tenho vocação para Robinson. Por agora, terei de me contentar com ilhas mais próximas.