Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 28 de junho de 2008

O DONMAR WAREHOUSE THEATRE de Londres



O Donmar Warehouse Theatre situa-se no West End londrino, próximo de Covent Garden. Ao longo dos últimos 18 anos, a programação tem-se destacado por um grau de exigência elevado e uma diversidade interessante das peças representadas: clássicos europeus em produções contemporâneas, drama britânico e americano, bem como musicais de formato reduzido marcaram presença neste espaço que, com 250 lugares, mantém a sua estrutura interior de um antigo armazém.


Entre a imensa oferta de teatros no West End, o Donmar distingue-se pela qualidade das suas produções, conservando ao mesmo tempo a simplicidade agradável de um teatro experimental. Actores internacionais de grande renome são convidados com frequência: refira-se Ewan McGregor como Iago em Othello (2007/8), Emily Watson na sua actuação inesquecível em Tio Vânia de Tchekov em 2002, Gwyneth Paltrow em Proof de David Auburn nesse mesmo ano, Colin Firth em Three days of rain de Richard Greenberg em 1999 ou Nicole Kidman em The Blue Room de David Hare em 1998. Os cachets que estas estrelas do cinema auferem são simbólicas (pelo menos à luz das remunerações a que certamente estão habituadas...), equivalentes aos valores mínimos estabelecidos pelo respectivo sindicato no Reino Unido. O Donmar segue assim a mesma política que outros teatros off adoptaram, ao contratar artistas conhecidos (Juliette Binoche ou Gael Garcia Bernal terão ganho pouco mais pelas suas representações no Almeida Theatre em Islington).


A história deste teatro é notável. Relatá-la em detalhe é impossível. Apenas algumas notas: Donald Albery adquiriu o armazém em 1961 para aí instalar uma sala de ensaios para o London Festival Ballet que tinha fundado juntamente com Margot Fonteyn. A junção de DONald e MARgot deu origem ao nome do teatro.
Entre 1977 e 1981, a Royal Shakespeare Company utilizou este espaço como "sucursal" para representações fora de Stratford.
Em 1990, Sam Mendes, o aclamado realizador, foi convidado para director artístico. Durante o seu trabalho até 2002, o Donmar ascendeu ao estatuto e à importância que marcam hoje este teatro: o revival de Cabaret em 1994 com Alan Cumming e outras produções acima indicadas constituem parte de um espólio riquíssimo de que o Donmar se pode orgulhar.


A programação conta com um mínimo de seis produções por ano. É política da casa levar peças para além de Covent Garden, dentro e fora do Reino Unido. Actualmente, o Donmar apresenta Guys & Dolls na Austrália, para seguir com Frost/Nixon pelos Estados Unidos.

A partir de Setembro, a digressão é de distância bem mais reduzida: no célebre Wyndham's Theatre, situado a poucos passos, o Donmar realizará quatro produções com elencos extraordinários:

Ivanov de Tchekov sobe ao palco entre 12 de Setembro e 29 de Novembro; o elenco inclui Kenneth Branagh;


Twelfth Night de Shakespeare será representado entre 5 de Dezembro e 7 de Março de 2009; o grande Derek Jacobi, ícone do teatro britânico, entrará em cena;


Madame de Sade de Yukio Mishima para ver entre 13 de Março e 23 de Maio; vamos poder admirar Dame Judi Dench!


Hamlet de Shakespeare concluirá este ciclo entre 29 de Maio e 22 de Agosto; sob a direcção de Kenneth Branagh, teremos um príncipe da Dinmarca muito especial: Jude Law! O Donmar recomenda a compra de bilhetes atempada... Estará o eterno interesse por Shakespeare na origem de tanta procura...?



London at its best!

Pirandello


"Qualquer um pode ser herói de vez em quando, mas um gentleman é algo que se tem de ser todo o tempo"

Luigi Pirandello (1867 - 1936), nascido em 28 de Junho de 1867

PENSAMENTO DO DIA

" Arriscar-se é perder o pé por algum tempo. Não se arriscar é perder a vida..."

- Soren Kierkegaard

In memoriam - Michael Turner - criador de BD


Michael Turner, artista de comics norte-americano nascido a 21 de Abril de 1971, faleceu ontem na Califórnia depois de uma longa batalha contra o cancro. Tinha 37 anos.

Mais conhecido como criador de séries como "Witchblade" e "Fathom", trabalhou para as duas majors (DC Comics e Marvel Comics), tendo trabalhado em "Black Panther", "Superman/Batman" o autor de capas para séries como "Identity Crisis".

Na softcover edition de "Fathom", Marc Silvestri conta como conheceu Turner numa convenção, como o seu trabalho lhe parecia fraco ao início e como Turner se reinventou para se tornar numa das hottest commodities na indústria.

"For anyone who’s met Turner, they’re likely to tell you what a genuinely nice guy he was and how his spirit for life was likely higher than anyone else they had ever met."

Jonah Weiland, Executive Producer, Comic Book Resources


"Witchblade" #1, Novembro de 1998,
assinado pelos autores

Grandes filmes (esquecidos?): 6 - Broken Blossoms



O meu filme favorito de D. W. Griffith , "Broken Blossoms or the Yellow Man and the Girl", estreou nos EUA a 13 de Maio de 1919, na década anterior ao advento do "sonoro".

Muito differente dos registos anteriores de Griffith (os épicos casts of thousands de "Intolerance" ou "Birth of a Nation", sobre-apreciado na minha humilde opinião), "Broken Blossoms" é uma história intimista sobre tolerância, sempre sob a égide da fragilidade.

A narrativa decorre nas docas de Londres. Lillian Gish (sempre Ms. Lillian Gish, the hand that rocks the cradle) é Lucy, uma jovem pobre, filha de um pugilista abusivo, Battling Burrows. Deambulando por entre brumas cinzentas depois de um espancamento pelo pai, a jovem é encontrada por Cheng, um tímido e sensível imigrante chinês (interpretado por Richard Barthelmess), que a leva para o seu apartamento, uma ilha exótica e acolhedora, e a trata. O jovem viera para a Europa pregar a palavra de Buda, mas tivera pouco êxito na sua missão. Entre os dois seres marginalizados nasce uma cumplicidade, uma forma de romance.

Tomando conhecimento do paradeiro da filha, o pugilista, enraivecido, arrasta-a para casa; aterrorizada, Lucy refugia-se num armário, dando cor a uma emoção claustrofóbica, de animal acossado, perfeitamente primária. O pai espanca-a brutalmente. Quando Cheng chega para a salvar, já é tarde; Lucy está morta. Para se defender do subsequente ataque do pugilista, Cheng é forçado a alvejá-lo. Levando o cadáver de Lucy para sua casa, Cheng ergue um altar a Buda e toma a sua própria vida.

É um filme em que o caminho a percorrer se sobrepõe infintamente ao destino final: a fragilidade de Lucy que cria o seu mundo etéreo para escapar à realidade do dia-a-dia; a marginalização social de duas formas distintas (a filha de um marginal nas classes mais pobres de Londres, um imigrante chinês pobre); o racismo contra o perigo amarelo (note-se o título completo, que os ventos do politicamente correcto reduziram); a crueldade contra (e impotência de) os inocentes.

O título inicial do filme transporta o espectador para a dúvida moral do seu próprio comportamento face aos inocentes e aos fracos: "We may believe there are no Battling Burrows, striking the helpless with brutal whip - but do we not ourselves use the whip of unkind words and deeds?"

O filme quase não chegou a ser feito: Zukor, o patrão da Paramount, não o apoiou; Griffith levantou capital para comprar os direitos ($91.000) e ganhou milhões com a sua exibição sob a bandeira da recentemente formada United Artists. Ms. Gish falou sobre o filme anos mais tarde, quando este foi seleccionado como um dos grandes exemplos do cinema mudo; o seu depoimento está capturado na edição da KINO Video.

"Griffith put tragic poetry on the screen for the first time."
Lillian Gish

crónicas do mundo

Véspera de São Pedro.

M., na impossibilidade de me dar um manjerico - só por causa do peso e do volume - deixou-me um saco com dois livros e um cravo com um poema, em vez de uma quadra popular!
Os livros são para ler em Itália, enquanto ando nas minhas (nossas) viagens; a saber:
- Corrado Augias, I segreti di Roma (Os segredos de Roma) © 2006, que ocupou grande parte das montras das Livrarias romanas e continua a ser uma presença.
- Enzo Striano, Il Resto di Niente (publicado em Portugal com o título: A Portuguesa de Nápoles) © 2005.
O cravo e o seu poema foram-me deixados certamente para recordar os Santos Populares; e dado que hoje é dia 28 de Junho [vigília de S. Pedro e de S. Paulo] espera-se uma longa noite... Algumas cidades, como Roma, não vão adormecer, dado que 29 de Junho é feriado em todo o perímetro de Roma; festejam-se os seus padroeiros (Roma - dia de S. Paulo; Vaticano - dia de S. Pedro).
Em Turim tentei declamar a M. um poema de João de Deus... saíram apenas alguns versos soltos. M. aproveitou a oportunidade para mos enviar na sua totalidade, presos num cravo.

Beijo

Beijo na face
Pede-se e dá-se:
Dá?
Que custa um beijo?
Não tenha pejo:
Vá!

Um beijo é culpa,
Que se desculpa:
Dá?
A borboleta
Beija a violeta:
Vá!

Um beijo é graça,
Que a mais não passa:
Dá?
Teme que a tente?
É inocente...
Vá!

Guardo segredo,
Não tenha medo
Vê?
Dê-me um beijinho,
Dê de mansinho,
Dê!

*

Como ele é doce!
Como ele trouxe,
Flor,
Paz a meu seio!
Saciar-me veio,
Amor!

Saciar-me? louco...
Um é tão pouco,
Flor!
Deixa, concede
Que eu mate a sede,
Amor!

Talvez te leve
O vento em breve,
Flor!
A vida foge
A vida é hoje,
Amor!

Guardo segredo,
Não tenhas medo
Pois!
Um mais na face,
E a mais não passe!
Dois...

*

Oh! dois? piedade!
Coisas tão boas...
Vês?Quantas pessoas
Tem a Trindade?
Três!

Três é a conta
Certinha e justa...
Vês?
E que te custa?
Não sejas tonta!
Três.

Três, sim: não cuides
Que te desgraças:
Vês?

Três são as Graças,
Três as Virtudes;
Três!

As folhas santas
Que o lírio fecham,
Vês!
E não o deixam
Manchar, são... quantas?
Três!


João de Deus.
[Campo de Flores (1896)]

Boa noite de S. Pedro! Que custa um beijo? Aproveite a oportunidade e Dê!

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Sobre heróis no mundo de hoje


http://www.commondreams.org/archive/2008/06/26/9915/
http://www.commondreams.org/



-Agradeço ao meu querido amigo Richard Rodas ter-me feito chegar este artigo, tão interessante quanto controverso.

Os símbolos do Império


Todos conhecemos os símbolos imperiais franceses : a águia, a abelha, os louros; e a exposição patente no Museu de Artes Decorativas de Paris mostra-os e revela mais alguns em 25o notáveis objectos de mobiliário, joalharia, cerâmica e têxteis.
Symboles des pouvoirs sous l' Empire , até 5 de Outubro .

OS MEUS FOTÓGRAFOS : 1- NAN GOLDIN

- Nan and Brian in bed
- Anthony by the sea

PENSAMENTO DO DIA

" A vida só se dá a quem se deu "

- Vinicius de Moraes

Portugal visto de fora: III - da OCDE (sequela)


Como tinha feito referência ao novo relatório da OCDE, publicado a 25 de Junho, aqui vai o início do sumário executivo:

"After a weak growth performance in the early 2000s, more recent economic developments have been encouraging, and the budget deficit has been reduced to more sustainable levels. Nevertheless GDP growth is not high enough to allow a catch up with standards of living in more affluent OECD countries."
É uma pena que uma das variáveis-chave (Investimento Directo Estrangeiro, ou IDE/FDI) tenha, segundo a imprensa, estado a abandonar o mercado de capitais português nos últimos dias.

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Grandes filmes (esquecidos?): 5 - The Ghost and Mrs Muir


Um dos meus filmes favoritos, "The Ghost and Mrs. Muir" estreou a 26 de Junho de 1947. Realizado por Joseph L. Mankiewicz e interpretado por Gene Tierney, Rex Harrison, George Sanders e uma Natalie Wood demasiado nova para ser Natalie Wood, enquadra-se no género da fantasia, do romance, do drama... e dos grandes filmes.
Mrs. Lucy Muir (Gene Tierney), uma jovem viúva, vem viver com a sua filha (Natalie Wood) para uma população à beira-mar no início do século XX. Ao ver casas, escolhe uma casa em mau estado, com fama de assombrada, no cimo de uma falésia. Acolhe-a o fantasma do anterior proprietário, o Capitão Gregg, um lobo do mar profundamente antipático (Rex Harrison, cabotino à quinta casa, mas com traços de personalidade encantadores). O objectivo do capitão é correr com a viúva que lhe perturba o espaço; a jovem senhora não está pelos ajustes e faz-lhe frente, cultivando uma relação de respeito mútuo, que começa a evoluir nos sorrisos disfarçados e nos olhares desviados. Ao ficar sem fundos que lhe permitam continuar na casa, o fantasma do capitão começa a ditar-lhe as suas memórias... nasce um best-seller e a viúva consegue manter a casa.
No mundo dos vivos, surge um escritor (George Sanders) que começa a seduzir Mrs. Muir - por deferência, o fantasma esfuma-se, ternamente apagando as suas memórias... no dia seguinte, o mundo dos vivos ter as suas cruezas tangíveis e o pseudo-romance cair por terra, desfeito.

Passam os anos - Mrs. Muir continua na sua casinha no alto da falésia e recebe uma visita da filha, que lhe confessa também ter falado com o Capitão Gregg. Algo re-emerge na memória. Muitos anos depois, Mrs Muir é uma senhora de idade encantadora que suavemente vê chegar os seus últimos momentos. Com um sorriso, deixa-se guiar por um lobo do mar...

"The Ghost and Mrs. Muir" deu origem a uma série de televisão no final dos anos 60.

PENSAMENTO DO DIA


Okay, life's a fact, people do fall in love, people do belong to each other, because that's the only chance anybody's got for real happiness.


de "Breakfast at Tiffany's", Blake Edwards, 1961; na foto Audrey Hepburn e George Peppard

Ich bin ein Berliner - John F. Kennedy


Freedom is indivisible, and when one man is enslaved, all are not free. When all are free, then we look - can look forward to that day when this city will be joined as one and this country and this great Continent of Europe in a peaceful and hopeful globe. When that day finally comes, as it will, the people of West Berlin can take sober satisfaction in the fact that they were in the front lines for almost two decades. All -- All free men, wherever they may live, are citizens of Berlin.


And, therefore, as a free man, I take pride in the words "Ich bin ein Berliner".


John F. Kennedy, Berlim, 26 Junho de 1963

quarta-feira, 25 de junho de 2008

PIERLUIGI PRATURLON (1924 - 1999)


Os estimados leitores cinéfilos e o João Soares que nos abre o mundo do cinema através dos seus posts maravilhosos perdoar-me-ão a referência a um livro que foi editado já em 2006. Descobri-o apenas há dias.


Pierluigi on Cinema da editora Photology mostra uma belíssima colecção de imagens do fotógrafo italiano Pierluigi Praturlon que testemunhou grandes momentos da Sétima Arte nos anos 50 e 60. Cleopatra, Ben Hur, La Ciociara ou La dolca vita são alguns exemplos. Artistas como Marcello Mastroianni, Sophia Loren, Audrey Hepburn, Anita Ekberg ou Claudia Cardinale (foto) foram imortalizados por Praturlon.

George Michael a 45 rotações


George Michael, cantor inglês de origem cipriota-grega, nasceu em Inglaterra a 25 de Junho de 1963. Com vendas de mais de 100 milhões de discos e dois Grammys no seu palmarés, é o cantor com mais singles #1 no United World Chart (sete) e o cantor mais tocado na rádio britânica nas últimas duas décadas, segundo a Amazon.com.

A sua carreira começou como membro dos Wham!, em 1981, cujo sucesso os levou a ser o primeiro grupo pop ocidental a fazer uma tour na China, em 1985. Singles de sucesso do duo incluíram "Last Christmas", "Club Tropicana", "Freedom" e "Wake Me Up Before You Go-Go". A solo, conheceu sucesso com "Careless Whisper" e "A Different Corner". Em 1986 a parceria desfez-se e em 1987 George Michael começou uma carreira a solo com o álbum "Faith". Seguir-se-ia "Listen Without Prejudice, vol. 1" (1990); conflitos com a Sony mantiveram-no sem gravar um álbum até 1996, quando apresenta "Older", um dos álbuns que mais tocou no meu ano em Fontainebleau. "Songs from the Last Century" e "Patience" sairam em 1999 e 2004, respectivamente. Entretanto, apareceu e gravou em concertos de homenagem a Freddie Mercury ("Five Live", incluindo o clássico "Calling You", "Killer", "These Are the Days of Our Lives" e "Somebody to Love"), um "MTV Unplugged", em "Pavarotti and Friends", na "Band Aid" ("Do They Know It's Christmas?") e no âmbito da campanha "Red Hot + Dance".

Com várias tours ao longo dos anos, iniciou a sua tour europeia "25 Live Stadium Tour" em Coimbra a 12 de Maio de 2007, a primeira em 15 anos. Interpretou músicas como "Fastlove", "Star People", "Too Funky", "Jesus to a Child", "Spinning the Wheel", "An Easier Affair", "Outside" e "Careless Whisper".

A sua colectânea de êxitos "25" foi editada em Abril deste ano nos EUA, contendo um cover de "Feeling Good", que no ano anterior fizera parte do álbum "Another Side" de John Barrowman. As coincidências são assim mesmo.

Em Março, foi anunciada uma tournée "Live 25" na América do Norte para este ano, a sua primeira em 17 anos. Os dois últimos concertos serão a 24 e 25 de Agosto em Earl's Court, Londres, marcando a última vez que actuará ao vivo.

A mais recente actuação de George Michael "ao vivo", a 21 de Maio de 2008 no final do "American Idol" ("Praying for Time")

Crónicas de Itália - VI

Regressei aos meus livros, regressei à minha Pátria. Pátria é o local onde me sinto eu!


Miguel Ângelo
"Jeová arde em força ímpeto e alento
a mão que a mão toca é fraca e fina
O homem voltou a ser criado no momento
em que tu pintavas a Capela Sistina"

José Manuel dos Santos, O Livro de Registos, Venda Nova, Bertrand Editora, 1995, p. 37

Obrigado ao Rev. Monsenhor A. da C. Borges que me deu a conhecer alguns aspectos mais secretos de Roma; obrigado ao Rev. Monsenhor J. Bettencourt; obrigado ao Rev. Monsenhor F. da Costa que me guiou pelo Vaticano. Sem eles não teria contemplado tão maravilhosa obra.

Olá aos estrumpfes!

Os estrumpfes são uns seres encantadores, pequeninos e azuis que vivem numa aldeia de cogumelos no meio da floresta, algures numa Idade Média. Protagonistas de aventuras notáveis, como Os estrumpfes negros ou A estrumpfina, têm como arqui-inimigos o feiticeiro Gasganete e o seu gato.

A sua carreira começou em 23 de Outubro de 1958, nas páginas belgas da revista Le Journal de Spirou. Com 17 álbuns publicados entre 1959 e 1992, deram origem a uma série de desenhos animados no início dos anos 80 e têm filme previsto para 2010 (em pré-produção). Granjearam ao seu criador o prémio de juventude (9 aos 12 anos) no Festival de Banda Desenhada de Angoulême em 1984. O seu criador, Peyo, nasceu em Bruxelas a 25 de Junho de 1928 e faleceu a 24 de Dezembro de 1992.

PENSAMENTO DO DIA

" (...) A nossa falta de confiança, a inércia, a autocomplacência, o queixume e a inveja são pragas nacionais que nos envenenam. (...) "

- José Gil, A doença da identidade , VISÃO , 12 de Junho de 2008

CENAS PORTUGUESAS : 5 - Uma singular loja de conveniência

Subo o primeiro quarteirão da Avenida Infante Santo, e do meu lado direito deparo-me com uma loja de conveniência em que nunca tinha reparado. Será nova ou serei eu que passo pouco pela Infante Santo? Pois então, talvez pelo número 42 ou 44 , temos a loja de conveniência NAPOLEÃO O GRANDE . É verdade- Napoleão O Grande. Apetece-me entrar, perguntar a que se deve tal nome. A um proprietário Sr.Napoleão algo megalómano? Ou a um proprietário admirador do Imperador dos Franceses? Sigo o meu caminho. Fica para a próxima.

NARCISO


Ah! como ter-te e não te possuir
é cruel: imagem, espelho, o meu reverso,
o outro lado de mim, de ti o anverso,
a imortal beleza de um começo
na beleza mortal de cada recomeço
Narciso, Lís, coroa de Cnossos,
a morte que sustenho enfim virá
que não vieste e de mim, imagem, espelho,
mais nada restará do que destroços
e o eco do adeus: meu bem amado,
inutilmente amado, adeus.
- João Mattos e Silva, MARÍTIMO CAMINHO , Tertúlia , 1997

Até às cinzas



VIII

LES NOURRITURES CELESTES


Pour une ultime fusion avec une personne exceptionnellement aimée, j'irai jusq' à incorporer ses cendres dans un aliment dont je pourrais me repaître.


- Michel Onfray, ARS MORIENDI - Cent petits tableaux sur les avantages et les inconvénients de la mort , LES CAHIERS FOLLE AVOINE , 1998

Novo dia

-Amanhecer no Chile

" A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz. "

- S. Paulo, Epístola aos Romanos , XIII , 12

terça-feira, 24 de junho de 2008

A vida e as telenovelas

" Nas telenovelas os pequenos almoços são fabulosos, servidos sempre por empregadas fardadas a rigor. Em cima de uma toalha bordada, desfilam croissants, pães de ló, pão de diversas variedades, cereais, e jarros de sumo, que vão da laranja ao maracujá. Os donos da casa, de todas as idades e feitios, sentam-se vagarosamente à mesa, folheiam o jornal, conversam, e não parecem ter pressa nenhuma. Será que há quem coma assim todas as manhãs, à semana e tudo?
Quem se levante mais cedo, para fabricar este menú de hotel de luxo, onde nunca falta nada?
Os duendes são mães extremosas ou empregadas internas, espécie considerada em vias de extinção, senão extinta mesma? Todos os dias me pasmo. Deve haver mães vilipendiadas pelos filhos que lhes atiram à cara o facto de serem privados de começar o dia com o pé direito, como aqueles mocinhos dos Morangos com Açúcar. (...) "

- Isabel Stilwell, Destak , 24 de Junho de 2008

Eu não vejo telenovelas com regularidade, só muito ocasionalmente e em casas que não a minha, mas das poucas vezes que tal acontece a minha perplexidade é a mesma de Isabel Stilwell.
Parece-me completamente inverosímil esta apresentação dos "fartos pequenos almoços " que dominam a paisagem telenovelesca, também por importação da matriz brasileira.
Existem pessoas que tomam tais pequenos almoços no nosso país, admito que sim, mas serão poucas, sobretudo por falta de tempo , e nunca à escala e no escalão etário mostrados nas telenovelas.
Ainda bem que foi Isabel Stilwell a autora da citação, mais livre de qualquer carga ideológica fica esta reflexão...

PENSAMENTO DO DIA

" O maior prazer que alguém pode sentir é o de causar prazer aos seus amigos "

- Voltaire

Lisboa, 1 da tarde de 24 de Junho

"A bolsa nacional seguia a desvalorizar mais de 3%, liderando as perdas na Europa com os investidores estrangeiros a fugirem do mercado nacional numa altura em que acumulam perdas em todas as empresas. O PSI-20 negoceia nos níveis mais baixos desde Junho de 2006, com 19 dos 20 títulos que o compõem em queda. O principal índice nacional negociava em mínimos de dois anos, a cotar nos 9.291,46 pontos com 19 títulos em queda e um a valorizar.“Os investidores estrangeiros estão a sair de Portugal”, explicou um operador que pediu para não ser identificado ao Jornal de Negócios Online.“Estão a perder muito dinheiro em todas as empresas em Portugal”, acrescentou explicando que “não se justifica estar a apostar num país tão pequeno, dependente da Europa, numa altura em que os sinais económicos são muito fracos e as perspectivas de resultados negativas”."
Jornal de Negócios, 24 de Junho à 1 da tarde.
Deste lado do mundo são horas de ir dormir. Talvez a OCDE amanhã dê alguma cor diferente do negro ou do escarlate das quedas (pelo grau de previsibilidade, podia ser uma prece a milagres de São João).

Agricultura - o sector mais rentável...

Lembro-me de aprender na escola, em "Meio Físico e Social", que a Agricultura era um sector pouco interessante economicamente, que o futuro estava na Indústria e, essencialmente, nos Serviços.

Independentemente da validade educacional e das bases que permitiram à docente dar esta interpretação do mundo, havia a ideia que na agricultura não se fazia dinheiro. Isso era dantes:

"Voracious demand from developing nations for better diets, coupled with unhelpful acts of God such as the Midwest floods, have pushed up the Dow Jones-AIG Agriculture Sub-Index 42% from a year ago."
The Wall Street Journal, 21 de Junho de 2008

E está para ficar - um colega meu Brasileiro comentava o mês passado que o Brasil está empenhado em se tornar o abastecedor de alimentos do mundo, enquanto outros colegas da Índia e da China confirmavam que o crescimento económico nestes mercados traria 2.5 mil milhões de pessoas a exigir proteína na sua dieta diária.

Parafraseando Fernando Pessoa, mudam-se os tempos, mudam-se... os paradigmas económicos.

Grandes filmes (esquecidos?): 4 - A Letter to Three Wives


"A Letter to Three Wives" é um filme de 1949. Realizado por Joseph L. Mankiewicz, seria um bom antepassado para a herança genética de "Desesperate Housewives".

A história desenrola-se em torno a três mulheres casadas de uma vida "Wysteria Lane meets the late 40s US" que embarcam para passar um dia com crianças num piquenique. No momento de embarcar, recebem uma carta de uma quarta amiga, dizendo que vai fugir com o marido de uma delas...

Quem são estas "amigas" e os seus maridos? Uma série de flashbacks faz as honras das várias casas e dos seus segredos. A primeira, personagem interpretada por Jeanne Crain, é de uma santa terrinha; ao passar pela Marinha conhece um jovem que agora é o seu marido (Jeffrey Lynn) e vem viver com ele para o seu meio, sentindo-se sempre a "estrangeira". A segunda, interpretada por Ann Sothern, é uma novelista de rádio, mulher de sucesso, casada com um professor local que se sente inferior à mulher (Kirk Douglas). A terceira, na pele de Linda Darnell, é oriunda de famílias modestas e casou com um homem rico, mais velho e algo abrutalhado (Paul Douglas). A quarta, chamada Adie, nunca aparece no écran, mas narra a história: é a rainha do baile, a sofisticada que todos gostariam de capturar. No decurso da impossivelmente longa odisseia de um dia, as três mulheres apresentam uma façada estóica, cada uma delas pensando ser a mulher abandonada.

No regresso da viagem, no final do dia, há uma festa: as três mulheres regressam a casa, sem saber se vão ter o marido em casa ou não; arranjam-se e vão para a festa.

"A Letter to Three Wives" foi nomeado para o Óscar de Melhor Filme, tendo conquistado Melhor Realizador para Joseph L. Mankiewicz (que repetiria a proeza no ano seguinte com "All About Eve") e Melhor Argumento.
PS - Dedicado ao meu amigo RL (como se fosse o "Rebecca"...)

DIA DE SÃO JOÃO

" (...) Ao contrário do que é habitual , a festa principal de S. João Baptista comemora o seu nascimento, mas a sua paixão e morte por decapitação são também observadas em 29 de Agosto.
Precursor e arauto de Jesus Cristo, de quem o próprio disse: « Entre os nascidos de mulher, não há profeta maior». Era filho de Zacarias, sacerdote de Jerusalém, e de Isabel, parente da Virgem Maria. O seu nascimento fora previsto por um anjo em circunstâncias espantosas.
Por volta do ano 27 surge como pregador e, aos que confessavam os seus pecados, baptizava-os no rio Jordão. O próprio Jesus acabou por ser baptizado por ele. Mais tarde foi preso por ter repreendido Herodes Antipas por ter tomado Herodias, esposa do seu meio irmão. Herodes, num momento de leviandade, prometeu dar a Salomé, filha de Herodias, o que ela pedisse. A pedido da mãe, a jovem pediu a cabeça de João Baptista. E assim aconteceu. (...) "

- Adriana Bolito e Teresa Pais, CHRISTUS , nº3

segunda-feira, 23 de junho de 2008

John Barrowman - Another Side

A Amazon inglesa teve a amabilidade de me informar do envio do mais recente CD de John Barrowman, "Another Side". A verdade é que tenho andado a dormir na forma, dado que o CD saiu em Novembro e foi disco de ouro em Janeiro. O álbum apresenta vários covers pop, incluindo "Time After Time", "Your Song", "All by Myself" e uma das minhas signature songs, "Being Alive", de Sondheim (estou curioso - já possuo uma interpretação de Barrowman que considero "a definitiva" - será que a nova versão a vai redefinir?)

John Barrowman é um conhecido actor e cantor do West End e da Broadway. Na televisão, interpreta Jack Harkness, o personagem principal de "Torchwood", spin-off da aclamada série "Doctor Who." Vi-o em palco em 1994, ainda antes da grande fama, ao interpretar Joe Gillis no "Sunset Boulevard" de Andrew Lloyd Webber; depois fui seguindo a carreira discográfica (nem sempre fácil: o seu "Aspects of Andrew Lloyd Webber" esgotou rapidamente) e, mais recentemente, televisiva. No West End, foi cabeça de cartaz do revival de "Anything Goes" de Cole Porter.

Signo Caranguejo: Alan Turing


Alan Turing, o homem por detrás da moderna ciência computacional, nasceu em Inglaterra a 23 de Junho de 1912. Tendo estudado em Cambridge, desenvolveu actividade no campo da Matemática, da Física e da Ciência Computacional. Durante a Segunda Guerra Mundial trabalhou no complexo de Bletchey Park, onde quebrou o código dos submarinos nazis, o famigerado "Enigma". Foi encontrado morto a 8 de Junho de 1954, de aparente suicídio com cianeto (numa maçã - alvitrou-se que estaria a reconstituir o episódio de "A Branca de Neve").

David Leavitt escreveu uma biografia sua, sob o título "The Man Who Knew Too Much: Alan Turing and the Invention of the Computer", que me pareceu de tal forma densa em torno da derivação das fórmulas matemáticas que se tornou praticamente ilegível (Leavitt viria a corrigir brilhantemente a mão ao endereçar um tema similar de forma romanceada em "The Indian Clerk", sobre Ramanujan). O romance de Robert Harris, "Enigma", aborda igualmente o trabalho de Turing, que serve também de base a uma série de referências de ficção científica.

Fácil desafio heráldico


A quem foram concedidas estas armas? A forma do escudo é uma boa pista para os neófitos...
O jp dará um tempo de avanço, pois que é um gentleman - e aqui ficou outra pista.

Crónicas de Clarice - 2

A VIDENTE ( 25 de Novembro de 1967 )

A cozinheira é Jandira. Mas esta é forte. Tão forte que é vidente. Uma de minhas irmãs estava visitando-me. Jandira entrou na sala, olhou sério para ela e subitamente disse : " A viagem que a senhora pretende fazer vai-se realizar, e a senhora está atravessando um período muito feliz na vida. " E saiu da sala. Minha irmã olhou para mim, espantada. Um pouco encabulada, fiz um gesto com as mãos que significava que eu nada podia fazer, ao mesmo tempo que explicava : " É que ela é vidente. " Minha irmã respondeu tranquila : " Bom. Cada um tem a empregada que merece. "


- Clarice Lispector, A DESCOBERTA DO MUNDO , Nova Fronteira, 1984 .

DA SOLIDÃO - SCHNITZLER


-" Defende-te das más companhias, mas não te esqueças que se escolheste a solidão, essa não será sempre a melhor companhia. "
-" Afasta-te cem passos do caminho balizado e eis-te sozinho. E se encontras alguém , não sabes se procura a solidão como tu ou se vai em expedição de pilhagem. "
-" Desconfia do instante em que começas a estar orgulhoso da tua solidão; no momento seguinte desperta em ti o desejo de encontrar pessoas. "
- Arthur Schnitzler, RELAÇÕES E SOLIDÃO , trad.port. Manuel Alberto, Relógio D'Água,1996

As 9 musas

Para esclarecer potenciais dúvidas, as nove musas da Antiguidade clássica tinham pouco a ver com as actuais nove artes: eram divindades que representavam as artes e inspiravam o processo criativo. Nove irmãs segundo Hesíodo na sua "Teogonia", eram filhas de Zeus e da deusa da memória, Mnemosine.
  • Calíope era a musa da poesia épica;
  • Clio a musa da História (uma arte? talvez da memória...?);
  • Érato, da poesia erótica;
  • Euterpe, da poesia lírica e da música;
  • Melpomene, da tragédia;
  • Polímnia, do canto sacro e da retórica;
  • Terpsicore, da dança e do canto coral;
  • Tália, da comédia e da poesia bucólica;
  • Urânia, da astronomia.
Apetece-me voltar a citar Fernando Pessoa.

As 9 artes

Por curiosidade, as nove artes (das quais creio que só a 7ª, a 8ª e a 9ª terão ordinal) são a literatura, a pintura, a escultura, a música, a dança, a arquitectura, o cinema, a televisão e a banda desenhada.

SÓ DEUS...


Declarou há dias Robert Mugabe : " Só Deus é que me pode tirar o poder ". E esta segunda volta das presidenciais passou de farsa a tragédia, com oitenta mortos, centenas de feridos, milhares de deslocados, vinte mil casas incendiadas. E Morgan Tsvangirai a desistir da corrida.
Estamos conversados.

Os portugueses e os persas


Em 1507, Portugal chegou à Pérsia quando os safávidas impunham a religião xiita que domina o actual Irão. Em 1513, é um português o primeiro embaixador estrangeiro na corte persa. Mas foram sempre relações tensas, sobretudo pela nossa conquista de Ormuz, que antes pagava tributo aos Xás da Pérsia, e que estes recuperaram em 1622.
Ficaram os fortes portugueses, que a Gulbenkian tem ajudado a recuperar, e as influências recíprocas nas línguas: "tabáku"( tabaco) , "ânânâs"( ananás) , "miz" ( mesa ) .
5oo Anos das relações entre Portugal e o Irão , Torre do Tombo, até 11 de Julho.
Todos os dias, excepto domingos e feriados.

Jean-Luc Nancy : Sobre a poesia - 2

- Erato Musa da poesia lírica, Simon Vouet

" Esta questão da poesia, tão velha e tão pesada, embaraçosa e importuna, resiste ao nosso tédio e à nossa mais forte repugnância por todas as mentiras poéticas, pelas graças e pelas sublimidades. Mesmo quando não nos interessa, ela detém-nos, necessariamente. Tanto actualmente como, de modo distinto, no tempo de Horácio ou no de Scéve, no de Eichendorff, de Eliot ou de Ponge. E se se afirmou que depois de Auschwitz a poesia era impossível, e em seguida, inversamente, que ela era depois de Auschwitz necessária, foi precisamente da poesia que pareceu necessário dizer uma e outra coisa. A exigência do acesso do sentido- a sua exacção, a sua procura exorbitante- não pode deixar de deter o discurso e a história , o saber e a filosofia, o agir e a lei.
Que não nos venham falar de ética ou de estética da poesia . É mesmo a montante, no seu mais que perfeito imemorial, que se firma o fazer designado «poesia» . Queda-se agachado como um animal, flectido como uma mola, e deste modo em acto, já. "

- Jean-Luc Nancy, RESISTÊNCIA DA POESIA , Vendaval , 2005 .


A música na internet e os tribunais


Pela primeira vez, um tribunal português condenou um cidadão por partilha ilegal de música na internet. O arguido terá descarregado música de forma ilícita, e partilhou-a depois com outros internautas. A sentença, ainda não transitada em julgado, acarreta uma pena de 90 dias de prisão ou multa e indemnização. A queixa foi deduzida em 2006, pela Associação Fonográfica Portuguesa.

domingo, 22 de junho de 2008

PIERLUIGI PRATURLON (1924 - 1999)


Os estimados leitores cinéfilos e o João Soares que nos abre o mundo do cinema com os seus posts maravilhosos perdoar-me-ão a referência a um livro que foi editado já em 2006. Descobri-o apenas há dias.


Pierluigi on Cinema da editora Photology mostra uma belíssima colecção de imagens do fotógrafo italiano Pierluigi Praturlon que testemunhou grandes momentos da Sétima Arte nos anos 50 e 60. Cleopatra, Ben Hur, La Ciociara, La dolca vita são alguns exemplos. Artistas como Marcello Mastroianni, Sophia Loren, Audrey Hepburn, Anita Ekberg ou Claudia Cardinale (foto) foram imortalizados por Praturlon.

The Supremes no V&A de Londres



A 23 de Junho de 1963, mais de 125.OOO pessoas acompanhavam Martin Luther King pelas ruas de Detroit na Great Marsh to Freedom que viria a ser um passo irreversível no Civil Rights Movement dos Estados Unidos. King e o seu discurso I have a dream expressavam o sentimento geral do movimento, negros e (muitos) brancos identificavam-se com palavras tão comoventes como “I have a dream this afternoon that one day, one day little white children and little Negro children will be able to join hands as brothers and sisters”. Um dia histórico para a Humanidade.

O Victoria and Albert Museum de Londres proporciona este Verão uma exposição temporária dedicada ao conjunto The Supremes. Sob o tema “The story of the Supremes from the Mary Wilson Collection”, estão em destaque 50 vestidos que as protagonistas deste conjunto, um dos mais bem sucedidos da década de 60, usaram – desde os primeiros concertos em que actuavam ainda sob o nome The Primettes até ao auge da sua carreira.


O guarda-roupa, ainda que belíssimo e requintado, seria talvez demasiado fútil e superficial para merecer um post próprio. É, no entanto, ponto de partida para outro aspecto da exposição: o V&A relata o contributo das Supremes no contexto do Civil Rights Movement. A intervençaõ política e social de líderes como King é naturalmente de envergadura muito mais profunda. No entanto, a popularidade e o êxito internacional de artistas como The Supremes posicionaram artistas negros num patamar de (quase) igualdade com homólogos brancos. Este conjunto e outros, como The Ronettes, mudaram percepções raciais e terão, eventualmente, ajudado a ultrapassar preconceitos.

O V&A estabelece ainda outra ligação interessante: entre vestidos e videos com actuações televisivas, encontra-se a história da Motown Record Company, desde a sua constituição na Primavera de 1959 por Berry Gordy Jr. até finais dos anos 60. Gordy Jr. reconheceu rapidamente a importância do movimento e soube, para fins comerciais, tirar o usufruto. Em 1965, a Motown era a empresa de origem negra mais lucrativa dos Estados Unidos. Mais uma vez, The Supremes muito contribuiram para este sucesso...

A exposição estará aberta ao público até 19 de Outubro.

Uma lenda do século XX

Foi considerado pelo grande Rudolfo Nureyev o maior bailarino do século XX. Em criança, recusou lições de dança, quando a sua irmã Adele já actuava no vaudeville, como bailarina e cantora. Mas rapidamente começou a imitar os seus passos, enquanto estudava piano, acordeão e clarinete. Acabaram por fazer um duo muito aplaudido até ela se casar com Lord Charles Arthur Francis Cavendish, filho do 9º duque de Devonshire .
A sua carreira prosseguiu mais livremente e tornou-se, em breve, uma estrela. No cinema, sobretudo. Mas também nos palcos e na televisão. Os seus filmes "musicais" ficaram a marcar uma época de ouro de Hollywood. Em particular aqueles em que contracenava com Ginger Rogers, a sua parceira ideal. Também cantava, embora dizendo que não o sabia fazer, e deve-se-lhe a divulgação de temas como “Night and Day” e “Cheek to Cheek”ou "Smoke gets in your eyes" e "Night and Day". Chamava-se Frederick Austerlitz. Na vida artística Fred Astaire. Morreu em 22 de Junho de 1987, com 88 anos, uma vida de êxitos e mais de vinte prémios, entre os quais vários Emmys.

Crónicas de Clarice - 1

IR PARA ( 16 de Setembro de 1967 )


Esta noite um gato chorou tanto que tive uma das mais profundas compaixões pelo que é vivo. Parecia dor, e , em nossos termos humanos e animais, era. Mas seria dor, ou era "ir", "ir para" ?
Pois o que é vivo vai para.


SIM ( 21 de Outubro de 1967 )


Eu disse a uma amiga:
- A vida sempre superexigiu de mim.
Ela disse:
- Mas lembre-se de que você também superexige da vida.
Sim.


- Clarice Lispector, A DESCOBERTA DO MUNDO , Nova Fronteira, 1984 .

Sobre hospedeiras...


" (...) French air hostesses are elegant creatures, vastly superior to their passengers, who give the impression that they are gentlefolk fallen on hard times; German air hostesses have evidently missed their vocation as prison guards, but at least give the impression that they would know what to do in an emergency. Only British air hostesses have the voice of fishwiwes that would shatter or engrave glass, and make you want to scream and block your ears. Whatever happened to elocution lessons? (...) "
- Theodore Dalrymple, THE SPECTATOR , 14 de Junho de 2008

PENSAMENTO DO DIA


"For me, the only things of interest are those linked to the heart."


Audrey Hepburn

Ainda o casamento do ano ou um pouco de social não faz mal

- Nossa Senhora do Ó, Catedral de Évora
- Catedral de Évora

Já vi as primeiras fotografias do casamento Cadaval/Orléans. Além dos familiares dos noivos, e dos 16 padrinhos ( entre os quais D. Isabel de Herédia, Rodrigo Champalimaud, Rafael Medina, Duque de Féria e Alexandra de Cadaval, irmã da noiva ) ,vi muitas figuras conhecidas : A Infanta D.Pilar, irmã do Rei de Espanha, o Rei Simeão da Bulgária, o Príncipe Moulay Rachid, irmão do Rei de Marrocos, Fernanda e Américo Amorim, Patrick Monteiro de Barros, Tita e Francisco Balsemão, Marcelo Rebelo de Sousa e Rita Amaral Cabral, Miguel Horta e Costa e Diana de Polignac, Kiki Espírito Santo e os Duques de Viseu e de Coimbra.
O vestido de Diana foi desenhado por Carolina Herrera, ao estilo do séc.XVIII e no manto foram bordadas as armas dos Cadaval e os lis de França. O noivo vestiu um elegante fraque Dior.

Nos 40 anos da Comunidade Islâmica de Lisboa


Iniciam-se hoje as comemorações do 40º aniversário da Comunidade Islâmica de Lisboa, com uma cerimónia na Mesquita de Lisboa . Participam o Presidente da República e o Ministro da Justiça, em representação do Governo.

Mais uma vez a realidade ultrapassa a ficção

Vejo na Sky News e não quero acreditar. Jajub, de 9 anos, e o seu irmão mais novo Ondrej Mauerova, de 7 anos, estiveram presos durante um ano numa cela construída na sua própria casa, em Kurim, perto de Brno, República Checa, guardados pela mãe, Klara, de 31 anos, devota da seita Movimento do Graal.
Durante esse terrível ano, foram torturados pela própria mãe e por outros 4 familiares.
Os dois irmãos foram espancados, queimados com pontas de cigarros, abusados sexualmente e submetidos à tortura do afogamento. Muitas vezes dormiam na casota dos cães, e eram obrigados a comer o próprio vómito.
Ao mais novo, chegaram a comer pedaços da sua própria carne.
Klara, a mãe, tinha instalado um monitor de video na cozinha para vigiar as crianças e foram essas imagens, vislumbradas por um vizinho, que permitiram a libertação das crianças em Maio passado.
Quando a polícia checa descobriu as crianças, encontrou uma jovem que se dizia também vítima, tendo-se descoberto mais tarde que se tratava de Barbara Skrlova, de 34 anos, integrante também do grupo de torturadores. Barbara ainda conseguiu fugir para a Noruega, mas já foi extraditada para a República Checa.
Pormenor tecnológico : os " turnos " de abuso eram combinados por sms.
Wes Craven, Eli Roth ou Carpenter não fariam melhor.

Portugal visto de fora: III - da OCDE


A OCDE publicará a 25 de Junho o seu mais recente survey ecomómico sobre Portugal, analisando as formas de melhorar o crescimento e de o tornar mais sustentável. A 4 de Junho p.p., publicou a sua mais recente perspectiva: "The expansion, which has been increasingly underpinned by domestic demand, continued in 2007. Growth is expected to slow somewhat in 2008 and 2009". A taxa de crescimento prevista para 2008 é de 1.6% e para 2009 de 1.8% (contra 1.9% em 2007). A análise indica a UE a crescer a 1.7% e a 1.4% para 2008 e 2009, respectivamente, o que implica que 2009 será um ano de convergência com a UE para Portugal.
Curioso é que seja a procura interna a sustentar o crescimento do ano anterior. Alguém fez as contas a quanto se deve à imigração? Talvez esse reconhecimento fosse um bom factor de coesão social.
Entretanto, mais boas novas anunciadas na semana passada: "Portugal has made good progress in simplifying its public sector functions and processes through administrative simplification and e-government since 2006, according to a new OECD report. (...) Among its achievements, the report says that the time taken to register a company, for example, has been reduced from 54 days to under 48 minutes."
OCDE, 18 de Junho de 2008
O relatório adverte ainda para a necessidade de manter o enfoque nas medidas em curso e na prioritização, um bom aviso para um povo que tende a perder o norte quando tem algo no bom caminho.

Portugal visto de fora: II - do World Economic Forum


O World Economic Forum publica todos os anos o "Global Competitiveness Report", um índice de competitividade das nações. Em 2001/02, Portugal ocupava a 25ª posição. Em 2004/05, a 24ª. Em 2005/06, a 31ª. Em 2006/07, a 34ª.
Em 2007/08, a 40ª... É verdade que os critérios vão sendo ajustados, há países que nascem, mas a vida é assim mesmo.
Extraordinário é o comentário de alguns agentes: "Estes resultados quando comparados e ajustados aos resultados da edição anterior (em que apenas foram avaliados 125 Países) evidenciam que Portugal subiu 5 lugares no contexto mundial e dois lugares no contexto da UE, tendo ultrapassado a Eslováquia e a Hungria." Fonte: Gabinete do Coordenador Nacional da Estratégia de Lisboa e do Plano Tecnológico
Tapar o sol com a peneira é que é triste: acaba por obnubilar os factos e impedir a tomada de decisões para corrigir o rumo (pois se o rumo está tão bom, com uma subida de 5 lugares, de 34º para 40º, corrigir o quê...?). Talvez eu esteja a ver mal o filme e seja apenas um erro de interpretação: talvez quem tenha feito o comentário pensasse que a lista se lia ao contrário...

Portugal visto de fora: I - da CIA


"Economic growth had been above the EU average for much of the 1990s, but fell back in 2001-07.

GDP per capita stands at roughly two-thirds of the EU-27 average.

A poor educational system, in particular, has been an obstacle to greater productivity and growth.

Portugal has been increasingly overshadowed by lower-cost producers in Central Europe and Asia as a target for foreign direct investment."



CIA - "The World Factbook" - Portugal. Actualizado a 19 de Junho de 2008


Uma estrutura simples: uma tendência; um indicador do estado actual; uma análise de razões subjacentes; uma indicação de causas para pressão actual e futura.

Os dados são sempre um bom ponto de partida para escolher os melhores caminhos.
Mais alguns dados comparativos gentilmente cedidos pela CIA:
1 - Crescimento do PIB
Portugal ocupa o lugar 192 no ranking de crescimento do PIB de 2007 (alguns países / regiões possuem apenas dados de anos anteriores). Ao todo, são considerados 218 países / regiões.
Copo meio vazio: A Irlanda cresceu no último ano a 5.3%; a Finlândia, a 4.4%; a Grécia, a 4.0%; a Espanha, a 3.80%; a Holanda, a 3.50%; a Áustria, a 3.4%, etc., até chegarmos a uma média da EU de 3.0%. Portugal? 1.9%. Não se tratou de divergir, mas de divergir muito das economias mais pequenas com quem em tempos gostámos de nos comparar (note-se que a Grécia cresce a uma taxa que é mais do dobro da Portuguesa).
Copo meio cheio: Portugal cresceu o mesmo que a França, um pouco mais que a Dinamarca (1.8%) ou a Itália (1.5%) ou - surpreendente - a Hungria (1.3%).
2 - PIB per capita (ajustado à PPP - Paridade do Poder de Compra)
Estamos a $21.300 por pessoa em 2007. Estamos no lugar 56 de 229 regiões / países. A Irlanda está no 13º lugar, com $43.100 (praticamente o dobro de Portugal). A Grécia? 43º lugar, com $29.200 - 37% acima de Portugal! Recorde-se que segundo as Nações Unidas / Banco Mundial, em 2000 a Grécia estava 3.7% ... abaixo de Portugal.
E então, pergunta-se? É muito fácil atirar pedras. É verdade; e aqui não estou de todo a atirar pedras, estou a fazer uma exposição de factos. A pergunta que me vem ao espírito é o que é que estes países têm feito que nós não temos feito e, inversamente, o que é que Portugal tem feito que os outros têm evitado?