Prosimetron

Prosimetron
Prosimetron: termo grego que designa a mistura de prosa e verso.

sábado, 20 de setembro de 2008

As 100 citações do cinema - #33

"I'll have what she's having."

Customer (Estelle Reiner), "When Harry Met Sally...", 1989

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

As 100 citações do cinema - #34

"You know how to whistle, don't you, Steve? You just put your lips together and blow."

Marie "Slim" Browning (Lauren Bacall), "To Have and Have Not", 1944

Mamma mia : ABBA

Hoje fomos, eu e M., ver o filme que já foi comentado neste Blog. Realmente é um tempo bem passado que nos faz esquecer os problemas do dia a dia. Procurei uma música dos Abba e encontrei este vídeo com uma "excelente" tradução. Nem o automático consegue fazer melhor. Dá para continuar uns momentos divertidos...

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Assim é que é Carla

Digam o que disserem eu gosto desta mulher! Tem garra, é inteligente, corajosa e, sobretudo, tem cuidado naquilo que diz não se deixando cair em ratoeiras. Carla Bruni voltou a surpreender quando no programa Later... With Jools Holland revelou grande descontracção durante a prestação dos Metallica em palco chegando mesmo a bater o pé ao ritmo da música daquela banda rock. Este programa da BBC, que convida semanalmente nomes promissores e consagrados da música internacional, pode ser visto hoje na sua versão alargada. E inclui entrevista à senhora Sarkozy.

Vermelho, vermelhaço, vermelhusco, vermelhante, vermelhão...



Para que fiques vermelha/o

As 100 citações do cinema - #48

"Well, nobody's perfect."

Osgood Fielding III (Joe E. Brown), "Some Like It Hot", 1959

Outras águas, outras paragens

Como é já tradição neste blogue, há sempre alguém em movimento. Agora serei eu, por uma dúzia de dias, procurando banhar-me em outras águas e visitando outras paragens.
É a altura certa, agora que tudo volta aos ritmos e buliço habituais.Um ledo engano, antes de voltar para enfrentar o Outono que se aproxima.
Até já.

A tempestade financeira

Bear Stearns, Freddie Mac,Fannie Mae, Lehman Brothers e agora a AIG. Parece não querer parar este turbilhão que agita os mercados financeiros e ameaça estender-se à economia real.
Toda a gente muito preocupada em salvar as instituições que possam ser salvas, mas pouca gente a preocupar-se com as causas deste descalabro. Richard Branson de passagem por Lisboa teve a coragem, destemido como é, de chamar os nomes pelos bois: na base de tudo isto está a ganância de muitos bancos, e de muitos gestores pagos principescamente.
Não percebo como foi possível alimentar durante anos um sistema baseado no subprime ( crédito de alto risco derivado de empréstimos feitos a clientes com poucas garantias e com um juro mais elevado), nos créditos NINJA ( empréstimos a clientes desempregados, sem rendimentos nem bens, o que deu a sigla NINJA- No Income, No Jobs, No Assets ) , e no crédito mentiroso ( liar loan- O cliente apenas tinha que dizer quanto ganhava por ano, o banco "acreditava" e não pedia documentação) , entre outras maravilhas financeiras e agora ficar a assobiar para o lado. Onde estão os reguladores que permitiram este estado de coisas? E os gestores que as praticaram? É que sobra quase sempre para os accionistas, os pequenos claro, e para os contribuintes.
Só me faz lembrar o futebol luso, a culpa é do sistema...

David Foster Wallace - in memoriam

David Foster Wallace suicidou-se no passado dia 12, na Califórnia.Soube-o esta noite. Gostava muito dele, quer dizer dos livros dele, porque dele sabia pouco. Há uma década, quando li Infinite Jest foi como um choque eléctrico, e quem já leu o livro sabe do que falo, embora não seja um livro fácil, antes pelo contrário, desde logo pelas mais de mil páginas. Era e foi a sua obra-prima, e um dos melhores livros da década. Dele li ainda The broom of the system, não tão bom como o anterior mas ainda assim muito bom. Depois perdi-lhe o rasto, e procurei outras águas.
Antes de vir escrever, espreitei na minha estante a prateleira dos "americanos" e lá vi David Foster Wallace, entre Thomas Pynchon e Kurt Vonnegut. Não podia estar em melhor companhia.

Citações - 3

Uma vez que Cendrars é apreciado aqui no blogue, aqui deixo mais um excerto forte de Une nuit dans la fôret. Uns dias concordo, outros não, mas na essência das coisas...

" Á quoi bon, c' est le éternel malentendu, aucun sentiment ne se partage, pas plus la sensation que la sensibilité, la parole qu' un baiser. On n' est pas fait pour vivre en societé. On n' a pas de semblable. On est toujours seul. "

E por vezes!...



E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos E por vezes

encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes

ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos copos encontramos

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se envolam tantos anos.

Camané : Sei de um Rio



Chegado a Lisboa tinha saudade!

Sei de um rio, sei de um rio
Em que as únicas estrelas nele sempre debruçadas
São as luzes da cidade
Sei de um rio, sei de um rio
Onde a própria mentira tem o sabor da verdade
Sei de um rio…
Meu amor dá-me os teus lábios, dá-me os lábios desse rio
Que nasceu na minha sede, mas o sonho continua
E a minha boca até quando ao separar-se da tua
Vai repetindo e lembrando
Sei de um rio, sei de um rio
Meu amor dá-me os teus lábios, dá-me os lábios desse rio
Que nasceu na minha sede, mas o sonho continua
E a minha boca até quando ao separar-se da tua
Vai repetindo e lembrando
Sei de um rio, sei de um rio
Sei de um rio, até quando

Pedro Homem de Melo - Alain Oulman

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Excentricidades...


Justin Timberlake adiou o casamento devido a cartomante. Isso mesmo, aquele cantor e produtor que estava prestes a dar o nó com Jessica Biel optou por seguir os conselhos de uma médium que afirmou que o cantor e a actriz não são compatíveis e, portanto, não deveriam casar-se. Mais irritada terá ficado a ex-futura Srª Timberlake ao descobrir que a cartomante foi contratada pela mãe do cantor, tanto mais que Justin é conhecido por dar muita importância às opiniões da sua mamã.


Amy Winehouse voltou a fazer das suas. Desta vez, a polémica artista que no passado dia 14 fez 25 anos resolveu celebrar a data, mas acabou por trocar a sua própria festa de aniversário e respectivos convidados pelo Monarch Bar, em Londres.


Citações - 2


" L' action seule libère. Elle denoue tout. C' est pourquoi je prend toujours part e parti , bien que ne croyant plus à rien. Se permettre toutes les privautés envers le monde n' est pas le fait d' un revolté, d' un debauché, mais d' un libertin; non pas d' un épicurien qui jouit à la minute et qui est facilement repu et corrumpu, mais bien d' un voluptueux qu' envahit lentement cette artériosclérose : le désespoir. "
- Blaise Cendrars, in Une nuit dans la forêt

Homenagem a Alberto de Lacerda

-foto de Fernando Lemos, 1951.

Amanhã, 18 de Setembro, pelas 18h30, realizar-se-á no Auditório da FLAD ( R. do Sacramento à Lapa, 21) uma sessão de homenagem a Alberto de Lacerda(20/09/1928-26/08/2007) por ocasião dos 80 anos sobre o nascimento.
A sessão contará com intervenções de Eugénio Lisboa e Luís Amorim de Sousa, e leitura de poemas por João Grosso.

Um novo blogue literário

Surgiu um blogue literário que me parece muito recomendável, pelos inéditos, pelas crónicas e até pelos vídeos. Trata-se do PNETliteratura que pode encontrar aqui-www.pnetliteratura.pt/

Li e não queria acreditar - 3


Fiquei ontem a saber que o trágico acidente ocorrido recentemente entre dois comboios em Los Angeles, que causou 25 mortos, foi causado pelo envio de uma mensagem SMS. O condutor do comboio de passageiros da Metrolink não se apercebeu de ter passado um sinal vermelho quando enviava uma mensagem escrita a um amigo.
Espero que os nossos condutores de transportes públicos andem mais atentos, porque os automobilistas particulares é o que se sabe- vejo constantemente o envio de sms e grande falatório enquanto se conduz .

As 100 citações do cinema - #72

"No wire hangers, ever!"

Joan Crawford, (Faye Dunaway), Mommie Dearest, 1981

terça-feira, 16 de setembro de 2008

O poder relaxante de massagens capilares


Para quem gosta de novas experiências aqui vai uma sugestão: entregar-se ao poder relaxante de massagens capilares ao mesmo tempo que lava e corta o cabelo. O conceito foi trazido do Oriente e está a fazer as delícias de quem, até numa ida ao cabeleireiro, junta o útil ao agradável. Tudo se passa nos números 424-426 da Rua de S. Bento, em Lisboa, num espaço pombalino com decoração contemporânea. Depois de uma conversa prévia com o hair designer de serviço em que se define qual o tipo de corte a fazer, de acordo com o estilo do cliente e a sua fisionomia é tempo para a milagrosa massagem, no momento da lavagem do cabelo. São 25 minutos de relaxamento e bem-estar, inesquecíveis, com possibilidade de fazer massagem de costas e pescoço. No Soma Space não há pressa, tudo é feito com calma em ambiente tranquilo pensado ao pormenor para que os clientes se sintam nas nuvens. As cores escolhidas para cada divisão têm uma razão de ser. Na área de relaxamento foi eleita a cor de vinho e na área do corte, onde a energia se concentra, o verde pistácio. No final, uma ida ao Soma Space significa prazer e investimento já que dali se sai com a garantia de que a obra-prima capilar vai durar três meses. Ideal para quem quer estar sempre impecável, com um corte duradouro e de fácil manutenção em casa. Para elas e para eles.

Li e não queria acreditar - 2

Também ontem fiquei a saber pela imprensa que o sheik Salih Ibn Al-Luhaydan, o mais alto magistrado da Arábia Saudita concorda que sejam mortos os donos de canais por satélite que exibam programas "imorais".
Palpita-me que pelos parâmetros deste clérigo islâmico muitos canais ficariam órfãos...

Li e não queria acreditar - 1

Li ontem na imprensa diária que a Entidade Reguladora da Saúde ( E.R.S. ) publicou um documento onde alerta para os perigos que ameaçam os cidadãos no sector das análises clínicas.
A E.R.S. esclarece que " a ausência de obrigatoriedade de obtenção de licença poderá ter reflexos ao nível médio de segurança e qualidade dos serviços de saúde." e recomenda que o Estado obrigue novamente os laboratórios públicos, privados e sociais a um licenciamento prévio.
Fiquei confuso, mas então não há licenciamento num sector destes? Não, não há. O Estado em Maio de 2007, através do Dec.Lei 222/07, revogou a obrigatoriedade de licenciamento dos laboratórios de análises clínicas.
Fiquei a saber também o que motivou o parecer da E.R.S- é que lhe foram submetidas largas centenas de queixas de cidadãos lesados pela falta de qualidade de alguns laboratórios.
É que mesmo um leigo como eu percebe que sem análises fiáveis, é difícil termos diagnósticos médicos fiáveis...

Bento XVI e a França

A recente visita de Sua Santidade a França, além de ter dado azo a muita especulação sobre o conceito de laicidade positiva, enunciado por Sarkozy como já se falou aqui no blogue pela mão do JAD, também causou algumas perplexidades no seio dos católicos franceses dada a aparente tentativa de aproximação do Papa aos católicos integristas do Arcebispo Marcel Lefèbvre.
Há mesmo quem interprete algumas das decisões mais controversas de Bento XVI- a possibilidade de voltar a celebrar a missa segundo o missal tradicional, e a insistência em que se comungue ajoelhado- como sinais dessa tentativa de reconciliação com o integrismo.
Acrescente-se a isto a decisão tomada pelo Vaticano em Junho passado de renunciar à exigência de que os integristas e demais tradicionalistas reconheçam os documentos do Concílio Vaticano II, designadamente os que se referem à liberdade religiosa e ao diálogo ecuménico e inter-religioso...
Assim, embora ainda se mantenham em vigor as excomunhões decretadas por João Paulo II em 1988 contra os integristas, a verdade é que nunca o clima lhes foi tão favorável, para desagrado dos bispos franceses que já o exprimiram pela voz do seu secretário-geral.
Espero que o Vaticano neste afã de recuperar os integristas, não afaste muitos outros católicos, franceses e não só...

Londres, berço da criatividade



Londres do mundo: a cidade atrai quadros e fomenta novas profissões. Esta é uma das chamadas de capa da última edição da revista Executive Digest. Lá dentro um excelente artigo sobre o melhor e o pior desta grande metrópole que cada vez mais atrai, sobretudo, os criativos de todo o mundo. Segundo o autor do artigo como é possível Londres ser assim tão apetecível se é uma cidade cara, entupida com tráfego rodoviário, péssimos transportes públicos, o seu maior aeroporto uma anedota, uma câmara de vigilância a cada esquina, passeios cheios de lixo, especulação imobiliária e o tempo uma porcaria? Pois bem, parece que tudo isso é ultrapassável quando se tem alma de artista. Afinal Londres tem o que interessa a quem trabalha na moda, design ou publicidade: é dinâmica, vibrante e enérgica. Vale a pena ler a peça na íntegra, mas aqui ficam alguns excertos para aguçar o apetite:

"Londres tem mais museus que Paris, mais teatros que Nova Iorque e mais bares, bibliotecas públicas e concertos do que as duas. Um exemplar recente da edição local da Time Out listou 111 peças, 190 exposições, 157 eventos de comédia, 293 espectáculos de rock ou pop e 195 noites de clubes numa única semana".

"Um em cada oito londrinos (mais de 550 mil pessoas) trabalha numa empresa criativa ou num sector criativo".

"A arte contemporânea de Londres, anteriormente dormente, acordou. O catalizador foi a abertura em 2000 do Tate Modern, actualmente o museu de arte contemporânea mais visitado do mundo".

"Uma nova floresta de guindastes paira sobre o que serão os locais principais das Olimpíadas de 2012. Tal como o mapar da cidade se alterou , o mesmo aconteceu à população de sete milhões de pessoas. Em Londres ouvem-se mais de 300 línguas diferentes. Um em cada três londrinos nasceu noutro país".

"Quando fui para o Royal College of Art nos anos 90, a melhor coisa que lá havia era o elevador, (relembra Simon Waterfall, director criativo da Poke, uma das maiores empresas de design de novos meios de comunicação). Carregava num botão e aparecia por magia num andar diferente e descobria os melhores artistas, designers de automóveis, ourives e designers gráficos. Podia falar com qualquuer um deles. Não havia a barreira da raça ou da disciplina. E para mim, Londres ainda é muito assim. O cruzamento deu origem a pessoas realmente talentosas que querem estar abertas a novas ideias e a disciplinas diferentes".

"Actualmente existem mais de 50 mil alunos nas escolas de arte e design, comparados com os 10 mil em Xangai e menos de 1500 em Paris".

O Rapaz que Caiu do Céu: uma história verídica

No dia 21 de Dezembro de 1988, David Dornstein foi uma das vítimas do atentado que derrubou o voo 103 da Pan Am, fazendo o avião despenhar-se sobre a pequena cidade de Lockerbie, na Escócia. David deixou um irmão mais novo, Ken, desesperado por perceber a sua morte e recolher as peças soltas do acidente. Longe de ser uma missão simples de resgate, a jornada de Ken transformou-se num acto de amor, numa obsessão, e ainda numa viagem emocional a lugares bem mais estranhos do que ele alguma vez imaginara. Oito anos passados sobre o acidente, Ken começou a ler os escritos, nomeadamente cartas e um apaixonante diário, deixados pelo irmão, prolífico escritor mas nunca publicado. Decidiu viajar até Lockerbie e tentou reconstruir o mistério que fora a vida de David. Vinte anos passados, Ken Dornstein está casado com o primeiro amor do seu irmão David, é pai e vive em paz com a sua perda.
De autoria de Ken Dornstein, O Rapaz que Caiu do Céu é uma edição Guerra e Paz (Colecção Verdade e Consequência). Nas livrarias a partir de 25 de Setembro.

Era uma vez um tempo em que eu tinha um irmão. Era mais velho, mais alto, mais sensato, mais ousado, mais apaixonado, falava melhor e tinha muito melhor aparência do que eu. Viajava para mais longe de casa do que eu alguma vez imaginara ser capaz. Admirava-o. Tinha dezanove anos quando ele morreu, estava no segundo ano da faculdade. Agora, estou a meio dos trinta. Tenho algumas recordações do meu irmão, mas não tantas como gostaria de pensar. Cada vez que as verifico, parece-me que tenho menos uma. Se inicialmente me parecia difícil acreditar que David estava morto, agora custa-me a acreditar que alguma vez tenha sequer vivivo.
In O rapaz que Caiu do Céu

Ken Dornstein nasceu nos EUA, em 1969. É editor da série documental Frontline da cadeia de televisão norte-americana PBS, desde 2000. Antes disso, trabalhou na produção dos documentários Robert F. Kennedy, A Memoir e Vietnam e The Soldier's Story. Colaborou também com a revista New Yorker e publicou o livro Accidentally, On Purpose: The Making of a Personal Injury Underworld in America (1998).

As 100 citações do cinema - #64

"Gentlemen, you can't fight in here! This is the War Room!"

President Merkin Muffley (Peter Sellers), Dr. Strangelove, 1964

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Bocage : 15 de Setembro


Bocage e as Ninfas (óleo de Fernando Santos - Museu de Setúbal).


Bocage nasceu em Setúbal, em 15 de Setembro de 1765.

[Auto-retrato]

Magro, de olhos azuis, carão moreno,
Bem servido de pés, meão na altura,
Triste de facha, o mesmo de figura,
Nariz alto no meio, e não pequeno;

Incapaz de assistir num só terreno,
Mais propenso ao furor do que à ternura,
Bebendo em níveas mãos por taça escura,
De zelos infernais letal veneno;

Devoto incensador de mil deidades
(Digo, de moças mil) num só momento,
E somente no altar amando os frades;

Eis Bocage, em quem luz algum talento;
Saí?m dele mesmo estas verdades
Num dia em que se achou mais pachorrento.


[Liberdade]

Liberdade, onde estás? Quem te demora?
Quem faz que o teu influxo em nós não Caia?
Porque (triste de mim!) porque não raia
Já na esfera de Lísia a tua aurora?

Da santa redenção é vinda a hora
A esta parte do mundo que desmaia.
Oh! Venha... Oh! Venha, e trémulo descaia
Despotismo feroz, que nos devora!

Eia! Acode ao mortal, que, frio e mudo,
Oculta o pátrio amor, torce a vontade,
E em fingir, por temor, empenha estudo.

Movam nossos grilhões tua piedade;
Nosso númen tu és, e glória, e tudo,
Mãe do génio e prazer, oh Liberdade!

(In Sonetos / ed. Daniel Pires. Porto: Caixotim, 2004)

"Laicidade positiva"

Hoje passei por Paris. Não se falava de outra coisa. A frase já tem três dias. Faz a sintese do discurso que Nicolas Sarkozy pronunciou, em l'Élysée, ao dar as boas vindas ao Chefe de Estado do Vaticano.

Mas que será a Laicidade Positiva? A direita e a Igreja dizem que é apenas: "A César o que é de César e à Igreja o que é da Igreja".

Será, sem dúvida, o tema de debate em França e no Vaticano nos próximos dias.

Poderá ler aqui o discurso publicado pelo Le Monde

Nicolas Sarkozy depois de "Conego honorário de Latrão", recebido em Dezembro de 2007 (um legado que remonta a Henrique IV), prepara o seu caminho para o altar!


Service photo Elysées P. Segrette

Abbamania - 2

Para quem ainda não viu e pondera ver, e também para quem já viu, aqui fica mais uma opinião sobre Mamma Mia :

" (...) Pois hoje venho fazer a apologia de um filme recomendável a adolescentes e idosos, segundo verifiquei pela frequência da sala repleta de gente feliz onde o vi.
Refiro-me a Mamma Mia. Não via Meryl Streep cantar como ela sabe desde Postcards from the edge. Nunca achara graça a Pierce Brosnan em nenhuma história de John Le Carré ou de Ian Fleming, e ele foi sempre impecável, nunca liguei aos Abba. Pois bem, juntem tudo isto e vão ao cinema. São duas horas sem pensar em filhos da mãe, nas leis do Sócrates, no carjacking, nos tribunais, nas taxas de juro, no desemprego dos filhos, e sorrimos sem ter de ouvir piadas ordinárias. O meu avô tinha razão: para chatice basta a vida! "

- Joaquim Letria, 24horas, 15 de Setembro de 2008.

Contos de Orkény - 5

DIGNIDADE PROFISSIONAL

Eu sou um carácter forte!
Sei dominar-me.
Não o deixava transparecer, mas estavam em jogo o trabalho de longos anos, o reconhecimento do meu talento, todo o meu futuro.
- Sou um artista imitador- disse.
- O que é que sabe? - perguntou o director.
- Imito os cantos dos pássaros.
- Infelizmente- fez um gesto de renúncia com a mão- isso já passou de moda-
- Como? O arrulhar da rola? O chilrear do milheiro nos caniçais? O gorjeio da codorniz? O grito da gaivota?O cantarolar da cotovia?
- Passou- disse o director aborrecido.
Aquilo magoou-me . Mas penso que não o mostrei.
- Adeus- disse eu com cortesia, e saí a voar pela janela aberta.

-István Orkény, Histórias de 1 minuto, vol.1, Introdução, selecção e tradução do húngaro de Piroska Felkai, Cavalo de Ferro Editores, 2004.

Frases do Bardo - 7

" Quando o sofrimento chega não é um espião solitário; chega em batalhões. " ( Hamlet )

- in 101 Citações de William Shakespeare, org. de André Vasques, Garrido Editores, 2003.

As 100 citações do cinema - #69

"They're here!"
Carol Anne Freeling (Heather O'Rourke), Poltergeist, 1982

80 Óscares de Melhor Filme -- in memoriam

domingo, 14 de setembro de 2008

Un grand amour

Algumas imagens de um dos mais célebres (e mais belos) pares da história da Sétima Arte











Primeira imagem da autoria de IMAGNO/Roger-Viollet; quarta imagem da Magnum

Romy Schneider


Romy Schneider faria 70 anos no próximo dia 23 de Setembro. A comunicação social alemã e austríaca assinala esta efeméride com especial atenção e dedicação: foram lançadas recentemente novas biografias sobre a actriz, e as estações de televisão recordam Romy através de documentários e filmes.

Rosemarie Magdalena Albach (Romy Schneider), filha dos actores Magda Schneider e Wolf Albach-Retty, nasce em Viena a 23 de Setembro de 1938. Passa a sua infância e juventude na capital austríaca e em Berchtesgaden (Baviera).
A sua estreia no cinema dá-se em 1953 na película alemã Wenn der weisse Flieder wieder blüht ao lado da mãe Magda.

Em 1955, Romy é convidada pelo realizador Ernst Marischka para o papel principal na trilogia sobre a imperatriz Elisabeth (Sissi). Os filmes, um enorme sucesso em toda a Europa, tornam Romy numa das mais populares estrelas do cinema dos anos 50. O mundo germânico revê em Schneider a perfeita soberana austríaca, os convites que se seguem são versões invariáveis do mesmo estereótipo.

Durante as filmagens para a adaptação cinematográfica da novela Christine de Schnitzler, Romy conhece Alain Delon com quem vive em Paris até 1963. Visconti descobre os dois actores para a peça Dommage qu’elle soit une P...! no Théâtre de Paris, e graças à sua magnifica interpretação, “la Schneider” inicia a sua segunda (e verdadeira) carreira em França, dissociada do clichet de Sissi.
Trabalha com os grandes nomes como Orson Welles (O processo, 1962), Otto Preminger (O cardeal, 1963), Clive Donner (What’s new pussycat, 1965) e Jacques Deray (“A piscina”, 1969, novamente ao lado de Delon).



Em tandem com o realizador Claude Sautet, consagra a sua carreira com os melhores filmes da sua vida artística: Choses de la vie (1970) com Michel Piccoli, Max et les ferrailleurs (1971), também com Piccoli, César et Rosalie (1972), ao lado de Yves Montand e Sami Frey, bem como Une histoire simple (1978) com Claude Brasseur e Bruno Cremer. Nestes papéis, Romy atinge o auge da sua capacidade e criatividade profissionais. Não nos esqueçamos, naturalmente, da sua passagem pela obra prima Ludwig II de Visconti (1973).

A vida privada de Romy é marcada de momentos difíceis e dolorosos: seu primeiro marido comete suicídio, seu filho morre aos 14 anos.

Romy Schneider faleceu em Paris a 29 de Maio de 1982, devido a insuficiência cardíaca. Poucos dias antes, tinha completado o seu último filme La Passante du Sans-Souci de Jacques Rouffio que recomendo a todos os admiradores desta grande actriz.

Lucidez ou pessimismo ?

" (...) trinta e tal anos de regime criaram um cinismo político geral. À volta do PS e do PSD há meia dúzia de fanáticos, que ninguém leva a sério, e uma corte de carreiristas, que ninguém respeita. Tendo governado o país simultânea ou alternadamente, nem o PS nem o PSD inspiram hoje qualquer confiança. Colonizaram o Estado e a administração local por interesse próprio e cometeram ( ou permitiram que se cometessem) erros sem desculpa.
Desorganizaram a sociedade, ou mesmo impediram que ela se fosse por sua vontade organizando, e levaram Portugal a uma espécie de paralisia de que não se vê saída.
Apesar de um ou outro protesto melancólico e corporativo, o público já não se interessa pelo seu futuro, ou pelo seu presente, colectivo.
(...) O PS e o PSD são o regime e não podem ou tencionam tocar no regime. A reforma de Portugal, se por absurdo vier, não virá dali. "

- Vasco Pulido Valente, O fim da nossa história ? , PÚBLICO , 12 de Setembro de 2008.

PENSAMENTO DO DIA

" Se queres ver os outros felizes, pratica a compaixão. Se queres ser feliz, pratica a compaixão. "

- Dalai Lama


As 100 citações do cinema - #95

95. "Carpe diem. Seize the day, boys. Make your lives extraordinary."


John Keating (Robin Williams), "Dead Poets Society", 1989

O AFI publicou em 2005, na sequência do centenário do cinema, as 100 citações do cinema. Algumas são inexplicáveis, outras não. Nos próximos dias, vou pescar entre as 100 eleitas as que me são mais próximas.

Grace Kelly, Princesa do Mónaco



Em 14 de Agosto de 1982, depois de um desastre de automóvel sofrido na véspera, que a deixou em coma profundo, morreu S.A.S. a Princesa Grace do Mónaco, aos 52 anos.Nascida Grace Patrícia Kelly em Filadélfia, EUA, atingira o cume do estrelato cinematográfico em Hollywood, premiada com um Globo de Ouro e com um Óscar, quando em 1955, convidada do Festival de Cannes, foi em visita ao Mónaco para fazer uma sessão fotográfica no Palácio Real, conheceu o Príncipe Rainier III, com quem casou em 19 de Abril de 1956. Um conto de fadas.

Como Princesa do Mónaco dedicou-se principalmente à protecção das Artes tendo criado em 1964 a Fundação Princesa Grace para apoio ao artesanato e artesãos monegascos. Com a sua morte, a Princesa Carolina assumiu a Presidência e introduziu uma componente assistencial de apoio médico às crianças, incluindo a subvenção de pesquisas científicas sobre doenças infantis, equipamento hospitalar e acompanhamento de crianças do principado em hospitais no estrangeiro.

Grace Kelly protagonizou êxitos como Mogambo, As Pontes de Toko-Ri, O Cisne (onde interpreta a personagem de uma princesa) e talvez o seu maior sucesso Alta Sociedade.Grace foi uma das mulheres mais bonitas do cinema. E uma das mais talentosas da sua geração.

Bloopers de clássicos da Warner

Descobri esta pequena pérola há pouco tempo: bloopers com Jimmy Stewart, Bette Davis, Humphrey Bogart, Lauren Bacall, Porky Pig, Ronald Reagan, Jimmy Cagney...