Prosimetron

Prosimetron

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Boa noite!

Fotos soberbas - 7

Na China...

Estou na China a ver tigres.
Jad (há 3 horas)

Humor pela manhã


Publicidade de Macau

Mais anúncios às empresas de fogo de artifício que se encontravam instaladas na Taipa, em Macau (V. Leituras de Metro - 115).

Marcadores de livros - 82

Frente e verso de três marcadores, de que, em tempos, já aqui coloquei outros da mesma série. E da mesma proveniência. :)

Agradeço a HMJ e à sua amiga que os vai juntando... :)

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Boa noite!

Biblioteca do Vaticano

Com o meu agradecimento a Carlos Pinheiro

«Biblioteca do Vaticano disponível na internet

Carlos Pinheiro
bvO Vaticano colocou esta semana online os primeiros256 manuscritos da famosa Biblioteca Apostolica Vaticana, graças a um projeto que pretende disponibilizar na internet mais de 80 mil documentos.
Até agora, a acesso a esses documentos estava limitado por rigorosas por rígidas medidas de segurança e conservação e só podiam ser consultados por 250 especialistas.
A Biblioteca do Vaticano foi criada pelo papa Nicolau V, eleito em 1447 e apaixonado pela cultura clássica. Quando morreu deixou um biblioteca papal com cerca de 1500 códices clássicos e cristãos. Entre as suas preciosidades conta-se o "Codex Vaticanus", do século IV, um dos mais antigos manuscritos da Bíblia grega.

A gancha em troca do pito




No próximo domingo, em Vila Real (Trás-os-Montes), os rapazes vão oferecer a gancha às raparigas que retribuem com o pito, cumprindo assim uma antiga tradição popular.

Uma troca que à partida nos parece brejeira mas, efectivamente, tem raízes religiosas e relaciona-se com São Brás e Santa Luzia. As ganchas são, afinal, doces feitos de açúcar e água que reproduzem o báculo bispal de São Brás, padroeiro das doenças da garganta que as raparigas recebem, dando em troca o pito com recheio de doce de abóbora e cobertura de massa de farinha com o formato de uma espécie de penso antigo que se colocava na vista em honra de Santa Luzia, padroeira dos doentes com problemas nos olhos.

Fotos soberbas - 6

Fevereiro

Edward Penfield - Harpers, feb. 1895
Litografia

Nas bancas


Um quadro por dia


Paula Rego, O Regicídio.

Bom dia !

Ramo de Flores

Quem não gosta de receber flores?

Louis Moeller (1856-1930), The Nosegay, sd.



quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Boa noite!

Sugestão de viagem - Museu Lalique



Para quem, no meio desta crise que nos tem a quase todos de bolsos vazios, possa viajar pela Europa, mais concretamente pelo leste de França, poderá e deverá ir visitar o Museu Lalique. Fica em Wingen-sur Moder, a 45 minutos de Estarsburgo. Aí se encontra uma vasta e belíssima colecção de peças de René Lalique, desde joalharia, a frascos de perfume e, ainda, peças decorativas para enfeitar as mesas, designadamente as realizadas  para o Expresso do Oriente e para o paquete Normadie, e acessórios para automóveis.




Lalique nasceu em 1860 em Ay, no Marne e e morreu em Paris, em 1945. Começou aa sua aprendizagem em Paris com um joalheiro, aos 16 anos e depois rumou a Londres onde estudou, voltando de novo a Paris, onde trabalhou com, enttre outros, Cartier e Boucheron. Em 1885 abriu   sua própria joalharia e em 1890 começou a trablhar o vidro para as suas criações de joalharia. Deixou a joalharia para se dedicar ao vidro, em especial a objectos de arte decorativa eos seus célebres frascos de perfume. Paricipou em inúmeras exposições, entre as quais a Exposição Universal de 1900, onde obteve grande êxito.
 
 
Em 1905 abriu uma loja na Place Vendôme e em 1918 instalou uma fábrica de vidro na Alsácia, em Wingen-sur-Moder, onde hoje está instalado o Museu.
 
Considerado maior criador de joalharia da Art Déco, já antes de 1920 fizera peças para as senhoras que ditavam a moda parisiense, como a marquesa Arconati- Visconti, a princesa de Guermante ou Sarah Bernhardt, a quem emprestou   o  célebre "peitoral da libélula",  um belo exemplar da Art Nouveau, que hoje integra a colecção Lalique do Museu Calouste Gulbenkian, que foi seu amigo e um dos melhoes clientes.

Fotos soberbas -5

A arte do retrato


Foi em 1827 que Goya pintou este retrato do seu neto querido, Mariano Goya, de 21 anos, durante uma estada em Madrid para garantir a sua pensão como ex-pintor real. Morreu um ano mais tarde, em Bordéus onde estava exilado e deixando os seus bens a este neto. Um neto que dissipou a herança recebida, vendendo inclusive as obras do avô que tinham ficado na posse da família.
O retrato ( 52x41cm) provém da colecção do armador grego Georges Embiricos ( 1920-2011 ) e vai hoje à praça na Sotheby's de Nova Iorque com uma base de licitação entre 4,5 e 6 milhões de euros.

Um bom dia, schubertiano

Schubert nasceu em 31 de janeiro de 1797.

Bom dia !



Um ídolo francês para começar o dia.
«Se comermos erva, é melhor do que comer lixo, mas não devemos nunca começar a olhar para nós próprios como se fôssemos gado
Alexander Berkman 

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Boa noite!

Estão a tocar na Culturgest.

Tanto barulho por nada



Anda tudo louco? Agora vem Manuela Ferreira Leite acudir em defesa do maestro Miguel Graça Moura? Só gostava de saber com que argumentos. Ao MGM não bastava ter direito a tratamento “especial” e “diferenciado” como músico e a viver numa casa com piscina “para relaxar depois do seu extenuante trabalho”. Eram regalias que lhe sabiam a pouco; só atingia o relaxamento total a viajar, comprar jóias, charutos, obras de arte, mobiliário, aparelhos de alta-fidelidade, vinhos ou lingerie masculina e feminina, usando para isso dinheiros públicos.
Polícias, guardas prisionais, mineiros, pescadores, vocês que também têm profissões de desgaste físico e psicológico tomem este exemplo e façam valer os vossos argumentos... e tenham uma rica vida.

Um livro de António Borges Coelho


Um dos primeiros estudos deste historiador de uma época que levou muita gente à fogueira por apenas possuir livros considerados proibidos, ou por  pensarem ou viverem de modo diferente ao estabelecido pela Igreja Católica, foi sobre A Revolução de 1383, livro que se encontra no «índice» de que falei ontem. O que ele se deve estar a rir.
Publicado em 1965, o livro esteve proibido até 1974. Esta mania de certa gente querer formatar as consciências...

Lisboa: Portugália, 1965
Capa de João da Câmara Leme.
5.ª ed. Lisboa: Caminho, 1984

Jad, para já, foi o único livro de história de Portugal que encontrei na lista. Devem andar um bocado desatentos. :)

Profissões

Coimbra: Almedina, 2012
€13,00

Ouvi há dias Maria de Lurdes Rodrigues, professora de Sociologia das Profissões no ISCTE, a apresentar esta obra na Antena 1, e o livro pareceu-me interessante. Um ensaio sobre as profissões e o interesse público, procurando uma resolução dos equilíbrios necessários à defesa deste. É ainda uma reflexão sobre as profissões e o profissionalismo em Portugal, as condições do seu crescimento, designadamente na articulação com o sistema de ensino superior e o associativismo profissional.

A arte do retrato


E não podia faltar nesta longeva rubrica prosimetrónica o primeiro retrato oficial da Duquesa de Cambridge por Paul Emsley, exposto recentemente na National Portrait Gallery de Londres.
Ainda bem que o autor parece gostar, porque eu, e muito boa gente pelas reacções que li, nem por isso. A princesa está envelhecida neste retrato e sem o seu característico sorriso.

Poemas


Verdadeiros Inimigos

Estou em idade de ter verdadeiros inimigos.
É quase inevitável. Parece-me mesmo normal. Já erro
pela cidade há demasiado tempo. Estranho
era que ninguém tivesse reparado em mim. É esta a idade de ter
verdadeiros inimigos
é sabido que possuo predicados invulgares
( sou visita de casa da angústia e
do tumulto
há muito que trato por tu a dúvida e a inquietação )
é fácil que sobrevenha quem sinta invídia
de mim ( prometo 
alimentá-los com novos conseguimentos:)
apenas reclamo para mim um
direito natural.

- João Luís Barreto Guimarães, Verdadeiros Inimigos , in Você está aqui.

ONDE ME APETECIA ESTAR


De bom grado em Nantes, para a 19ª edição da Folle Journée que começa hoje e dura até 3 de Fevereiro. O programa deste ano é dedicado às músicas espanhola e francesa de 1850 até aos nossos dias. E tanto que eu gosto de Albéniz, Ravel, Manuel de Falla, Debussy ou Granados...

Mais info aqui : www.follejournee.fr

Números



30

mulheres nomeadas para o Conselho Consultivo da Arábia Saudita pelo Rei  Abdallah. Uma novidade que  tem provocado sucessivas manifestações de protesto por parte de súbditos mais extremistas junto ao palácio real.

Humor pela manhã


Da categoria " humor que faz pensar "

Bom dia !



Do novo ( e já sétimo ) álbum de Andrew Bird, Hands of Glory.

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Boa noite!

Contra a insónia

Diário de Notícias, Lisboa, 29 jan. 2013

Uma homenagem...

Uma homenagem a José Saramago:

Em março será inaugurada uma escultura em Lanzarote  próxima da Fundação Saramago nas ilhas Canárias. A escultura  com cerca de 5 metros simboliza uma oliveira.  Ler aqui.

Fotos soberbas -4

Leituras que nos levam diretamente para o Inferno


O DN de ontem referiu um Index de livros proibidos pela Opus Dei. Parece que a lista contém 33573 títulos, 79 dos quais de autores portugueses. À cabeça, com maior número de títulos, estão José Saramago e Eça de Queirós. Mas até Camilo e o seu Amor de perdição lá se encontra.
Um dia destes voltarei para esmiuçar a lista.
Se isto não fosse trágico... era de ir às lágrimas.


McNamara, o surf e a Nazaré



O surfista Garrett McNamara voltou a ser fotografado mais uma vez numa onda gigante na Praia do Norte (Nazaré). A imagem não tinha sido publicada há duas horas na página do Billabong XXL e já tinha perto de 10 mil partilhas e likes e mais de mil comentários.
Não há dúvida que a Nazaré volta a estar nas bocas do mundo graças à proeza deste surfista havaiano que “ama” aquelas ondas e aquelas praias. De tal forma, que chegou mesmo a escolher a pequena localidade portuguesa como cenário para o seu casamento no ano passado. 
Também aqui queremos prestar homenagem à Nazaré com esta imagem a ser a última vinheta de Janeiro.

Pensamento ( s )


Números


Um número que não diminuirá tão cedo...

Novidades


" Este livro tem como objetivo evidenciar os problemas das dívidas dos Estados. Em resumo, a crise das dívidas aconteceu devido ao facto das pessoas e dos Estados gastarem mais do que têm. "

Apresentação hoje, pelas 18h30 na Fnac Colombo, pelos autores e por Luís Marques Mendes.

Hoje, no Palácio da Independência


Bom dia !



Parece que a chuva nos concedeu uma trégua...

Memória possível

E hoje posto à venda o vol. 6 de Dias comuns, o diário de José Gomes Ferreira. Este volume abarca o período de setembro a dezembro de 1968 e é um retrato da vida quotidiana e da sociedade intelectual e política portuguesa na saída de Salazar como presidente do conselho e na entrada de Marcelo Caetano.