Prosimetron

Prosimetron

quarta-feira, 16 de maio de 2018

Lisbonne: ville ouverte

Paris: Chandeigne, 2018
€17,00

Sai hoje em Paris o livro de Patrick Straumann sobre os refugiados que passaram por Lisboa durante a II Guerra Mundial.
Após a queda de Paris e o encerramento dos portos do Mediterrâneo, a capital portuguesa é a última saída para uma Europa em guerra. Refugiados políticos de todas as origens, apátridas, anónimos, intelectuais e artistas como Man Ray, Julien Green e Hannah Arendt fogem da Ocupação e atravessam os Pirenéus na esperança de encontrar um lugar a bordo de um navio e embarcar para Nova Iorque ou para o Rio de Janeiro. 
O cenário deste êxodo é Lisboa e o Estoril. Nas esplanadas dos cafés ouve-se uma mescla de línguas estrangeiras, enquanto que nos átrios dos hotéis dão-se encontros inesperados. 
Lisboa agita-se diante do afluxo de refugiados. As livrarias exibem  as obras de Stefan Zweig e Romain Rolland, o mercado negro floresce, a bagagem é empilhada nos cais do Tejo. 
Como voltar a esta história, feita de milhares de destinos individuais, coincidências e dramas? Enquanto, em Belém, o governo abre a Exposição do Mundo Português, Jean Renoir e Antoine de Saint Exupéry entram juntos a bordo do SS Siboney.
Jean Giraudoux passará por Lisboa em busca do seu filho que foi para Londres; Tadeus Reichstein, futuro Prémio Nobel de Química, cruza a cidade numa viagem de ida e volta a Nova Jersey. Judeu polaco, naturalizado suíço, a sua correspondência privada lançará luz sobre estes anos de guerra.
(Retirado do site da editora.)

Quero muito ler este livro, mas tenho um monte muito grande à minha espera. :)

3 comentários:

APS disse...

Para não falar do "Casablanca" que, em ficção fílmica, continua a ser uma referência..:-)
Bom dia.

MR disse...

Não sei se o filme é referido no livro, porque é uma ficção.
Bom dia!

Mister Vertigo disse...

Pelo que li já percebi que não vou resistir a comprar este livro.
Muito obrigado por partilhar esta informação preciosa:)
Muito bom dia!