Prosimetron

Prosimetron

domingo, 21 de agosto de 2016

Josef Koudelka

A Primavera de Praga durou oito meses e terminou faz hoje 48 anos com a invasão da Checoslováquia pelas tropas soviéticas.
Koudelka fez as mais belas e impressionantes fotografias da ocasião. Ainda hoje me emociono ao vê-las.

Em geminação com o Arpose que lançou um repto aos seus visitantes. 

5 comentários:

APS disse...

Um magnífico "álbum" !, dum conhecido do Arpose..:-)
Celebrando uma Primavera-Verão que não chegou a completar-se, mas serviu de clic, para muitos comunistas, por esse mundo fora, para abrirem os olhos, politicamente.
Um bom Domingo!

MR disse...

Sim, lembro-me de o ver pelo Arpose. :)
É verdade, que muitos comunistas, mesmo portugueses (os mais empedernidos), abriram a pestana. Mas outros continuaram negando a evidência dos factos.
Lembrarmo-nos que dos partidos comunistas, fora do Leste, só o português e o inglês é que apoiaram a invasão da Checoslováquia...
Que me lembre ofereci por das vezes livros de Koudelka a jovens amantes de fotografia.
Igualmente lhe desejo um bom domingo.

João Mattos e Silva disse...

Impressionantes imagens.

Miss Tolstoi disse...

Koudelka é um grande fotógrafo. Tinha 30 anos e foi a primeira vez que fez de foto-jornalista e assinou as fotografias com um pseudónimo não fosse acabar na Sibéria. Só muitos anos mais tarde é que se soube quem era o seu autor.

maria franco disse...

Duas situações diferentes, retratadas para que a memória
não esqueça.Um bom fotógrafo sem dúvida.
Presentemente, também as fotografias vão sendo cada vez mais dramáticas.
Boa noite.