Prosimetron

Prosimetron

sábado, 8 de fevereiro de 2014

A Rapariga que roubava livros

Um filme bonito no qual os livros e a escrita têm importância. O maravilhamento perante a biblioteca tocou-me especialmente, porque há poucos anos senti o mesmo, só houve uma diferença: assustou-me.  Um filme realizado por Brian Percival com Sophie Nélisse, Geoffrey Rush e Emily Watson.
“A Menina que Roubava Livros”: Best-seller de australiano vira filme

8 comentários:

Cláudia Ribeiro disse...

Ana, o filme nunca vi, mas já li o livro...
Também gostei bastante!

Beijinhos.:))

ana disse...

Cláudia,
Não li o livro. Há uns tempos estive para o comprar mas meteram-se outros.
Quando o fui para comprar a edição tinha na capa uma cena do filme e já não o comprei.
A referência, ainda que breve, à Kristallnacht torna-o um documento apreciável.
O lado de cá da história, isto é, os civis alemães na guerra,o poder do III Reich, e uma breve referência aos perseguidos, comunistas, judeus... vale o filme.
Beijinho. :))

João Menéres disse...

Não estou em fase de ver películas assim, Ana.

Um beijo.

ana disse...

João,
Então desejo que fique bem. :))
Não para ver o filme pois é um tema difícil, embora este seja o mais "suave" que vi.
Beijinhos.

Isabel disse...

Tenho o livro. Não sabia que havia o filme. Se puder hei-de vê-lo.
Um beijinho

MR disse...

Nunca li o livro, nem vi o filme, mas numa próxima ida ao cinema...
Bom dia!

Filipe disse...

Não li o livro, vi o filme e gostei MUITO!

ana disse...

Isabel,
Vais gostar.

MR,
É um filme que marca pela beleza encontrada na narrativa do tema.

Filipe,
Também gostei MUITO.
Achei muito original a personagem do narrador...

Beijinho para todos.