Prosimetron

Prosimetron

terça-feira, 2 de abril de 2013

A Menina dos Fósforos

«Estava terrivelmente frio. Nevava e tinha começado a anoitecer. Era também a última noite do ano, a véspera do ano novo. Naquele frio e naquela escuridão, caminhava pela rua uma rapariguinha pobre, com a cabeça descoberta e descalça.» Assim começa o conto «A Rapariguinha dos Fósforos», escrito em 1845 por Andersen. Conto - muito triste - que li, pelo menos, dezenas de vezes,
Escolhi esta personagem, mas podia ter escolhido «O Soldadinho de Chumbo», «A Sereiazinha», A Polegarzinha» e outros personagens dos contos de Andersen.


7 comentários:

ana disse...

Uma história que me encantou e encanta. :)
Boa tarde!

--- disse...

Triste mas bela!!
Boa tarde
Ana Lúcia

Ana Venâncio disse...

Os livros infantis, são, mais vezes do que seria desejado, únicas fontes de afectos e compreensão.
Apoio vivamente mesmo em tempo de crise, ou principalmente em tempos de crise todos os investimentos no incremento da leitura.

Isabel disse...

Adoro todos eles. Tenho alguns, em mais do que uma versão.
A Menina dos Fósforos é tão bonito!

Cláudia Ribeiro disse...


Uma história bonita e triste ao mesmo tempo!
A edição que tenho é recente.

MR disse...

A primeira edição que li foi uma adaptação de João Sereno na coleção Formiguinha. Agora tenho a edição dos contos de Andersen que saiu no centenário.

Anónimo disse...

Li este conto,como milhares de outros contos ao longo da vida,mas este,pela triste vida da menina ,ficou-me na memória para todo o sempre
Esqueci milhares,mas este...sempre me lembrei durante toda a minha infãncia,juventude e agora...meus 54 anos
Mas o nome não era Anabela pequena candeia?