Prosimetron

Prosimetron

domingo, 23 de julho de 2017

Leituras no Metro - 281


Gostei imenso deste livro de Pepetela. Há cerca de um mês, talvez, vi na tv, o documentário A Casa, baseado no primeiro capítulo deste romance e que tem como 'protagonista' a Casa dos Estudantes do Império.

«Atravessaram a rua, entraram na Casa dos Estudantes. No primeiro andar era a cantina. Foram passando por entre as mesas, cumprimentando os que já estavam instalados.» (p. 18)


«Conversas mais sérias, não convém tê-las nem na Casa nem no Rialva. Reparaste no tipo com chapéu que estava sentado ao nosso lado no café? Aquele não engana ninguém. […] E ponho a minha cabeça em baixo dum comboio se o tipo do chapéu não é pide.» (p. 21)


«Entraram numa taberna famosa pela sua aguardente de ginja. Era uma tasca estreita, onde dez pessoas dificilmente cabiam. Ele encomendou dois cálices.
«- Com elas ou sem elas? – perguntou o taberneiro.
«- Com elas, com elas – respondeu Sara, rindo.
«Beberam de pé no balcão, como todos os clientes. Com um palito, pescavam as ginjas no cálice e depois cuspiam os caroços para o chão, era um ritual. Como era ritual no bar Amazonas, no Arco de Cego, deitas as cascas dos tremoços para o chão, as quais no fim da noite faziam um tapete fofo.» (p. 24-25)



«[Sara] Tentou relembrar um poema de Éluard que circulava clandestinamente, sobre a liberdade, mas só retivera os primeiros versos.» (p. 131)

6 comentários:

APS disse...

Indesculpável, mas nunca li nenhuma obra de Pepetela. Fazendo embora uma grande diferença, li duas ou três entrevistas dele, que achei "banalérrimas", e fiquei com a ideia que Mia Couto pensa melhor. E, deste, sim já li vários livros e gostei.
Bom Domingo!

MR disse...

Deve ter sido o segundo livro de Pepetela que li. Dos africanos de expressão portuguesa vivos (e dos que li), o que prefiro é o Agualusa.
Bom domingo!

Mª Luisa disse...

Quanto vemos nos blogues!
Não conheço nada...Este livro tem " boa pinta" ...Anda por lá a pide...miedito.

Bom domingo!

MR disse...

Andam por lá os fundadores do MPLA e de outros movimentos de libertação das então colónias portuguesas.
Resto de bom domingo!

maria franco disse...

Muito bem dito o poema. Gostei.
Boa semana.

MR disse...

Também gostei.
Bom dia!